• Nenhum resultado encontrado

3 REVISÃO DE LITERATURA

3.2 Conceitos de técnica

Neste trabalho, entende

formadas pela experiência direta ou indireta. Como abstrações da vida real, os conceitos são ingredientes indispensáveis a todos os aspectos

ciência, a arte, a cultura e as interações sociais (MORSE, 1995).

Sobre a natureza dos conceitos e a sua relação com a construção do conhecimento, o qual a Enfermagem tem utilizado p

necessária uma discussão aprofundada dos diversos aportes filosóficos e teóricos que t ao longo da história, substanciado a elaboração de conceitos

seja objetivo desta tese, analisa

REVISÃO DE LITERATURA

“Considero paradigmas as realizações científicas universalmente reconhecidas que, durante algum tempo, fornecem problemas e soluções modelares para uma comunidade de praticantes de uma ciência

ecnológica e tecnologias: transitando pelos conceitos

a de esgotar a reflexão e a discussão sobre os termos MPE, visto que, além da abrangência do termo, deve

cuidado na utilização de seus significados, pois podem comprometer toda uma produção de ssos e produtos provenientes dessa modalidade de ensino.

Com isso exposto, procurou-se fazer uma abordagem s de que ajudará a clarificar os termosquando empregado

filósofos e pensadores renomados com as proposições de estudiosos e militantes na área de interesse – MP, entendendo que esses últimos,

tenham know-how que contemple, de fato, aquilo que deve ser a despeito da polissemia dos termos.

Conceitos de técnica

Neste trabalho, entende-se conceitos como representações cognitivas da realidade formadas pela experiência direta ou indireta. Como abstrações da vida real, os conceitos são ingredientes indispensáveis a todos os aspectos da vida humana, inclusive para a ciência, a arte, a cultura e as interações sociais (MORSE, 1995).

obre a natureza dos conceitos e a sua relação com a construção do conhecimento, qual a Enfermagem tem utilizado para compreender a essência dessa relação

necessária uma discussão aprofundada dos diversos aportes filosóficos e teóricos que t substanciado a elaboração de conceitos de técnica. E, embora este objetivo desta tese, analisa-se ser pertinente trazer algumas reflexões.

ro paradigmas as realizações científicas universalmente reconhecidas que, durante algum tempo, fornecem problemas e soluções modelares para uma comunidade de praticantes de uma ciência.”

ecnológica e tecnologias: transitando pelos conceitos

a discussão sobre os termos técnica e além da abrangência do termo, deve-se ter o podem comprometer toda uma produção de

se fazer uma abordagem sócio-histórica, na empregados, dialogando os renomados com as proposições de estudiosos últimos,por sua vivência e aquilo que deve ser

se conceitos como representações cognitivas da realidade, formadas pela experiência direta ou indireta. Como abstrações da vida real, os conceitos da vida humana, inclusive para a

obre a natureza dos conceitos e a sua relação com a construção do conhecimento, ara compreender a essência dessa relação, seria necessária uma discussão aprofundada dos diversos aportes filosóficos e teóricos que têm, . E, embora este não reflexões.

Os conceitos que têm origem em disciplinas relacionadas e são utilizadospela Enfermagem também precisam de análise no que se refere a sua aplicação nos contextos da área (ENDERS; BRITO; MONTEIRO, 2004).

A técnica, na qualidade de ato produtivo, dá origem às considerações teóricas que justificam a instituição de um setor do conhecimento, tomando-a por objeto e sobre ela edificando as reflexões sugeridas pela consciência que reflete criticamente o estado do processo objetivo, chegando ao nível da teorização. Há, sem dúvida, uma ciência da técnica enquanto fato e, por isso,éobjeto de indagação epistemológica. Se a ciência é simplesmente uma descrição direta e não interpretada das coisas como elas são não maculadas por vieses e limitações culturais e sociais, então a ciência é simplesmente um espelho da realidade (DUSEK, 2006).

