REALIZAÇÃO DA COLETA DE DADOS

No documento UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA FERNANDA VANESSA BUZZARELLO WILLIAN JOSÉ PALHANO (páginas 29-33)

A coleta de dados é o processo de recolhimento de dados por meio de técnicas específicas. Os métodos utilizados na coleta de dados estão relacionados com os tipos de abordagem qualitativa e quantitativa.

Conforme Baptista (2007), a pesquisa qualitativa focaliza a atenção nas causas das reações dos usuários da informação e na resolução do problema informacional, dando mais atenção aos aspectos subjetivos da experiência e do comportamento humano.

A pesquisa quantitativa caracteriza-se, tanto na fase de coleta de dados quanto no seu tratamento, pela utilização de técnicas estatísticas. (BAPTISTA, 2007)

Sendo assim, de acordo com Baptista (2007), os questionários são utilizados em estudos quantitativos (que podem ter questões abertas que coletem dados qualitativos) e entrevistas e observações em estudos qualitativos.

O foco deste trabalho será em estudo quantitativo do tipo questionário. Desta forma, quanto a questionários, Malhorta, Nunan e Birks (2017, p. 269, tradução nossa) afirmam:

O método de pesquisa de obter informações é baseado no uso de questionários administrados em uma amostra de uma população alvo. Os participantes podem ser questionados sobre uma variedade de questões relacionadas ao seu comportamento, intenções, atitudes, consciência, motivações e características demográficas e de estilo de vida. Estas questões podem ser realizadas verbalmente, por escrito ou via um computador (incluindo dispositivos móveis), e as respostas podem ser obtidas em qualquer uma dessas formas.

Questionários podem ser realizados tanto presencialmente quanto online. As pesquisas online podem ser conduzidas em dispositivos utilizados em residências ou em ambientes de trabalho, ou administradas em dispositivos móveis. Sem surpresa, dadas as tendências mais amplas na adoção de tecnologia, questionários online agora se tornaram o meio dominante na entrega de pesquisas. (MALHORTA; NUNAN; BIRKS, 2017)

Entre as vantagens na utilização de questionário, tem-se: possibilidade de atingir um grande número de pessoas, menor gasto com pessoal envolvido, anonimato e possibilidade de obter respostas mais objetivas. Quanto às desvantagens, considera-se a exclusão de pessoas que não sabem ler ou escrever, e também das que não possuem acesso à internet, assim como

possibilidade de problemas técnicos em um questionário online. (MALHORTA; NUNAN; BIRKS, 2017; GIL, 1999)

Após a coleta dos dados, os mesmos podem ser analisados de diferentes perspectivas. Podem ser construídos dashboards com indicadores, gráficos e relatórios para apresentar as informações obtidas dos dados coletados, análises exploratória de dados (descritiva) permitiram analisar padrões e tendências entre os dados. (THOMSEN, 2002)

2.3.1 Como construir um questionário

De acordo com Gil (1999, p. 121):

Construir um questionário consiste basicamente em traduzir objetivos da pesquisa em questões específicas. As respostas a essas questões é que irão proporcionar os dados requeridos para descrever as características da população pesquisada ou testar as hipóteses que foram construídas durante o planejamento da pesquisa.

A construção de um questionário deve ser reconhecida como um procedimento técnico cuja elaboração requer uma série de cuidados, dentre eles: determinação da forma e do conteúdo das questões, quantidade e ordenação das questões, construção das alternativas e apresentação do questionário. (GIL, 1999)

Segundo Malhotra, Nunan e Birks (2017, p. 374, tradução nossa), “um questionário padronizado garantirá a comparabilidade dos dados, aumentará a velocidade e acurácia do registro e facilitará o processamento de dados”.

Um questionário possui três objetivos: Primeiro, ele deve traduzir as informações necessárias em um conjunto de perguntas específicas que os participantes podem e irão responder. Segundo, um questionário deve elevar, motivar e encorajar o participante a se tornar envolvido para cooperar e para completar a tarefa. E por último, um questionário deve minimizar o erro de resposta. (MALHORTA; NUNAN; BIRKS, 2017)

Para a melhor formulação de um questionário, é necessário seguir uma série de etapas, conforme demonstra a Figura 1.

Figura 1 - Etapas da formulação de um questionário.

Fonte: Elaborada pelos autores com base em Malhotra, Nunan e Birks, 2017.

