Diário do Mercado I 18 de outubro de 2017 Citi Corretora

Texto

(1)

Pag 1 de 9

Market Overview

Fechamento:

O Ibovespa encerrou a sessão em queda de 0,90%, a 76.201 pontos, acompanhando a queda dos metais e do minério no exterior, enquanto bolsas norte americanas fecharam sem uma tendência definida. Na agenda de indicadores econômicos, destaque para dados de produção industrial em setembro nos EUA subindo dentro do esperado (+0,3% m/m). O petróleo apresentou ligeira alta após notícia de que forças curdas concordaram com recuo de áreas reivindicadas pelo exército iraquiano. As taxas dos contratos de juros futuros fecharam em baixa com os vértices mais longos registrando recuo mais expressivo com noticiário político doméstico se mostrando mais construtivo. O dólar chegou a operar em alta com especulação sobre possível indicação de novo presidente mais hawkish para o Fed, mas fechou em queda. O volume do Ibovespa foi de R$6,3 bilhões.

Mercado hoje:

As bolsas asiáticas fecharam com alta moderada nesta quarta-feira, em reação ao discurso do primeiro-ministro chinês, Xi Jinping, na abertura do Congresso do Partido Comunista, evento que definirá as novas lideranças e políticas do país para os próximos cinco anos. O índice Shanghai Composto subiu 0,3% e o índice Nikkei fechou em alta de 0,1%. As bolsas europeias e os futuros de NY têm alta moderada, com investidores calibrando suas apostas sobre uma possível alta de juros no Reino Unido e especulações sobre quem será o próximo presidente do Fed. O presidente Trump sinalizou que o nome a ser escolhido para a presidência do Fed será anunciado em breve. Divulgação de resultados corporativos e do Livro Bege (16h) também serão importantes para direcionar as principais bolsas externas. O petróleo opera com alta moderada, após o API estimar que o volume de petróleo bruto estocado nos Estados Unidos teve queda na semana passada. No mercado interno, entre os indicadores, o índice de atividade econômica do Banco Central (IBC- BR) de agosto apresentou queda de 0,4% (M/M), número ligeiramente mais fraco que as projeções dos analistas que apontavam para queda de 0,3%. A leitura do mercado é que a queda dos principais dados de atividade em agosto não alteram a tendência de recuperação da economia brasileira e não são suficientes para afetar as projeções para o PIB do 3T, que deve contar com dados melhores no mês de setembro.

Empresas & Setores

Comércio Eletrônico

(pg. 5),

EzTec (pg. 6), Kroton (pg. 7), Hypermarcas (pg. 8)

Ibovespa – Intra Day

75.600 75.800 76.000 76.200 76.400 76.600 76.800 77.000

10 11 12 14 15 17

Performance (%)

Fe c h. Dia S e m. Mê s Ano Ibovespa 76.201 (0,9) (1,0) 2,6 26,5 IBX- 50 12.744 (0,9) (1,0) 2,6 26,6 S&P 500 2.559 0,1 0,2 1,6 14,3 Dow Jones 22.997 0,2 0,5 2,6 16,4 Nasdaq 6.624 (0,0) 0,3 2,0 23,0 Dólar Ptax 3,176 0,5 0,6 0,3 (2,5)

Maiores Altas/Baixas – Ibovespa (%)

Código Compa nhia V a r.

ESTC3 Estác io 0,91

TAEE11 Taesa 0,73

EQTL3 Equatorial 0,50

BVMF3 BM&F 0,42

CCRO3 CCR 0,27

EMBR3 Vale - 5,41

FIBR3 Fibria² - 3,69

LAME4 Lojas Americ anas - 3,28

JBSS3 JBS - 3,27

SUZB5 Suzano - 3,26

Performance por Setor (%)

-0,2 -0,4

-0,5

-0,7

-0,7

-0,8

-0,9

-1,0

-1,3

-1,9

-2,3

Energia Telecom, Mídia &…

Financials Utilities Imobiliário Industrials Ibovespa Saúde & Educação Consumo & Varejo

