3. MATERIAIS E MÉTODOS

4.1 PESQUISA COM COORDENADORES DE CURSO E/OU ALUNOS REPRESENTANTES

A pesquisa foi feita através do Google Formulários com 08 perguntas (anexo 01), obteve-se 26 respostas, sendo estas de 20 instituições de ensino diferentes que ofertam os cursos técnico e de nível superior de geologia (respostas obtidas na pergunta de número dois do formulário), representando 62,5% de um total de 32 universidades que ofertam o curso superior em geologia, segundo à página oficial da Sociedade Brasileira de Geologia.

As universidades participantes da pesquisa foram:

1. Universidade Federal do Amazonas (UFAM), 2. Universidade Federal da Bahia (UFBA), 3. Universidade Federal do Ceará (UFC), 4. Universidade Federal de Goiás (UFG),

5. Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), 6. Universidade Federal do Pará (UFPA),

7. Universidade Federal do Paraná (UFPR),

8. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 9. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), 10. Universidade Federal de Sergipe (UFS),

11. Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), 12. Universidade Federal de Uberlândia (UFU),

13. Universidade Estadual Paulista (UNESP), 14. Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), 15. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), 16. Universidade de Brasília (UnB),

17. Universidade de Belo Horizonte (UniBH),

18. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), 19. Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB),

20. Instituto Federal de Ciências e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).

Tendo as universidades Federais da Bahia, Amazonas e UNIFESSPA recebido duas respostas.

A pesquisa foi aberta para membros representantes da Executiva Nacional dos Estudantes (discentes do curso de geologia que fazem parte da Executiva), Alunos representantes (presidentes de centros acadêmicos), Coordenadores do curso de geologia e Docentes. Tendo recebido resposta de 03 alunos representantes, 04 membros representantes da ENEGE, 08 coordenadores de curso e 11 docentes (referente a primeira pergunta do questionário, que trata da identificação do entrevistado). A composição do grupo respondente pode ser melhor observada no gráfico abaixo (gráfico 01).

Gráfico 01: Identificação dos respondentes da primeira pesquisa, referente à classe.

É importante salientar que a princípio a pesquisa seria destinada apenas aos coordenadores de curso das universidades, no entanto, com a dificuldade enfrentada em conseguir resposta por parte dos mesmos, a pesquisa foi aberta aos demais grupos da pesquisa. Isso reflete nos resultados do gráfico acima, onde os coordenadores de curso representam um número menor que o de docentes, por exemplo.

De acordo com as respostas da terceira pergunta do questionário, apenas 01 das 20 instituições participantes da entrevista não desenvolve nenhuma atividade de popularização das geociências.

A quarta pergunta que se refere ao público alvo dessas ações obteve 19 respostas (levando-se em consideração que a pergunta não era de resposta obrigatória). Tendo 05 universidades ações voltadas para o ensino básico (público infantil), 11 para o ensino fundamental II e médio e 06 ações são para a comunidade como público em geral, sendo uma dessas cinco para uma classe específica (Guias e condutores), e tendo a Universidade de Pernambuco ações distintas que abrangem os três públicos, tal distribuição se observa no gráfico 02.

O que reforça o atual panorama, como será discutido melhor nas seções posteriores, onde o ensino das geociências está voltado para o ensino médio, sendo a educação básica de certa forma esquecida por tais ações.

Além disso, 100% dos entrevistados acredita que projetos como esse tem grande importância para a desmistificação da Geologia e instrução da comunidade, tendo também um papel muito importante no uso em sala de aula.

Gráfico 02: Público-alvo das ações desenvolvidas pelas universidades respondentes.

E das 20 instituições participantes, apenas 05 desenvolvem as ações em conjunto com outros departamentos. O que também é um dado muito importante, tendo em vista que ações de extensão tem o papel de integralização e comunicação com o exterior à universidade, sendo assim, outros departamentos de outras áreas como Comunicação, Marketing, Publicidade, Pedagogia e etc. poderiam somar à tais ações de maneira muito geodiversidade urbana da cidade de Manaus com foco no conteúdo fossilífero em rochas ornamentais encontradas em monumentos e pontos históricos/turísticos.

UFBA – Universidade Federal da Bahia MUGEO (Museu de Geociências da UFBA) UFC – Universidade Federal do Ceará Terra em Movimento: Exposições itinerantes

– Alunos do Ensino Médio.

UFG – Universidade Federal de Goiás Projeção de filmes relacionados às Geociências em praça pública.

UFPA – Universidade Federal do Pará Feiras vocacionais em escolas publicas UFPR – Universidade Federal do Paraná Aulas para alunos do ensino fundamental I e

capacitação de professores da rede pública.

UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina -

UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte Geologia no Parque e Aulas de Geologia para alunos do ensino fundamental.

UNIFESSPA - Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará Dia do geólogo: Mostras de minerais, rochas e fósseis para os estudantes de todos os anos do ensino básico e técnico.

UFU – Universidade Federal de Uberlândia Projeção de filmes relacionados às Geociências em praça pública.

UNIPAMPA - Universidade Federal do Pampa Evento Anual de extensão para a comunidade chamado “Geo Dia”.

UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos Visitas guiadas ao Museu da História Geológica - Fundamental I

UnB – Universidade de Brasília Mostra Sismológica do Observatório de Sismologia.

UniBH – Centro Universitário de Belo Horizonte - IFRN – Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Há projeto de acessibilidade (Apae) e formação de professores a partir do Museu de Minérios do Rio Grande do Norte.

Divulgando a geodiversidade e a conservação do patrimônio geológico.

UFVJM – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e

Mucuri São feiras de minerais e rochas e trabalhos

junto à comunidade garimpeira.

UNESP – Universidade Estadual Paulista Projeto de extensão que envolvem o Museu de Paleontologia e o Museu de Mineralogia (UNESP, campus de Rio Claro, IGCE).

Criação de geositios (Pedreira Partecal de Assistência, Rio Claro) e geoparque (Projeto Geopark Corumbataí)

UFS – Universidade Federal de Sergipe Geologia na Escola. Onde levamos discentes para falar sobre a geologia para alunos do Ensino Médio.

UFOPA – Universidade Federal do Oeste do Pará

O projeto levaaos alunos da educação básica e à comunidade em geral, conhecimentos sobre a Geologia e as demais áreas de conhecimento das Ciências da Terra, além de expor os trabalhos que o curso de Geologia vem elaborando e contribuindo na problemática da região.

4.2 PESQUISA COM ESTUDANTES E PROFISSIONAIS DA ÁREA DAS

No documento Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Exatas e da Terra Departamento de Geologia Trabalho de conclusão do Curso (GEO0421) (páginas 26-31)