VEGETAÇÃOVEGETAÇÃO

No documento Geografia Do Estado Do Rio de Janeiro (páginas 45-49)

VEGETAÇÃO

A maior parte do território do Estado faz parte do bioma da Mata atlântica e pouco resta da A maior parte do território do Estado faz parte do bioma da Mata atlântica e pouco resta da cobertura vegetal primitiva. Atualmente, as

cobertura vegetal primitiva. Atualmente, as florestasflorestas ocupam um décimo do território fluminense,ocupam um décimo do território fluminense, co

concncenentrtranandodo-s-se e priprincncipaipalmlmenente te nanas s papartrtes es mamais is alaltatas s dadass serrasserras. . Há Há grgranandedes s exextetensnsõeõess de

de camposcampos produzidos pela destruição, próprios para aproduzidos pela destruição, próprios para a pecuáriapecuária, e, no, e, no litorallitoral e no fundo das baías,e no fundo das baías, registra-se a presença de

registra-se a presença de manguezaismanguezais (conjunto de árvores chamadas(conjunto de árvores chamadas manguesmangues, que crescem em, que crescem em terrenos lamacentos

terrenos lamacentos). ). A ocupação agropA ocupação agropastoril levou a uma quasastoril levou a uma quase completa extinção e completa extinção das florestasdas florestas que recobriam outrora cerca de 91%

que recobriam outrora cerca de 91% da superfície do atual estado. da superfície do atual estado. Dessas florestas restam nos diasDessas florestas restam nos dias atuais apenas pequenas manchas situadas em locais menos acessíveis ou muito acidentados, atuais apenas pequenas manchas situadas em locais menos acessíveis ou muito acidentados, impróprios para a agricultura e pecuária (

impróprios para a agricultura e pecuária (encostas mais íngremes das serras do Mar e encostas mais íngremes das serras do Mar e Mantiqueira).Mantiqueira). Além das florestas, a cobertura vegetal compreendia também manguezais e formações de Além das florestas, a cobertura vegetal compreendia também manguezais e formações de restinga e praia, na fímbria litorânea; campos de altitude, nas porções mais elevadas das serras restinga e praia, na fímbria litorânea; campos de altitude, nas porções mais elevadas das serras (serra dos Órgãos e maciço do Itatiaia) e os campos da planície deltaica do rio Paraíba do Sul (serra dos Órgãos e maciço do Itatiaia) e os campos da planície deltaica do rio Paraíba do Sul (Campos dos Goytacazes). Todos sofreram profunda interferência

(Campos dos Goytacazes). Todos sofreram profunda interferência da ocupação humana.da ocupação humana. O que restou da

O que restou da vegetação nativa apresenta grande diversidade devida à configuração de seuvegetação nativa apresenta grande diversidade devida à configuração de seu relevo e de fatores climáticos. Sendo assim, encontra-se distribuída pelo território fluminense, relevo e de fatores climáticos. Sendo assim, encontra-se distribuída pelo território fluminense, conforme se segue.

conforme se segue.

Região da floresta ombrófila densa Região da floresta ombrófila densa

Vegetação característica das regiões altas da serra do Mar, cujos representantes são os Parques Vegetação característica das regiões altas da serra do Mar, cujos representantes são os Parques Nacionais, da Serra dos Órgãos e

Nacionais, da Serra dos Órgãos e da Bocaina e o Parque Estadual da da Bocaina e o Parque Estadual da Ilha Grande.Ilha Grande. Região da floresta ombrófila mista

Região da floresta ombrófila mista

Compõe a floresta pluvial subtropical. Possui representantes da floresta tropical amazônica e da Compõe a floresta pluvial subtropical. Possui representantes da floresta tropical amazônica e da flora australásica, caracterizados pelos planaltos da Bocaina e do Itatiaia (em altitudes de mais de flora australásica, caracterizados pelos planaltos da Bocaina e do Itatiaia (em altitudes de mais de 800m).

800m).

Região da floresta estacional

Região da floresta estacional semidecidualsemidecidual Área com mais de 60 dias secos. Cobre

Área com mais de 60 dias secos. Cobre a região do médio Paraíba até a região do médio Paraíba até a do Norte Fluminense.a do Norte Fluminense. Região da savana (cerrado)

Região da savana (cerrado)

Restringe-se a uma pequena área do município de Resende, hoje substituída por

Restringe-se a uma pequena área do município de Resende, hoje substituída por pastagens.pastagens. Região da estepe (caatinga)

Região da estepe (caatinga)

Vegetação constituída por plantas cactáceas e espinhosas. Localiza-se nos maciços costeiros Vegetação constituída por plantas cactáceas e espinhosas. Localiza-se nos maciços costeiros próximos a Cabo Frio.

próximos a Cabo Frio. Formações pioneiras Formações pioneiras

Referem-se às vegetações concentradas em áreas cujos solos estão submetidos às influências Referem-se às vegetações concentradas em áreas cujos solos estão submetidos às influências marinha, fluvial e fluviomarinha. Seus principais representantes são as restingas, os mangues e marinha, fluvial e fluviomarinha. Seus principais representantes são as restingas, os mangues e demais ambientes com acúmulo d’água e sujeitos a inundações periódicas. No território fluminense, demais ambientes com acúmulo d’água e sujeitos a inundações periódicas. No território fluminense, as restingas ocupam trechos do litoral desde a Marambaia, a oeste do município do Rio de Janeiro, as restingas ocupam trechos do litoral desde a Marambaia, a oeste do município do Rio de Janeiro, até o norte do estado. Já os manguezais se situam no entorno das baías de Guanabara e de até o norte do estado. Já os manguezais se situam no entorno das baías de Guanabara e de Sepetiba.