Transp. & Infra-…

Materials

Fontes: Bloomberg, Ibovespa ANALISTAS RESPONSÁVEIS: Cauê Pinheiro, CNPI, Larissa Nappo, CNPI-P & Rafael Santos, CNPI

(2)

Pag 2 de 9

MONITOR DE MERCADO

(3)

Pag 3 de 9

AGENDA DE INDICADORES ECONÔMICOS

Segunda, 16/out Período Expec. Anterior

02h30 Japão Produção Industrial (M/M) Ago 2,1%

07h00 Z. Euro Balança Comercial Ago EUR 20.2b EUR 18.6b

10h30 EUA Índice Empire State Out 2000,0% 2440,0%

8h25 Brasil Relatório Focus (semanal)

15h00 Brasil Balança Comercial US$ 1,9b

Terça, 17/out Período Expec. Anterior

07h00 Z. Euro CPI (A/A) Set 1,5% 1,5%

06h30 R. Unido CPI (A/A) Set 3,0% 2,9%

10h30 EUA Índice de preços de importação Set 0,6% 0,6%

11h15 EUA Produção Industrial (M/M) Set 0,3% -0,9%

09h00 Brasil IBGE - Pesquisa de Serviços Ago

Quarta, 18/out Período Expec. Anterior

21h50 Japão Balança Comercial Set Y 559.8b Y 113.6b

06h30 R. Unido Taxa de desemprego ILO Ago 4,3% 4,3%

10h30 EUA Construção de casas novas (M/M) Set 0,0% -0,8%

16h00 EUA Livro Bege

05h00 Brasil IPC-Fipe (2ª quadr) Out 0,1%

08h00 Brasil IGP-10 (M/M) Out 0,4%

08h30 Brasil IBC-BR (M/M) Ago -0,3% 0,4%

12h30 Brasil Fluxo cambial (semanal)

Quinta, 19/out Período Expec. Anterior

00h00 China PIB (A/A) 3T17 6,8% 6,9%

00h00 China Vendas no varejo (A/A) Set 10,2% 0,10

00h00 China Investimentos em ativos fixos (A/A) Set 7,7% 0,08

00h00 China Produção Industrial (A/A) Set 6,4% 0,06

06h30 R. Unido Vendas no varejo (A/A) Set -0,2% 0,01

10h30 EUA Novos pedidos de auxilio desemprego (semanal) 240k 243k

10h30 EUA Índice de atividade Fed da Filadélfia Out 21,8 23,8

Sexta, 20/out Período Expec. Anterior

12h00 EUA Vendas de casas existentes Set -0,90% -1,70%

08h00 Brasil IGP-M (2ª prévia) Out 0,4%

09h00 Brasil IPCA-15 (M/M) Out 0,1%

(4)

Pag 4 de 9

Outubro 2017

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

16 17 18 19 20

Localiza

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

23 24 25 26 27

Indústrias Romi (D) Odontoprev (D) Ambev (A) Duratex

Lojas Renner (A) Telefônica Brasil (A) Klabin (A) Hypermarcas (D) Fibria (A) Lojas Marisa (D) Banco Santander (A) Usiminas (A)

Weg (A) Vale

Raia Drogasil Cia Hering (D)

Estácio Participações (D) Suzano (D)

Grupo Pão de Açúcar (D) Fleury (D)

Engie Brasil (D) CCR (D) Copasa (D)

Novembro 2017

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

30 31 1 2 3

Cielo (D) Arezzo (A) Bradesco (A) ABC Brasil (A)

Embraer Energias do Brasil (D) Aes Tietê Brasil Agro

Itaú Unibanco (A) Equatorial Energia B2W Sonae Sierra

M.Dias Branco Magazine Luiza (D) Eletropaulo (D)

Multiplan Porto Seguro

Sul América Tim Participações Transmissão Paulista (D)

