contemporâneo em 50 filmes” com Marcelo Ikeda.

No documento 14º Curta Taquary - Festival Internacional de Curta-metragem (páginas 128-144)

MARCELO IKEDA é Mestre pelo PPGCOM da Universidade Federal Fluminense (UFF). Trabalhou na Agência Nacional do Cinema (ANCINE) entre 2002 e 2010, ocupando diversas funções. Sua principal pesquisa acadêmica é sobre as políticas públicas para o setor cinematográfico a partir dos anos noventa, e sobre a economia do audiovisual. Ministrou cursos e

palestras sobre Leis de Incentivo e Economia do Audiovisual em diversos cursos, como IETV e FGV/RJ (Film & TV Business). Sua dissertação de mestrado (O modelo das leis de incentivo fiscal e as políticas públicas cinematográficas a partir da década de noventa) recebeu o Prêmio Economia Criativa Apoio a Estudos e Pesquisas, concedido pelo Ministério da Cultura em 2012. Publicou em 2012 o livro Lei da ANCINE comentada (MP 2.228-1/01). Diretor e Roteirista de diversos videos, participou de diversos festivais nacionais e internacionais. Crítico de Cinema, escreveu para variados veículos, especialmente na internet, como ViaPolítica, Claquete, CurtaoCurta, Revista Etcetera, mantendo o blog Cinecasulofilia (www.cinecasulofilia.blogspot.com) desde 2004. Curador da Mostra do Filme Livre (CCBB/RJ) desde 2003. Desenvolve também pesquisa sobre o cinema

contemporâneo independente brasileiro, publicando, em 2011, o livro Cinema de garagem: um inventário afetivo sobre o jovem cinema brasileiro do século XXI, em coautoria com Dellani Lima. Organizou (com Dellani Lima) a mostra Cinema de Garagem (Caixa Cultural/RJ – julho/2012). Desde 2010, é professor efetivo do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade

DocLAB - Laboratório de realização de documentários

Entre os meses de janeiro e março realizamos virtualmente o DocLab - Laboratório de Documentários do Curta Taquary sobre realização de filmes durante a pandemia de covid-19. Pensado inicialmente para uma turma de 40 participantes, resolvemos abrir a segunda turma devido ao grande número de pessoas interessadas em participar da formação. Ao todo, recebemos 96 inscrições, vindas de 13 estados brasileiros! As turmas compostas por educandes tão plurais e de cada cantinho desse país foram conduzidas pelos educadores-cineastas Antonio Fargoni (SP), Kennel Rógis (PB) e Marlom Meirelles (PE), que trouxeram suas experiências, respectivamente, do movimento de realização audiovisual Cinema Instantâneo, das oficinas Cinemando e Documentando. Como resultado de toda essa movimentação cheia de desafios e muita vontade de fazer acontecer, tivemos os curtas “Cine Aurélio”, “Normandia”, “Taquaritinga e o Vento do Norte” e mais um quarto filme ainda em fase de constru-

ção. Os documentários estão disponíveis no canal do YouTube “Curta Taquary Audiovisual”. Mas não param por aí os resultados destas turmas! Nós que fazemos o Curta Taquary acreditamos que resultado forte mesmo é tocar o coração das pessoas e caminharmos juntes a elas, fazendo a diferença e movendo o mundo que vivemos. Por essas e outras, abrimos espaço para as falas das nossas e nossos educandes:

“A primeira e a sétima arte sempre andaram juntas, e só agora tive a oportunidade de enxergar

esta conexão. A primeira arte, a arquitetura, com sua engenhosidade de criar a ligação entre tempo, espaço e homem. E o cinema, nossa sétima arte, tornando a experiência espacial única e diferente de qualquer outra representação. Fui convidada para essa viagem, desenhando uma experiência única, onde a paisagem é verdadeira protagonista. Obrigada por tanto, por tudo, Curta Taquary! Fran, do quem cuida, tem . ”

Francelly Brito, de Taquaritinga do Norte, Pernambuco. (educanda da turma 02)

“Que alegria em poder trazer a maravilhosa experiência em participar do Doc-Lab

promovido pelo 14 Curta Taquary. Oficina bem estruturada, conteúdo rico onde enfatiza não apenas o histórico do documentário, mas também todas as fases do antes, do durante e da pós-produção. Parabenizo os professores Marlon e Kennel, ambos muito solícitos e a cada encontro síncrono era mais uma oportunidade de enriquecimento cultural, com dicas, análises de filmes e foi sensacional participar in loco da produção do documentário, ainda sem título, sobre o “Seu Zé Aurélio” em Toritama. Curso bem estruturado, farta bibliografia, filmes para análise e muitas dicas. Destaco o amor presente em todos envolvidos do projeto. A participação dos colegas também foi top!”

João Marcelo Alves, de Surubim, Pernambuco. (educando da turma 01)

139

“Um dos maiores aprendizados no DocLab e que ficará para a vida é que documentar é a arte

de olhar para o mundo em coletivo. Fazer um filme é olhar de dentro da nossa subjetividade para fora e olhar do mundo que nos enreda para dentro. É a arte do aprender e de colocar a voz no mundo. DocLab tambem me colocou diante de Amanda Ramos, importante referência na produção audiovisual em Pernambuco. Agradeço pela troca, pela partilha dos saberes, pelo bonito e sensível trabalho de educação através do cinema.”

