Política de investimento do Fundo

No documento Caixagest Valor Absoluto (páginas 6-11)

CAPÍTULO II POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO PATRIMÓNIO DO FUNDO E

1. Política de investimento do Fundo

1.1 Política de Investimento

O Fundo adopta uma política de investimento que tem por objectivo a distribuição de um rendimento no final do terceiro ano (2 de Outubro de 2009), associado à valorização de um cabaz de fundos. O rendimento corresponde a 50% da Variação Média do Cabaz em valor absoluto, com um mínimo de 3% - taxa bruta no período (taxa líquida no período de 2,4%, que corresponde a uma TANB1 de 1,0% e a uma taxa anual nominal líquida2 de 0,8%). Se 50% da Variação Média do Cabaz for entre –3,0% e 3,0%, os participantes obterão no final do terceiro ano o capital correspondente ao valor inicial da unidade de participação para efeitos de constituição do Fundo (5 euros), acrescido do rendimento bruto de 3%. Se 50% da Variação Média do Cabaz registar valores inferiores a –3,0% ou superiores a 3%, os participantes obterão no final do terceiro ano o capital correspondente ao valor inicial da unidade de participação para efeitos de constituição do Fundo (5 euros), acrescido do rendimento correspondente ao módulo de 50% da Variação Média do Cabaz.

Na data de liquidação do Fundo, o participante obterá o capital e um rendimento pago sobre o valor inicial da unidade de participação para efeitos de constituição do Fundo (5 euros).

O cabaz de referência é composto pelos fundos Caixagest Acções Europa, Caixagest Acções Portugal e Caixagest Acções EUA, com os pesos de 1/3 cada.

Assim, o rendimento do Fundo no terceiro ano é dado pela seguinte fórmula:

⎥⎦

⎢ ⎤

⎡ ×

×

=N (50% ;3%)

R MAX VariaçãoMédiadoCabaz

em que:

N: valor inicial da unidade participação utilizada para efeitos de constituição do Fundo;

⏐Variação Média do Cabaz⏐: módulo da Variação Média do Cabaz, que é obtida através dos passos descritos de seguida.

Em cada data de observação mensal3 será apurada, para cada fundo, a variação face ao valor inicial. A fórmula de apuramento da variação de cada fundo integrante do cabaz será a seguinte:

1 TANB: Taxa Anual Nominal Bruta

2 Rendimento foi sujeito a tributação na esfera do fundo à taxa de IRS em vigor, actualmente de 20%.

3Datas de observação mensal: 02 Novembro 2006, 04 Dezembro 2006, 02 Janeiro 2007, 02 Fevereiro 2007, 02 Março 2007, 02 Abril 2007, 02 Maio 2007, 04 Junho 2007, 02 Julho 2007, 02 Agosto 2007, 03 Setembro 2007, 02 Outubro 2007, 02 Novembro 2007, 03 Dezembro 2007, 02 Janeiro 2008, 04 Fevereiro 2008, 03 Março 2008, 02 Abril 2008, 02 Maio 2008, 02 Junho 2008, 02 Julho 2008, 04 Agosto 2008, 02 Setembro 2008, 02 Outubro 2008, 03 Novembro 2008, 02 Dezembro 2008, 02 Janeiro 2009, 02 Fevereiro 2009, 02 Março 2009, 02 Abril 2009, 04 Maio 2009, 02 Junho 2009, 02 Julho 2009, 03 Agosto 2009, 02 Setembro 2009, 02 Outubro 2009.

[ ]

1;36

Em seguida, será obtida a Variação do Cabaz 4 obtida a partir da média do cabaz, em função das “variações“ dos fundos que o compõem e dos pesos que cada fundo tem no respectivo cabaz.

Variação do Cabazj = variação do Cabaz na data de apuramento “j”

P i = peso do fundo “i” no cabaz

Finalmente, a “variação média do cabaz” corresponde à média aritmética ponderada das variações mensais dos fundos apuradas nessa data. Na última data de apuramento mensal será apurada a Variação Média do Cabaz aplicando a seguinte fórmula:

=

Com a análise do exemplo seguinte, consegue-se de uma forma mais clara compreender a distribuição de rendimentos. O exemplo é meramente não representando qualquer projecção ou expectativa futura da rendibilidade do fundo.

- CENÁRIO MODERADO

De acordo com a política de investimentos definida, o cliente receberá no final do terceiro ano 50% da Variação Média do Cabaz em valor absoluto.

4Variação do cabaz: média aritmética ponderada das valorizações dos fundos que compõem o cabaz numa data de apuramento mensal. A variação de um fundo corresponde à variação percentual entre a sua cotação na data de apuramento mensal e a sua cotação na data de inicio do Fundo Caixagest Valor Absoluto.

Neste exemplo, para um investimento inicial de € 1.000, pressupondo que a Variação Média do Cabaz era de 33,7%, o rendimento líquido distribuído no final do terceiro ano será de:

€1.000 x (50% x ⏐33,7%⏐x (1-20%)) = €134,80

ou seja, uma rendibilidade líquida de 13,5% no período de três anos, correspondente a uma a taxa anual nominal liquida de 4,5%.

Mês 1 8,8% 3,9% 4,4% 5,7%

Variação Média Cabazl =V.M.C. 33,7%

16,9%

Na eventualidade de 50% da Variação Média do Cabaz registar valores entre –3,0% e 3,0%, será distribuído um rendimento de 3% taxa bruta no período (taxa líquida no período de 2,4%, que corresponde a uma TANB1 de 1,0% e a uma taxa anual nominal líquida2 de 0,8%). Para valores de 50% da Variação Média do Cabaz inferiores a –3,0%, será

distribuído um rendimento correspondente a 50% da Variação Média do Cabaz em valor absoluto.

