EDITORIAL CONVITE EXPOSIÇÃO BAHIA BLANCA. EXPEDIENTE Coordenação. Diretoria empossada em Assembleia Geral Ordinária Biênio: 2013 a CORRIEDALE

Texto

(1)
(2)

EDITORIAL

Chegamos a mais uma Expointer, entretanto esta tem um sabor especial, pois estaremos co- memorando 50 anos de existência da nossa ABC- Corriedale.

Recordando o passado, fico lembrando as pessoas que se dedicaram e trabalharam em prol da Corriedale, desde aquele longínquo dia de outubro de 1964, em Uruguaiana, quando homens preocupados com a raça convocaram uma reunião, fundaram a Associação e redigiram o Estatuto, que norteou os caminhos a serem se- guidos.

Hoje somos privilegiados, temos uma base sólida, construída degrau a degrau por aqueles que nos antecederam, não só na diretoria, mas nos seus criatórios, ajudando na consolidação de uma raça de grandes qualidades.

Muito ainda se tem por fazer, estamos nos esforçando para colocar a marca Corriedale no mercado, começando com a certificação da carne, por ter atualmente uma demanda extre- mamente favorável. Muito já se conseguiu, mas será com a união de todos em torno do progra- ma, que seremos vencedores mais uma vez.

Outros desafios estão por vir! Atender os an- seios de cada um, conhecer e medir os dados genéticos daquilo que produzimos, agregar valor ao nosso produto, aumentar a capacidade de prover o mercado são metas para os próximos anos.

Valorizar o que nos foi passado, trabalhar no presente para que possamos ver, no futuro, a continuação do legado de todos nas mãos dos jovens que nos acompanham no amor à ovelha Corriedale, aquela que produz carne, lã e ami- gos.

Diretoria empossada em Assembleia Geral Ordinária

Biênio: 2013 a 2014

EXPEDIENTE

Presidente

Elisabeth Amaral Lemos 1º Vice- Presidente

Geraldo Brossard Correa de Mello 2º Vice- Presidente

Jorge Antônio Remedi Guerra 1ª Secretária

Cristina Soares Ribeiro 2ª Secretária

Helena Silveira da Silveira

1º Tesoureiro Luiz Claudio L. Pereira 2º Tesoureiro

Parrásio Simões Collares Neto Conselho Fiscal

Edmundo Torres Fernando Soares Piégas Roberto de Lima Silveira Conselho Fiscal Suplentes:

Almério Rodrigues Olavo Acosta Oscar Vitorino

Conselho Técnico Helena Cunha

José Inácio Andrade Freitas Lauro Antônio Mandarino Fittipaldi Conselho Técnico - Suplentes Henrique Lamego

João Batista Cardoso de Lima Maira Visintainer

Conselho Consultivo Ciro Manoel Andrade Freitas José Sergio Machado Luiz Carlos Petrarca Assessoria Jurídica Dr.Olimpio Simões Neto Contatos

www.abccorriedale.com.br | abccorriedale@gmail.com

Coordenação Elisabeth Amaral Lemos Realização

ABCCorriedale Fernovi Editora

Jornalista Responsável Fernando Vieira

Edição e Projeto Gráfico Fernovi Editora

Capa Leandro Vieira Fotos

Gabriel Becco, Leandro Vieira e colaboradores

Impressão Seriarte

CONVITE EXPOSIÇÃO BAHIA BLANCA

Recebemos o convite enviado pelo Sr. Daniel Biocca, leiloeiro argen- tino, que repassamos a todos os corriedalistas.

Estimado Criador:

Lo invito a la primer Exposición del Mercosur de la Raza Corriedale del 3 al 6 de octubre, em Bahia Blanca, donde vienen las principales ca- bañas de la zona, una exposición que tiene más de 100 años y de donde, sin ninguna Duda, hay padres de la raza para poder adquirir.

La cabaña El Sauzalito nos presta sus instalaciones para hacer la cua- rentena (muy importante para el comprador traer los dolares billete a Bahia Blanca y en caso de comprar se favorece con el cambio que hoy esta a $13). Espero que puedan concurrir a esta magnifica exposición.

