Síntese da aprendizagem predominantemente em nível individual

No documento Aprendizagem individual e grupal em serviços empresariais intensivos em conhecimento : um estudo de casos múltiplos (páginas 105-108)

4.1 APRENDIZAGEM NOS NÍVEIS INDIVIDUAL E GRUPAL

4.1.1 Aprendizagem predominantemente em nível individual

4.1.1.9 Síntese da aprendizagem predominantemente em nível individual

Portanto, percebe-se que a aprendizagem individual ocorre para os agentes de orientação empresarial em todas as equipes, temos sua síntese por IES, conforme Quadro 22 apresentado a seguir:

Quadro 22 – Categorias de aprendizagem predominantemente em nível individual

CATEGORIAS SUB-CATEGORIAS A B C D

Experiência anterior Aprendizado a partir da experiência

anterior. x x x x

Contribuição de outros indivíduos (fora do ambiente profissional)

Aprendizado a partir de outros

indivíduos. x x

Formal

Aprendizado a partir do

acompanhamento do coordenador em empresas para resolver casos

específicos.

x

Aprendizado a partir do curso de

graduação e/ou pós-graduação. x x

Aprendizado a partir de primeiras visitas com acompanhamento de agente mais experiente.

x x x

Aprendizado a partir de práticas

formais (treinamentos, reuniões). x x x x

Aprendizado a partir de

esclarecimento de dúvidas com a coordenação e/ou equipe de apoio.

x x x x

Busca Aprendizado a partir da busca. x x x

Análise Aprendizado a partir da análise. x x

Reflexão

Aprendizado maior no Negócio a

Negócio do que em sala de aula. x

Aprendizado a partir da reflexão. x x

Empresários

Aprendizado a partir da experiência dos empresários e de suas demandas (interorganizacional).

x x x x

Experimentação

Aprendizado a partir das experiências e/ou práticas do dia-a-dia e por tentativa e erro.

x x x x

Aprendizado por levar para as empresas o conhecimento adquirido em sala de aula.

x x

Levar para a sala de aula o conhecimento adquirido nas empresas.

x x

Fonte: Elaborado pela autora (2017).

De acordo com o relatado pelos entrevistados, apresentam-se as categorias identificadas bem como as subcategorias que as sustentam, com identificação por IES no quadro 23. Ademais, emergiram algumas particularidades, a saber: na IES D o coordenador acompanha agentes de orientação empresarial no atendimento aos empresários para resolver casos específicos assim como foi citada a ocorrência de um maior aprendizado com o trabalho do projeto Negócio a Negócio do que em sala de aula (na mesma IES). Quanto às particularidades

identificadas, ficou evidente a aprendizagem individual do agente de orientação empresarial. Inclusive, percebeu-se que na IES D juntamente com a IES C houve relatos sobre levar o conhecimento adquirido em sala de aula para as empresas e vice-versa.

Durante a análise sobre particularidades na aprendizagem individual, percebeu-se que para agentes da IES A e da IES C ocorre aprendizado com outros indivíduos como familiares e amigos e que o aprendizado dos agentes ocorre inclusive pelas demandas dos empresários. Uma particularidade percebida entre as IES A e IES B foi o aprendizado com o curso de graduação ou pós-graduação que serve para incrementar o aprendizado como agente. Em ambas IES, há o acompanhamento realizado por agentes mais experientes nas primeiras visitas dos novos agentes. A categoria busca por aprendizado foi percebida nos relatos provenientes das IES A, B e C. A IES B apresentou similaridade com a IES C na ocorrência do aprendizado a partir da análise e também no aprendizado a partir da reflexão, conforme identificado nos relatos.

As similaridades visualizadas em todas as quatro IES investigadas foram as seguintes subcategorias: aprendizado a partir da experiência anterior, aprendizado a partir de práticas formais (treinamentos, reuniões), esclarecimento de dúvidas com a coordenação e/ou equipe de apoio, aprendizado com a experiência dos empresários e suas demandas e o aprendizado com as experiências e/ou práticas do dia-a-dia e por tentativa e erro. O que demonstra uma semelhança nas formas como a aprendizagem individual é realizada, visto que estas subcategorias pertencem às categorias: experiência anterior, aprendizado formal, aprendizado com os empresários e aprendizado promovido pela experimentação.

A aprendizagem individual se origina na aprendizagem baseada no trabalho e na ocorrência da aprendizagem a partir da experiência do indivíduo. A aprendizagem individual no local de trabalho é processo, por meio da qual as pessoas, individualmente e em associação com as demais, empenham-se num encontro direto, pessoal e, então, propositalmente, refletem sobre ele, validam, transformam, dão significado e procuram integrar seus diferentes tipos de conhecimento (BOUD; GARRICK, 1998).

A aprendizagem individual dos agentes é propiciada principalmente a partir de experiências anteriores, a partir de práticas formais, ou seja, por sua participação em treinamentos e reuniões e pela própria participação em curso de graduação ou pós-graduação. Portanto, pela experimentação que o próprio trabalho propicia e também adquire aprendizado a partir de relacionamentos com outros indivíduos como familiares, por exemplo. Seu aprendizado também é facilitado a partir da busca, análise e reflexão referentes ao seu cotidiano de trabalho junto aos empresários que atendem.

experimentação (RYAN, 1996). Para Kolb (1984), criar novas situações para proporcionar novas experiências promove a facilitação da aprendizagem no ambiente de trabalho. Para Argyris (1996), a aprendizagem dos indivíduos no ambiente organizacional pode ser incentivada pelas organizações, pois a ação, a interação e a experiência individual e a coletiva integram as atividades organizacionais. Desta forma, a aprendizagem surge da interação entre os indivíduos e o ambiente. O que pode ser observado nos resultados obtidos por esta pesquisa. O aprendizado individual pode ocorrer devido a própria trajetória do agente, o interesse próprio e até mesmo seus estilos de aprendizagem que conforme Kolb (1984), tem a ver com a maneira pela qual as pessoas interagem com as categorias de aprendizagem, incluem aspectos cognitivos e afetivos que favorecem o processamento de informações. O conhecimento é resultado do arranjo entre a obtenção e a transformação da experiência. E a busca por ajuda ocorre de maneira grupal, justamente por poder ser propiciada organizacionalmente em momentos idealizados para estas trocas como reuniões e treinamentos. Aprender, na situação individual, é adquirir competências de desempenho pelo envolvimento num processo contínuo de aprendizagem. A aprendizagem não é mera reprodução, também é reformulação e renovação do conhecimento ou das competências (ANTONELLO et al., 2011).

No documento Aprendizagem individual e grupal em serviços empresariais intensivos em conhecimento : um estudo de casos múltiplos (páginas 105-108)