HISTÓRICO DOS PARECERES PRÉVIOS E JULGAMENTOS DAS CONTAS DE GOVERNO DOS ÚLTIMOS 5 ANOS CONTAS DE GOVERNO DOS ÚLTIMOS 5 ANOS

No documento Processo TCE-RJ Nº /22 (páginas 27-32)

II.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

II.1.4 HISTÓRICO DOS PARECERES PRÉVIOS E JULGAMENTOS DAS CONTAS DE GOVERNO DOS ÚLTIMOS 5 ANOS CONTAS DE GOVERNO DOS ÚLTIMOS 5 ANOS

O quadro a seguir apresenta as informações referentes aos Pareceres Prévios emitidos por este Tribunal e aos julgamentos empreendidos pela Alerj acerca das Contas de Governo do Estado do Rio de Janeiro nos últimos 5 (cinco) anos:

Tabela 2 - Histórico de julgamentos

Exercício Responsabilidade

Parecer Prévio TCE-RJ

Julgamento Alerj

28

Fonte: Processo TCE-RJ 101.104-0/21 e Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro.

II.1.5 COVID-19

Identificado inicialmente na China em 2019, o Covid-19 foi detectado no Brasil em 2020 e apresentou, desde então, curvas de contaminação que exigiram a adoção de providências por parte do poder público com vistas a conter o contágio, aparelhar o sistema de saúde para atendimento às demandas decorrentes da doença e contribuir com acesso a auxílios financeiros à população que teve sua renda comprometida.

29 Em 2020 o país experimentou diversas dificuldades inerentes ao ineditismo da doença, que naturalmente apresentava à época alto grau de incerteza quanto às características do vírus, à sua propagação e aos seus impactos sociais e econômicos. Como consectário lógico, foram exigidos esforços tendentes a adequar o planejamento público às novas demandas. Nesse contexto, houve a edição do Decreto Legislativo nº 6/20 que reconheceu, até 31.12.2020, estado de calamidade pública para fins fiscais.

As situações vivenciadas em 2020 inequivocamente corroboraram para uma atuação estatal mais direcionada ao enfrentamento das dificuldades que adviriam em 2021 – a exemplo do incremento de leitos específicos para Covid-19 e da implementação de aulas remotas para alunos da rede de ensino-, o que, contudo, não desfigura o contexto excepcional e sem precedentes na história brasileira, tampouco minimiza a gravidade da doença e o número de vítimas. No Estado do Rio de Janeiro o Boletim Epidemiológico4 registra os seguintes apontamentos:

Identifica-se que 1ª onda de casos ocorreu entre as semanas epidemiológicas (SE) 15 a 21 de 2020 (05/04 a 23/05 de 2020), somando 99.760 casos. Na 2ª onda, com picos entre as SE 46 de 2020 a 2ª SE de 2021 (08/11/2020 a 16/01/2021) foram notificados 282.339 casos. A 3ª onda do estado ocorreu entre as SE 9 e 23 de 2021 (28/02 a 12/06 de 2021). Nesta onda, foram notificados 358.980 casos, destacando-se por ser a de maior gravidade, em que se registrou o maior número de internações (55.150) e óbitos (20.079) de COVID-19 (Tabela 1).

Nas SE 31, 32 e 33 (01/08 a 21/08) de 2021, o estado chegou a apresentar novo aumento na curva de casos, ocasionando a 4ª onda em função do predomínio da variante Delta, somando 71.053 casos, e foi a menor onda em número de casos e tempo de duração: 3 SE (Tabela 1). É importante ressaltar que essa onda foi a primeira já com a vigência de vacina no estado e, naquele momento, a população com mais de 60 anos já apresentava mais de 80% de cobertura da segunda dose. Após a onda da Delta, o número de casos de COVID-19 atingiu uma redução nunca vista anteriormente desde o início da pandemia.

No entanto, a partir da última semana epidemiológica de 2021, observamos mais uma vez, entre as semanas 52 de 2021 e SE 4 de 2022 (26/12/2021 a 29/01/2022), a subida do número de casos, causando a 5ª onda, com presença predominante da variante Omicron. Esta 5ª onda provocou um número de casos sem precedentes no estado, concentrando o maior registro de COVID-19 no estado em apenas 5 SE, atingindo o valor de 459.099 casos no período, com uma subida extremamente abrupta tal qual sua posterior queda.

Tal cenário é ilustrado a seguir:

4 Disponível em https://painel.saude.rj.gov.br/arquivos/Boletim_2020_2021_2611.pdf. Acesso em 05.04.2022.

30 Gráfico 1 - Série histórica de casos confirmados de Covid-19 segundo semana epidemiológica de

início de sintomas no Estado do Rio de Janeiro

Fonte: Boletim Epidemiológico dos casos de Covid-19 no Estado do Rio de Janeiro 2020 – 2021, disponível em https://painel.saude.rj.gov.br/arquivos/Boletim_2020_2021_2611.pdf

Conforme boletim divulgado pelo Observatório Covid-19 da Fiocruz5 com a retrospectiva de 2021, ao final do exercício o país havia alcançado mais de 600 mil óbitos e de 22 milhões de casos registrados da doença. No período compreendido entre março e junho foi relatado um grave comprometimento do sistema de saúde, com sobrecarga de leitos de UTI destinados ao Covid-19 e falta de insumos e substancial incremento no número de mortes, que chegou a alcançar patamar médio de 3.000 óbitos diários.

5 Disponível em https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/documentos/boletim_covid_2021-retrospectiva.pdf. Acesso em 15.02.2022

31 Figura 1- Casos e óbitos por Covid-19

Fonte: Retrospectiva 2021 do Observatório Covid-19 da Fiocruz.

É digno de nota que em 2021 houve o início da vacinação no Brasil e, desde então, o Sistema Único de Saúde – SUS, por meio do Programa Nacional de Imunização- PNI, tem avançado no processo de imunização da população, o que se tornou mais evidente à medida que mais imunizantes foram disponibilizados.

Também nesse contexto e diante de considerações acerca do número de casos e óbitos, leitos disponíveis e progressão da vacinação, foram adotadas algumas medidas de flexibilização das restrições que haviam sido implementadas por força da pandemia.

No âmbito do Estado do Rio de Janeiro, o Governo divulgou diversos mapas de risco por meio do qual sinalizou por meio de bandeiras (verde, amarela, laranja, vermelha e roxa, conforme

32 progressão de gravidade) o estágio das diversas regiões do Estado com vistas a conferir transparência aos dados e nortear as políticas públicas para cada cenário. Os dados reunidos no último boletim de 2021, de 29.12.2021, foram assim apresentados:

Figura 2 - Mapa de risco de Covid-19 do Estado do Rio de Janeiro

Fonte:https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2021/12/mapa-de-risco-da-covid-19-estado-se-mantem-em-bandeira-verde-com-risco-muito-baixo

Considerando as prescrições contidas no art. 22 da Lei de Introdução às Normas de Direito Brasileiro – LINDB, a análise ora empreendida das contas submetidas a julgamento considerará, no que se fizer pertinente, as dificuldades decorrentes da situação excepcional – embora conhecida desde o exercício precedente- oriunda do Covid-19, sem descuidar da obrigação do gestor quanto à observância das normas constitucionais e legais vigentes.

No documento Processo TCE-RJ Nº /22 (páginas 27-32)