Mis numeros de telefono por cualquier consulta son 0291-4545445 / 0291- 156420635

Los saluda, atte Daniel Biocca Parabéns a todos!

Elisabeth Amaral Lemos Presidente

foto: Leandro Vieira

(3)

Quando o crescimento de um fortalece o outro, todo mundo ganha. Este é o nosso jeito de pensar, o jeito de uma instituição fi nanceira cooperativa. O Sicredi oferece um atendimento próximo, com soluções adequadas às necessidades de cada produtor rural. Assim nos tornamos a 3ª instituição fi nanceira com maior volume de recursos concedidos em crédito rural, R$ 9,73 bilhões, segundo o ranking Melhores e Maiores 2014 da revista Exame. Venha para o Sicredi.

Seja no campo ou na cidade.

SAC Sicr edi - 0800 724 7220 / Defi cientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria Sicr edi - 0800 646 2519.

sicredi.com.br

gentequecooperacresce.com.br

Sicrediagro

ZS_0896_14_Ovinos_Expointer_An_21x26.indd 1 08/08/14 09:46

(4)

O Corriedale é a terceira raça ovina em número de animais inscritos na Expointer 2014, o que deixou a di- retoria da Associação muito satisfei- ta, pois considera que este resultado é fruto do trabalho que vem sendo desenvolvido para os criadores, dan- do maior visibilidade ao que criamos.

Serão 75 animais, oriundos dos 15 municípios relacionados a seguir Aceguá, Alegrete, Bagé, Barra do Quaraí, Caçapava do Sul, Dom Pe- drito, Herval, Lavras do Sul, Pedras Al- tas, Quaraí, Santa Margarida do Sul, Santa Vitória do Palmar, Santana do Livramento, Santiago e Uruguaiana, que correspondem a participação de 22 expositores.

O julgamento será feito por uma dupla de jurados, composta do cria- dor argentino de Curuzú Cuatiá Sa- muel Benta e do técnico da ARCO Sergio Munhoz. Como árbitro atuará o Superintendente do Registro Gene- alógico, Edemundo Gressller.

Muitas são as atividades progra- madas, já que a Associação Bra- sileira de Criadores de Corriedale completa 50 anos de existência nes- te ano, mais precisamente no mês

Corriedale na Expointer 2014

de outubro. Éramos 37 associados ativos, hoje somos 80, nossa meta é atingir 100 no próximo ano. Vamos aproveitar o encontro dos criado- res na Expointer, a festa máxima do agronegócio gaúcho, para come- morar tão importante data.

A programação vai se desenrolar nos dias 1º e 2 de setembro, 2ª e 3ª feira, com a nossa casa no Parque Assis Brasil pronta para receber os as- sociados e seus amigos, bem como os corriedalistas em geral. Haverá serviço de copa, atendido pela Sra.

Noely e sua equipe.

Além do Julgamento de Classi- ficação, teremos o lançamento da Carne Certificada Corriedale, quan- do todos poderão degustar a quali- dade do produto, conferir os cortes que estão sendo produzidos pelo Fri- gorífico Marfrig e colocados no mer- cado, mais a parceria de distribui- ção desta carne para todo o Brasil através da empresa Mercato, que já trabalha com a carne Hereford.

Toda a programação está volta-

PROGRAMAÇÃO DA RAÇA CORRIEDALE DIA 1º/09/2014 (2ª feira)

10:00 hrs - Julgamento de Classificação das fêmeas 14:30 hrs - Julgamento de Classificação dos machos

na sequência - Grandes Campeonatos 19:00 hrs - Confraternização com o lançamento da

Carne Certificada Corriedale (no stand) DIA 02/09/2014 (3ª feira)

10:30 hrs - Assembleia da ABCCorriedale (no stand) 18:30 hrs - Festividades dos 50 anos da ABCCorriedale

Homenagens, Entrega de Prêmios e

Remate Ouro Corriedale (Borregas PO,

Pacote de Coberturas de Carneios Pais e

Reprodutores Machos inscritos na Expointer)

(5)

COBERTURAS CARNEIROS PAIS BALIDO 4613

Grande Campeão das Exposições de Melo e Durazno 2014 CHAN MALEVO 7023

Grande Campeão do Congresso Mundial da Raça 2012 e do Grande Campeão do Prado 2012.

