Semana de orientação

No documento De estudante a professor estagiário Relatório de Estágio Profissional (páginas 57-62)

Capitulo III: Realização da área profissional Área 1- Organização e Gestão Área 1- Organização e Gestão

18. Semana de orientação

A semana de orientação decorreu entre os dias 23 a 27 de setembro de 2019 na ESE e foi destinada a todos os alunos da escola com o intuito de criar condições favoráveis ao desenvolvimento do processo ensino e aprendizagem.

Adicionalmente ao referido, esta semana foi ainda criada com o intuito de promover a educação para a saúde e desporto escolar.

A minha participação na presente atividade foi requisitada pelo PC, pelo que desenvolvi tarefas que passaram pela apresentação de um documento onde constavam todas as informações relevantes acerca da modalidade de orientação, dentro das quais a leitura de carta, técnicas de orientação, entre

38

outras. Nesta atividade os alunos tinham seis tipos diferentes de cartas e um cartão de simbologia, sendo que em pares foram desafiados a decifrar o mapa (Anexo 10), pelo qual teriam de passar com o objetivo de identificarem o melhor itinerário entre os pontos, concluindo assim o desafio com sucesso. A minha função na presente atividade consistia na cronometragem dos tempos e a correção do cartão de simbologia.

“Nos primeiros 20 minutos de aula apresentei-lhes os pontos importantes e como iriam realizar pela escola. Após esta senti que os alunos tinham ficado com algumas dúvidas então reforcei a explicação e dividi-os em pares para efetuar os percursos. Com esta aula percebi que tinha que dar algum distanciamento nas partidas, para que não andassem todos juntos e que tinha que parar logo o tempo, só depois corrigia, para que os alunos não fossem afetados com isso. No geral a aula correu bem e os alunos perceberam como tinham que ler o mapa, contudo tenho que ser mais rápido e eficaz na correção do cartão de simbologia.”

(Diário de Bordo, Reflexão sobre a Primeira Aula de Orientação 04/10/2019)

A realização desta atividade foi particularmente importante para o meu desenvolvimento profissional enquanto estudante estagiário, uma vez que envolveu uma preparação e autonomia grande da minha parte para que tudo estivesse organizado ao pormenor para a correta execução da atividade.

Algumas das competências que consegui adquirir ao longo desta semana foi a capacidade de organização e gestão de tempos. Uma das estratégias que adotei para melhorar estas competências foi o ajuste de tempo de partidas dos alunos, que numa fase inicial se observava muito curta, o que fazia com que se criassem aglomerados de alunos enquanto eu estava a corrigir os respetivos cartões.

Área 3 – Desenvolvimento profissional 19. Ensino à distância

Por vezes a vida prega-nos partidas e o que estava planeado correr de uma maneira, acaba por ocorrer de outra. Estávamos longe de imaginar que uma situação de Pandemia algum dia nos pudesse acontecer, contudo o facto é que aconteceu e atualmente vivemos com uma situação de propagação viral bastante rápida que acabou por ter como consequência a quarentena nacional.

39

Perante esta situação, o governo tomou decisões importantes para o país, que passaram pelo fecho das escolas devido ao seu elevado grau de contágio. Foi quase um mês de espera sem sabermos muito bem o que iria acontecer, as aulas terminaram duas semanas antes das férias da Pascoa e tiveram o seu início através do ensino à distância em meados de abril.

O meu pensamento na altura era de que não ia ser tão fácil lecionar aulas à distância, pois pensando com coerência a Educação Física vai contra as regras implícitas pelo estado de emergência. Esta disciplina envolve contacto, ajuntamento social, envolve o professor corrigir o aluno, organizar e planear espaços, algo que através da internet não é possível. Enquanto NE, tivemos que nos reinventar e preparar conteúdos de apresentação sobre temas importantes como a alimentação, suporte básico de vida, cultura desportiva, entre outros.

Procuramos ainda influenciar os alunos a não pararem, disponibilizando-lhes um leque variado de exercícios para que de forma segura praticassem desporto.

Segundo Santos (2000), o ensino à distância caracteriza-se como uma ação educativa na qual a aprendizagem é efetuada com uma separação física entre docentes e alunos. Tendo em conta a situação vivida, foi agendada uma reunião de departamento no início do 3º Período com o intuito de debater e solucionar diversos assuntos relacionados com as novas implementações no ensino face à pandemia. Algumas das temáticas abordadas nesta reunião estiveram relacionadas com o sistema de faltas e aulas / regulamento e normas orientadoras, tarefas a realizar (sumários, relatórios...), obrigações, responsabilidades, relatar dúvidas e questões acerca das turmas, o novo método de ensino, datas de exames e entregas, entre outros. De um modo geral, os professores estavam um pouco reticentes quanto à implementação do novo panorama, dado que este nunca tinha sido alguma vez testado assim como pelo facto de existirem dúvidas quanto à exequibilidade nos processos de avaliação.

Posto isto, foram realizadas reuniões semanais com o PC de modo a definir aquelas que seriam as estratégias e atividades a desenvolver no 3º Período. As minhas aulas ocorriam duas vezes por semana, sendo que uma direcionada à turma residente e a outra à turma partilhada. Estas aulas tinham lugar na plataforma Microsoft Teams e contavam sempre com a presença do PC, com o objetivo de auxiliar o leccionamento de conteúdos nesta nova etapa. No

40

final de cada uma destas aulas, eram sempre determinadas tarefas a cumprir pelos alunos, com prazos de sensivelmente uma semana, que serviam posteriormente como conteúdos de avaliação.

Quanto à adesão das turmas às tarefas propostas foram bastante díspares, sendo que a turma residente teve um comportamento exemplar no decorrer das aulas no 3º Periodo, no entanto ao nível de cumprimento de tarefas nem todos os alunos demonstraram pontualidade, sendo que alguns nem chegaram mesmo a entrega-las.

“Poucos são os alunos que estão a cumprir com as tarefas na turma residente. Mesmo os que fazem, não o realizam devidamente. Em conversa com o PC decidimos ao invés de avaliar a qualidade dos trabalhos realizados, optar por avaliar só com base na realização ou não dos mesmos.”

(Diário de Bordo, Reflexão Reunião com PC 25/06/2020)

No que se refere à turma partilhada, de uma forma geral os alunos demonstraram um bom comportamento e empenho, sendo que somente um aluno revelou atitudes desadequadas. Quanto às tarefas, os alunos desempenharam um bom trabalho, uma vez que de maneira geral cumpriram sempre as tarefas e entregas no tempo pretendido.

Quanto às dificuldades sentidas neste período de ensino à distância, salientaria as dificuldades técnicas inerentes como problemas relacionados com a internet, problemas direcionados para a utilização da própria plataforma usada, dificuldades no controle de participação dos alunos uma vez que muitos destes se ausentavam das aulas permanecendo no entanto online, entre outras.

Todavia também se observaram aspetos positivos como a facilidade na partilha de conteúdos de informação e a exploração de temas que em condições normais não seriam abordados tais como a história do desporto. Numa perspetiva geral foi uma boa experiência, muito pelo facto de ser única e imprevisível, sendo que adicionalmente me fez valorizar mais os métodos de ensino presenciais.

41

42

No documento De estudante a professor estagiário Relatório de Estágio Profissional (páginas 57-62)