Após a realização da análise e discussão dos resultados, foi possível elaborar um mapa conceitual, que é apresentado a seguir, na figura 6. Com o intuito de analisar a contribuição da interação entre a aprendizagem individual e a aprendizagem grupal para as mudanças nos resultados de aprendizagem organizacional nos serviços empresariais intensivos em conhecimento, foi possível identificar as categorias que fazem parte da aprendizagem individual que são: experiência anterior, aprendizado formal, aprendizado com outros indivíduos, aprendizado adquirido com empresários, busca, análise, reflexão e experimentação. Assim como essas categorias emergiram, também emergiram as características individuais facilitadoras da aprendizagem grupal, cuja posição na figura as configura como individuais e a flecha preta as liga à aprendizagem grupal.

Na aprendizagem grupal, que tem como base a interação e o compartilhamento, emergiram situações formais e informais. Nas situações formais, foram identificadas as categorias: transferência do conhecimento dos agentes mais antigos para os novos; aprendizado a partir de primeiras visitas com acompanhamento de agente mais experiente; e aprendizado a partir de compartilhamento de experiências em momentos formais. Nas situações informais, emergiram: conversas com os colegas sobre as dificuldades e dúvidas encontradas; conversas com colegas em deslocamentos para outras cidades; e atendimento realizado por dois ou três agentes para observação e análise. Como resultados, identificou-se o desenvolvimento do

agente, percebido por sua mudança de comportamento, desenvolvimento de competências e construção de relacionamentos.

A aprendizagem individual acontece enquanto processo e pode contribuir para a aprendizagem grupal e vice-versa conforme as flechas indicativas de processo. A aprendizagem individual também pode contribuir para os resultados de aprendizagem enquanto processo e os resultados de desenvolvimento do agente podem interferir na aprendizagem individual. A aprendizagem grupal pode trazer resultados de aprendizagem assim como os resultados de aprendizagem podem interferir na aprendizagem grupal, conforme flechas indicativas do processo de aprendizagem.

O círculo do desenho simboliza a interação e o compartilhamento indispensáveis a aprendizagem grupal e contempla as flechas de processos de aprendizagens entre a aprendizagem grupal e a aprendizagem individual assim como as flechas de processo de aprendizagem grupal entre a aprendizagem e os resultados da aprendizagem. Esses processos de transformação de aprendizagem individual em aprendizagem grupal e vice-versa; de aprendizagem grupal em resultados e vice-versa; de aprendizagem individual em resultados e vice-versa, são a síntese do mapa conceitual proposto, no qual a coordenação pode propiciar as situações formais e o grupo de agentes pode propiciar as situações informais para a aprendizagem grupal, nu contexto de interação e compartilhamento.

Figura 6 – Mapa conceitual proposto

Fonte: Elaborado pela autora (2017). Individual

Categorias

Experiência anterior Aprendizado formal Aprendizado com outros

indivíduos Aprendizado adquirido com empresários Busca Análise Reflexão Experimentação Características individuais facilitadoras da aprendizagem grupal Qualidades individuais Experiência anterior Comportamento Comunicação Resultados Mudança de comportamento. Desenvolvimento de competências. Construção de relacionamentos. Grupal Situações Formais

Transferência do conhecimento dos agentes mais antigos para os novos.

Aprendizado a partir de primeiras visitas com acompanhamento de agente mais experiente. Aprendizado a partir de compartilhamento de experiências em momentos formais.

Situações Informais Conversas com os colegas sobre as dificuldades e dúvidas encontradas. Conversas com colegas em deslocamentos para outras cidades.

Atendimento realizado por dois ou três agentes para observação e análise.

Interação Compartilhamento Processo C oordenaçã o G rupo d e Agent es Processo

Aprendizagem Individual e Grupal - KIBS Processo Processo Processo Processo D es env o lvi m ent o Interação

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

No intuito de responder como a interação entre aprendizagem individual e aprendizagem grupal contribuem para as mudanças nos resultados de aprendizagem organizacional nos serviços empresariais intensivos em conhecimento, foi construído este capítulo, no qual são apresentadas as considerações finais desta pesquisa de dissertação de mestrado. Foram respondidos os objetivos específicos. Portanto, foi analisado como ocorre a aprendizagem individual e grupal; identificado as características individuais facilitadoras para a aprendizagem grupal; descrito o desenvolvimento de processos formais e informais para a aprendizagem; identificados os resultados da mudança de aprendizagem; e analisado como as características dos serviços empresariais intensivos de conhecimento interferem nos processos formais e informais de aprendizagem.

