Também Portugal ingressou como acionista, transformando-se no segundo país da união

No documento 1970 Bolívia (1970) Colômbia (1970) Equador (1970) Peru (1970) Venezuela (1970) (páginas 119-123)

européia membro da Caf .

CoSTa riCa

Em 2009, a CAF aprovou USD 11 milhões para a Costa Rica para dar assistência aos setores financeiros e produtivos. A Corporação continuou apoiando o setor de MPME ao outorgar USD 10 milhões para uma linha de crédito para o Banco Impro-sa; USD 1 milhão para a Financeira DESIFYN; assim como um investimento patri-monial no Fideicomiso CIS que busca promover a atividade empreendedora no país.

A Corporação destinou recursos de cooperação para a área de competitividade para promover o Fórum Regional de Empreendimentos e Inovação, que tratou de temas como estratégias e políticas para a inovação, fomento de empreendimento e criação de novas empresas na região.

Além disso, apoiou o Projeto de Simplificação e Digitalização da Informação de Trâmites Chaves de Instituições Governamentais, que faz parte do Programa Na-cional de Competitividade e Melhora Regulatória. O objetivo é otimizar os serviços e processos das instituições do Estado relacionadas ao comércio exterior e ao de-senvolvimento dos negócios.

eSPanHa

Em 2009, a CAF aprofundou a agenda de atividades na Europa ao incluir ações insti-tucionais, financeiras, e de integração com os meios de comunicação e com os grê-mios de produção tanto nacionais como subnacionais. Estas ações se expandiram a outros países da União Européia de interesses especiais pela relação com a Amé-rica Latina.

A CAF teve uma presença permanente na participação e organização de eventos, assim como no estabelecimento de acordos e convênios com instituições. Desta-ca-se sua participação com declarações e comentários nas reuniões com o Banco Europeu de Investimentos (BEI) em Luxemburgo; as reuniões com a Comissão Eu-ropéia em Bruxelas; a Assembléia da Organização para a Cooperação e Desenvol-vimento (OCDE) em Paris; o Steering Committee de G-Nexid (Global Network of Ex-Im Banks and Development Institutions) em Kiev , Ucrânia; a Assembléia Parlamentar Euro-Latino-americana (EUROLAT) em Madri; o fórum organizado pelo Instituto para a Promoção e Desenvolvimento na América Latina (IPDAL) em Lisboa; o IV Me-eting Anual do Global Network of Ex-Im Banks and Development Finance Institutions (G-NEXID) em Genebra; o Encontro de Economistas Latino-americanos no Santan-der, na Espanha, sobre a análise da crise, organizado pela CAF e pela Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB); a Assembléia da FAO sobre Segurança Alimentar em Roma; o Fórum Anual de Latibex; e a Conferência Anual do Clube de Madri.

Além disso, a CAF assinou importantes convênios com a CEDDET, a Fundação Caro-lina, e Metrópolis Global e administrou a assinatura da MDU com a Comissão Euro-péia para 2010.

Reunião do Presidente Executivo da CAF, Enrique García, e a Ministra de Econo-mia da Espanha, Elena Salgado.

Madri, 16 de outubro.

119

A CAF também continuou promovendo e gerando negócios e projetos, especialmente nas áreas de infraestrutura e energias alternativas, direcionados aos países acionis-tas, assim como aprofundou o desenho de novos produtos e parcerias com institui-ções financeiras da Europa

méXiCo

Em 2009, a CAF aprovou USD 65 milhões para o México. Deste valor, USD 50 milhões foram destinados a uma garantia parcial de crédito para a titularização de ingressos do Instituto da Función Registral, parte do Governo do Estado do México. O objetivo foi apoiar uma emissão de títulos de valores garantidos pela CAF, para que assim ela obtivesse o grau de investimento.

Na área de infraestrutura, com recursos da PROINFRA, a Corporação respaldou o Desenvolvimento dos Sistemas de Transporte Público das Cidades de Chihuahua e Leon, para apoiar a criação de um organismo público de transporte em Chihuahua, e realizar estudos para a concepção de um sistema de transporte escolar em Leon.