Para Malhorta, Nunan e Birks (2017), as principais atividades de cada etapa da figura 1, podem ser resumidas nos seguintes itens:

● Especificar as informações necessárias: Esta é a primeira etapa do processo de concepção da pesquisa. Observe que, à medida que o projeto de pesquisa avança, as informações necessárias podem ser definidas com mais clareza. É de extrema importância o pesquisador ter uma idéia clara dos participantes-alvo, assim como preparar um conjunto de tabelas fictícias que retratará como a análise será estruturada uma vez que os dados tenham sido coletados.

● Especificar o tipo do método de entrevista: É importante especificar o tipo de método para poder entender como o mesmo influencia na formulação do questionário.

● Determinar o conteúdo das questões individualmente: Deve-se analisar as questões que serão realizadas individualmente, perguntando-se: “esta questão é necessária? múltiplas questões são necessárias invés de apenas uma?”

● Superar a incapacidade e falta de vontade do participante em responder: Os pesquisadores não devem presumir que os participantes podem fornecer dados precisos ou respostas bem fundamentadas a todas as questões colocadas a eles, assim como assumir que o participante tenha vontade de responder ao questionário. Alguns fatores limitam a capacidade dos participantes de fornecer as informações desejadas, como a falta de informação, ou não conseguir lembrar da resposta ou até não ser capaz de articular uma resposta adequada. Os pesquisadores devem tentar superar essas adversidades.

● Escolher a estrutura das questões: As questões podem ser estruturadas ou não estruturadas. As questões não estruturadas são questões abertas que os participantes respondem com suas próprias palavras enquanto as estruturadas especificam o formato da resposta e indicam as alternativas possíveis. As questões estruturadas podem ser de múltipla escolha, dicotômica ou uma escala:

◦ Múltipla escolha: o pesquisador dispõe uma opção de resposta onde o participante pode selecionar uma ou mais das alternativas dadas.

◦ Dicotômica: esta resposta possui apenas duas alternativas, como sim ou não, ou concordo e discordo.

◦ Escala: neste tipo de resposta, o pesquisador dispõe uma opção de resposta com escalas para o participante escolher.

Para as questões estruturadas em escala, usa-se a escala de Likert. Essa escala é medida por um conjunto de itens que variam entre 5, 7 ou 11, na qual cada uma apresenta um valor que será avaliado pelo entrevistado a fim de medir o grau de concordância. Os itens variam conforme a pesquisa, indo de “discordo totalmente”, como primeiro item, até “concordo totalmente”, sendo o último item. (CUNHA, 2008)

● Escolher o texto das questões: O texto da pergunta é a tradução do conteúdo e da estrutura da pergunta desejada em palavras que os participantes possam entender clara e facilmente. As seguintes diretrizes podem ser seguidas para facilitar este processo: 1. Defina o problema.

2. Use palavras comuns. 3. Use palavras não ambíguas.

4. Evite perguntas direcionadas ou tendenciosas. 5. Evite alternativas implícitas.

6. Evite suposições implícitas. 7. Evite generalizações e estimativas.

8. Use afirmações positivas e negativas.

● Organizar as perguntas na ordem adequada: As questões comunicam e definem o estado de espírito do participante. Este estado de espírito é definido no início do processo e pode mudar a cada questão colocado e respondida. Desta forma, é muito importante que as questões sejam colocadas em ordem.

● Identificar a forma e o layout: O formato, espaçamento e posicionamento das perguntas podem ter um efeito significativo nos resultados, particularmente se for um questionário auto-administrado. É boa prática dividir o questionário em várias partes, as quais devem ser numeradas, principalmente quando as questões são ramificadas. ● Reproduzir o questionário: É importante que o questionário seja reproduzido de uma

forma atrativa para os participantes. Por exemplo, um questionário impresso deve ser feito em uma folha de boa qualidade, assim como as respostas devem estar em colunas verticais para facilitar a visualização e as instruções da questão devem estar o mais próximas da questão possível. O questionário deve ser reproduzido de forma que seja fácil de ler e responder, não apresentando obstáculos ao participante.

● Eliminar problemas por teste piloto: O questionário deve ser aplicado primeiramente a uma pequena amostra de participantes para identificar e eliminar problemas potenciais. As respostas do teste piloto devem ser analisadas, pois ajudam a assegurar que todos os dados coletados serão utilizados e o questionário arrecadará todos os dados necessários.

No documento UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA FERNANDA VANESSA BUZZARELLO WILLIAN JOSÉ PALHANO (páginas 29-33)