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

6 7 8 9 10

BB Seguridade Banco BTG Aliansce Azul (A) Alpargatas

Cremer BR Properties (D) CVC Banco do Brasil Alupar

Direcional Engenharia Comgás Energisa Banrisul B3

Linx Fras-Le (A) Gerdau Braskem Carrefour-Atacadão (D)

Marcopolo Guararapes Gol BRF Cesp

Smiles Iguatemi (D) Locamérica Copel (D) Ecorodovias

Itaúsa MRV Engenharia Cyrela (D) Helbor Empreendimentos

Multiplus (D) Profarma Gafisa IRB (D)

Qualicorp (D) QGEP Participações Iochpe-Maxion JHSF (D)

Unidas Rumo Logística JSL Kroton (A)

Santos Brasil Light Lojas Americanas

Ser Educacional Marfrig Minerva

SLC Agrícola Oi

T4F Entretenimento Randon

Taesa Sabesp

Totvs Tegma (D)

Ultrapar Tenda

Valid

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

13 14 15 16 17

JBS CSN

Bradespar BR Malls

Cosan (D) EzTec

CPFL Mahle-Metal Leve

Even Movida

Rossi Residencial Natura

São Martinho Restoque

Tupy

Legenda: (A) - Antes da abertura do mercado; (D) - Depois do fechamento do mercado Fonte: Bloomberg

Calendário de Divulgação dos Resultados referentes ao 3T17

(5)

Pag 5 de 9

Empresas & Setores

Comércio Eletrônico

O que acontece se a Amazon der um próximo passo no Brasil?

A Amazon poderia rearranjar o mercado on-line brasileiro – De acordo com o jornal Valor Econômico, após cinco anos negociando apenas livros no Brasil, a Amazon agora adicionaria categorias como a de pequenos dispositivos eletrônicos.

Enquanto alguns acreditam que a logística limitada da Amazon no Brasil poderia fazer com que sua expansão seja vagarosa e complexa, discordamos dessa visão. A companhia possui bolso profundo para suportar um longo período de investimentos dado que ela se esforça para construir a dominância. No 2T17, apenas dois anos após a sua entrada no México, a margem de contribuição do Mercado Livre, o maior competidor na região, se tornou negativa. Também, em experiências anteriores a Amazon foi capaz de se adaptar a diferentes realidades, com a Índia, um país com questões mais complexas que a do Brasil, um bom exemplo para isto. Em nossa opinião, a B2W será a companhia mais afetada, por conta de suas margens mais apertadas. Vemos a VVAR11 (Compra) mais preservada, dado que a ampla escala nas categorias que ela opera deve garantir melhores preços para eles no mercado.

A B2W não consegue entrar nessa briga – Enquanto a B2W possui a melhor logística do e-commerce no Brasil (de fato, ela lida com as entregas da Amazon por meio de uma de suas subsidiárias), acreditamos que suas margens apertadas não oferecem muito espaço para ela brigar com a Amazon. O Valor Econômico menciona que a Amazon está oferecendo tarifas de 10% aos vendedores (vs 12% atualmente oferecido pela B2W e pelo Mercado Livre). Então qualquer redução na tarifa (ou benefícios extras para os compradores ou vendedores) poderia comprimir a margem Ebitda já baixa da B2W de ~8-9%, levando a um maior consumo de caixa, dado que a companhia ainda opera abaixo do break-even.

Via Varejo – A escala importa – A Via varejo é de longe a maior varejista de eletrônicos e eletrodomésticos no Brasil (duas vezes maior que a Magazine Luiza). Eles possuem duas grandes

vantagens, em nossa opinião: 1) escala em categorias que eles operam, o que os beneficia em negociações com os fornecedores, e poderiam ser repassadas para conseguirem preços mais competitivos; e 2) os Brasileiros não possuem muita poupança para comprar itens de ticket alto, então os produtos financeiros oferecidos pela Via Varejo em suas lojas físicas são um diferencial para a companhia, e algo difícil de replicar no segmento on-line (por conta do alto risco de fraude).