PorTuGal

Em 30 de novembro, Portugal se tornou acionista da CAF ao assinar o acordo para subscrever EUR 15 milhões ao capital ordinário da Corporação e EUR 60 milhões ao capital de garantia. A assinatura foi realizada durante a XIX Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, em Estoril.

rePúBliCa DominiCana

Em 2009, a CAF aprovou USD 129 milhões para a República Dominicana. Deste total, 62% foram direcionados a área de desenvolvimento social para realizar o Projeto de Desenvolvimento Humano e Habitacional e reduzir o déficit habitacional que afronta o país, em uma iniciativa para melhorar a qualidade de vida de 7.800 famílias de baixa renda que inclui o desenvolvimento de infraestrutura social complementar.

Além disso, a Corporação assinou USD 48 milhões pelo setor privado em duas ope-rações. A primeira operação foi direcionada a financiar parcialmente o plano de in-vestimento do Boulevard turístico do Atlântico, que consiste na reabilitação de 99 Km de vias já existentes e na construção de 24 Km de novas vias, entre a Cidade de Nagua e a Península de Samaná, além da construção de uma nova estação de pedá-gio. A segunda operação foi direcionada ao desenvolvimento de um Network Access Point no Parque Cibernético de Santo Domingo, pela empresa Network Access Point del Caribe, S.A.

Com recursos de cooperação, a CAF respaldou iniciativas para aumentar a competi-tividade, especificamente com a liberação de USD 88,000 para a Aceleradora de Em-presas de San Cristóbal, com o objetivo de fortalecer as capacidades de gestão da primeira aceleradora de empresas do país. Também continuou apoiando a Fundação ADOPEM na capacitação de jovens em risco de exclusão social e na oferta de oportu-nidades de formação e desenvolvimento em profissões técnicas.

Com a presença de honra da Presidente da República do Chile, Michelle Bachelet, o Presidente Executivo da CAF, Enrique García, assinou um importante convênio que facilita o futuro desenvolvimento de atividades da CAF no Chile. Santiago, 15 de julho.

Assinatura do Acordo entre a CAF e Portugal, pelo Presidente Executivo da CAF, Enrique García, e o Ministro de Estado e Finanças de Portugal, Fernando Teixeira dos Santos. Estoril, 30 de novembro.

República Dominicana assina um aumento de capital na CAF. Na assinatura, o Diretor Representante da Corporação no Panamá, Rubén Ramírez, e o Secretário de Estado da Fazenda, Vicente Bengoa Albizu.

26 de novembro.

120

aProVaÇÕeS a faVor De ouTroS PaÍSeS aCioniSTaS 2009 (em milhões de USD)

Cliente/executor operação objetivo Valor Prazo (anos)

Costa rica 10.3

Banco Improsa Financiamento para comércio e capital de giro

Financiar operações de comércio exterior, capital de giro e investimentos em bens de capital.

10 Até 3 anos

Vários beneficiários Outras operações com recursos de cooperação

Vários 0.3

méxico 65.3

Promotora de Infra-estructura Registral, S.A.

Garantia parcial de crédito para a titularização de ingressos do Instituto da Función Registral do Estado do México

Apoiar a emissão de títulos de valores. 50 Até 20 anos

Banco Compartamos Financiamento de comércio e capital de giro

Financiar operações de comércio exterior, capital de giro e investimentos em bens de capital.

10 Até 3 anos

Ignia Fund I, LP Participação acionária Fornecer financiamento para pequenas e médias empresas.

5

Vários beneficiários Outras operações com recursos de cooperação

Vários. 0.3

república Dominicana 129.1

República Dominicana, via Secretaria de Estado da Fazenda-Instituto Nacional de Habitação

Programa de Desenvolvimento Urbano e Habitação

Melhorar a qualidade de habitação e reduzir a vulnerabilidade ante as ameaças naturais de uma cidade de mais de 18.500 habitantes de baixa renda, mediante a execução do programa.

Financiar parcialmente o plano de investimentos da empresa.

41.5 10

Network Access Point del Caribe, S.A.

NAP do Caribe Financiar o desenvolvimento de um Network Access Point no Parque Cibernético de Santo Domingo.

6 9

Vários beneficiários Outras operações com recursos de cooperação

Linha de crédito rotativa comprometido

Financiar operações de comércio exterior e capital de giro.

100 Vários

Corporação Interamericana para el Financiamiento de Infraestructura, S.A. (CIFI)

Linha de crédito rotativa não comprometido e empréstimos a médio prazo

Financiar projetos de infraestrutura na América Latina e no Caribe.

20 Vários

Vários clientes Outras operações com recursos de cooperação

Vários 13.3

Total 338

121

No documento 1970 Bolívia (1970) Colômbia (1970) Equador (1970) Peru (1970) Venezuela (1970) (páginas 119-123)