Ao realizar análise de resultados, emergiram as contribuições para a teoria e pesquisa, contribuições para a prática organizacional, limitações do estudo e sugestões para estudos futuros. A partir disso, apresenta-se a síntese de resultados encontrados, iniciando pela seção 4.1, na qual a aprendizagem predominantemente em nível individual do agente de orientação empresarial teve oito categorias identificadas, a saber: experiência anterior, aprendizado formal, aprendizado com outros indivíduos, reflexão, análise, busca, aprendizado adquirido com empresários (interorganização) e experimentação. Dessas categorias, foram percebidas como mais evidentes e significativas, em todas as IES, o aprendizado adquirido com os empresários que ocorre mediante a experimentação proporcionada pelo dia a dia do agente de orientação empresarial.

Na aprendizagem predominantemente em nível grupal do agente de orientação empresarial as categorias emergiram claramente a partir de situações formais e informais de aprendizado que perpassam suas fronteiras. A partir das situações formais foram percebidas: a transferência de conhecimento dos agentes antigos para os mais novos, primeiras visitas com acompanhamento de agente mais experiente, compartilhamento de experiências nas reuniões e treinamentos e o aprendizado pela troca de ideias e pela discussão. Ambas situações interagem, assim como há necessidade de interação para o compartilhamento.

Na segunda seção da análise e discussão dos resultados, foram identificadas as características individuais facilitadoras para a aprendizagem grupal do agente de orientação empresarial, que foram definidas como categorias. Estas quatro categorias encontradas foram a experiência anterior, as qualidades individuais, o comportamento e a comunicação. De acordo com os resultados obtidos, estas quatro categorias estão presentes nos agentes de orientação

empresarial das instituições de ensino superior investigados. Inclusive, estas características individuais facilitam e podem propiciar a aprendizagem grupal mediante interação e compartilhamento conforme visto na seção 4.1.

Referente aos resultados obtidos pela investigação que propiciou a construção da seção 4.3, foram identificados os processos formais e informais para a aprendizagem do agente de orientação empresarial. Os processos formais podem ser definidos e operacionalizados pela coordenação da equipe, no entanto, o aprendizado informal gerado a partir destes momentos se faz presente e interfere na aprendizagem do agente de orientação empresarial. Foram identificados processos formais da aprendizagem individual, processos informais da aprendizagem individual, processos formais e informais da aprendizagem. As características encontradas nas respostas categorias identificadas a posteriori puderam ser associadas às categorias propostas por Antonello et al. (2011). A autora destaca a abordagem da não separação entre os processos formais e informais, pois o mais importante é identificar a relação entre eles.

Quanto aos resultados de aprendizagem, percebeu-se a aprendizagem, enquanto processo, dependente de processos formais ou informais, da experiência anterior, de experimentação e de dúvidas para ocorrer mediante interação e compartilhamento, o que pode resultar em mudança de comportamento, desenvolvimento de competências e construção de relacionamentos. Portanto, há um desenvolvimento do agente de orientação não restrito somente às mudanças de comportamento, pois a partir da aprendizagem ele pode desenvolver competências, construir relacionamentos, interagir e compartilhar, promovendo novos aprendizados. Nesta seção também foi identificada a evolução da aprendizagem do agente de orientação empresarial.

Ao retomar os processos formais e informais de aprendizagem, estes puderam ser relacionados às características dos serviços empresariais intensivos em conhecimento. Para isso, com base na literatura, foi construído um quadro que relacionou processos formais e informais de aprendizagem com as categorias necessárias aos KIBS. Essas categorias foram resgatadas da literatura estudada sobre os KIBS e a partir disso, foi obtida a clareza sobre o relacionamento das práticas formais e informais de aprendizagem dos agentes de orientação empresarial com a literatura dos serviços empresariais intensivos em conhecimento.

Normalmente a literatura tenta separar a aprendizagem formal da informal, mas, o mais relevante é identificar a integração entre ambas as aprendizagens. Não é possível definir tipos separados de aprendizagem formal da informal, pois nada sustenta esta divisão, pois o número de critérios para estabelecer a diferença é infindável. Isto, porque quase todas as situações de

aprendizagem têm formalidades/informalidades e o equilíbrio entre elas varia significativamente de situação a situação (ANTONELLO, 2011). Por isso, destaca-se a relevância do relacionamento entre as maneiras informais de aprendizagem que podem, ou não, ocorrer em consequência das práticas formais, mas salienta-se que ambas mantêm um relacionamento estreito. A seguir, são apresentadas as contribuições para a teoria e pesquisa.

No documento Aprendizagem individual e grupal em serviços empresariais intensivos em conhecimento : um estudo de casos múltiplos (páginas 182-187)