Como a Amazon pode lidar com o Brasil sem logística? – 2/3 das vendas on-line no Brasil são no Sudeste, particularmente nas regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro, onde a logística é mais fácil. Então focando em cidades selecionadas poderia ser um caminho para testar o mercado, enquanto a Amazon descobre a melhor maneira de lidar com a logística organicamente ou através de aquisições. Alguns marketplaces especializados em moda no Brasil oferecem a entreda em 2 horas na região metropolitana de São Paulo, através de uma JV com uma empresa de entregas.

Fonte: Citi Research (baseado em Brazilian E-commerce – What happens if Amazon takes the next step in Brazil?, de Paola Mello, publicado em 17/10/2017)

(6)

Pag 6 de 9

Empresas & Setores

EzTec

Resultados preliminaries do 3T17

Ontem, após o fechamento do Mercado, a EzTec divulgou seus dados operacionais referente ao 3T, que apesar de terem apresentado ligeira melhora (ex-EZ Towers B), os números vieram abaixo das nossas estimativas. A venda da EZ Towers B foi fechada no 3T e ajudou a reforçar o caixa da companhia no trimestre.

Os lançamentos totalizaram R$ 143 milhões, ajudados pela aquisição de participações em projetos, que somaram o equivalente a R$ 75 milhões em lançamentos. Excluindo isso, o valor de R$ 68 milhões representa um crescimento de 37% T/T, após os R$ 49 milhões do 2T¨. As vendas brutas totalizaram R$ 165 milhões e representam um crescimento de 11% T/T, -16%

A/A e 10% abaixo das estimativas do Citi. À medida que os cancelamentos se mantiveram quase estáveis em R$ 100 milhões, as vendas contratadas líquidas atingiram R$ 65 milhões, ou um crescimento de 63% T/T e 42% abaixo das estimativas do Citi.

Esperamos uma reação neutra a esses resultados preliminares e reiteramos nossa recomendação neutra/ alto risco, com preço- alvo de R$ 24,00/ ação.

Fonte: Citi Research (baseado em EzTec – Alert: 3Q17 prelim shows mild improvement, but misses our ests, de Dan McGoey, publicado em 17/10/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês (4,5) (4,8)

3 Meses 22,7 -

12 Meses 57,4 38,0

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 40,4 22,0 P/L 28,9 18,6

Neutro / Risco Alto

R$ 26,27 R$ 13,15

EZTC3 R$ 24,00 R$ 23,33 2,9

R$ 3.849

R$ 16,4

(7)

Pag 7 de 9

Empresas & Setores

Kroton

Caminho mais difícil para a Kroton comprar a Somos após a mudança de CEO?

Novo CEO - Em 16 de outubro, o CEO da Somos Educação (SEDU3), o Sr. Eduardo Mufareji, se demitiu como CEO para se tornar Presidente do Conselho de Administração. O Sr. Fernando Shayer, sócio da Somos e ex-presidente, foi nomeado novo CEO.

De acordo com a imprensa local, o Sr. Mufareji parece estar contra uma transação potencial com Kroton, e, como presidente, pode tornar as questões mais difíceis para Kroton tentar uma possível aquisição.

Somos é o maior player brasileiro (em termos de receitas) na indústria K-12 (educação primária e a educação secundária).

Vemos valor estratégico para a Kroton nesta potencial aquisição, apesar dos riscos de execuções - perfil fragmentado e não profissionalização da indústria K-12, ciclo de educação mais longo do que o ensino superior, etc.

Enquanto a Kroton não fez uma oferta oficial, matérias mencionam que a Kroton estaria disposta a pagar R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões pela Somos, ou na média R$ 21/ação (+24% vs.

último preço de fechamento). A oferta seria ~17% do valor de mercado da Kroton e implica um múltiplo de EV/EBITDA 2016 de 13,1x versus o múltiplo de 11,80x da Kroton.

