Definição dos perfis

No documento Alguns aspectos sobre demandas sociais: educação, habitação e saúde (páginas 117-121)

A construção dos perfis extremos é uma parte importante no desenvolvimento do trabalho desenvolvido pelo método GoM. Esta construção é elaborada por meio dos valores de λijk,

estimados pelo modelo, que comparados com a freqüência marginal correspondente, dá indicações das características principais de cada perfil. Um total de quatro perfis foram gerados, considerando que uma categoria l, de uma variável j, seria característica de um perfil

k se a relação entre λijk e a freqüência marginal – RLFM – fosse maior que 1,20. O valor da RLFM é arbitrário, e sua escolha depende do grau de heterogeneidade que se queira apreender da amostra. Quanto maior seu valor, mais restritivo será o processo de inclusão de categorias das variáveis a um determinado perfil (SAWYER, LEITE e ALEXANDRINO, 2002). O Apêndice A apresenta as variáveis selecionadas e as respectivas RLFM.

Assim, dentre os perfis delineados e baseados no marco teórico e nas variáveis determinadas, o perfil 1 seria o mais satisfatório para as necessidades da população e é definido por uma tipologia de boa infra-estrutura instalada, com características de predisposição mediana, e demanda realizada sem distorções. O perfil 4, por sua vez, define o contrário, com estrutura instalada deficiente, características de predisposição que indicam demanda potencial não realizada, e demanda efetiva pequena e concentrada em procedimentos típicos de regiões sub- desenvolvidas.

Os perfis 2 e 3, por sua vez, são intermediários nesses padrões. O perfil 2 está mais caracterizado por oferta de serviços de urgência e demanda realizada principalmente nesses procedimentos, enquanto o perfil 3, apesar de apresentar níveis menores de urbanização, conta apenas com ambulatórios básicos, concentrando suas atividades em procedimentos preventivos. Em contraposição, o perfil 2 foi caracterizado com indicadores de morbidade em piores níveis que aqueles detectados no perfil 3. Apesar dessa aparente incoerência, as diferenças na morbidade podem indicar uma demanda seletiva e direcionada para os serviços instalados, que se caracterizam por serviços de urgência no perfil 2 e ambulatoriais no perfil 3. A nomenclatura adotada não pretende sintetizar a descrição destes perfis, mas fazer

referências às suas principais características, que foram descritas detalhadamente nas seções que se seguem.

Perfil 1– Alta urbanização, oferta especializada de serviços e demanda de internação eletiva

Este perfil é caracterizado por municípios altamente urbanizados com estrutura social desenvolvida. A demanda potencial se caracteriza por média predisposição demográfica ao uso do sistema de saúde e por baixa morbidade.

A oferta do sistema de saúde instalada se caracteriza por ter hospital com Unidade de Terapia Intensiva – UTI – e unidades ambulatoriais destinadas principalmente a consultas médicas. O município tem ainda unidade de vigilância sanitária e programa de saúde da família. Os municípios pertencentes a estes perfil são principalmente pertencentes às macrorregiões de saúde de Alfenas, Belo Horizonte, Divinópolis, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia.

A demanda realizada se caracteriza por altos gastos, por habitantes, em internações eletivas e em procedimentos especializados, destacando-se as internações para partos e causas externas. Esse perfil ainda se caracteriza por não encaminhar internações para longas distâncias e por ter uma quantidade média de atendimentos ambulatoriais, de custo mediano por habitantes.

Perfil 2 – Urbanização média, oferta mista de serviços e demanda ambulatorial de urgência

Este perfil é caracterizado por municípios com níveis de urbanização médios a altos, com estrutura social em níveis médios a baixos. A demanda potencial se caracteriza por média predisposição demográfica ao uso do sistema de saúde e por alta morbidade.

A oferta do sistema de saúde instalada conta com hospital sem UTI e unidades ambulatoriais destinadas principalmente a consultas médicas e odontológicas e serviços de urgência e emergência29. O perfil tem ainda unidade de vigilância sanitária e programa de saúde da

29

A presença da sala de gesso é um ambiente típico de estabelecimentos que prestam atendimento de urgência (unidades de pronto atendimento) e foi utilizada como proxy de serviços de urgência e emergência.

família. Os municípios pertencentes a estes perfil são principalmente pertencentes às macrorregiões de saúde de Barbacena, Governador Valadares, Juiz de Fora e Ponte Nova. A demanda realizada, desse perfil, caracteriza-se por atendimentos ambulatoriais com altos gastos de urgência e emergência e baixos gastos em consultas. Esses atendimentos ambulatoriais destinam-se a doenças sistêmicas e infecto-contagiosas. As internações tendem a ser longas e também destinadas a doenças sistêmicas e infecto-contagiosas. Os gastos com internações são principalmente nas internações básicas, que, por sua vez, têm um custo médio- alto, e são principalmente de emergências, em detrimento das internações eletivas. Poucas internações são realizadas fora do município e, quando se realizam, as distâncias percorridas são pequenas.

