• Nenhum resultado encontrado

Uma nova espécie de Charidotella (Charidotella) Weise (Coleoptera, Chrysomelidae, Cassidinae) de Curitiba, Paraná, Brasil.

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2017

Share "Uma nova espécie de Charidotella (Charidotella) Weise (Coleoptera, Chrysomelidae, Cassidinae) de Curitiba, Paraná, Brasil."

Copied!
2
0
0

Texto

(1)

Revista Brasileira de Zoologia 22 (3): 571–572, setembro 2005 WEISE (1896) propôs Charidotella como subgênero de Metriona

Weise, 1896, no qual designa como espécie-tipo Cassidazona Fabricius, 1801. BOROWIEC (1989) redescreveu o gênero Charidotella

Weise, 1896, e o subdividiu em cinco subgêneros: Charidotella, Philaspis, Xenocasssis, Metrionaspis e Chaerocassis, juntamente com uma lista remissiva de 91 espécies e descrição de três novas C. ecuadorica, C.steinhauseni e C.kesseli.

BOROWIEC (1999) relaciona 68 espécies pertencentes ao

subgênero Charidotella.

Exemplares de uma nova espécie de Charidotella foram coletados alimentando-se de folhas da invasora Ipomoeacairica (Linnaeus) Sweet (Solanales: Convolvulaceae), conhecida comumente como corda-de-viola, originária do Egito e com ampla distribuição no Brasil (KISSMANN 1991).

Todas as medidas são fornecidas em milímetros.

Charidotella (Charidotella) flaviae sp.

sp.

sp.

sp.

sp. nov

nov

nov

nov

nov...

Coloração amarela. Em vista dorsal (Fig. 1), ovalada, cer-ca de 1,1 vez mais longa que sua maior largura (0,55 x 0,50 mm). Em vista lateral (Fig. 2) com giba robusta desenvolvida na altura do meio; logo após com declive suave mais acentua-do posteriormente; anteriormente à giba o declive é mais acen-tuado e uniforme.

Fronte pouco mais longa que larga (0,38 x 0,36). Ante-nas com os cinco artículos basais glabros e distintamente sepa-rados dos demais, pilosos; metade distal do oitavo artículo, nono, décimo e ápice do último, pretos, medindo, respectiva-mente, do primeiro ao último: 0,34; 0,16; 0,20; 0,20; 0,18; 0,16; 0,20; 0,16; 0,16; 0,14; 0,22.

Pronoto 1,73 mais largo que seu comprimento mediano (1,88 x 3,24). Aba transparente, lados arredondados, margem anterior de coloração avermelhada, retículo mais evidente nas laterais da aba pronotal. O disco pronotal, próximo à metade basal apresenta oito manchas escuras: quatro pequenas subar-redondadas e próximas à base, duas longas terminadas em ponta e entre estas duas linhas paralelas curtas (Fig. 3). Escutelo liso, pouco mais longo que largo (0,72 x 0,48).

Élitros com forte brilho dourado e pontos avermelhados, com desenho em forma aproximada de “M”, de coloração avermelhada (Fig. 1). Aba transparente, reticulada, com ápice arredondado e projetada látero-anteriomente, aproximadamen-te, até metade do pronoto. Na parte anterior e posterior do “M”, com pontos desordenados. Os pontos, na altura do “M”, subparalelos à sutura elitral, principalmente as quatro fileiras de pontos mais próximas. Na borda externa do disco, os pon-tos são distanciados um do outro, aberpon-tos externamente e não avermelhados.

Fêmures anteriores, médios e posteriores iguais (medin-do 1,40). Tíbias anteriores e posteriores subiguais e medianas mais curtas (1,00; 0,80; 1,04).

Material-tipo. Holótipo fêmea com as seguintes etique-tas: 21.IV.2003, Curitiba, Paraná, Brasil, Fernandes, F.R. leg., Charidotella (Charidotella) flaviae Maia & Buzzi det. 2004; “HOLÓTIPO” [etiqueta vermelha]. Dez parátipos fêmeas com a mesma procedência do holótipo. Depositados na Coleção de Entomologia Pe. Jesus Santiago Moure, Departamento de Zoo-logia, Universidade Federal do Paraná (DZUP).

Discussão. Charidotella (Charidotella) flaviaesp.nov. é

Uma nov

Uma nov

Uma nov

Uma nov

Uma nova espécie de

a espécie de

a espécie de

a espécie de

a espécie de

Charidotella

Charidotella

Charidotella

Charidotella

Charidotella

(

(

(

(

(

Charidotella

Charidotella

Charidotella

Charidotella

Charidotella

)

)

)

)