CONDOR 826

Importado da Patagônia Argentina em 2012 CRISTAL 829

Melhor Conformação na Expointer 2008 CONDOR 1056

Melhor Rústico e Integrante do Trio Grande Campeão da Expo Rio Gallegos 2014, Argentina

JEP 217

Pai da Ovelha JEP 370, que foi ganhadora da Agrovinos, Nacional e Fenovinos 2014 JEP 263

3º Melhor Macho da Expointer 2013 JEP 273

Grande Campeão e Melhor Conformação da 6ª Agrovinos e Feovelha 2014 JEP 335

Melhor Rústico e Melhor Conformação da 6ª Agrovinos 2014, Integrante do Lote Grande Campeão da Feovelha 2014; Grande Campeão e Melhor Conformação da 3ª Nacional

do Corriedale e Fenovinos 2014 LA ESTELA IA 121

Grande Campeão da 2ª Exposição Nacional do Correiadale Bagé/2010 MONCHI 1730

Grande Campeão do 14º Congresso Mundial da Raça, em São Gabriel/RS 2012 MONCHI 1947

Melhor Velo na Agrovinos, 3ª Nacional do Corriedale e Feovelha 2014, onde se sagrou também o Reservado de Grande Campeão.

STRATHBLANE 664/10

Carneiro importado da Nova Zelândia TRAÍRAS 768

Grande Campeão da Expointer 2009 TRAÍRAS 979

Grande Campeão da Expointer 2013

BORREGAS PO da às comemorações do cinquen-

tenário, entretanto o ponto alto será o Jantar Comemorativo com home- nagem aos ex-presidentes, entrega de prêmios aos vencedores da Ex- pointer e do Ranking 2013/14, como também a entrega do troféu Um Bom Legado para as famílias de José Pedro Escosteguy da Cunha, Gastão e Luiz Pedro Medeiros e Mario Becco.

Como já é tradição, o troféu Jovem Corriedalista, neste ano, será entre- gue aos irmãos Fernando e Gustavo Petruzzi. Mais outra importante pre- miação é destinada ao Melhor Ca- banheiro, a escolha fica por conta dos jurados pela atuação do profis- sional em pista.

Muito importante nesta noite será a realização do REMATE OURO COR- RIEDALE, quando serão ofertadas 20 borregas PO, pacotes de coberturas de destacados carneiros pais e os reprodutores machos que concorre- ram nesta Expointer. A genética de ponta das melhores cabanhas do Estado estará ao alcance de todos, proporcionando que todos os produ- tores de Corriedale (grandes e pe- quenos) tenham acesso a diferentes sangues, tanto nacionais como im- portados, categorizando seus plan- teis e rebanho geral.

Entendendo a importância do momento, até agora já são nossos parceiros nestas festividades o Si- credi, a Paramount Texteis, o Grupo Faccholi (sal mineral), a Novartis, a Farsul, o Marfrig Group, a Mercato e os Biscoitos Zezé. A ABCCORRIEDALE agradece a estes patrocinadores e reitera o convite para que os corrie- dalistas estejam conosco, festejando os 50 anos de nossa entidade, que é dedicada a raça Corriedale, aquela que produz carne, lã e amigos.

