As condições de vida nos municípios do território da Mata Sul de Pernambuco

No documento UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL (páginas 125-129)

6. A IMPLEMENTAÇÃO DA ABORDAGEM TERRITORIAL: O CASO DO

6.2. ZONA DA MATA SUL: UM TERRITÓRIO RURAL E DE CIDADANIA

6.2.1. As condições de vida nos municípios do território da Mata Sul de Pernambuco

Na elaboração dos Programas Territórios Rurais e Territórios de Cidadania, os índices de condições de vida da população dos municípios partícipes do Território

Rural da mata Sul foram importantes para inclusão desse Território nestes programas governamentais. A importância de se conhecer as condições de vida da população rural, não apenas os agricultores familiares, mas também trabalhadores rurais e pessoas que residem no rural, resultou em um Edital40 lançado em conjunto com o CNPq, já referido neste capítulo; que objetivava um desenho mais próximo da realidade dos diversos territórios Rurais brasileiros. Os dados resultantes das pesquisas compuseram o Sistema de Gestão Estratégica do Ministério de Desenvolvimento Agrário (SGE/MDA), e traçaram o perfil socioeconômico de cada território rural brasileiro.

Salientam-se dois pontos: desde o final do convênio firmado entre a SDT-MDA/CNPq, os dados presentes no SGE/MDA não foram, até o momento, atualizados. Os dados que constam no Sistema trazem informações referentes ao ano de 2010. Outro ponto diz respeito as variantes utilizadas para avaliar as condições de vida da população rural. Embora se baseassem em acesso à políticas públicas de habitação, educação, saúde, assistência social, foi utilizada uma metodologia baseada na comparação ao que “já havia melhorado”.

Assim, ao se comparar os dados de condições de vida estabelecidos pelo SGE/MDA, são encontradas discrepâncias relativas, principalmente, a forma de mensurar tais índices. Não obstante, os dados pelos quais a Mata Sul foi classificada, em especial, como Território de Cidadania, foram os dados estabelecidos por entidades internacionais. A princípio, foram considerados os Índices de Desenvolvimento Humano dos dezenove (19) municípios, os Índices de Gini de cada município. Neste ponto, os representantes das Entidades e componentes do CODETER/Mata Sul-PE que participaram do estudo, apontaram as razões pelas quais a Mata Sul inseriu-se nestes dois Programas, considerando a relação intrínseca que a região possui com a cultura da cana-de-açúcar.

De acordo com Ricardo, Representante de Sindicato de Trabalhadores Rurais, o baixo IDH dos municípios e a relação com a existência de usinas de açúcar, destilarias e a decadência dessa atividade econômica "[…] foram perdendo espaço, foram fechando […]" e sendo criada "[…] uma demanda para se criar uma nova cultura produtiva", apontando para o movimento de desestruturação da

atividade econômica característica da Zona da Mata Sul pernambucana e, ao

mesmo tempo vislumbra possibilidades conforme expresso o entrevistado Representante de Sindicato de Trabalhadores Rurais, no trecho seguinte.

[…] aqui ainda persiste […] municípios com baixo IDH. O Território Rural […] ele tinha essa questão do foco, mas para discutir desenvolvimento rural. […] na época de transformar o território rural em território da cidadania

(também) se considerou os IDH's dos municípios que compõem esse

território […]. E eu acho que o histórico (da Mata Sul) também […]. Aqui […] você já chegou a ter 37 usinas […], e me parece, 14 destilarias. Então, essas usinas ao longo do tempo, elas foram perdendo espaço, foram fechando. (Entrevista em agosto de 2016).

O Representante de Sindicato de Trabalhadores Rurais assinala a presença de assentamentos da Reforma Agrária, indicativo de determinada alteração no acesso à terra, favorecido pelo fechamento de usinas de açúcar, ou seja, a decadência da atividade econômica prioritária ou quase exclusiva no processo de formação sócio-histórica do Nordeste brasileiro, cedendo lugar a instituição do Território da Cidadania. Segundo o relato do entrevistado:

Aqui você já tem mais de dez mil pessoas assentadas da Reforma Agrária. Então, a presença de grandes assentamentos rurais […] a partir dos anos de 1990, com o fechamento das usinas, a transformação dessas terras em assentamentos rurais, criou, acho que encheu os olhos para que o Território

(Rural) virasse um Território de Cidadania […]. (Ricardo, Representante de Sindicato de Trabalhadores Rurais, Entrevista realizada em agosto de 2016)

Segundo dados do INCRA (2015), atualmente 10.132 famílias estão em assentamentos agrários na Zona da Mata Sul Pernambucana. Desse universo, 42% das famílias assentadas estão no município de Catende, em virtude das lutas pelo acesso ao direito trabalhista, resultante do processo de falência da Usina Catende.

Figura 6 Assentamentos no Território Rural da Mata Sul

Fonte: DEA/INCRA (2015). Elaboração: Alencar (2017).

Sobre a situação de pobreza prevalecente nesse território, de fato os municípios que formam o Território Rural da Mata Sul de Pernambuco apresentam baixo IDH. Entre o conjunto dos municípios da Mata Sul, Palmares, sede do CODETER/Mata Sul-PE, revela indicadores sociais mais elevados em relação aos demais municípios. Deve-se isto a posição estratégica que o município ocupa na região, uma vez que atua como município central da região, visto que nessa unidade da federação estão as sedes da III Gerência Regional de Saúde de Pernambuco, o Hospital Regional dos Palmares, um dos dois existentes na região, a Gerência Regional de Educação de Pernambuco – Mata Sul; conta com a sede regional do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA – Palmares), e a sede regional do PRORURAL. Em Palmares estão presentes a maior parte das instituições de ensino superior do Território, como o polo da Universidade de Pernambuco Mata Sul, uma extensão da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPTE), uma unidade do Instituto Federal (IF) de Pernambuco, a Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul (FAMASUL), a Faculdade de Ciências Sociais dos Palmares (FACIP) e um polo à distância da Universidade do Norte do Paraná (UNOPAR).

Além disso, o acesso ao município é favorecido pelas diversas vias de ligação que o cortam, como a BR 101 Sul – via que assegura a ligação norte-sul do país -, as rodovias estaduais PE-96, que liga o município ao litoral da Mata; a PE-103, que o interliga à BR 232, e viabiliza o trânsito para o interior do estado; a PE-120,

elemento de interligação para o município de Caruaru; e, mais, que favorece ao fluxo entre Palmares e Garanhuns.

No documento UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL (páginas 125-129)