O IMPACTO DO PROFMAT NA CARREIRA DOCENTE

No documento FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA DE POLÍTICAS PÚBLICAS E GOVERNO (páginas 43-48)

3 METODOLOGIA

3.2.1 O IMPACTO DO PROFMAT NA CARREIRA DOCENTE

Programas e políticas públicas educacionais são implementadas com o intuito de modificar um determinado cenário existente e elevar a qualidade do ensino público, melhorando a aprendizagem e formação de jovens num determinado nível educacional. Nesse aspecto, a necessidade de uma formação permanente do professorado se impõe diante das transformações sociais, culturais e econômicas que se observam nas sociedades. Superar a desmotivação, a defasagem e a acomodação dos professores torna imperativa a necessidade de que os docentes

busquem a mudança por meio de outras formas de qualificação (PEDROZO COGO;

BRANCHER; BITENCOURT CARDOSO, 2019).

Convergindo para a dimensão da capacitação e qualificação de professores, o PROFMAT foi instituído como um curso de mestrado profissional semipresencial e ofertado nacionalmente com o objetivo de contribuir para uma qualificação do ensino de matemática no Ensino Básico. O relatório PROFMAT: Uma reflexão e Alguns Resultados (2017), publicado pela Sociedade Brasileira de Matemática – SBM, descreve o objetivo principal do programa, que é o aprimoramento da formação dos professores de matemática que atuam nas escolas públicas:

O Profmat visa atender prioritariamente professores de Matemática em exercício na Educação Básica, especialmente em escolas públicas, que busquem aprimoramento da formação profissional, com ênfase no domínio aprofundado de conteúdo matemático relevante para sua docência.(SBM ,2017, pg.1).

O principal objetivo do Profmat é oferecer formação profissional sólida em Matemática, que contemple as necessidades do trabalho cotidiano dos professores no espaço da escola, assim como suas necessidades de desenvolvimento e de valorização profissional.(SBM, 2017, pg. 6).

O Programa, instituído como uma política pública – voltada a alterar o cenário do ensino e aprendizagem de matemática – pode ter seu impacto avaliado por métodos disponíveis e consagrados na literatura.

No sentido de se optar por um método de avaliação do programa que abordasse as questões de validade de seus resultados em razão de seu formato de implantação e execução, foram observadas as características operacionais do PROFMAT, considerando-se a constatação de que essa avaliação seria retrospectiva e que, por esse motivo, se utilizaria um método quase-experimental (GERTLER et al. 2016).

As questões que se colocam para o método de avaliação de programas dessa natureza podem ser respondidas em três partes. A primeira refere-se à disponibilidade de recursos para atender a todos os participantes do PROFMAT. Em relação à dimensão da disponibilidade material, o programa atende, a todos os selecionados, ofertando a rede nacional com as universidades promotoras do curso. A única limitação ocorreu em relação ao financiamento das bolsas. Havia recursos suficientes para o pagamento das bolsas a todos os alunos do curso até o ano de 2016. A partir dessa data, parte dos alunos selecionados não foram contemplados com bolsas de mestrado em razão das limitações orçamentárias. A segunda questão relaciona-se à limitação da oferta, pois o programa destina-se aos professores do Ensino Básico das escolas públicas brasileiras e a última questão vincula-se ao caráter sequencial de sua oferta, ou seja,

em parcelas anuais.

Em função das características do programa e sua implementação em etapas, a avaliação retrospectiva por meio do método das diferenças-em-diferenças, observando a variação dos salários dos titulados ao longo do tempo após a implementação da política de qualificação docente por meio do mestrado profissionalizante ofertado, poderia destacar a possível mudança na qualificação e remuneração dos professores tratados.

O método das diferenças-em-diferenças é formulado na literatura, matematicamente, da seguinte forma:

𝑌 = 𝛽0+ 𝛽1𝑇 + 𝛽2𝐷 + 𝛽3( 𝑇 ∗ 𝐷) + 𝑋𝜃 + 𝜀 (2)

Em que Y é a variável dependente (variável de resultado: o salário do indivíduo observado), 𝛽0 é o intercepto, 𝛽1 o coeficiente associado à variável Dummy 𝑇, que representa o identificador de pós-tratamento (se a observação foi realizada depois do tratamento, tomando o valor 1 nesse caso e 0 se antes), 𝛽2 o coeficiente da variável Dummy 𝐷 que identifica o tratamento (se o indivíduo observado foi tratado, assumindo o valor 1 em caso positivo e 0 no caso contrário), 𝛽3 o coeficiente da variável de interação (𝑇 ∗ 𝐷), 𝑋𝜃 é o vetor dos controles individuais da unidade de tratamento. O coeficiente de interesse 𝛽3 é o que determina o impacto da política e se obtém após as diferenças apresentadas a seguir:

