DIFERENTES GENÓTIPOS, ALIMENTADOS COM DIETAS DE COM DIFERENTES FONTES DE FIBRA EM SUA COMPOSIÇÃO

No documento Dietas com diferentes fontes de fibra para genótipos ovinos (páginas 92-94)

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi avaliar as características morfológicas de quatro cruzamentos de ovinos, alimentados com dietas peletizadas com quatro diferentes fontes de fibra em sua composição. Foram utilizados 80 cordeiros machos, pesando 20 ± 5 kg, distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial (4x4), quatro genótipos (½ Dorper x ½ Santa Inês- DSI, ½ Texel x ½ Santa Inês- TSI, ½ Somalis x ½ Santa Inês- SSI e Santa Inês puro- SI) e quatro dietas com diferentes fontes de fibra (bagaço de cana in natura, feno de alfafa, polpa cítrica e casca de soja). O peso, comprimento, compacidade e escore corporal dos animais foram maiores no DSI aos 45 dias de confinamento, os SI tiveram maiores alturas de garupa, de cernelha e de pernas. Animais TSI apresentaram maiores perímetros e comprimentos de paleta e perna aos 45 dias de confinamento. Maiores medidas de AOL foram observadas em TSI e maiores espessuras de gordura na esternébra no SSI. Concluiu-se que dietas com fontes de fibras forrageiras e animais DSI, apresentaram os melhores resultados na maioria das medidas corporais.

Palavras chave: área de olho de lombo, biometria, confinamento, perímetro torácico, ultrassom

MORPHOMETRIC MEASUREMENTS OF LAMBS OF DIFFERENT CROSSBREEDING, FED WITH DIETS WITH DIFFERENT SOURCES FIBER

ABSTRACT

The aim this work was evaluate the morphometric characteristics of four crossbreeding of lamb, fed with four pelleted diets containing different sources fiber. Was used 80 males lambs, uncastrated, weighing 20 ± 5 kg, distributed in a factorial completely randomized (4x4), four genotypes (½ Dorper x ½ Santa Inês- DSI, ½ Texel x ½ Santa Inês- TSI, ½ Somalis x ½ Santa Inês- SSI e Santa Inês- SI) and four diets with different sources fiber (sugarcane bagasse, lucerne hay, citrus pulp and soybean hulls). The weight, length, compactness and body condition was highest in DSI in 45 days of feedlot, the SI had the highest rump height, withers height and legs height. TSI had highest arm (circumference and length), and leg (circumference and length) in 45 days of feedlot. Highest longissimus dorsi area had TSI and highest subcutaneous fat sternebrae in SSI. It was concluded that diets with fiber sources of forage and DSI crossbreeding, had the better results of body measurements.

Keywords: body measurements, chest circumference, feedlot, longissimus dorsi area, ultrasound

4.1 INTRODUÇÃO

Os sistemas de produção ligados à cadeia ovina estão em crescente ascensão em diversas regiões brasileiras. A carne ovina está tomando espaço nos mercados, no entanto, um dos principais entraves, ainda é a falta de padronização das carcaças e a dificuldade da regularidade na entrega. Portanto, a produção da carcaça com qualidade e precocidade é essencial para o fortalecimento da cadeia produtiva.

Como soluções para aumentar a eficiência dos sistemas de produção, são usadas manejos, tais como, desenvolvimento de cruzamentos industriais (Macmanus, 2007) e formulação de dietas para confinamento, uma vez que, podem conferir maior velocidade de crescimento, com melhor conformação e composição da carcaça.

Algumas medidas corporais obtidas do animal in vivo, auxiliam a seleção e padronização do cordeiro ideal, focado principalmente em aspectos como a previsão do tamanho da carcaça, do animal e estimativa do peso. Algumas medidas corporais, como, comprimento corporal, altura corporal (anterior e posterior), perímetro torácico e largura da garupa, se associadas à avaliação subjetiva de condição corporal e conformação da carcaça, constituem ferramentas importantes na determinação do momento ideal de abate (Moreno et al., 2010).

Segundo Tarouco (2003), tais avaliações, permitem a padronização e a obtenção de animais que atendam às diferentes demandas, de modo a servirem como ferramenta aos programas de melhoramento genético e aos sistemas de comercialização, baseados no rendimento da porção comestível da carcaça. A conformação da carcaça é uma avaliação importante na comercialização, devido ao fato das características desejáveis e de maior valor comercial, implicarem em morfologia compacta (curta e larga), pernas globosas, planos musculares desenvolvidos, com predominância de perfis convexos em todas as regiões corporais (Macedo et al., 2000).

Considerando que a conformação corporal dos animais é definida pelas relações entre altura, comprimento e profundidade do corpo, e que podem variar em função da raça e da idade, a caracterização da melhor conformação de cordeiros sobre as condições pesquisadas, ganha importância se identificado um índice de capacidade corporal com a qual se possa inferir o predomínio de deposição de gordura, o que se tornaria um bom critério de seleção dos animais (Costa Junior et al., 2006).

Em decorrência das altas correlações com o peso corporal, alguns autores afirmaram que medidas morfométricas, principalmente a de perímetro torácico, podem ser utilizadas para determinar o peso do animal na ausência de balança (Araújo et al., 1996).

Atualmente, tem-se utilizado o ultra-som em ovinos, para auxiliar na determinação do ponto ideal de abate, através da obtenção da relação músculo e gordura em quantidades satisfatórias. Para uma classificação comercial mais adequada às exigências do mercado, é possível obter medidas de espessura de gordura na carcaça (EGC) e de área de olho de lombo (AOL) e decidir se esse é o momento ideal para o abate dos animais.

Cartaxo et al. (2008) verificou alta correlação entre a AOL obtida por ultra-som e a mesma medida determinada na carcaça (P<0,001) e entre EG medida por ultra-som e medida na carcaça (P<0,01), concluindo que este método pode ser usado para auxiliar na determinação da qualidade da carcaça.

O objetivo deste trabalho foi avaliar as medidas morfométricas do corpo e da carcaça de cordeiros, de quatro cruzamentos distintos, alimentados com dietas peletizadas de terminação, com quatro diferentes fontes de fibra em sua composição.

No documento Dietas com diferentes fontes de fibra para genótipos ovinos (páginas 92-94)