As unidades domésticas de Ponta Porã-MS materializam o conhecimento etnobotânico, etnoecológico, elementos culturais e intensos saberes que são transmitidos pela oralidade entre parentes, vizinhos e amigos. Esses espaços devem ser entendidos por múltiplos significados, a partir da significação que é estabelecida por cada morador.

Apesar de tais unidades domésticas estudadas se localizarem na área urbana do município, podemos afirmar que a população mantém uma estreita relação com o meio natural. Este fato é confirmado pela grande diversidade de espécies encontradas nesses locais, e mesmo que tal diversidade possa variar de uma unidade para outra, representa possibilidades de conservação.

Foram registradas mais de duzentas espécies e entre elas, espécies nativas e endêmicas do Brasil, além das espécies que são nativas das matas regionais. Alguns táxons fazem parte da Lista Oficial das Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção e desta maneira são importantes para a conservação e evolução da espécie.

Como foi registrado um grande número de espécies exóticas, os espaços das unidades domésticas também podem contribuir para incremento da diversidade vegetal por meio da combinação entre espécies exóticas e nativas com várias utilidades.

As unidades domésticas são importantes fontes de recursos vegetais para os moradores de Ponta Porã-MS, fornecendo principalmente prazer estético, alimento e sombra para as pessoas, além de outros recursos, como plantas medicinais e místico/religiosas.

Podemos assim afirmar, que a estrutura e a composição vegetal das unidades domésticas são reflexos das demandas e anseios de cada morador. Contituem um espaço de organização particular e de características bem distintas, apresentando uma série de funções, da conservação biológica à sociabilidade dos moradores. Isso torna evidente a relação entre o informante e as categorias de plantas existentes nas unidades domésticas.

As formas de aquisição das plantas ocorrem por compra, doação ou troca com vizinhos e familiares. Isso enfatiza a sociabilidade existente entre os moradores. Para a manutenção das unidades domésticas observou-se principalmente o uso de insumos agrícolas naturais, como restos de folhas e esterco. O manejo é realizado predominantemente pelas mulheres, as quais têm uma posição de destaque nas unidades domésticas.

Por meio do presente estudo foi possível conhecer a importância social, cultural e biológica das unidades domésticas urbanas. Este espaço é apropriado para a realização de um

misto de atividades, que vão além do plantio, podendo desenvolver ações de lazer, descanso e de cultura.

No que se refere à organização do espaço das unidades domésticas há terrenos com ordenamentos bem definidos, entre eles, o uso da frente da casa para fins estéticos, por meio de espécies consideradas ornamentais e aos fundos do terreno as hortas estavam contempladas.

Finalmente, estudos etnobotânicos em unidades domésticas podem contribuir para melhor compreender a importância cultural de certas espécies vegetais de uso-múltiplo e reafirmar que estes ambientes são capazes de conciliar conservação da biodiversidade, uso sustentável dos recursos naturais e qualidade de vida dos moradores.

APÊNDICES

APÊNDICE A. Modelo de termo de consentimento livre esclarecido utilizado no estudo.

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE ESCLARECIDO Você está sendo convidado(a) para participar, como voluntário, de uma pesquisa.

Após ser esclarecido(a) sobre as informações a seguir, no caso de aceitar fazer parte do estudo, assine ao final deste documento, em que está em duas vias. Uma delas é sua e a outra do pesquisador

Responsável pela pesquisa: Sebastião Gabriel Chaves Maia

Endereço e telefone para contato: Rua Benjamin Constant 1176, Residencial Ponta Porã II, Mato Grosso do Sul-MS, CEP: 79.902-450, Telefone: (067) 99633-7888