Somos, a maior plataforma K-12 no Brasil - O portfólio de soluções educacionais integradas da Somos inclui livros didáticos, sistemas de aprendizado, cursos de idiomas e plataformas tecnológicas. Além disso, a Somos atualmente opera 31 escolas em 5 estados (<1% de participação de mercado - 5 maiores players somam apenas 5% dos estudantes). Em 2016, a empresa registrou vendas de R$ 1,9 bilhão e Ebitda de R$ 502 milhões, representando 36% e 22% da Kroton, respectivamente. As soluções de educação K-12 são, segundo notícias, o maior contribuidor das receitas da Somos, e como é um negócio de margem muito maior, produz ~80% do Ebitda.

Kroton vai seguir em frente após a rejeição da compra da Estácio - Kroton recentemente tentou se fundir com o segundo maior provedor de educação superior do Brasil, Estácio.

Acreditamos que a rejeição do Cade (agência antitruste) é um precedente forte (e negativo) para qualquer tentativa futura com instituições de ensino superior de grande/médio porte. A Kroton agora tem como alvo a plataforma K-12, e atualmente tem 16 alvos potenciais em seu pipeline; três deles parecem estar próximos da conclusão.

A Kroton tem um forte histórico de consolidação no setor de ensino superior e parece estar bem posicionada para consolidar a indústria K-12. Além disso, a Kroton espera crescimento de receita acima da inflação e margens flats para 2017. Essas são tendências não tão atrativas, são abaixo do que a Kroton se acostumou a entregar e podem decepcionar os investidores, especialmente porque (1) a competitividade parece esta se intensificando com novo regulamento para ensino à distância (DL) - que facilita a autorização para novos centros de DL e (2) redução da exposição ao FIES.

Mantemos Neutro - Vemos M&A como potencial upside para a Kroton, mas acreditamos que as ações já negociam em preços razoáveis e não vemos expansão dos múltiplos.

Fonte: Citi Research (baseado em Kroton Educacional – Alert: Tougher path for Kroton to buy Somos After CEO Change?, de Lucio Aldworth, publicado em 17/10/2017)

(8)

Pag 8 de 9

Empresas & Setores

Hypermarcas

Rebaixamos para venda pelo Valuation

Rebaixamos Hypermarcas para venda baseado no valuation, que acreditamos já incorporar o efeito de um menor risco país e uma potencial venda de controle da companhia – A Hyper agora negocia a 15,5x EV/Ebitda 2018e, a ação mais cara do setor de consumo na América Larina, quase 10% acima de sua máxima histórica e um prêmio de 11% para suas pares. Em uma base fundamentalista, os múltiplos ajustados por crescimento estão esticados em nossa opinião, negociando com um prêmio de 70%

para 2018. Para o 2S17, estimamos um modesto crescimento de Ebitda de 8%, abaixo do 1s17 e do último ano de 19%. Notamos que no 1T17, quando o controlador João Queiroz Filho reorganizou sua participação para o status de participação direta, entendemos que isto permitiu menores impostos sobre ganhos de capital no caso de uma venda potencial ou um desinvestimento parcial. Um prêmio maior que o esperado caso ocorra um M&A é um risco para a nossa recomendação de venda.

Fonte: Citi Research (baseado em Hypermarcas – Downgrade to sell on valuation;

Take-out premium appears priced-in, Raise TP on Lower Brazil Country Risk &

Stronger F/X, de Alexander Robarts, publicado em 17/10/2017)

Rating Código Preço-Alvo Último Preço Upside (%)

Trading

Market Cap (Milhões) Volume Médio 3M (Milhões) Máxima (52 semanas) Mínima (52 semanas)

Performance % Abs Vs. Ibov

1 Mês 6,1 5,8

3 Meses 20,8 -

12 Meses 39,8 20,4

Múltiplos (x) 2017E 2018E

VE/EBITDA 17,3 15,5 P/L 24,4 22,3

Venda

R$ 35,21 R$ 21,10

HYPE3 R$ 33,00 R$ 34,79 -5,1

R$ 21.987

R$ 79,8

(9)

Pag 9 de 9

Informações Importantes:

Este relatório foi elaborado por Cauê Pinheiro, Larissa Nappo & Rafael Santos (“Analistas”), analistas de investimentos credenciados junto à Apimec e vinculados à Citigroup Global Markets Brasil CCTVM S.A. (“CGMB”), uma afiliada do Citigroup Global Markets Inc. (“CGMI”). Cauê Pinheiro é o responsável principal pelo conteúdo deste relatório de acordo com a Instrução CVM nº 483, de 6 de julho de 2010.