) W

W

W

W

Weise (Coleopter

eise (Coleopter

eise (Coleopter

eise (Coleopter

eise (Coleoptera,

a,

a,

a,

a,

Chr

Chr

Chr

Chr

Chrysomelidae,

ysomelidae,

ysomelidae,

ysomelidae,

ysomelidae, Cassidinae) de Cur

Cassidinae) de Curitiba,

Cassidinae) de Cur

Cassidinae) de Cur

Cassidinae) de Cur

itiba,

itiba,

itiba,

itiba, Par

Paraná,

Par

Par

Par

aná,

aná,

aná,

aná, Br

Br

Br

Br

Brasil

asil

asil

asil

asil

11111

Ozana M. de Andrade Maia

2, 3

& Zundir J. Buzzi

2

1 Contribuição número 1527 do Departamento de Zoologia, Universidade Federal do Paraná.

2 Departamento de Zoologia, Universidade Federal do Paraná. Caixa Postal 19020, 81531-980 Curitiba, Paraná, Brasil. E-mail: zbuzzi@ufpr.br

3 Bolsista do CNPq. E-mail: ozana_maia@yahoo.com.br

ABSTRACT. AAAA newA newnewnewnew speciesspeciesspeciesspeciesspecies ofofofofof CharidotellaCharidotellaCharidotella (((((CharidotellaCharidotellaCharidotella CharidotellaCharidotellaCharidotellaCharidotella))))) WWWWWeiseeiseeiseeiseeise frfromfrfrfromomomom CurCurCurCurCuritibaitibaitibaitibaitiba, ParParParanáParParanáanáanáaná, BrBrBrazilBrBrazilazilazilazil (Coleopter(Coleopter(Coleopter(Coleopter(Coleopteraaaaa, Chr

Chr Chr Chr

Chrysomelidaeysomelidaeysomelidaeysomelidae, Cassidinae).ysomelidae Cassidinae).Cassidinae).Cassidinae).Cassidinae). Charidotella (Charidotella) flaviae sp.sp.sp.sp. novsp. novnovnovnov... from Curitiba, Paraná State, Brazil, is de-scribed and illustrated.

KEY WORDS. Cassidini, Neotropical, Ipomoea cairica.

(2)

572 Ozana M. de Andrade Maia & Zundir J. Buzzi

Revista Brasileira de Zoologia 22 (3): 571–572, setembro 2005 facilmente identificada pelo desenho do élitro em forma apro-ximada de “M” avermelhado, pelas manchas do disco pronotal, e pela tonalidade escura dos artículos antenais distais. Espécies como C.steinhauseni (Borowiec, 1989), diferem de Charidotella (Charidotella)flaviae sp.nov., por terem pernas e artículos antenais com a mesma coloração do corpo, pontuações parale-las à sutura elitral, bem como o desenho do disco pronotal.

AGRADECIMENTOS

Ao Conselho Nacional e Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pelo suporte financeiro do projeto de dou-torado da primeira autora.

À acadêmica do curso de Biologia da UFPR, Flávia

Rodrigues Fernandes, pela coleta dos exemplares.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BOROWIEC, L. 1989. Three new species of Charidotella Weise

(Co-leoptera, Chrysomelidae, Cassidinae), with checklist of the genus. Polskie Pismo Entomologiczne, Wroclaw, 59: 203-222. BOROWIEC, L. 1999.A world catalogue of the Cassidinae (Co-leoptera: Chrysomelidae). Biologica Silesiae, Wroclaw, 476p.

KISSMANN, K.G. 1991. Plantasinfestantesenocivas. São Paulo,

BASF Brasileira S.A., 608p.

WEISE, J. 1896. Feststellung einiger Cassiden-Gattungen. Deutsche Entomologische Zeitschrift, Berlim: 10-15.

Figuras 1-3. (1-2) Holótipo de Charidotella (Charidotella) flaviaesp.nov.: (1) vista dorsal; (2) vista lateral; (3) pronoto.

Recebido em 23.IX.2005; aceito em 11.VII.2005.

2,29

m

m

1

2

3

1,62

m

Referências

Documentos relacionados

bezerra, differs from the remaining species of the genus Coarazuphium by having two pairs of setae close to the posterior margin of the head, and differs from all others by having

O ponto de partida no desenvolvimento da ontologia consistiu na busca da informação necessária para dar resposta às inevitáveis questões sobre o domínio e

correspond to those bearing a neural spine) plus four anterior ones (three fused in the Weberian complex and a free first one), plus the compound caudal cen- trum (PU 1 +U 1

differs from all its congeners by the (i) presence of distinct, subequal protobranchial and anterior mesobranchial spines (versus protobranchial and anterior mesobranchial

Among other characters, the new species can be distinguished from other members in the genus by having small, keeled, paravertebrals; a series of skin folds on the lateral aspects

Trichomycterus castroi , a new species of trichomycterid catfish from the Rio Iguaçu of Southeastern Brazil (Teleostei: Siluriformes). Ichthyological Exploration of Freshwaters,

Substituição de financiamento por contribuições por financi- amento por impostos; aumento da idade mínima; introdução de um sistema adicional para indivíduos mais velhos;

― (…) as próprias condições da sociedade, não tem dificultado esta autonomia, muitas vezes a sociedade tem dificuldade em … e nos meios pequenos, isto é agravado pelo meio