Equipe de pesquisa: Sebastião Gabriel Chaves Maia e Silvia Maria Guerra Molina (Orientadora) Esta pesquisa pretende registrar etnoecologicamente a relação do ser humano com a composição vegetal da unidade doméstica, considerando aspectos culturais, sociais e biológicos. Acreditamos que ela seja importante, porque contribui para a conservação da diversidade das etnoespécies na região fronteiriça Brasil-Paraguai, municípios de Ponta Porã-MS e Pedro Juan Caballero-Amambay, observando quais plantas estão à disposição e quais são reconhecidas como recursos e como este são utilizados. Para sua realização será feito o seguinte: perguntas relativas à condição social, econômica e ambiental, dos familiares, bem como sobre o uso e manejo dos vegetais encontrados na unidade doméstica. Sua participação constará de me orientar e me mostrar às espécies vegetais presentes na unidade doméstica, e ao longo disso vamos conversando sobre o nome, função, formas de coleta, cuidado de cada um dos vegetais. É possível que aconteçam os seguintes desconfortos: ficar muito tempo em pé, atrapalhar o andamento das atividades cotidianas, entre outros. É importante esclarecer que, caso você decida não participar, existem estes outros tipos de tratamento (ou diagnóstico) indicados para o seu caso (procedimento alternativo). Durante todo o período da pesquisa você tem o direito de tirar qualquer dúvida ou pedir qualquer outro esclarecimento, bastando para isso entrar em contato, com algum dos pesquisadores ou com o Conselho de Ética em Pesquisa. Em caso de algum problema relacionado com a pesquisa você terá direito à assistência gratuita que será prestada. Você tem garantido o seu direito de não aceitar participar ou de retirar sua permissão, a qualquer momento, sem nenhum tipo de prejuízo ou retaliação, pela sua decisão. As informações desta pesquisa serão confidencias, e serão divulgadas apenas em eventos ou publicações científicas, não havendo identificação dos voluntários, a não ser entre os responsáveis pelo estudo, sendo assegurado o sigilo sobre sua participação. Será também utilizada coleta de imagens e a nossa conversa será gravada, sendo depois de analisado depositado no laboratório de Ecologia Evolutiva Humana, do Departamento de Genética da ESALQ/USP. O material biológico coletado será utilizado para identificação e depositado no Herbário da ESALQ/USP. Os gastos necessários para a sua participação (se houver) na pesquisa serão assumidos pelos pesquisadores. Fica também garantida indenização em casos de danos, comprovadamente decorrentes da participação na pesquisa, conforme decisão judicial ou extrajudicial.

Nesta pesquisa não há risco previsível no seu desenvolvimento. Uma cópia deste termo será entregue ao voluntário.

APÊNDICE B. Formulário sócio-econômico-ambiental de caracterização das unidades

Estado civil: Solteiro( ) Casado( ) Viúvo( ) Divorciado ( ) Outro:____________

Escolaridade: ___________________ Nº de pessoas na casa:________ Qtde. de Filhos:_____

B – RENDA

Ocupação principal:________________________ Renda Familiar: _____________________

C – ESTRUTURA FÍSICA/SERVIÇOS

Mora em casa: Própria( ) Alugada( ) Emprestada( ) Outro: _______

Estrutura da casa: Madeira( ) Alvenaria( ) Outro:________

Possui água encanada? Sim( ) Não( ) Possui energia elétrica? Sim( ) Não( ) D - CRITÉRIO DE CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA BRASIL

Não tem 1 2 3 4+

Analfabeto / Fundamental I incompleto 0

Fundamental I completo / Fundamental II Incompleto 1

Fundamental completo/Médio Incompleto 2

APÊNDICE C. Roteiro de entrevista sobre as plantas e seus usos.

ROTEIRO DE ENTREVISTA SOBRE AS PLANTAS E SEUS USOS UNIDADE DOMÉSTICA Nº _____

1. NOME(S) COMUM(NS):__________________________________________

Porque recebe esse(s) nome(s)?_____________________________________

2. USO:

( ) Alimentação ( ) Medicinal ( ) Ornamentação ( ) Outros usos:________________________

3. PARTE USADA:

Folha( ) Flor( ) Fruto( ) Semente( ) Casca( ) Raiz( ) Lenho( ) Látex( ) Toda a planta( ) Outros:_______________

Como usa essa planta? ________________________________________________________

Com quem você aprendeu a usar essa planta? ______________________________________

Passa seu conhecimento sobre o uso dessa planta para outra pessoa? Sim( ) Não( )

Para quem? _____________________________ Como? _____________________________

4. PLANTAS MEDICINAIS

Usa essa planta para tratar doenças? Sim( ) Não( ) Acredita no seu poder de cura? Sim( ) Não( )

Indicações terapêuticas: _______________________________________________________

Modo de preparo: ____________________________________________________________

Dosagem: __________________________________________________________________

Contra-indicação: ____________________________________________________________

5. TOXIDADE DA PLANTA

Está planta é tóxica/causa algum mal? ( )Sim ( )Não

Em caso de sim, qual parte é tóxica:__________ Qual a ação tóxica:___________________

Prevenção: _________________________________________________________________

6. FORMA DE OBTENÇÃO:

( ) Espontânea

( ) Coletada/Nativa - obtida na vegetação local

( ) Introduzida - exóticas não manejadas obtidas nas vizinhanças das residências

( ) Compradas em: Feiras( ) Comércio local( ) Fora do bairro/cidade( ) Outro:_____________

7. MANEJO DA PLANTA

Quais as práticas de manejo utilizadas?____________________________________________

Qual o estado fitossanitário da planta?____________________________________________

8. AMBIENTE

Local de crescimento: Horta( ) Jardim( ) Quintal( ) outro:_____________________________

No documento Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Centro de Energia Nuclear na Agricultura (páginas 148-152)