Este material tem caráter meramente informativo, não constituindo oferta de compra ou de venda de títulos e/ou valores mobiliários pela CGMB, ainda que aqui mencionados. As informações constantes deste material podem auxiliar o investidor em suas decisões de investimento, porém o investidor será responsável, de forma exclusiva, pela verificação da conveniência e oportunidade da movimentação de sua carteira de investimentos e pela tomada de decisão quanto à efetivação de operações de compra e/ou venda de títulos e/ou valores mobiliários. Este material apresenta informações para diversos perfis de investimento e o investidor deverá verificar e atentar para as informações próprias ao seu perfil de investimento, uma vez que as informações constantes deste material não são adequadas para todos os investidores. Quaisquer projeções de risco ou retorno potenciais são meramente ilustrativas e não são e não devem ser interpretadas pelo investidor como previsão de eventos futuros e/ou garantia de resultados. Além disso, não garantimos a exatidão das informações aqui contidas e recomendamos ao investidor que não utilize este relatório com única fonte para embasar suas decisões de investimento. Os investimentos realizados pelo investidor para sua carteira estão sujeitos a diversos riscos inerentes aos mercados e aos ativos integrantes da carteira, incluindo, sem limitação, risco de mercado, risco de crédito, risco de liquidez, risco cambial, risco de concentração, risco de perda do capital investido e de disponibilização de recursos adicionais, entre outros.

Com relação às companhias, mercados e valores mobiliários ora analisados, nos termos da regulamentação em vigor, os Analistas declaram que:

(i) As recomendações do presente relatório de análise refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais, sendo certo que o relatório foi elaborado de forma independente, inclusive em relação à CGMB e da CGMI.

(ii) A remuneração recebida pelo Analista está condicionada ao cumprimento de premissas qualitativas e quantitativas estabelecidas pela CGMB, podendo inclusive levar em consideração o resultado total da CGMB, mas não é influenciada, direta ou indiretamente, por recomendações específicas ou opiniões expressas pelo Analista neste relatório de análise.

(iii) A CGMB é membro do grupo Citi, que possui empresas e negócios em mais de 100 países. Considerando a atual estrutura do grupo Citi, é provável que alguma empresa do grupo, inclusive as próprias CGMB e CGMI, tenham interesses financeiros e/ou comerciais relevantes em relação às companhias, mercados e aos valores mobiliários objeto do presente relatório de análise.

As opiniões aqui constantes foram elaboradas com base em informações e dados obtidos de diversas fontes, inclusive no material de análise elaborado pela Citi Investment Research & Analysis (“CIRA”), conforme devidamente identificadas e indicadas no corpo do documento. CIRA é a divisão de análise de investimento da CGMI, cuja política aplicável às suas opiniões e relatórios de análises está disponível em http://www.citigroupgeo.com. O presente relatório foi elaborado de forma independente pelo Analista vinculado à CGMB e não obstante a utilização do material de análise elaborado pela CIRA, as opiniões do Analista podem divergir das opiniões da CIRA.

SAC Citi - Serviço de Apoio ao Cliente Reclamações, Cancelamentos e Informações 0800 979 2484 (deficientes auditivos - 0800 724 2484)

Todos os dias, 24h

Se não ficar satisfeito com a solução apresentada, de posse do protocolo, contate a Ouvidoria 0800 970 2484 (deficientes auditivos - 0800 722 2484).

Em dias úteis das 9h às 18h Fale Conosco: www.citicorretora.com.br

Imagem

temas relacionados :