Técnicas de coleta e análise dos dados

No documento MÁRCIO THIAGO DOS SANTOS ALBUQUERQUE (páginas 42-45)

3 PERCURSO METODOLÓGICO

3.4 Técnicas de coleta e análise dos dados

Como forma de coletar os dados que subsidiaram a construção do perfil das necessidades informacionais dos estudantes, primeira etapa da pesquisa, foi feita através do Estudo de Usuários, que são efetivos instrumentos de planejamento e gestão, uma vez que tornam mais conhecidos os diferentes aspectos em torno da informação e da disseminação desta para os usuários que as necessitam (CUNHA; AMARAL; DANTAS, 2015). Sendo assim, esse instrumento de pesquisa foi fundamental para construção do perfil dos participantes quanto às necessidades do universo informacional que eles estão inseridos.

Portanto, fazendo uso de questionário, foi possível obter informações sobre os usuários da BCA referentes às competências existentes, lacunas e necessidade informacionais que subsidiaram o planejamento e a elaboração de um curso introdutório de competências informacionais para os universitários do referido Campus

Tal questionário trata-se de uma adaptação de Paixão (2016) e FACOMB/UFG (2015), composto por 13 questões: 12 fechadas e 1 aberta (APÊNDICE – B), tendo sido aplicado de forma on-line aos usuários que demonstraram interesse em participar do estudo.

Antes da aplicação propriamente dita do instrumento acima, houve um pré-teste com 15 alunos voluntários nos dias 31 de janeiro e 03 de fevereiro para avaliar o questionário, na intenção de melhorar na clareza das questões e possibilitando a reformulação das mesmas antes da aplicação definitiva, pois, segundo Marconi e Lakatos (2010), o pré-teste é a ação da

aplicação do instrumento da pesquisa em uma pequena parcela da população com o intuito de evitar falhas que possam levar a falsos resultados no estudo.

No tocante à avalição do curso “Noções básicas para busca e uso de informações científicas”, produto desenvolvido na pesquisa, foram utilizados quatro instrumentos avaliativos: dois quantitativos (questionários) e dois qualitativos (roteiro de entrevista e grupo focal), aplicados aos estudantes que concluíram todas as etapas propostas no produto e aos técnicos que participaram do pré-teste do curso.

O primeiro instrumento utilizado, ainda na fase do pré-teste do curso (APÊNDICE – C), trata-se de entrevista composta por três questões abertas, realizada com quatro servidores da biblioteca em estudo, pois acredita-se que a análise de tais servidores ajudaria no aprimoramento do referido curso.

O segundo instrumento (APÊNDICE – D) diz respeito à avaliação do curso no tocante à linguagem empregada; apresentação dos textos, vídeos e imagens; expectativas a respeito do curso; e sugestões para melhorias futuras do curso.

Já o terceiro instrumento (APÊNDICE – E) objetivou avaliar a aprendizagem dos participantes por meio de questões de múltipla escolha elaboradas a partir dos conteúdos trabalhados no decorrer dos módulos do curso, levando em consideração as dimensões: aprender a pesquisar; confiabilidade das fontes de informação; ética na pesquisa e o conhecimento dos serviços disponibilizados pelo SiBi/UFAL. Ao todo os estudantes tiveram que responder 10 questões, escolhidas de maneira randômica pelo sistema Moodle6. No entanto, como cada estudante tinha direito a mais de uma tentativa com a finalidade de acertar no mínimo 70% das questões, haja vista foi a nota mínima exigida para a obtenção da declaração de conclusão do curso, foram elaboradas 25 questões.

Completando a coleta dos dados, o quarto instrumento utilizado foi a realização uma discussão por meio de grupo focal, que se trata de instrumento para “obter uma visão aprofundada, ouvindo o grupo de usuários que emitem opinião sobre o problema em questão” (CUNHA; AMARAL; DANTAS, 2015, p. 235). O roteiro do referido grupo (APÊNDICE – F) contou com seis perguntas que abordam aspectos relacionados a efetiva contribuição, ou não, do curso no tocante ao preenchimento das lacunas informacionais encontradas no Estudo de Usuários, além de opiniões sobre a própria estrutura do curso.

Sobre a quantidade de participantes que o grupo focal deve ter, Gatti (2005) afirma que a dimensão não deve ser tão grande e nem tão pequena, sendo preferível construir um grupo

entre 6 e 12 pessoas, pois, assim, as questões poderão ser abordadas com maior profundidade pela interação do grupo.

Os dados quantitativos referentes aos questionários foram analisados por meio da estatística descritiva simples, a elaboração de gráficos, quadros e tabelas contendo porcentagens relativas às questões de múltiplas escolhas.

Os dados qualitativos obtidos, tanto nas questões abertas dos questionários quanto do grupo focal, foram examinadas segundo a análise de conteúdo de Bardin, que pode ser definida como:

Um conjunto de técnicas de análise das comunicações visando obter por procedimentos sistemáticos e objetivos de descrição do conteúdo das mensagens indicadores (quantitativos ou não) que permitam a inferência de conhecimentos relativos às condições de produção/recepção (variáveis inferidas) dessas mensagens. (BARDIN, 2016, p. 48).

Sobre as fases que a análise de conteúdo percorre, Triviños (2007) afirma que Bardin indica três etapas: a pré-análise, a qual se faz a organização do material; a descrição analítica, que começa na pré-análise, fazendo uso de procedimentos de codificação, classificação e categorização, surgindo quadros de referências; e, por último, a etapa da interpretação referencial, que se apoia nos materiais de informação (iniciado na pré-análise) e alcança maior intensidade, surgindo o estabelecimento de relações, baseados nos materiais empíricos, da reflexão e da intuição com o contexto educacional e social amplo.

O quadro abaixo apresenta como foram distribuídas as fases da pesquisa e seus respectivos instrumentos de coleta dos dados:

Quadro 5 – Etapas e instrumentos de coleta de dados da pesquisa

ETAPA DA PESQUISA INSTRUMENTO DE COLETA ABORDAGEM

Estudo de usuários Questionário Quantitativa/Qualitativa

Pré-teste do Curso Entrevista Qualitativa

Avaliação do Curso Questionário Quantitativa/Qualitativa

Avaliação da Aprendizagem Questionário Quantitativa

Grupo Focal Roteiro de entrevista Qualitativa

No documento MÁRCIO THIAGO DOS SANTOS ALBUQUERQUE (páginas 42-45)