Neste exemplo, para um investimento inicial de € 1.000, pressupondo que a Variação Média do Cabaz era de 5,3%, o rendimento líquido distribuído no final do terceiro ano será de:

€1.000 x (50% x ⏐5,3%⏐x (1-20%)) = €24,00

ou seja, uma rendibilidade líquida de 2,4% no período de três anos, correspondente a uma a taxa anual nominal liquida de 0,8%.

Mês 1 2,0% 0,6% 1,2% 1,3%

Variação Média Cabazl =V.M.C. 5,3%

3,0%

COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA

O património inicial do Fundo de investimento é constituído em 99,82% por obrigações de dívida, emitidas pela CGD ao abrigo do programa European Medium Term Notes (EMTN) com maturidade coincidente com a data de liquidação do Fundo e com rendimento ajustado aos objectivos do Fundo. Os referidos empréstimos obrigacionistas destinam-se a assegurar a distribuição do rendimento anteriormente descrito e o capital subscrito correspondente ao valor inicial da unidade de participação para efeitos de constituição do Fundo (5 euros). As obrigações serão objecto de pedido de admissão à negociação no Luxembourg Stock Exchange.

As cinco obrigações têm igual peso no VLGF inicial. O rendimento do Fundo é assegurado pela distribuição variável por parte das obrigações indexada a um cabaz de referência no terceiro ano.

Após o período inicial e com vista a uma gestão eficiente, o Fundo poderá deter outras obrigações emitidas pela CGD, com rendimento ajustado aos objectivos descritos anteriormente.

O Fundo poderá ainda deter activos de curto prazo, nomeadamente bilhetes do tesouro, certificados de depósito, depósitos bancários, papel comercial, fundos de investimento de tesouraria e aplicações nos mercados interbancários, na medida adequada para fazer face ao movimento normal de resgate de unidades de participação e a uma gestão eficiente do Fundo.

1.2. Mercados

O Fundo investirá o seu património em valores mobiliários e instrumentos do mercado monetário admitidos à cotação ou negociados em Bolsas de valores e mercados regulamentados de um Estado membro da União Europeia.

Os valores mobiliários e instrumentos do mercado monetário podem ser transaccionados em mercados não regulamentados, que utilizando sistemas de liquidação internacionalmente reconhecidos pelos mercados financeiros (p.ex. Clearstream, Euroclear), assegurem liquidez e garantam a correcta e adequada avaliação dos títulos transaccionados.

1.3. Benchmark (Parâmetro de Referência) Não aplicável.

1.4. Limites ao Investimento

Os limites ao Investimento decorrem da Política de Investimentos descrita no ponto 1.1. .

1.5. Características especiais do Fundo

a) Os rendimentos e o capital do Fundo são assegurados por empréstimos obrigacionistas da CGD. O Fundo está, portanto, exposto ao risco de crédito do emitente dessas obrigações, pelo que, o pagamento dos rendimentos e o reembolso de capital na data de liquidação do Fundo dependem do bom cumprimento das responsabilidades por parte da CGD.

A CGD desenvolve a sua actividade no sector bancário e tem sede na Av. João XXI n.º 63, em Lisboa e utilizará o montante captado na condução normal da sua actividade. No caso de incumprimento por parte da CGD, nomeadamente em caso de falência ou insolvência, os detentores de unidades de participação poderão registar uma perda do capital subscrito.

b) O participante do Fundo recebe rendimentos, pagos sobre o valor inicial da unidade participação utilizada para efeitos de constituição do Fundo (5 euros). O rendimento no final do terceiro ano está associado à variação de um cabaz de referência de fundos de acções, pelo que o rendimento do Fundo está indirectamente exposto ao risco de variação da cotação dos activos que compõem o cabaz. Se 50% da Variação Média do Cabaz for entre –3,0% e 3,0%, os participantes obterão no final do terceiro ano o capital correspondente ao valor inicial da unidade de participação para efeitos de constituição do Fundo (5 euros), acrescido do rendimento bruto de 3%. Se 50% da Variação Média do Cabaz registar valores inferiores a – 3,0% ou superiores a 3%, os participantes obterão no final do terceiro ano o capital correspondente ao valor inicial da unidade de participação para efeitos de constituição do Fundo (5 euros), acrescido do rendimento correspondente ao módulo de 50% da Variação Média do Cabaz.

c) Existe também risco fiscal na medida em que o regime fiscal poderá ser alterado até à liquidação do Fundo. Neste contexto, uma alteração adversa do regime fiscal poderá diminuir o rendimento pago no final do terceiro ano e a remuneração mínima do Fundo.

d) Alerta-se para a possibilidade de existência de eventuais situações de conflitos de interesses, uma vez que o banco emitente das obrigações que irão integrar o património do Fundo, a CGD, e a sociedade gestora do Fundo, a CAIXAGEST - Técnicas de Gestão de Fundos S.A, fazem parte do mesmo grupo económico que tem a CGD por sociedade dominante.

e) Os participantes que subscrevem o Fundo após a data de constituição, além de suportarem uma comissão de 5%, efectuarão a subscrição ao valor da unidade de participação divulgado na data de subscrição efectiva. Os rendimentos previstos pelo Fundo são calculados e pagos sobre o valor inicial da unidade participação utilizada para efeitos de constituição do Fundo (5 euros).

No documento Caixagest Valor Absoluto (páginas 6-11)