Capítulo 4: SÍNTESE AVALIATIVA 4.1. Cumprimento de objetivos e ações - Plano de Gestão

Caminho / Objetivo Estratégico

Previsão (nº) Cumpridos (nº) Eficácia Cumprimento (%)

Observações / Medidas Corretivas

Objetivos IV – ASSUMIR CRIATIVAMENTE A MISSÃO COMO PROJETO COMUM

1

Elaborar e aplicar itinerários formativos

diferenciados no âmbito da identidade, cultura, valores e modelo hospitaleiro

0 0 0 0

Não foram delineados Objetivos/Ações neste item

2

Reestruturar o processo de integração e incorporação dos colaboradores no projecto

hospitaleiro 2 5 2 5 100,0% 100,0%

3

Potenciar a dimensão evangelizadora das obras hospitaleiras com cariz eminentemente

humanizador e sanador 2 4 2 4 100,0% 100,0%

4 Potenciar a dimensão evangelizadora e de

acompanhamento espiritual da Pastoral da Saúde 1 3 1 3 100,0% 100,0%

5 Potenciar e qualificar a comunicação interna e

externa 3 7 3 7 100,0% 100,0%

6 Desenvolver a partilha de conhecimento e de boas

práticas intra e intercentros 1 3 1 3 100,0% 100,0%

7 Projectar o Modelo Hospitaleiro como referência

no âmbito da saúde mental 1 1 1 1 100,0% 100,0% O SRS não organizou reuniões no Conselho Regional de Saúde Mental

8 Fortalecer o compromisso efectivo na realização

partilhada da missão. 1 3 1 3 100,0% 100,0%

9 Consolidar o processo de “Leigos Hospitaleiros”

(LH) 2 5 2 5 100,0% 100,0%

10 Desenvolver experiências de missão partilhada

realizando projetos de fronteira 1 1 1 1 100,0% 100,0%

Caminho IV - Sub-total 14 32 14 32 100,0% 100,0%

V – TORNAR VISÍVEL A BOA NOTÍCIA NO MUNDO DO SOFRIMENTO PSÍQUICO

11 Auscultar novas formas de sofrimento psíquico 2 4 0 2 0,0% 50,0%

não abertura de Consulta de Enferm. SMPsiq., não foi criado o projeto de apoio domiciliário

12 Estudar e avaliar as obras e estruturas da Província 0 0 0 0 Não foram delineados Objetivos/Ações neste item

13 Desenvolver uma cultura de trabalho em rede,

melhoria contínua e investigação 2 5 2 5 100,0% 100,0%

14 Consolidar, na prática diária dos centros, o

Modelo Hospitaleiro 7 17 6 14 85,7% 82,4%

Não foi efetuada a Auditoria Final do SGQ, não foi revisto o Manual de Procedimentos Administrativos pela Dir. Instituto

15 Garantir a sustentabilidade e a viabilidade das

obras hospitaleiras 2 5 2 5 100,0% 100,0%

Monitorização Quadrimestral e análise de rácios e desvios.Contenção nos custos de medicamentos e disp Clinicos. Foram realizadas 1 reunião

quadrimestral por unidade

16 Promover o compromisso para o envio apostólico

e a partilha solidária de recursos 0 0 0 0 Não foram delineados Objetivos/Ações neste item 17

Estabelecer parcerias de cooperação em rede com outras instituições que respondam a situações de

pobreza social. 2 4 2 4 100,0% 100,0%

Colaboração na parceria da Cáritas, Segurança Social, IA Saúde

Caminho V - Sub-total 15 35 12 30 80,0% 85,7%

Total 29 67 26 62 89,7% 92,5%

4.2. Avaliação sintética por cada um dos caminhos

IV - ASSUMIR CRIATIVAMENTE A MISSÃO COMO PROJETO COMUM

No caminho IV os objetivos foram na totalidade cumpridos.

Temos a destacar o cumprimento do objetivo relacionado com a introdução dos processos de tutoria nas fases de integração dos colaboradores. Foi também realizada formação inicial aos novos colaboradores onde foi dado grande enfoque à identidade, carisma e cultura hospitaleira.