Fig. 35. Mapa de vegetação do Rio de Janeiro, IBGE Fig. 35. Mapa de vegetação do Rio de Janeiro, IBGE

46 46

47 47

Fig. 32. Legenda dos tipos de vegetações encontrados no Brasil Fig. 32. Legenda dos tipos de vegetações encontrados no Brasil

GEOLOGIA

GEOLOGIA

O estado do Rio de Janeiro pode ser compartimentado em dois domínios morfoestruturais: o O estado do Rio de Janeiro pode ser compartimentado em dois domínios morfoestruturais: o Cinturão Orogênico do Atlântico e as Bacias Sedimentares Cenozóicas. O Cinturão Orogênico do Cinturão Orogênico do Atlântico e as Bacias Sedimentares Cenozóicas. O Cinturão Orogênico do Atl

Atlânântictico o podpode e seser r subsubdivdividididido o nonos s seseguiguintentes s dodomínmínios ios momorfoerfoestrstrutuuturairais: s: MaMaciçciços os CosCosteiteiros ros ee Interiores, Maciços Alcalinos Intrusivos, Superfícies Aplainadas nas Baixadas Litorâneas, Escarpas Interiores, Maciços Alcalinos Intrusivos, Superfícies Aplainadas nas Baixadas Litorâneas, Escarpas Ser

Serranranas, as, PlaPlanalnaltos tos ResResiduiduaisais, , DepDepresressõesões s IntInterperplanlanáltálticaicas, s, DeDeprepressõssões es IntInterperplanlanáltálticaicas s cocomm Alinhamentos Serranos.

Alinhamentos Serranos.

O soerguimento de blocos decorrentes da tectônica sustentou algumas zonas planálticas, O soerguimento de blocos decorrentes da tectônica sustentou algumas zonas planálticas, remanescentes de antigas superfícies de aplainamento não-dissecadas no Cenozóico Superior, tais remanescentes de antigas superfícies de aplainamento não-dissecadas no Cenozóico Superior, tais co

como mo os os plaplanalnaltos tos da da BocBocainaina a e e do do VarVarre-re-SaiSai, , mas mas proproduzduziu, iu, em em cocontrntrapaapartirtida, da, depdepresressõesõess interplanálticas, tais como o médio vale do

interplanálticas, tais como o médio vale do rio Paraíba do Sul.rio Paraíba do Sul.

Junto à zona das baixadas litorâneas sobressaem terrenos colinosos de baixa amplitude Junto à zona das baixadas litorâneas sobressaem terrenos colinosos de baixa amplitude topográfica na Região dos Lagos e entre Macaé e Campos, que se caracterizam por superfícies de topográfica na Região dos Lagos e entre Macaé e Campos, que se caracterizam por superfícies de aplainamento que foram modeladas até o Terciário Superior.

aplainamento que foram modeladas até o Terciário Superior. As

As BacBacias ias SedSedimeimentantares res CenCenozóozóicaicas s popodem dem ser ser subsubdivdivididididas as nos nos segseguinuintes tes domdomíniíniosos mo

morforfoestestrutruturaurais: is: TaTabulbuleireiros os de de BacBacias ias SedSedimeimentantaresres, , PlaPlanícnícies ies FluFluvioviomarmarinhinhas as (Ba(Baixaixadasdas) ) ee Pla

Planícnícies ies CosCosteiteirasras. . EssEssas as rocrochas has sedsedimeimentantares res estestão ão armarmazeazenadnadas as em em bacbacias ias taftafrogrogêniênicascas continentais resultantes da tectônica extensional gerada no início do Cenozóico. Nesse contexto, continentais resultantes da tectônica extensional gerada no início do Cenozóico. Nesse contexto, foram formadas as bacias de Itaboraí

foram formadas as bacias de Itaboraí e Resende. Os Tabuleiros da e Resende. Os Tabuleiros da Formação Barreiras, presente noFormação Barreiras, presente no norte do estado, também são tentativamente correlacionados ao mesmo período de sedimentação norte do estado, também são tentativamente correlacionados ao mesmo período de sedimentação da

das s bacbacias ias cocontintinennentaitais. s. Por Por fim, fim, os os sesedimdimententos os incinconsonsoliolidadados dos das das babaixaixadas das coscosteirteiras as forforamam gerados ao longo dos ciclos transgressivos e regressivos da linha de costa durante o Quaternário, gerados ao longo dos ciclos transgressivos e regressivos da linha de costa durante o Quaternário, que promoveram o afogamento generalizado do relevo junto à atual linha de costa, registrado nas que promoveram o afogamento generalizado do relevo junto à atual linha de costa, registrado nas atuais rias, baías e lagunas nas

atuais rias, baías e lagunas nas colinas e morros isolados no recôncavo das baixadas.colinas e morros isolados no recôncavo das baixadas.

No documento Geografia Do Estado Do Rio de Janeiro (páginas 45-49)