REMATE OURO CORRIEDALE

TANGO 02

TANGO 10 – Cr. E Exp. Adair Rodrigues Mota, Cab. Pessegueiro

PATY 2449 – Cr. E Exp. Carlos Alberto Teix- eira, Cab. Santa Patrícia

TRÊS MARIAS 1870

TRÊS MARIAS 1888 – Cr. E Exp. Claudio de Medeiros Bofill, Cab. Três Marias

FKL MONCHI DA FELICIDADE 1968 – Cr. E Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cab. Vista Alegre

LETICIA 2140 – Cr. E Exp. Lauro Mandarino Fittipaldi, Cab. Letícia

SANTA FILOMENA 4521 SANTA FILOMENA 4514

SANTA FILOMENA 4515 – Cr. E Exp. Jorge Antônio Remedi Guerra, Cab. Santa Filomena

SANTA ODESSA 02292

SANTA ODESSA 2299 – Cr. E Exp. Luiz Carlos E. Petrarca, Cab. Quinta Santo Antônio

JEP 464 – Cr. e Exp. Luiz Claudio Pereira/

Fernanda Scardoelli e filhos, Cab. Santa Cecília

SANTA AMÁLIA 16 – Cr. e Exp. Paulo Ro- berto Silva Assumção, filho e netos JPS DO ESPINILHO 128 – Cr. e Exp. Paulo Sergio Soares/Joaquim Soares Neto, Cab.

Espinilho MITAÍ 1281 MITAÍ 1318

MITAÍ 1328 – Cr. e Exp. Roberto de Lima Silveira, Cab. Mitaí

CABANHA OLIVEIRA 69 – Cr. e Exp. Sergio Luiz Oliveira, Cab. Oliveira

SANTA DORALINA 54 – Cr. e Exp. Silvio

Lima Lindner, Cab. Santa Doralina

(6)

Desempenho de cordeiros e borregos da raça Corriedale submetidos à dieta de alto concentrado

A ovinocultura está ganhando destaque na pecuária nacional no- vamente, principalmente na cadeia da carne. Além disso, Almeida Jr. et al. (2004) comentam que existe a possibilidade de expansão, principal- mente no consumo interno de car- ne ovina e que o país tem atributos necessários para se tornar grande exportador desse produto que cada vez mais vem sendo procurado, não somente em quantidade, mas prin- cipalmente em qualidade, devido a uma grande exigência do mercado consumidor. Conforme Osório e Osó- rio (2008) existe uma mudança nos consumidores de carne, pois estão cada vez mais procurando carne ovina, principalmente em restauran- tes, casas de carne, supermercados entre outros.

Dentro da produção ovina, exis- tem vários fatores que são importan- tes para o sucesso na atividade. Po- demos citar alguns, como a nutrição animal, sistema de terminação, raça, categoria, etc.

Do ponto de vista da produção animal, o desempenho zootécnico é um dos itens mais interessantes a ser levado em consideração, já que é através dele que temos em valores o resultado. Para isso, voltamos e no- vamente nos reportamos aos fatores que influenciam nesse desempenho.

Não podemos pensar em qual- quer sistema de produção ovina, se antes não nos preocuparmos com a nutrição animal. Esta nutrição tem que atender as exigências nutricio- nais para que os animais possam desempenhar seu máximo potencial genético e responder a um desem- penho zootécnico satisfatório, além de estar atrelada a economicidade, já que o produtor tem que visar lucro a atividade. Dessa forma, Ortiz et al.

(2005) comentam que a utilização de tecnologias que permitam uma economicidade com redução dos custos de alimentação e maior efici- ência é uma necessidade nos siste- mas de produção para obter maior rentabilidade.

grande influência no sucesso da pro- dução ovina é a categoria animal a ser trabalhada, já que as principais categorias comercializadas no RS são os cordeiros (animais dentes de leite) e os borregos (animais com 2 dentes). As categorias apresentam resultados diferentes, já que o meta- bolismo dos animais altera conforme sua idade, sendo que animais mais velhos apresentam menor eficiência produtiva que os animais mais novos.

No Brasil, a carne de animais aba- tidos até 12 meses de idade apre- senta características sensoriais espe- ciais, alcançando um bom valor de mercado, em contraste com a carne de animais adultos, principalmente inteiros (machos reprodutores) e de descarte (velhos), mais difíceis de se- rem comercializados, por apresentar menor maciez, textura mais firme e um sabor e odor característico mais intenso (MADRUGA, 2005).

