PESQUISA E EXTENSÃO NO CURSO

No documento PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO PRESENCIAL ARAGUAÍNA-TOCANTINS (páginas 59-65)

O ensino, a pesquisa e a extensão não podem ser analisadas separadas do mundo do trabalho. Todos interagem em função das necessidades sociais e econômicas e ao perfil do egresso, em permanente atualização para com as demandas profissionais e tecnológicas.

Para a cabal consecução de sua finalidade, a IES assegura plena liberdade de estudo, pesquisa, ensino e extensão, permanecendo aberta ao diálogo com todas as correntes de pensamento, sem participar de grupos político-partidários.

60 As Políticas Institucionais e ações acadêmico-administrativas para o Ensino, a Pesquisa ou Iniciação Científica, a Extensão, a Inovação Tecnológica e o desenvolvimento artístico e cultural estão amparadas na legislação nacional e buscam alcançar horizontes que indicam a promoção de ensino de qualidade, os avanços da ciência e dos processos de ensino-aprendizagem, com base em princípios de interdisciplinaridade e articulação das áreas do saber. Tais políticas desenvolvidas, no âmbito do curso, estão claramente voltadas para a promoção de oportunidades de aprendizagem alinhadas ao perfil do egresso e as métricas implantadas, demonstram que tais práticas são grandemente exitosas e buscam uma inovação constante.

Destacam-se neste mister as atividades de extensão, as quais, em razão de promoverem o contato direto com a comunidade, permitem a saudável e democrática troca de conhecimento entre a Academia e a Sociedade, oportunizando à primeira a apropriação e utilização dos saberes existentes por parte das pessoas e das instituições locais, regionais e nacionais, e à segunda, a obtenção do conhecimento produzido intra muros, com sua apropriação possível, bem como com a aplicação de tal conhecimento à satisfação de suas demandas. Destaque-se que as atividades de extensão no âmbito do curso são sempre realizadas com envolvimento dos estudantes e sob a supervisão docente ou de técnicos da Instituição, que atuam como executores-colaboradores.

O ensino, a pesquisa e a extensão são facetas da educação superior que não podem ser analisadas separadas do mundo do trabalho. Sua compreensão deve dar-se a partir de suas interfaces integradoras, tal como ocorre com a pesquisa (iniciação científica), que não terá consistência acadêmico-social sem que haja sua aplicação nos campos do ensino e da extensão. Esta interação é fundamental para a realização da missão institucional, cujo foco está na satisfação das necessidades sociais e econômicas, as quais demandam egresso cuja formação apresente perfil profissional competente e atualizado conforme as efetivas demandas regionais.

Consoante as Diretrizes Curriculares Nacionais pertinentes e aquelas definidas no Plano de Desenvolvimento Institucional 2015-2019 do UNITPAC é que se estrutura o Curso de Direito, cuidando-se, por exemplo, de sua matriz curricular, sua metodologia educacional e didático-pedagógica e suas atividades acadêmicas, tudo em razão de se propiciar aos acadêmicos uma formação sólida e acorde com o perfil do egresso que se pretende.

61 Conforme previsto no PDI 2015-2019, a formação dos acadêmicos do UNITPAC se desenvolve em torno das seguintes diretrizes:

a) construção coletiva;

b) interação com a sociedade;

c) construção permanente da qualidade de ensino;

d) integração entre ensino, iniciação científica e extensão;

e) extensão voltada para tornar a coletividade beneficiária direta e imediata das conquistas do ensino;

f) desenvolvimento curricular;

g) busca permanente da unidade da teoria com a prática;

h) adoção de aspectos metodológicos fundados nos pressupostos da metodologia dialética que concebe a sociedade e a educação como dinâmicas, contraditórias e partícipes da construção das relações infra e superestruturais. Em coerência com as diretrizes do PDI, o Curso de Direito do UNITPAC garante a realização da construção coletiva por meio da articulação entre a comunidade acadêmica e as instâncias colegiadas da instituição.

