Depressão e risco iminente de morte

No documento PRÁTICAS EDUCATIVAS EM SAÚDE: ROTEIROS DIDÁTICOS (páginas 122-126)

AUTOR: Nilma Aparecida da Silva E-MAIL: nilma.aparecida@sp.senac.br

Tempo estimado: 06 aulas

Objetivo da Ação Educativa

 Orientar os alunos e professores sobre os sinais e sintomas da depressão e assim debater a respeito do assunto esclarecendo possíveis dúvidas.

 Fornecer informação qualifi cada e com embasamento técnico e científi co.

Introdução

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a depressão será a segunda causa de incapaci-dade em 2020 e prevê-se que em 2030 seja a primeira causa de mortaliincapaci-dade e morbilida-de a nível mundial (World Femorbilida-deration for Mental Health, WFMH, 2012).

A depressão é um estado intenso de sofrimento. Dado que as recaídas em estados depres-sivos ocorrem com elevada frequência, é de primordial importância reconhecer, identifi car os primeiros sinais e procurar ajuda – médica, psicológica, de amigos - para que o seu tratamento se inicie o mais precocemente possível.

Apresenta-se como um estado que tende a ser recorrente e frequentemente crônico, sen-do necessário, muitas vezes, terapêutica médica, psicoterapia e até outras ações comple-mentares (como Grupos Psicoeducativos), durante vários anos, incentivando-se a inclu-são de familiares, amigos, entidades patronais – tão nucleares para o bem estar - muitas vezes desinformados, outras vezes partilhando o “peso” destes estados dolorosos.

Na depressão, os sintomas tendem a persistir durante certo tempo (pelo menos, duas semanas seguidas, durante a maior parte dos dias e do dia) e podem agrupar-se de forma variável em cada pessoa.

Problematização inicial

Apesar do acesso a informações e a referencial literário, através de livros, arti-gos, programas preventivos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), os adolescen-tes e a população em geral parecem não estar informados sobre a depressão.

O tema depressão fi ca a cargo da escola ou dos amigos, quando deveria começar a ser discutido com a família, serem tema de debates pela escola e por profi ssionais de saúde capacitados para essa abordagem.

Nas escolas, os programas educativos sobre saúde mental geralmente abordam o tema de forma mais genérica, além de ser um tabu e haver muitos mitos para tirar dúvidas. O importante é que as dúvidas sejam sempre esclarecidas, de forma correta próxima da realidade vivencial dos alunos.

Como organizar a Atividade Prática

Para que os alunos possam compreender as ações de prevenção e promoção sobre a de-pressão, é necessário que haja uma interação do professor com os alunos que irão par-ticipar da discussão a fi m de transmitir informações corretas sobre o assunto abordado.

São abordados 5 passos para a realização da atividade que será apresentada no protocolo do aluno (próxima página).

Possiblidade de Avaliação

Informação não garante o conhecimento, mas é a sua base. O conhecimento se constrói a partir da informação; ele resulta da interação do sujeito com o objeto e tem a ver com a interpretação pessoal, que pela experiência, confere signifi cado ao objeto. Portanto o pro-fessor poderá avaliar se o aluno obteve interpretação adequada das informações através da observação dos cartazes confeccionados e da aplicação de questionário aos alunos participantes da palestra sobre depressão proferida na escola.

Também é interessante a disponibilização de uma caixa de sugestões aos adolescentes com livre acesso, para expressar seu aprendizado e questionamentos.

A partir desses dados pode-se assumir se a intervenção foi válida ou se ainda há necessi-dade de outras ações e com qual frequência.

Apresentação dos Resultados

Critérios: Anotação de registros sobre a observação durante toda atividade, bem como participação nos debates com argumentação consistente não fugindo do tema da aula.

Pesquisa e seleção de fontes de informação, em diferentes formas e suportes

CHIAVERINI, D.H et al. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Ministério da Saúde: Cen-tro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva, 2011. Disponível em: https://www.ufrgs.br/telessau- ders/documentos/biblioteca_em_saude/025_material_saude_guia_referencia_rapida_depres-sao.pdf. Acesso em: 13/10/2018.

FLECK, M.P.A; BAEZA, F.L.C. Depressão. IN: Duncan, B.B et al. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. Artmed 2013. Disponível em: https://www.ufrgs.

br/telessauders/documentos/telecondutas/TelecondutasDepressao_20170428.pdf. Acesso:

13/10/2018.

GONÇALES, C. A. V; MACHADO, A. L. Depressão, o mal do século: de que século? Revista enferma-gem, Rio de Janeiro, v. 15, n 2, 2007. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v15n2/v15n2a22.

pdf Acesso: 13/10/2018.

Atividade Experimental: Intervenção para promoção da saúde SETEMBRO AMARELO: depressão e risco iminente de morte

Descrição da Atividade Objetivos:

 Orientar os alunos e professores sobre os sinais e sintomas da depressão e assim debater a respeito do assunto esclarecendo possíveis dúvidas.

 Fornecer informação qualifi cada e com embasamento técnico e científi co.

Procedimento:

Para que os alunos possam compreender as ações de prevenção e promoção sobre a de-pressão, é necessário que haja uma interação do professor com os alunos que irão par-ticipar da discussão a fi m de transmitir informações corretas sobre o assunto abordado.

São abordados 5 passos para a realização da atividade.

1º Passo: realizar um levantamento sobre o conhecimento dos alunos, sobre o tema atra-vés de um Brainstorming.

O que é depressão?

Você conhece os sinais e sintomas e as formas de prevenção da depressão?

2º Passo: Realizar uma palestra para os alunos sobre depressão e os principais sinais e sintomas e formas de prevenção, com enfoque na automotivação e qualidade de vida.

Neste momento é interessante a participação de profi ssional especializado na área de saúde como um enfermeiro, médico, psicólogo convidado como palestrante, que possa também passar alguns exemplos de sua vivência profi ssional.

3º Passo: Montar grupos de discussão e debate sobre o conteúdo da palestra para escla-recimento de dúvidas.

4º Passo: Exibir trechos de fi lmes que possam exemplifi car sobre a depressão e seu trata-mento, vídeos de motivação e relações humanas positivas.

5º Passo: Ação de promoção de combate aos sintomas da depressão no âmbito escolar:

Propor aos grupos a confecção de cartazes educativos sobre o tema e fi xar no mural da escola, com registro de informações importantes adquiridas na palestra para que se ini-cie uma campanha de consini-cientização sobre o tema para todos da comunidade escolar, inclusive a família.

ROTEIRO DE AÇÃO EDUCATIVA: Atendimentos em

No documento PRÁTICAS EDUCATIVAS EM SAÚDE: ROTEIROS DIDÁTICOS (páginas 122-126)

Outline

Documentos relacionados