CONTEXTUALIZAÇÃO DO CENÁRIO

No documento O processo de escaneamento de contêineres em terminal portuário. (páginas 7-13)

O Porto de Santos atualmente vem tendo um crescimento na movimentação de cargas contêineres, de acordo com o setor de Tarifas e Estatísticas da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), fevereiro de 2017 registrou recorde para o mês, com a movimentação de 9,6 milhões de toneladas. O número supera o recorde registrado no ano passado em 7,3%. O resultado acumulado para o 1º bimestre do ano também é recorde, com a movimentação somada de janeiro e fevereiro ficando em 17,04 milhões de toneladas (1,1% acima do recorde anterior, que foi de 16,85 milhões de toneladas, no ano passado).

Com o objetivo de verificar o processo de escaneamento de contêineres na saída de um terminal, realizei um trabalho de Simulação no software Arena com o intuito de demonstrar, avaliar e propor soluções para possíveis gargalos apresentados ao decorrer do processo em um terminal de contêineres do porto de Santos. Para essa simulação foi necessário o uso de um fluxograma para obter a lógica de toda operação. O software MS Visio foi utilizado para tal, conforme a figura 2:

9

Figura 2 – Fluxograma do escaneamento de contêiner – MS Visio

Fonte: Elaborado pelo autor, 2017

3 PRODIMENTOS EXPERIMENTAIS

De acordo com Prado (2014) a simulação é uma técnica de solução de um problema através da análise de um modelo que descreve o comportamento do sistema usando um computador digital,

3.1 DESCRIÇÃO DO MODELO DE SIMULAÇÃO

A operação é iniciada com a chegada do caminhão com o contêiner a ser escaneado com intervalo de (Create: Random Expo: 2 - minutes). O mesmo adentra a zona de escaneamento (Station 1), nesse momento o operador do scanner inicia a emissão de raio-x para escanear o contêiner (Process: Constant – 1 minutes), o escaneamento é encerrado (Leave 1). As imagens coletadas são enviadas para estação de verificação e análise (Station 2), É efetuada a verificação da qualidade da imagem (Process: Constant – 30 Seconds). Posteriormente, temos duas possibilidades: (Decide - 2 way by chance: 90% True). Que são: Cargas em que a imagem não está nítida é rejeita, necessita-se repetição do escaneamento do contêiner (Leave 2). Já as imagens nítidas, prosseguem para análise da integridade da carga (Process: Normal – 1 minutes). Nesta etapa que é onde observamos toda diferença entre uma inspeção de contêiner física e a não intrusiva (Com uso de scanner). Pois o dinamismo da verificação com uso de raio x e precisão, faz com que o processo seja muito mais eficiente.

Após a análise da carga, temos duas opções: (Decide: 2 way by chance: 95%

True). Cargas confiáveis são liberadas (Leave 4), e o caminhão saí do terminal (Dispose 1). As cargas suspeitas são relatadas ao supervisor (Leave 3), e

10

direcionadas a inspeção física. (Station 3) Posteriormente é realizada vistoria da carga junto ao supervisor do terminal e fiscais da receita federal. (Dispose 2)

A Simulação teve uma única replicação com duração de 24 horas. Como podemos observar na figura abaixo na figura 3.

Figura 3 – Controle da execução do menu

Fonte: Simulador Arena, 2017

Na figura 4, temos o fluxograma de todo processo elaborado no simulador Arena.

Figura 4 – Fluxograma do escaneamento de contêiner – Simulador Arena

Fonte: Simulador Arena, 2017

11

3.2 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

Considerando os conhecimentos anteriormente estudados e dos relatórios gerados na simulação pelo simulador Arena serão apresentados a seguir a descrição dos dados relevantes sobre a operação

O número de caminhões identificados no sistema foi em média de 734 entidades, conforme apresentado na figura 5. Durante a operação de escaneamento de contêineres no período de 24 horas.

Figura 5 – Número de entidades no sistema

Fonte: Simulador Arena, 2017

O número de entidades presas no sistema o (WIP) foi de 3.8410, onde prova que há gargalos nesta operação simulada, ilustrado na figura 6 abaixo.

Figura 6 – Número de entidades presas no sistema

Fonte: Simulador Arena, 2017

No item queue other do relatório de simulação foi identificado o tempo de processo, todos os itens que apresentaram gargalos, conforme descrito na figura 6, a seguir.