𝛽3 = [𝐸(𝑌|𝑋, 𝑇 = 1, 𝐷 = 1) − 𝐸(𝑌|𝑋, 𝑇 = 0, 𝐷 = 1)] − [𝐸(𝑌|𝑋, 𝑇 = 1, 𝐷 = 0) − 𝐸(𝑌|𝑋, 𝑇 = 0, 𝐷 = 0)] (3)

A estimação do coeficiente 𝛽3, utilizando os dados da amostra e considerando 𝐸(𝜀|𝑋, 𝑇, 𝐷 = 0), será:

𝛽̂ = (𝑌3 𝑇=1, 𝐷=1 − 𝑌𝑇=1, 𝐷=0) − (𝑌𝑇=0, 𝐷=1 − 𝑌𝑇=0, 𝐷=0) (4)

A primeira diferença elimina as características invariantes, ou seja, aquelas que não variam no tempo. A segunda diferença elimina as características relacionadas, especificamente, ao tempo. O coeficiente resultante 𝛽3 é o termo que mede o impacto do programa. Nesse caso, a variação salarial dos titulados após a implementação do tratamento (o programa PROFMAT).

Considerando-se essa perspectiva, Gius (2013) utilizou o método de diferenças-em-diferenças para avaliar o impacto do pagamento de bônus de mérito por performance individual dos professores nos resultados dos alunos, tais como taxa de evasão escolar e taxa de conclusão

de curso. Nesse estudo, o autor utilizou um vetor de controles individuais com variáveis como gênero, raça, região de residência e outras características demográficas no nível de municípios.

Nesta dissertação, propomos avaliar o impacto do PROFMAT no somatório dos salários médios anuais dos docentes para responder uma das perguntas de pesquisa e verificar, posteriormente, se a ocorrência dessa titulação afeta o desempenho dos alunos em nível municipal onde os tratados lecionam. Reconhecemos que, naturalmente, se espera um aumento dos salários dos professores em razão das estruturas salariais das carreiras docentes no Brasil que concedem gratificações associadas à titulação em nível de pós-graduação. Entretanto, essa análise permite não somente confirmar se esse aumento vinculado à gratificação ocorreu, mas também estimar esse efeito associado à formação e à diplomação (efeito “sheepskin”), distinguindo-o do “efeito seleção”, atribuído ao viés de seleção, que é o aumento salarial ocorrido para aqueles que têm maior propensão a crescer na carreira, por possuírem maior interesse em investir na própria educação e qualificação profissional, e que, por esse motivo, decidiu realizar o mestrado do PROFMAT, mas não terminou o curso no período observado.

Avaliamos esse impacto na carreira docente com base no método de diferenças-em-diferenças, partindo da observação da variação salarial média anual total dos professores tratados por essa política pública. Assim, o grupo de tratamento foi constituído pelos discentes do PROFMAT que se titularam, em nível de mestrado profissional em matemática, nesse programa durante o período analisado, ou seja, entre os anos de 2013 e 2021. Para esse grupo, foram observados os salários totais anuais médios recebidos por esses professores nos anos de 2014 a 2018 existentes na base da RAIS utilizada nesse estudo. Consideramos esses salários médios totais como a soma de todos os salários médios anuais recebidos por esses professores em cada ano do período observado. Avaliamos esses salários médios totais recebidos por meio de comparação com aqueles recebidos pelo grupo de controle no mesmo período. O grupo de controle resultou do conjunto de discentes que foram selecionados para realizar o mestrado no PROFMAT entre os anos de 2011 e 2021, mas não o haviam concluído no período observado pela base da RAIS, tendo sido desligados do curso em seu primeiro semestre. A opção por esse grupo de controle visou abordar o viés de seleção, visto que, tanto no grupo de tratamento, ou seja, em relação aos professores titulados, como no grupo de controle, houve a intenção de tratar. Entretanto, observamos que o viés de seleção pode estar presente, caso os discentes desligados venham a reingressar no curso e se titular após o período da base de dados da RAIS avaliado (2014 a 2018). Para minimizar os efeitos do curso nesse grupo de controle, observaram-se os professores que permaneceram até seis meses no mestrado e que abandonaram, não titularam ou foram desligados do curso entre 2014 e 2018. Da mesma forma, observaram-se as somas

dos salários médios anuais desses discentes recebidos durante os anos 2014 a 2018 disponibilizados na mesma base da RAIS utilizada. Entretanto, ressaltamos que o viés de seleção não ocorre apenas com o fato de que os discentes desligados possam concluir o curso em um momento futuro, mas um outro aspecto desse viés, que não é observável, pode estar relacionado com as características específicas desses dois grupos e que os tornem diferentes.