Apresentamos alguns resultados obtidos no trabalho de mestrado desenvolvido no Laboratório de Ovi- nocultura do Departamento de Zoo- tecnia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), compreendido de 18 de novembro de 2013 à 6 de janeiro de 2014. Foram utilizados 32 ovinos da raça Corriedale provindos da Agropecuária LP (Município de São Gabriel – RS) sendo 16 cordei- ros(Figura 1) e 16 borregos (Figura 2), machos castrados. Os animais foram confinados em baias individuais, to- talmente cobertas, com piso ripado, com dimensão de 2 m2 por animal.

Todas as baias eram providas de co- medouros e bebedouros individuais, onde foi fornecidaalimentação e a água para os animais. A dieta foi constituída de palha de aveia bran- ca (Avena sativa) e o grão de milho (Zeamays) ou sorgo (Sorghum bicolor (L.) Moench) fornecido inteiro aos animais. Para atender as exigências das categorias de proteína bruta e A isso ligamos ao sistema de ter-

minação a ser escolhido para a terminação de ovinos, os quais são variados e podem ter eficiência na produção de carne ovina. No entan- to, temos que levar em consideração que existem os pontos positivos e ne- gativos que cada sistema de termi- nação possui. Não podemos nos fixar a apenas um sistema e afirmar que somente aquele tem boa viabilida- de econômica. Certamente existem muitos sistemas de terminação com custos baixos, porém com baixos lu- cros. O que temos que ter em mente é alta viabilidade econômica, se o custo de produção for alto e o lucro também for alto, temos boa viabili- dade econômica na produção e é isso que nos interessa. A esse ponto nos referimos à utilização do sistema de confinamento para a terminação ovina, muitas vezes penalizada pelo alto custo, mas podemos obter com ele uma excelente viabilidade eco- nômica. Sendo que o confinamen- to permite a terminação de ovinos em períodos de carência alimentar ou quando as pastagens ainda não estejam prontas, por atender com maior facilidade as exigências nu- tricionais dos animais, visto que, o desempenho produtivo de um reba- nho depende da disponibilidade de alimentos em proporções e quanti- dades adequadas aos seus requeri- mentos (PEIXOTO et al., 2011).

A escolha da raça sem dúvida é importante na eficiência produtiva, por exemplo, a raça Corriedale, um animal considerado de dupla apti- dão e bem adaptado às condições do Rio Grande do Sul (RS), de fácil manejo e bom desempenho, e sem comentar que é a raça ovina mais criada no RS que é o estado com maior número de ovinos no Brasil.

Segundo Mendonça et. al. (2003) o pouco conhecimento da produção de carne, avaliação da morfologia e dos componentes do peso vivo, dos mais importantes genótipos cria- dos no Rio Grande do Sul, como a raçaCorriedale, são limitantes sobre o potencial de produção que elas podem apresentar. Outro fator de

Rafael Sanches Venturini & Sérgio Carvalho

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria

Centro de Ciências Rurais Departamento de Zootecnia

Desempenho de cordeiros e borregos da raça Corriedale submetidos à dieta de alto concentrado

Rafael Sanches Venturini1& Sérgio Carvalho2

1Zootecnista. Aluno do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia (PPGZ) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), E-mail: rs_venturini@hotmail.com

2Zootecnista. Doutor. Professor Adjunto do Departamento de Zootecnia da UFSM. E-mail:

scarvalhoufsm@hotmail.com

A ovinocultura está ganhando destaque na pecuária nacional novamente, principalmente na cadeia da carne. Além disso, Almeida Jr. et al. (2004) comentam que existe a possibilidade de expansão, principalmente no consumo interno de carne ovina e que o país tem atributos necessários para se tornar grande exportador desse produto que cada vez mais vem sendo procurado, não somente em quantidade, mas principalmente em qualidade, devido a uma grande exigência do mercado consumidor. Conforme Osório e Osório (2008) existe uma mudança nos consumidores de carne, pois estão cada vez mais procurando carne ovina, principalmente em restaurantes, casas de carne, supermercados entre outros.

