4.1. Áreas Temáticas – Cumprimento de objetivos e ações - Plano de Gestão

Área Temática Previsão (nº) Cumpridos (nº) Eficácia Cumprimento (%) Objetivos (1) Ações (2) Objetivos (3) Ações (4) Objetivos = (3)/(1) Ações = (4)/(2) Identidade e Cultura

Hospitaleira 4 7 3 4 75% 57%

Organização e

Gestão 4 10 3 8 75% 80%

Assistência

Hospitaleira 7 15 7 15 100% 100%

Recursos Humanos 7 13 5 11 71% 85%

Gestão

Económico-Financeira 5 10 4 9 80% 90%

27

Comunicação

Interna e Externa 3 4 2 3 67% 75%

Total / Média 26 41 22 38 85% 93%

4.2. Avaliação sintética por cada uma das Áreas Temáticas

Área Temática Avaliação

Identidade e Cultura Os objectivos da área foram quase atingidos, ficando aquém do perspectivado na medida em que foi difícil organizar uma equipa com as competências adequadas para a realização de um guião de estudo adequado, para se poder aferir da qualidade da integração no centro dos critérios da Carta de Identidade Institucional.

Os colaboradores que estariam previstos para integrar o grupo de trabalho estiveram envolvidos em muitos outros projectos, limitando-os no tempo disponível para a boa prossecução destas actividades.

De resto, tal como estava previsto, o grupo de leigos hospitaleiros, depois de um início do ano mais atribulado, conseguiu organizar as suas actividades, a ponto de se fazerem as reuniões de grupo e de contactarem outros elementos com vontade de participar no grupo.

Ficou a promessa de um maior desenvolvimento durante o ano de 2013.

Organização e Gestão Apesar de não ter sido possível atingir os objectivos na sua totalidade, importa referir que uma das acções não conseguidas estava ligada à utilização e exploração do processo clínico digital.

Em virtude de não ter sido possível disponibilizar o programa aos Centros, o objectivo não foi atingido.

Por outro lado, no campo da gestão documental, muito do trabalho foi sendo realizado ao longo do ano mas, só a partir do mês de Dezembro, é que o espaço destinado a receber todo o arquivo do Centro iniciou as obras de adaptação.

Assistência Hospitaleira Para se consolidar o modelo assistencial hospitaleiro, foram programadas e realizadas em sintonia com o Programa para a Certificação de Qualidade varias reuniões técnicas a nível das Unidades, onde se avaliou o Plano de Actividades da Unidade e onde se monitorizaram as acções programadas e se implementaram acções de melhoria.

A elaboração dos PII foi conseguida quase na sua totalidade.

O projecto “Samaritano”, criado para responder de uma forma integrada e actual às necessidades e emergências da sociedade, ligado à área da saúde comunitária e apoiado pelo Alto Comissariado para a Saúde (ACS), decorreu ao longo do ano, tendo ficado programada a sua continuidade até ao final de

28 2013.

Consolidou-se a integração da Pastoral da Saúde nas equipas das Unidades, conseguindo desenvolver programas de actividades e retiros com as doentes, com as famílias, com os voluntários e com os próprios colaboradores.

Tal como nos anos anteriores, com o objectivo de assumir e potenciar a docência e investigação como parte integrante do modelo assistencial hospitaleiro, foram aceites e acompanhados vários alunos de instituições das Regiões Norte e Centro do país, em ensinos clínicos de diversas áreas profissionais – enfermagem, psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia.

Salientamos a participação activa de vários colaboradores em diversos eventos, uns proporcionados pelo IIHSCJ e, outros, por variadíssimas instituições, nomeadamente em Jornadas e em Congressos, tal como referimos no capítulo anterior deste documento.

Recursos Humanos O Plano de Formação traçado para o ano de 2012 foi cumprido embora algumas acções previstas terem sido substituídas por outras, que se consideraram com maior pertinência. Por conseguinte, houve a necessidade de ajustar o Plano de Formação ao longo dos 12 meses pelo facto de terem surgido acções organizadas pela Sede do Instituto não programadas inicialmente e que foram orientadas para o nosso Centro, para a Casa de Saúde Bom Jesus e para a Casa de Saúde Bento Menni.

Estas acções de formação decorreram na CSRSI, onde se pôde organizar toda a logística inerente a este tipo de processos devido à sua localização geográfica.

Para além disso, encontraram-se dificuldades para a candidatura ao programa POPH, já que não foram abertas áreas susceptíveis de receber apoio financeiro onde pudessem ser enquadradas as necessidades formativas dos colaboradores da CSRSI.

Gestão Económica e Financeira

Tal como em 2011, os objectivos traçados e relacionados com a diminuição do Prazo Médio de Recebimentos (PMR) não foram atingidos. O movimento de agrupamento de hospitais no CHUC Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, iniciado em 2011, dos 116 dias, registados em 2011, para 113 dias em 2012.

A boa gestão de camas possibilitou a obtenção de uma taxa de ocupação muito próxima dos 100%. Salientamos que a partir do mês de Julho, a CSRSI passou a ter uma lotação de 410 camas, fruto do acordo firmado com a Administração Central dos Sistemas de Saúde – ACSS, para o acolhimento das quase 30 doentes do antigo Hospital do Lorvão, referido atrás.

29

Importa referir que continuamos, contudo, a sentir enormes dificuldades para que os doentes a internar possam fazer-se acompanhar do Modelo de Referenciação Externa, antes conhecido como P1. Implica, por isso, um conjunto de camas de curto internamento quase sempre vazias. A resolução que propomos passa por uma alteração do número de camas afecto ao CI, fazendo aumentar o número afecto ao médio e longo internamentos.

Comunicação Interna e Externa

A nova Identidade Corporativa proporcionou uma nova imagem e, consequentemente, uma alteração no layout dos folhetos, dos prospectos, da sinalética e dos documentos oficiais do Centro. Os elementos identificativos na CSRSI foram progressivamente alterados, tendo sido adoptada a nova imagem corporativa na sinalética exterior. Contudo, ainda ficaram por alterar a informação de identificação da CSRSI, mesmo na entrada da Quinta dos Silvaes.

Os anúncios/folhetos informativos criados foram cuidadosamente trabalhados, no sentido de se conseguir uma fidelidade ao que está estabelecido para toda a Congregação.

Foram efectuados contactos no sentido de se publicarem documentos sobre as actividades do Centro, os programas e projectos desenvolvidos pelas utentes da CSRSI na Expo-Condeixa.

30

No documento Índice. Capítulo 2: AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DA ASSISTÊNCIA HOSPITALEIRA... 7 (páginas 27-31)