Podemos argumentar que existem atributos individuais do professor que se titulou, que estão por trás do esforço que este empregou para finalizar o curso, que podemos, também, estar medindo na estimação do efeito da titulação, em vez de um mero efeito salarial como resultado da formação do docente no PROFMAT. Esse viés foi, em parte, considerado quando o grupo de controle foi limitado ao período máximo de permanência de 6 meses no curso.

Nessa metodologia, o critério utilizado para a definição dos identificadores de pós ou pré-tratamento considerou a característica específica de execução do programa, ou seja, que o PROFMAT não foi aplicado em um momento preciso e único no tempo, mas ao longo de um período compreendido entre 2011 e março de 2021. Assim, A condição temporal para determinar se a observação do salário médio anual total do discente ocorreu antes ou depois do tratamento foi definida de forma a utilizarmos a base de dados disponível para essa parte da análise (54.825 observações) e obtermos os resultados mais robustos possíveis. Assim, para os tratados, o indicador de pós-tratamento T é igual a 1, quando o salário observado do discente i ocorreu após o ano de titulação desse professor. Se o salário medido foi observado antes da titulação, o indicador T será zero, apontando para a situação de medição tomada como pré-tratamento. No caso dos não tratados, o indicador de pré-tratamento (T = 0) é aquele atribuído ao discente i, quando o ano da observação do salário é anterior ao ano do ingresso no curso. O indicador de pós-tratamento dos não tratados é T =1, quando o ano da observação do salário do discente i é igual ou posterior ao ano de desligamento do cursou se o aluno não se encontrava titulado.

O modelo adotado para a aplicação do método foi:

𝑌𝑖𝑡 = 𝛽0+ 𝛽1𝐷𝐹𝑖+ 𝛽2𝐷𝑃𝐹𝑡+ 𝛽3𝐷𝐹𝑖 ∗ 𝐷𝑃𝐹𝑡+ 𝛽4𝑋𝑖 + 𝛼𝑡+ 𝛾𝑖+ 𝑢𝑖 (5)

Em que 𝑌𝑖𝑡 é a remuneração do indivíduo i no ano t, 𝐷𝐹𝑖 (Dummy do Formado para o indivíduo i) é uma variável dummy que indica se o indivíduo é do grupo de controle ou do tratamento (titulado D=1, não titulado D=0), 𝐷𝑃𝐹𝑡 (Dummy para Pós-Formado no tempo t) é uma variável dummy que informa se a observação ocorreu antes (T=0) ou depois do tratamento

(T=1), 𝐷𝐹𝑖 ∗ 𝐷𝑃𝐹𝑡 é a variável de interação do modelo, 𝑋𝑖 é o vetor de controles individuais do professor observado i, 𝛼𝑡 é o efeito fixo do ano; 𝛾𝑖 é o efeito fixo do indivíduo combinado com o município e 𝑢𝑖 o erro estocástico. Ao aplicar a primeira diferença, controlaremos as características invariantes dos docentes e, com a segunda diferença, controlaremos as características são específicas da variação no tempo. O coeficiente de interesse 𝛽3 é o que informa o impacto ocorrido, utilizando os dados da amostra e considerando 𝐸(𝑢|𝐷𝐹, 𝐷𝑃𝐹, 𝑋, 𝑇, 𝐷 = 0):

𝛽̂ = (𝑌3 𝑇=1, 𝐷=1 − 𝑌𝑇=1, 𝐷=0) − (𝑌𝑇=0, 𝐷=1 − 𝑌𝑇=0, 𝐷=0) (6)

Os efeitos observados permitirão responder a primeira pergunta de pesquisa e possibilitarão sugerir sua relação com os resultados obtidos na análise da efetividade dos docentes tratados em relação às notas dos estudantes no teste padronizado aplicado pelo SAEB, caso esses efeitos sejam positivos e significativos.

No documento FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA DE POLÍTICAS PÚBLICAS E GOVERNO (páginas 43-48)