Maria Samara, de Recife, Pernambuco. (educanda da turma 02)

“Obrigada Curta Taquary! Vocês me deixaram mais rica... O conhecimento é a melhor rique-

za que alguém pode ter. Agradeço muitíssimo a toda equipe envolvida, vocês não têm ideia o quanto me ajudaram! Obrigada! Obrigada! Obrigada!”

Raquel Cardozo, de Natal, Rio Grande do Norte. (educanda da turma 02)

“A complexidade de um cenário de pandemia somando a ausência de políticas públicas para o

audiovisual não tem sido fácil fazer, pensar e refletir arte no Brasil nos últimos tempos. Estamos aprendendo que o cinema não se faz só nos set’s ou em externas, é possível produzir e filmar remotamente, mesmo sendo um grande desafio. Por isso, minha gratidão a todos vcs que fazem o Curta Taquary pelo acolhimento ao participar do DocLab, me ajudando a evoluir profissional e pessoalmente. Muitos sorrisos e saúde.”

Rosana Nascimento, de Natal, Rio Grande do Norte. (educanda da turma 02)

DOC LAB foi a oficina Documentar foi a arte No momento de pandemia A distância que ensina Dedicação faz parte

Luz, Câmera, Ação e Alegria O desafio não segurou O desejo de se fazer arte

Com Marlom e Kennel, professores Curta Taquary, o festival

Cinema que expressa muito amor Fez desse momento Baluarte Instigando sonhos promissores Entrei leigo nesse campo O mundo do audiovisual Normandia foi o lugar A luta diária ali estando

Mostrou uma realidade sem igual No Festival ele vai se lançar. Aprendi muito nesse tempo Roteiro, fotografia, direção Saio agraciado

A prática, montagem, produção Abordagem e pandemia nesse tempo Edição que prepara o enunciado. Normandia será relatado

Sob a forma de vivência Trabalho, luta e movimento. Tudo isso será mostrado Vejam porque é Potência

Resistência, Resiliência e Empoderamento.

Jadson Barrêto Seelig, de Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco. (educando da turma 01)

141

“Gratidão aos organizadores do DocLab Curta Taquary. Vocês foram afetuosos o tempo todo.

Poder manter a câmera aberta me fez sentir pertinho de Pernambuco. Ouvir cada um de nós foi tão generoso. Aprendi muito mais do que técnicas e processos para realizar um documentário. A caminhada nesse vale de lágrimas castigado pela pandemia, ficou mais leve ao fazer da reali- zação de mais um festival de documentário. A cada encontro síncrono sentia a alma perfumada de esperança para dias melhores.”

Rosenita Cantanhêde, de São Luís, Maranhão. (educanda da turma 02) “No percurso se faz jornada

Na jornada se encontra pessoas Pessoas se conectam com almas Almas evoluem com o tempo

Mas tudo que conectamos neste momento foi um curta de uma trajetória, Que um dia vamos chamar de memória e tudo será história

Vamos documentar todo esse processo em poesia e prosa.

Porque já não vejo a hora, do tempo ser presente, do abraço ser agora.”

Tayres Pacheco, de Belém, Pará. (educanda da turma 02)

ANTONIO FARGONI é sócio/fundador da Araweté Filmes, exercendo funções de produtor, roteirista, diretor, diretor de fotografia e ator. É um dos idealizadores do Cinema Instantâneo, um movimento cinematográfico que busca maneiras práticas de produção. Já dirigiu 14 filmes, sendo um longa-metragem e produziu mais de 30 curtas, os quais têm circulado por diversos festivais no país e no exterior.

KENNEL RÓGIS é Realizador Audiovisual e monitor de oficinas de cinema. Administrador por formação (UEPB). Idealizador do Festival Curta Coremas. Diretor dos curtas “Travessia”, “Sophia” e “O grande amor de um lobo”, que juntos ultrapassam a marca dos 70 prêmios em eventos nacionais e internacionais. Produtor da Gravura Filmes. Dj nas horas insanas.

MARLOM MEIRELLES é Fundador da Eixo Audiovisual, produtora independente de cinema, vídeo e TV, Marlom tem tra- balhos em diversos segmentos da cadeia audiovisual. Com formação em cinema na segunda turma do Norte/Nordeste, atua no mercado desde o ano de 2009. É idealizador do Curta na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre, realizado na cidade de Bezerros. Há mais de 10 anos trabalhando com formação audiovisual em Pernambuco, Marlom tem em seu repertório iniciativas que são referência no Estado. Desenvolveu e coordenou o projeto de formação Cabeça de Cinema, um conjunto de 12 cursos de iniciação audiovisual oferecido a estudantes da rede pública de ensino da Região Metropolitana do Recife, em uma ação que integrou o projeto cineCabeça. Conceituou e produziu o curso História do Cinema Pernambucano, resultado de uma densa pesquisa sobre os ciclos de cinema do Estado. É coordenador e professor dos projetos Documentando e Mídias Móveis, oficinas temáticas de iniciação audiovisual.

DocLAB

No documento 14º Curta Taquary - Festival Internacional de Curta-metragem (páginas 128-144)