• Nenhum resultado encontrado

Planeamento do curso de ação: áreas de conhecimento empreendedor

PARTE II – O ESTUDO

3. Metodologia Adotada

3.6. Planeamento do curso de ação: áreas de conhecimento empreendedor

características das crianças, as indicações presentes nas Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar (DEB, 1997), a problemática do estudo e respetivas questões de investigação e as sugestões metodológicas do Manual “Ter ideias para mudar o mundo – Manual para treinar o empreendedorismo em crianças dos 3 aos 2 anos” (CEAN, 2009).

De modo a compreender o contributo da implementação de um projeto no âmbito da educação para o empreendedorismo para fomentar a apropriação social do espírito empreendedor, por crianças em idade pré-escolar, teve-se por base as indicações metodológicas sugeridas no Manual “Ter ideias para mudar o mundo – Manual para treinar o empreendedorismo em crianças dos 3 aos 2 anos” (CEAN, 2009), no entanto é importante salientar que se optou por fazer algumas adaptações a este documento. Para

68

melhor adequar o trabalho ao grupo e desenvolver o projeto de forma natural, houve necessidade de adaptar a ordem de abordagem das áreas de conhecimento empreendedor indicadas no manual, acrescentando-se que se optou por trabalhar de forma mais evidente onze das doze áreas, sendo que algumas delas foram abordadas em simultâneo.

No planeamento do curso de ação decidiu-se que as primeiras seis áreas de conhecimento empreendedor seriam trabalhadas pela sequência indicada no manual, permitindo assim fazer um planeamento antecipado da sua implementação. Estas áreas estavam relacionadas com o nascimento do projeto e o desenvolvimento de competências empreendedoras fundamentais nesta faixa etária. Desta forma, a preparação das sessões e a construção dos materiais necessários foram concretizadas antes do início do trabalho de campo. As restantes áreas foram planeadas após a definição do projeto, uma vez que eram necessárias informações concretas relacionadas com o que se pretendia fazer. Assim, o planeamento das áreas “Aprender a trabalhar com os colaboradores”, “Descubro a necessidades para fazer ofertas”, “Protótipos para partilhar o nosso projeto”, “Redes de colaboradores” e “Ciclos de trabalho” só podia ter lugar após o conhecimento do projeto que se pretendia realizar e de se ter trabalhado algumas competências empreendedoras. Estas cinco áreas foram abordadas em paralelo, de forma indutiva, permitindo tomar decisões sobre o planeamento de ações futuras (e.g. o que é necessário, quem nos vai ajudar, o que vamos oferecer).

Os recursos e as estratégias utilizadas na implementação das áreas de conhecimento empreendedor foram, na sua maioria, inspiradas no manual “Ter ideias para mudar o mundo – Manual para treinar o empreendedorismo em crianças dos 3 aos 2 anos” (CEAN, 2009), como por exemplo: histórias, tipo de questionamento, jogos/dinâmicas de grupo, guia para construir uma narrativa, ideia de protótipo. Contudo, houve necessidade de procurar outras fontes, para melhor adequar o trabalho ao grupo, recorrendo a: vídeos, utilização do computador, suporte áudio (e.g. sons da natureza), outras histórias (e.g. “O pássaro da Alma”), construção de quadros/cartazes para sintetizar informação.

69 Este trabalho foi desenvolvido durante a Prática de Ensino Supervisionada II ao longo de, aproximadamente, três meses. Salienta-se que no período de 8 de abril até 15 de junho de 2015 as planificações semanais comtemplavam na sua totalidade atividades para esta investigação, com exceção de 45 minutos direcionados à expressão motora.

Na tabela 4 é possível ter uma visão global da implementação das áreas de conhecimento empreendedor, referindo em que dias foram abordadas, bem como os objetivos de cada uma.

Tabela 4. Calendarização e descrição das áreas de conhecimento empreendedor

Áreas de conhecimento

empreendedor Data de implementação Finalidades/Objetivos

“Estímulo das ideias” e

“Partilha de ideias” 8 de abril de 2015

-Saber o que é um “sonho”/desejo; -Estimular ideias individuais;

-Pensar no seu sonho/desejo e declará- lo, de forma individual e autónoma; -Registar através de um desenho o seu sonho;

-Expor e explicar em grande grupo o seu sonho e o porquê do conteúdo do desenho;

-Reconhecer ideias de outras crianças com características semelhantes às suas; -Agrupar ideias por afinidades;

-Decidir o nome do projeto e registá-lo individualmente através de um desenho.

“O que é que eu quero fazer?”, “Os nossos estados de espírito”, “Aprender a escutar as pessoas” e “Aprender a transmitir o nosso projeto” 9, 20, 21 e 22 de abril de 2015 -Identificar as características de um empreendedor;

-Identificar as características necessárias ao desenvolvimento do projeto;

-Despertar a consciência sobre os estados de espírito;

-Descobrir vocabulário que descreve estados de espírito/sentimentos/ emoções;

-Reconhecer representações dos diferentes estados de espírito/sentimentos/emoções;

-Relatar experiências onde vivenciam os diferentes estados de espírito/sentimentos/emoções;

-Reconhecer e compreender que os estados de espírito, positivos e negativos, influenciam bastante um grupo de trabalho na realização de um projeto;

70

verbal estados de

espírito/sentimentos/emoções;

-Perceber a importância e desenvolver a capacidade de saber escutar;

-Estar atento às necessidades existentes no grupo para a elaboração do projeto; -Desenvolver o conceito de “narrativa”; -Compreender o que é necessário para se fazer uma boa narrativa;

-Reconhecer a importância da narrativa num projeto;

-Participar na elaboração da narrativa do projeto.

“Aprender a trabalhar com os colaboradores”, “Descubro as necessidades para fazer ofertas” e “Protótipos para partilhar o nosso projeto”

4 e 5 de maio de 2015

-Compreender os conceitos de oferta e compromisso;

-Relembrar os principais aspetos do projeto (colaboradores, materiais e as tarefas);

-Compreender as fases de escrita de uma carta;

-Comunicar com clareza as suas sugestões;

-Realizar o protótipo de acordo com o projeto; -Compreender a funcionalidade do protótipo. “Redes de colaboradores” e “Ciclos de trabalho” 6 e 20 de maio de 2015 e 2, 3 e 15 de junho de 2015

-Compreender a funcionalidade de uma rede de colaboradores;

-Completar o cartaz relativo às redes de colaboradores e ciclos de trabalho, e verbalizar corretamente como completar cada coluna.