Segundo Pinto (2005, p.175), apalavra técnica no sentido vernacular “na verdade designa um adjetivo, τέχνη, e não um substantivo. Refere-se a um verdadeiro substantivo, a “tecne”, τέχνη, traduzido pelos latinos em sentido geral por “ars”, “arte”. O autor ressalta que a palavra também possui uma forma latinizada de ser, “techna”, de uso extremamente raro, com o sentido de astúcia, manha, quase certamente por influência do substantivo “technicus”, que mais se aproxima do grego, designando o mestre de algum ofício artesanal.

O termo téchne também significa fabricar, produzir, fazer ou construir, principalmente coisas materiais, através do trabalho ou da arte, como também causar fenômenos naturais, ações ou eventos. Em conformidade com autores trágicos gregos, como, por exemplo, Homero, pode também ser compreendido como a habilidade em geral, o método, a maneira, o modo de fazer. Já o substantivo τεύκος (teckos), significa ferramenta, instrumento ou utensílio. Na Grécia Antiga, além de adotarem os sentidos mencionados, o termo techné foi frequentemente mencionado em oposição à επιστηµε(episteme = ciência, conhecimento), à λογοσ (logos = razão, estudo, teoria), à δοχα (doxa = opinião) e à Φυσις (physis = natureza ou físico) (KNELLER, 1980).

Na atualidade, compreende-se que a palavra associada ao presente contexto – MPE– apresenta uma designação muito mais ampla, ideológica e paradigmática, que vai muito além de seu sentido etimológico, em função de sua construção acontecer pelo homem e para o homem. Isto pois, o homem, tornando-se o ser que se produz a si mesmo, constituiu-se também animal técnico. Assim, pode-se dizer que a técnica está presente por definição em todo ato humano, uma vez que o pensar dialético leva-nos não só a prever este fato, mas a descobri-lo e explicá-lo.

Neste emaranhado de conceitos, Schraiber, Mota e Novaes (2006) contribui para o entendimento do termo, definindo técnica como uma tomada na qualidade de engenho humano: faculdade da arte, de criação daquilo que ela própria – a natureza –não engendra, não importando os motivos pelos quais não o faz. Em outra proposição, o autor afirma que a técnica pode ser definida como um saber progressivamente complexo e produzido para o mundo prático. Tais conceitos têm uma perspectiva de um fazer, sendo valorizados por produzir produtos derivados de um ofício; um fazer que é gasto de energia do homem é, pois, trabalho.

Em consonância ao conceito apresentado acima, Pinto (2005) ressalta que o objetivo da técnica em si, por muito tempo, foi fornecer mais bens e melhores serviços à sociedade, aliviar os fardos de nossa existência, reduzir o sofrimento, aumentar o bem- estar e expandir os horizontes da vida humana. A técnica se torna o caminho por meio do qual o homem pode alcançar por si mesmo a certeza no conhecimento e se assegurar de que tem a verdade. Logo, compreende-se que, sendo a técnica um produto cognoscente do homem, elasó existe como atividade relacionada à apropriação de um saber reflexivo, estando, assim, atrelada a ele desde as suas origens primitivas, jáque o homem a todo o momento era posto em situações-problemas do cotidiano.

Para o filósofo,primeiramente, a técnica define uma qualidade do ato material produtivo; no segundo momento do processo cognoscitivo se transfere o ato para o agente, o homem que pratica atos técnicos, produtivos de um fim bem determinado, logo, a técnica não pode ser pensada separada do ato. O terceiro momento representa aquele em que, em virtude dos mecanismos de abstração ao exercício do conhecimento, a qualidade começa a ser conceituada à parte da ação qualificada do operador (PINTO, 2005).

Outrora, quando nasceu à moderna ciência da natureza e a técnica foi reinterpretada como tecnologia, houve uma mudança na posição de fundo com que os entes eram interpelados, como mostra o fato da ciência ter se tornado um saber que monopoliza a verdade e a técnica, um saber que calcula e comanda de acordo com essa verdade.