Perfil 3 – Média urbanização, oferta básica de serviços e demanda ambulatorial preventiva

Este perfil é caracterizado por municípios com níveis de urbanização médios a baixos, com estrutura social em níveis médios a altos. A demanda potencial se caracteriza por uma predisposição demográfica média ao uso do sistema de saúde, mas com, relativamente, muitos idosos e por uma fecundidade em níveis médios a altos. Tanto a morbidade referida como a diagnosticada está situada em níveis médios a baixos.

A oferta do sistema de saúde instalada se caracteriza por não dispor de hospital e ter muitas unidades ambulatoriais destinadas, principalmente, a consultas médicas, não sendo característica a presença de unidades de pronto atendimento. O perfil não tem unidade de vigilância sanitária, mas conta com programa de saúde da família. Os municípios pertencentes a estes perfil são principalmente pertencentes às macrorregiões de saúde de Barbacena, Belo Horizonte, Divinópolis, Juiz de Fora, Ponte Nova e Uberaba.

A demanda realizada, desse perfil, caracteriza-se por atendimentos ambulatoriais com altos gastos em consultas e vacinações. As internações tendem a ser longas, sendo mais dispendiosas para procedimentos eletivos do que para emergências tendo, os pacientes, percorrido distâncias médias a longas. Os gastos com internações são principalmente nas

internações básicas, que, por sua vez, têm um custo médio-alto, e são principalmente de emergências, em detrimento das internações eletivas, e básicas, em detrimento das especializadas.

Perfil 4 – Baixa urbanização, oferta deficitária e demanda subdesenvolvida

Este perfil é caracterizado por municípios poucos urbanizados, com infra-estrutura urbana deficitária e estrutura social pouco avançada. A demanda potencial se caracteriza por alta fecundidade e muitas crianças. Tanto a morbidade referida como a diagnosticada está situada em níveis altos.

A oferta do sistema de saúde instalada se caracteriza por não ter hospital e contar com poucas unidades ambulatoriais com pequena estrutura física, sem a presença de unidades de pronto atendimento. O perfil não se caracteriza por serviços de vigilância sanitária instalados. Os municípios pertencentes a estes perfil são principalmente pertencentes às macrorregiões de saúde de Diamantina, Governador Valadares, Montes Claros, Pará de Minas e Teófilo Otoni. A demanda realizada desse perfil caracteriza-se por poucos gastos por habitantes em atendimentos ambulatoriais e em internações. Os atendimentos ambulatoriais destinam-se a doenças sexualmente transmissíveis, ao pré-parto, à atenção à saúde da mulher e à urgências. As internações tendem a ser curtas para procedimentos básicos tendo os pacientes percorrido longas distâncias para serem internados. As internações são ainda caracterizadas por serem destinadas a partos e a doenças infecto-contagiosas e, raramente, destinadas a doenças sistêmicas e para causas externas.

Definição do pertencimento dos municípios a dois ou mais perfis

Após a definição dos perfis extremos, é necessário determinar parte dos municípios simultaneamente pertencentes a dois ou mais perfis. Foram criados algoritmos que se destinaram à definição de tipos mistos de perfis, considerando a predominância de algum perfil. Assim, o perfil genérico k foi considerado com predominante se gik >=0.70, ou seja, município tem pelo menos 70% das características do perfil extremo k. O perfil misto de dois

perfis k e k’ foi assim considerado quando gik +gik' >=0.70 e a predominância em k ocorre quando gik >gik'. As demais condições foram entendidas como perfis indefinidos ou amorfos.

Resultados

A avaliação dos resultados será feita a partir da comparação entre os perfis e as variáveis utilizadas como base de dados. Os perfis delineados serão descritos por gráficos do tipo

boxplot (BLANXART apud CERQUEIRA 200430), com valores de diversas variáveis, sem categorização e da avaliação de tabelas e outros gráficos. Posteriormente será feita uma análise da distribuição espacial dos perfis no território do estado de Minas Gerais. Os perfis serão referenciados de acordo com a numeração estabelecida na seção onde os mesmos foram definidos.

No documento Alguns aspectos sobre demandas sociais: educação, habitação e saúde (páginas 117-121)