ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

No documento PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO PRESENCIAL ARAGUAÍNA-TOCANTINS (páginas 53-57)

No que respeita aos Estágios Curriculares Supervisionados, conforme estabelecido no PDI, a política de prática profissional sob a forma de estágios supervisionados no UNITPAC segue o disposto na legislação, sendo certo que, do ponto de vista conceitual, privilegia a prática profissional a partir de uma concepção pedagógica crítica, na qual a teoria e a prática representam uma unidade indissociável, evitando-se a concepção dualista cujo pressuposto é que a teoria prepara para a prática, sob o risco de se ter uma teoria que não explica nem esclarece a prática que, frequentemente, pode vir aparente ou efetivamente contradizê-la.

Como se percebe, a concepção particular de que deve haver um diálogo constante entre teoria e prática permite estabelecer um PPC que se caracteriza por

54 levar à construção e reconstrução do conhecimento pelos atores envolvidos no processo de ensino-aprendizagem a cada momento, fortalecendo-se a autonomia e a criatividade técnico-científica dos estudantes, bem como sua formação ética e humanística, vez que a prática implica balizamento deontológico das condutas profissionais e domínio das humanidades visando o desenvolvimento integral do homem para a sociedade (PDI 2015-2019).

Nesse sentido, o UNITPAC busca levar seus estudantes de Direito a sociedade, de modo que possam prestar sua contribuição no processo de transformação social e de desenvolvimento dos ideais democráticos e de cidadania. Os caminhos e instrumentos institucionais mais adequados para fazê-lo são, sem dúvida, o NPJ e o NICE, órgãos acadêmicos ligados estritamente ao Curso de Direito especialmente voltados para a realização desta tarefa, os quais funcionam em parceria e em concerto com a Coordenação de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão, Inovação e Internacionalização (CoPPExi).

Também a celebração de convênios e parcerias com escritórios de advocacia, empresas e órgãos públicos e privados, organizações não-governamentais e outros, permitem multiplicar os pontos de inserção e atuação junto a sociedade por parte da IES.

O Curso de Direito ofertado pelo UNITPAC oferece na matriz curricular o Estágio Curricular Obrigatório nos últimos quatro semestres (7º ao 10º período), a ser cumprido preferencialmente no Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) ou em instituições públicas ou privadas conveniadas, contribuindo para a ampliação e consolidação dos conhecimentos, habilidades e atitudes indispensáveis à qualificação do perfil do profissional de Direito que pretende formar. Sua duração perfaz um total de 300 (trezentas) horas.

Para o seu desenvolvimento, o Curso conta Preceptores de Estágio experientes e éticos, bem como com Infraestrutura que permite recriar o ambiente forense a fim de que se desenvolvam práticas simuladas pelas turmas que, divididas em grupos e através de um sistema de rodízio, atuarão no exercício das múltiplas funções que possibilitam a realização do Direito na sociedade, de modo que o papel de cada profissional envolvido seja compreendido.

55 Atendimentos reais, destinados a servir a população carente, onde predominará o exercício prático de atividades típicas da Advocacia, da Conciliação, da Mediação e da Arbitragem, levarão sempre o NPJ até a sociedade.

Vale relembrar que os ECS não configuram vínculo empregatício, conforme estabelecido na Legislação pertinente, destinando-se eminentemente a fomentar a integração entre conhecimentos teóricos e a prática, bem como a aquisição de novos conhecimentos em razão da forma como será operacionalizado e que é descrita em minúcias quando do tratamento do NPJ.

Outro ponto que deve ser ressaltado está na realização de estudos contínuos de Deontologia Jurídica, que contribui para sedimentar e/ou incutir nos estagiários a percepção e a compreensão de que o comportamento ético é inerente aos profissionais do Direito, e que a ignorância e/ou desrespeito as normas éticas e jurídicas aplicáveis redundam em responsabilização do profissional transgressor e descrédito pessoal e para a categoria.