Foi divulgado e refletido em equipas o Documento do XX Capítulo Geral, realizado um Peddypaper Hospitaleiro entre os colaboradores de forma a promover a integração dos valores na vivência diária e aprofundar o sentido de pertença. Foi promovida a divulgação da Instituição e da sua identidade em várias escolas ao longo do ano.

Ao longo do ano foi reformulada a dinamização da catequese pelas diferentes valências, promovida a formação aos agentes da pastoral, aprofundado o acompanhamento espiritual dos utentes em especial do curto internamento, e a cada vez maior integração da Pastoral da Saúde na dinâmica do Centro.

Foi incentivada a maior divulgação da Instituição no exterior, e integração e intercâmbio com outras instituições, como na IX Semana Aberta realizada de 7 a 11 de Outubro e na participação na 11ª Feira das Vontades, na divulgação de eventos e celebrações ao longo do ano.

Foi promovido o intercâmbio de utentes em trabalho protegido entre a Casa de Saúde e o Centro de Reabilitação Psicopedagógico da Sagrada Família. Além disso, de uma forma inovadora foram realizados alguns passeios convívio entre os colaboradores dos dois centro, numa perspectiva de aprofundar a ligação hospitaleira entre os mesmos.

Na mesma perspectiva de aproveitar sinergias e boas práticas procedeu-se à programação e preparação conjunta de umas Jornadas para Maio de 2014.

Durante o ano 2013 foi fortalecido o acompanhamento sistemático às pessoas com funções de chefia, e reorganizadas as chefias por valências (curto internamento, psiquiatria longo internamento, deficiência intelectual, psicogeriatria, reabilitação).

Numa perspectiva de maior dinamização, foram novamente divulgados os Leigos Hospitaleiros e os seus fins. Na sua dinâmica foi abordado em formação o “Ano da Fé”.

V – TORNAR VISÍVEL A BOA NOTÍCIA NO MUNDO DO SOFRIMENTO PSÍQUICO No caminho V não foram cumpridos 3 objetivos.

Na perspectiva de auscultar novas formas de sofrimento psíquico, não foi dinamizada consulta de apoio aos colaboradores, designando-se como ação de melhoria para 2014 a divulgação do espaço de escuta pela assistente espiritual e pela divulgação entre as reuniões de equipas da disponibilidade da Direção ouvir os colaboradores. Também havia sido proposto como objetivo criar um projeto de apoio domiciliário. Este não foi elaborado e assim foi designada como ação de melhoria o elaborar o citado projeto até ao final de Dezembro de 2014.

Relativamente às parcerias foi aprofundado ao relacionamento com o IA Saúde, entidade financiadora e com algumas das parcerias existentes, além de se criarem novas parcerias, com destaque para a área do Ensino/ Estágios , com a Qualificar e com a Escola Profissional Cristovão Colombo.

Foi um ano de aposta no reativar alguns laços familiares dos utentes, além de motivar a participação dos mesmos no processo terapêutico dos utentes. Aliado a isto promoveu-se a Associação de Familiares e Amigos (Âncora) com sessões de esclarecimento e sensibilização.

Na perspectiva de evidenciar o protagonismo dos utentes, realizou-se e monitorizaram-se os PIIs (Planos Individuais de Intervenção) e criou-se um grupo de auto-representação.

Outro dos objetivos não cumpridos foi a realização da Auditoria Final EQUASS, adiada para até ao final do 1º Semestre de 2014.

Consolidou-se ao longo do ano a referenciação e realização de notas de alta médicas e de enfermagem.

Relativamente aos Voluntários, cumprindo os procedimentos a eles inerentes, foi elaborado um processo individual por voluntário e dada formação aos mesmos.

A nível dos recursos humanos foi realizada avaliação de desempenho a todos os colaboradores e a partir da mesma diagnosticadas as necessidades de formação.

No que se refere à Gestão, foi realizada a monitorização operacional mensal, e a monitorização quadrimestral de performance de gestão. Foram quadrimestralmente analisados os desvios de custos e contenção dos mesmos.

No documento Índice. Capítulo 1: ENQUADRAMENTO Introdução Análise da atividade desenvolvida... 5 (páginas 35-40)