• Nenhum resultado encontrado

EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANO DE AULA

6º Ano Unidade Letiva: A Pessoa Humana Aula n.º 1 Lição n.º 1

Sumário: Apresentação. Ser pessoa: uma unidade irrepetível e ser de relação com os outros.

METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS ESTRATÉGIAS Tempo RECURSOS AVALIAÇÃO

FORMATIVA B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história. 1. econhecer a pessoa como um ser único que vive em relação com os outros Quem é a pessoa? Uma unidade irrepetível e ser de relação com os outros Dimensões da pessoa: física, social, espiritual Apresentação 15 m 30 trípticos PowerPoint Observação dos alunos Trabalho individual: preenchimento de um tríptico

10m Definição de pessoa a partir da ideia de máscara: exploração

das três dimensões constitutivas da pessoa 15 m Leitura dialogada das páginas 12 e 13 do manual 10 m Diálogo sobre a ideia de pessoa como “ser irrepetível” 5 m

Síntese da aula 5m

Síntese: A pessoa humana é um ser físico, espiritual e relacional. Cada pessoa é única.

EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANO DE AULA

95

A aula 1 foi planificada com o intento de associar a lecionação do primeiro conteúdo da Unidade Letiva1, “Quem é a pessoa?”, à apresentação dos aulos, do professor e do programa do ano do 6º ano.

A aula começou pontualmente às oito e trinta com uma introdução do Professor Cooperante, a minha apresentação enquanto professora estagiária e uma apresentação sucinta do Programa do 6º ano de EMRC, recorrendo à projeção de um ficheiro em PowerPoint.

Foi escrito o sumário no quadro, ao mesmo tempo que se enunciou o conteúdo a abordar em aula. Os alunos demoraram cerca de cinco minutos a transcrevê-lo. Alguns alunos não tinham caderno diário (possivelmente por não estarem ao correntes do começo das aulas de EMRC naquele dia).

Em seguida, foi proposto, como modo de apresentação de cada aluno, o preenchimento de um tríptico: uma folha A4 dividida em três partes, contendo, de um lado linhas a tracejado para as dobras, e do outro, três conjuntos de perguntas relacionadas com as três grandes dimensões definidoras da pessoa humana, indicados no programa (biológica, social e espiritual):

• Se fosses um animal, que animal serias. Porquê?

• Pensa numa pessoa que vejas com frequência e que seja significativa para ti. Faz uma breve descrição dessa pessoa e da razão pela qual ela é importante para ti.

• Costumas rezar? Onde e como?

No verso do tríptico deveriam escrever o seu nome, e coloca-lo sobre a mesa, de modo a que eu pudesse ler e dirigir-me assertivamente a cada aluno.

Na avaliação realizada em Núcleo de PES, o Professor Cooperante referiu o carácter demasiadamente despojado do tríptico, a nível gráfico. Este, como qualquer ficha dada em aula, deveria ter no mínimo um cabeçalho identificativo.

Os alunos acolheram a proposta e realizaram serenamente e silenciosamente o exercício. No decorrer da atividade, alguns alunos levantaram dúvidas relativamente às questões: a escolha de uma única pessoa significativa, o modo de rezar e a quem é dirigida a oração. O exercício levou cerca de quinze minutos a ser realizado. Durante este tempo, circulei pela sala, entre as secretárias dos alunos.

Antes de solicitar a partilha de algumas das respostas ao tríptico, considerei pertinente indagar junto dos alunos uma definição de pessoa: “Quem é a pessoa?”,

96

introduzindo assim, um momento não previsto na planificação. Surgiram respostas, tais como: “Eu sou uma pessoa”, “É um ser vivo”, “Tem dois braços, duas pernas”, “Tem inteligência, sentimentos”. A introdução deste momento na aula foi avaliada como benéfica, vindo a servir de introdução favorável ao momento seguinte, convocando a atenção e a participação dos alunos.

Seguidamente foi mostrada à turma uma máscara de teatro, mediante a qual, fazendo alusão à sua função e designação na Antiguidade Grega, foi referida a etimologia do termo “pessoa” e apresentadas as três dimensões constitutivas do ser humano. Um dos alunos já conhecia o termo latino persona.