12

Figura 7 – Tempo de fila no sistema

Fonte: Simulador Arena, 2017

Os demais itens que não foram mencionados no relatório gerado através da simulação do software Arena não apresentaram resultados expressivos que possam ser considerados como gargalos nas operações simuladas, motivo este que não foram apresentados neste Relatório Técnico.

3.3 DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

A simulação do referido trabalho, considerou um único cenário em que diariamente chegam aos scanners alfandegados de um terminal com grande movimentação de carga, 735 caminhões, resultando em uma média cerca de 30,7 caminhões por hora. Com base na simulação do processo pelo Software Arena.

Foram analisados 701 imagens confiáveis e 33 suspeitas, enviadas para vistoria física junto a Receita Federal.

O relatório apresentou alguns itens que foram identificados como gargalos no sistema destacando-se a Verificação da imagem, onde temos a maior fila do processo, com 7 imagens em fila. Isso ocorre pelo fato do retrabalho no processo de verificação da imagem. Outro expressivo gargalo operacional encontrado foi no processo de análise de integridade da carga, onde a fila chegou a 6 imagens.

A alternativa possível para a eliminação parcial destes gargalos seria a utilização de um segundo analista. Que pode se dedicar apenas ao processo de análise de integridade da carga.

A simulação teve a proposta o dinamismo que a utilização de scanner para inspeção de carga conteinerizada trouxe ao setor portuário.

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS, RECOMENDAÇÕES

A utilização da simulação como ferramenta de apoio à tomada de decisão, na gestão de operações portuárias ainda é pouco abordado pelos

pesquisadores, embora os benefícios dessa técnica aumentem a eficácia e a eficiência das estratégias, seja no planejamento de novas instalações, como também na melhoria dos terminais já em operação, sendo um facilitador para a compreensão dos processos e na identificação dos gargalos operacionais.

Pode se dizer que os resultados obtidos através da simulação do software Arena quantificou os tempos operacionais

Com aplicação das normas mundiais de segurança após os atentados de 11 de setembro de 2001, a exigência de novos métodos mais práticos e eficientes de

13

inspeção tornaram-se mais necessários no comércio mundial. A scanner alfandegado tornou-se indispensável no auxílio dos órgãos anuentes em relação a segurança da carga, pois desenvolve uma análise da carga de maneira não intrusiva, rápida e eficiente. Devido a sua eficiência, hoje a instalação desses aparelhos passou a ser de uso obrigatório em recintos alfandegados jurisdicionados pela Receita Federal do Brasil através da portaria-229 do Decreto nº 6.759.

14

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10719:

informação e documentação – Relatório Técnico e/ou científico – Apresentação. Rio de Janeiro, 2011.

BALLOU, R. H. Logística Empresarial. São Paulo: Atlas.2012

JÚNIOR, F. R., Ferreira, N. G., & Soares, P. T. Fundamentos da Física (Vol. 3). São Paulo: Moderna, 2007

LAKATOS, E., & MARCONI, M. Técnicas de Pesquisa (7ª ed.). São Paulo: Atlas, 2008

LUMMUS, R., & VOKURKA, R. Defining supply chain management: a historical perspective and practical guidelines. Industrial Management & Data Systems, 1999

BDCC, Portaria 229/12. Disponível em:

<https://www.bdcc.org.br/bdccweb/faces/documentos/Portaria-Alf_Stos-DOU-

11_09_12-No_229_06092012.pdf?_adf.ctrl-state=14tgksk85j_4&_afrLoop=29868495683589748> Acesso em 21 de Novembro de 2017.

Smiths Detection, Portal de Passagem ("drive through") - HCV-P. Disponível em:

<http://www.smithsdetection.com/index.php?option=com_k2&view=item&id=68:hcvp

&Itemid=1419&lang=pt#.V1WGMpErKM9> Acesso em 9 de Novembro de 2017.

EBCO Systems, Inspeção e Segurança. Disponível em: <

http://www.ebco.com.br/prod-solu/insp-segu.html> Acesso em 9 de Novembro de 2017..

Heimann Cargo Vision. Disponível em:

<http://www.heimanncargovision.com/shockedpage.html> Acesso em 16 de Novembro de 2017.

PRADO, D. S. D. Usando o Arena em Simulação - Série Pesquisa Operacional. 5º Edição.

ed. [S.l.]: FALCONI Editora, v. Volume 3, 2014.

VMI Sistemas de Segurança, Scanners. Disponível em:

<http://vmis.com.br/scanners/> Acesso em 16 de Novembro de 2017.

.

No documento O processo de escaneamento de contêineres em terminal portuário. (páginas 7-13)

Documentos relacionados