Os Estágios se cumprem no âmbito no NPJ, bem como com a possibilidade de serem desenvolvidos em ambientes externos, sempre sob a supervisão e avaliação do Curso. Por tal motivo, possuem estreita ligação com seu funcionamento, havendo um Regulamento comum para ambos, o Regulamento de Estágio e do NPJ, onde se encontra detalhada a descrição de sua operacionalidade. Tal Regulamento cuida também de Estágios externos ao NPJ, na forma do disposto na Res. CNE/CES no 05 de 17 de dezembro de 2018, Art. 6o, § 3º (grifos nossos):

O Estágio de que trata este artigo será realizado na própria instituição, através do Núcleo de Prática Jurídica, que deverá estar estruturado e operacionalizado de acordo com regulamentação própria, aprovada pelo conselho competente, podendo, em parte, contemplar convênios com outras entidades ou instituições e escritórios de advocacia; em serviços de assistência judiciária implantados na instituição, nos órgãos do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública ou ainda em departamentos jurídicos oficiais, importando, em qualquer caso, na supervisão das atividades e na elaboração de relatórios que deverão ser encaminhados a Coordenação de Estágio das IES, para a avaliação pertinente.

Como se vê, inclusive em decorrência da Lei de Estágio, há a necessidade de se celebrar Convênio entre UNITPAC e Instituição que fornece estágio para os estudantes a fim de que estes possam ser reconhecidos na parcela que lhes cabe segundo o Regulamento de Estágio e do NPJ, valendo lembrar que, onde quer que

56 sejam realizadas as atividades de estágio, interna ou externamente ao NPJ, serão obrigatoriamente supervisionadas.

Atividades externas desta natureza integrarão este componente curricular até a proporção legal e regulamentar admitida, mediante a apresentação de relatórios circunstanciados, redigidos em formulário próprio e assinados pelo acadêmico, pelo responsável pelo estágio e por Professor Supervisor, todos devidamente qualificados. Poder-se-á ainda reprogramar e reorientar as atividades de Estágio até sua conclusão definitiva de acordo com os resultados teórico-práticos gradualmente revelados pelos estudantes, conforme definido em Regulamento. Na esteira deste pensamento, resguarda-se como padrão de qualidade os domínios indispensáveis ao conhecimento do papel e das funções das diversas carreiras contempladas pela formação jurídica.

A Coordenação do Curso de Direito, no âmbito do NPJ, busca conciliar a prática das ações de extensão típicas da assistência judiciária com os esclarecimentos teóricos de que venham a necessitar os estagiários. No Estágio Curricular Supervisionado I dá-se o início das atividades de prática jurídica concomitantemente com estudos de natureza dogmática (revisional) e deontológica, especialmente no que se refere a deontologia da Advocacia. Trata-se de disciplinas destinadas a promover a realização de práticas simuladas e reais nos planos jurídicos típicos do Direito Civil, D. Penal, D. do Consumidor, D. Previdenciário etc., desde que tais práticas não coloquem em risco estudantes e professores.

Ao longo das práticas simuladas os estudantes assumem rotativamente o papel/função dos diversos profissionais do Direito, tais como Juízes, Promotores e Advogados, e, nas atividades reais, são assistidos por preceptores na prática de atos profissionais no plano do Judiciário e da Administração, tais como redigir peças e assistir a audiências juntamente com o advogado etc., o mesmo ocorrendo na condução de procedimentos de conciliação, mediação e arbitragem, dentre outros. Este perfil disciplinar se prolonga e se desdobra ao longo das Disciplinas Estágio Curricular Supervisionado II, III e IV.

No caso dos atendimentos reais a população carente, o mesmo perfil de acompanhamento será adotado, estendendo-se inclusive para além dos limites do NPJ, como em audiências e visitas conciliatórias, por exemplo, todavia, focalizando

57 mais especificamente a prática da advocacia, da conciliação, da mediação e da arbitragem.

No documento PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO PRESENCIAL ARAGUAÍNA-TOCANTINS (páginas 53-57)