Frisado este aspeto, foi pedido a quatro alunos que partilhassem as suas respostas ao tríptico, chamando a atenção para o facto de elas estarem intimamente relacionadas com as dimensões enumeradas. Procurou-se valorizar as respostas dos alunos, relacionando-as com o já exposto. Foi escrito no quadro as três dimensões definidoras da pessoa: dimensão biológica, dimensão relacional e dimensão espiritual. Sobre este ponto, faltou clarificar que o termo “relacional” tem um significado idêntico à expressão “social”, indicado no manual e no sumário; ou de outro modo, optar por escrever no quadro os termos exatos utilizados no manual.

Foi introduzida a noção de igualdade e singularidade entre as pessoas humanas. Uma aluna sintetizou esta referência com a expressão: “Todos diferentes, todos iguais.”

De seguida foi pedido a diferentes alunos que lessem o texto em PowerPoint, completando os espaços em branco. Foi referido que o texto correspondia às páginas doze e treze do manual (justificando que a projeção do mesmo devia-se ao facto de poder haver alunos que, sendo a primeira aula de EMRC, poderiam ainda não ter manual. Alguns dos alunos abriram os livros nas páginas indicadas. Os alunos solicitados, leram o texto dos diapositivos e tentaram preencher os espaços vazios. Alguns alunos levantaram o braço para participar, indicando a resposta correta a partir do manual. Outros encontraram espontaneamente a palavra correta. A qualidade da projeção foi ligeiramente prejudicada pelo excesso de luz na sala (elemento a atender e a corrigir nas próximas aulas com recurso a projeção).

Em Núcleo de PES, o Professor Cooperante frisou que a simultaneidade dos textos (no manual e na projeção) é redundante, tendo como única vantagem a envolvência dos alunos na busca de palavras relacionadas com o tema. Nesse caso, de

97

modo a que o exercício fosse autêntico, poderia indicar-se as páginas do manual apenas no final do exercício.

Durante a apresentação, por lapso, foram lidos e explorados apenas os diapositivos 1 a 5. Contudo, depois do diálogo desenvolvido com os alunos em torno da ideia da singularidade de cada pessoa, foi possível enquadrar o texto em falta, fazendo alusão às conclusões a que os alunos chegaram.

Na sequência deste diálogo foi introduzido um novo elemento à planificação: pedi aos alunos que, como trabalho para casa, desenhassem um símbolo que os representasse como pessoas únicas. Foi dado como exemplo a insígnia da Congregação religiosa à qual pertenço. No entanto, como salientou o Professor Cooperante, este exemplo representa a pessoa como membro de um grupo particular, mas não a distingue como singularidade dentro do mesmo grupo. Talvez um exemplo mais adequado fosse a referência aos brasões, abordados no âmbito da disciplina de História, e/ou uma eventual exemplificação por meio do desenho no quadro. O facto de ter sido uma estratégia implementada de improviso, solicitada como trabalho para casa, sofreu as consequências de um exemplo irrefletido e não permitiu o acompanhamento presencial da sua realização, favorecendo o equívoco.

De qualquer modo, a solicitação deste trabalho de casa, merece algum tempo de abordagem no início da aula 2, podendo, nesse momento, fazer a distinção entre símbolo de uma coletividade e símbolo de uma pessoa (ser único). A abordagem em torno do símbolo poderá servir de introdução à dimensão biológica da pessoa, também ela portadora de características únicas.

No final da aula procurou-se fazer com os alunos uma síntese oral da aula. Os alunos foram capazes de aproximar-se à síntese prevista na planificação (em parte, ajudados pelos registos ainda presentes no quadro). Faltou, no entanto, o registo dessa mesma síntese por parte dos alunos no caderno diário, como meio de memorização e consolidação da aprendizagem feita em aula.

A aula terminou com cerca de três minutos de antecedência. Em avaliação de Núcleo PES, o Professor Cooperante referiu que a planificação e a gestão da aula estariam adequados a uma aula de quarenta e cinco minutos, mas necessitaria de ser enriquecida para se ajustar à duração total desta aula (sessenta minutos).

Deste modo, a correção da planificação da Aula 1 poderia adquirir a seguinte configuração:

98

PLANO DE AULA

6º Ano Unidade Letiva: A Pessoa Humana Aula n.º 1 Lição n.º 1

Sumário: Apresentação. Ser pessoa: uma unidade irrepetível e ser de relação com os outros. Preenchimento de um tríptico e realização de um símbolo.

METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS ESTRATÉGIAS Tempo RECURSOS AVALIAÇÃO

FORMATIVA