Da mesma forma, investe na construção permanente da qualidade do ensino-aprendizagem, com previsão de capacitação contínua de docentes, estímulo ao uso de metodologias que levem o estudante a ser construtor do seu conhecimento em busca do contínuo desenvolvimento curricular, por meio da atualização e da contextualização dos conteúdos e da interdisciplinaridade, além de contemplar espaços para o desenvolvimento de seus estudos e atividades independentes, por meio das atividades complementares, e, em certa medida, pelo oferecimento de disciplinas optativas.

Também coerente com os objetivos institucionais, a realização de projetos de responsabilidade social e o atendimento à parcela hipossuficiente da população via ações do Núcleo de Prática Jurídica contribuem para consolidar a vocação da instituição para a interação com a sociedade. A integração entre o ensino e a extensão busca tornar a coletividade beneficiária direta e imediata das conquistas do ensino, permitindo ao estudante o contato com a realidade social, fortalecendo a interação entre teoria, prática e ética.

62 a) a melhoria da qualidade do ensino e da formação profissional, fomentando e reforçando a inovação, a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade, sempre que possível, nos programas acadêmicos;

b) a formação do cidadão crítico, ético, criativo e socialmente comprometido com a sociedade, capaz de produzir, organizar, difundir e controlar o conhecimento; c) as condições de igualdade no que se referem ao acesso e permanência, tomando por base os méritos, capacidade, esforços e perseverança, sem permitir discriminação e favorecendo a inclusão das minorias reconhecidas socialmente;

d) o desenvolvimento de habilidades que permitam a aprendizagem continuada, nas mais diferentes situações de vida;

e) a formação que considere os aspectos ligados à socialização, integração, cooperação e participação.

Cabe o registro que as seguintes políticas institucionais estão contempladas no âmbito do curso:

a) Políticas de Ensino-Aprendizagem  valorização da aprendizagem contextualizada por meio das metodologias ativas e da diversidade de cenários de aprendizagem, articulação teoria e prática; bolsas de monitoria;

f) Políticas de Pesquisa/Iniciação Científica construção do pensamento científico, valorização das inovações científicas e tecnológicas e utilização das bases e métodos científicos no processo ensino-aprendizagem. Projetos de pesquisa com bolsas de Iniciação científica;

g) Políticas de Extensão  valorização da aprendizagem com inserção na realidade da comunidade interna e externa por meio de pactuações e troca de conhecimento. Programas, projetos, eventos e serviços;

h) Políticas de Gestão  perpassa todas as atividades acadêmicas e administrativas;

i) Políticas de Apoio aos Discentes e Docentes implementadas pela Coordenação de Curso, bem como pelo Núcleo de Iniciação Científica e de Extensão (NICE), Núcleo de Apoio ao Discente (NAD) e do Núcleo de Apoio Pedagógico e Experiência Docente (NAPED);

63 j) Políticas de Responsabilidade Sócio Ambiental  por meio de projetos como o Super Calouro, cursos e trabalhos de extensão na comunidade, incluindo comunidade indígena e quilombolas);

k) Políticas de Inclusão Social e Educacional  por meio de projetos e programas de extensão, como o ITPAC Construindo Caminhos, onde há a articulação de várias competências necessárias, em parceria com outros cursos;

l) Bolsas e Incentivosfiliação ao Prouni, FIES, além de promoção de incentivos institucionais, como a monitoria, iniciação científica etc.;

m) Políticas de incentivo à produção autônoma e proativa de conhecimento  auxílio na estruturação e funcionamento de Ligas Acadêmicas, como a Liga Acadêmica de Direito Penal (LADP), precursora no Curso de Direito.

A execução e o cumprimento das metas são averiguados periodicamente em seminários e reuniões de acompanhamento que envolve os diversos níveis da estrutura hierárquica. Também a Comissão Própria de Avaliação (CPA) tem papel relevante nesse processo, efetuando a avaliação interna da Instituição, abrangendo a totalidade da sua estrutura.

No que se refere ao ensino, a matriz curricular 2020/1 apresenta maior oferta de atividades práticas desde os primeiros períodos do curso, especialmente no tocante às disciplinas de cunho processual, facilitando a relação teoria-prática e favorecendo a geração de competências descritas no PPC.

Os programas e projetos de extensão de desdobram a partir do olhar da Academia sobre a sociedade, levando à interação dialética entre ambas, unindo saberes de ambas e se mostrando como oportunidades indispensáveis para a formação acadêmica. Em regra, busca-se o seu desenvolvimento integrado a outros cursos superiores, favorecendo a perspectiva inter e transdisciplinar.

Um bom exemplo é o Programa de Extensão Super Calouro, cujos objetivos foram e são promover a integração entre os diversos cursos do UNITPAC e banir o trote violento através de ações de cidadania, incentivando a responsabilidade social e o compromisso com a sociedade, realizando-se as seguintes ações: doações de alimentos, roupas, calçados, livros literários, brinquedos, fraldas descartáveis, frasco de vidro para o projeto "Amigos do Peito" do Hospital Dom Orione e doações de sangue para o Hemocentro. E ainda: plantio de árvores e o Quizz (cadeira elétrica), onde os estudantes respondem perguntas de conhecimentos gerais e cultura musical.

64 Finaliza-se tal projeto com uma apresentação cultural pelos calouros, que reúne toda a comunidade acadêmica.

Outro programa de extensão importante é o ITPAC Construindo Caminhos: educação, saúde e lazer na alfabetização de jovens e adultos, o qual tem como objetivo desenvolver uma proposta de alfabetização, promovendo ações educacionais, médicas, odontológicas, farmacêuticas, de enfermagem, esclarecimentos jurídicos e lazer, visando à elevação do número de pessoas alfabetizadas no Município de Araguaína – TO e a melhoria da qualidade de suas vidas.

A extensão também se desenvolve na forma de cursos de curta duração, oferecendo aos alunos temas emergentes, enriquecimento de experiência e atualização contínua.

A formação de ligas acadêmicas, incipiente no Curso de Direito, mas que começa a ganhar corpo e se adensar, se caracteriza por uma iniciativa estudantil com incentivo da Coordenação e Corpo Docente, e tem como objetivo a atualização e a promoção de novos conhecimentos científicos como uma iniciativa estudantil, bem como a aquisição de novas habilidades e o trabalho em equipe. É de se ressaltar que se atribui valor à formação acadêmica, incentivando a prática da pesquisa e extensão por discentes e docentes.

No âmbito da extensão, as ligas acadêmicas propõem projetos com a exposição do discente à realidade social em que se insere, o que o leva à reflexão crítica sobre o ambiente jurídico existente e suas limitações no que se refere à realização da cidadania, à preservação da dignidade humana e às práticas éticas.

Os ligantes são supervisionados e coordenados por professores e/ou profissionais referente à área em questão, os quais otimizam a realização das atividades e a elaboração das linhas de pesquisas científicas.

O UNITPAC vem implementando várias ações de forma que a pesquisa seja compreendida como princípio de formação. A busca por docentes titulados em nível de mestrado e doutorado, o incentivo à busca pela titulação dos docentes da instituição, como por exemplo, através de convênio com o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares da USP (IPEN/USP), a vinculação entre projetos de extensão e de pesquisa, a metodologia científica como parte da formação dos alunos, o desenvolvimento obrigatório de Trabalho Acadêmico de Conclusão de Curso, o

65 incentivo a pesquisa desde o início do curso, com o envolvimento dos estudantes dos primeiros períodos em trabalhos de extensão e o incentivo a criação do CurrículoLattes destes alunos, são algumas das iniciativas para inserir a atividade de pesquisa na vida acadêmica.

Além disso, foi instituído em 2006, o Programa de Iniciação Científica (PIC) e Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (ProBIC).

O UNITPAC criou por meio da Coordenação de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão a Revista Científica do ITPAC (ISSN 1983-6708) que tem como finalidade divulgar textos originais e inéditos de interesse das áreas de Ciências Humanas e da Saúde. Tem periodicidade trimestral acolhe artigos originais, ensaios, e resenhas de pesquisadores ou grupo de pesquisadores, docentes ou discentes.

Assim, as políticas institucionais de ensino, pesquisa e extensão, constantes no PDI, estão implantadas no âmbito do curso.

No documento PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO PRESENCIAL ARAGUAÍNA-TOCANTINS (páginas 59-65)