Dentro da produção ovina, existem vários fatores que são importantes para o sucesso na atividade. Podemos citar alguns, como a nutrição animal, sistema de terminação, raça, categoria, etc.

Do ponto de vista da produção animal, o desempenho zootécnico é um dos itens mais interessantes a ser levado em consideração, já que é através dele que temos em valores o resultado. Para isso, voltamos e novamente nos reportamos aos fatores que influenciam nesse desempenho.

Não podemos pensar em qualquer sistema de produção ovina, se antes não nos preocuparmos com a nutrição animal. Esta nutrição tem que atender as exigências nutricionais para que os animais possam desempenhar seu máximo potencial genético e responder a um desempenho zootécnico satisfatório, além de estar atrelada a economicidade, já que o produtor tem que visar lucro a atividade. Dessa forma, Ortiz et al. (2005) comentam que a utilização de tecnologias que permitam uma economicidade com redução dos custos de alimentação e maior eficiência é uma necessidade nos sistemas de produção para obter maior rentabilidade.

A isso ligamos ao sistema de terminação a ser escolhido para a terminação de ovinos, os quais são variados e podem ter eficiência na produção de carne ovina. No entanto, temos que levar em consideração que existem os pontos positivos e negativos que cada sistema de terminação possui. Não podemos nos fixar a apenas um sistema e afirmar que somente aquele tem boa viabilidade econômica. Certamente existem muitos sistemas de terminação com custos baixos, porém com baixos lucros. O que temos que ter em mente é alta viabilidade econômica, se o custo de produção for alto e o lucro também for alto, temos boa viabilidade econômica na produção e é isso que nos

(7)

7 CORRIEDALE minerais foi adicionado farelo de soja

(Glycine Max) e calcário calcítico, respectivamente, de acordo com o NRC (2007). Também foi utilizado bicarbonato de sódio (NaHCO3) responsável por regular o pH rumi- nal no total de 1% do oferecido da MS e monensina sódica (Rumensin), responsável pela prevenção de dis- túrbios metabólicos. O sal mineral foi fornecido à vontade em recipientes individuais. Os animais foram dividi- dos em: 8 cordeiros alimentados com dieta de alto concentrado de milho;

8 cordeiros alimentados com die- ta de alto concentrado de sorgo; 8 borregos alimentados com dieta de alto concentrado de milho e 8 bor- regos alimentados com dieta de alto concentrado de sorgo. O abate foi realizado no momento em que cada animal atingiu o Escore de Condição Corporal (ECC) pré-definido 3,0 (es- cala de 1 a 5).

Na Tabela 1 apresentamos os re- sultados de desempenho de cordei- ros e borregos da raça Corriedale submetidos à dietas de alto concen- trado.

Tabela 1. Valores médios para peso vivo inicial (PVIni), escore de condição corporal inicial (ECCIni), peso vivo final (PVFin), escore de condição corporal final (ECCFin), ganho de peso médio diário (GMD), dias necessários para o abate (DA) e conformação corporal (Confor) de cordeiros e borregos, da raça Cor- riedale, submetidos a dieta de alto concentrado

Obviamente que tanto os resul- tados de PVIni é significativo esta- tisticamente a (P<0,05) já que a ca- tegoria de cordeiros são de animais com aproximadamente 10 meses de diferença de idade. Para o ECCini e ECCFin, não podemos encontrar va- lores significativos, pois estes animais foram alocados uniformemente den- tro de seus tratamentos, assim não havendo favorecimento para ne- nhum resultado.

Os resultados de PVFin foram sig- nificativos (P<0,05) entre as catego- rias, resultado importante do ponto de vista econômico, já comentado anteriormente, pois o borrego pesou em média 36,85 kg e o cordeiro 30,48 kg, assim tendo 6,37 kg de diferença

entre as categorias. De forma que esta diferença sendo multiplicada pelo valor do Kg pago no PV, que em médio no RS está em torno de 4,00 R$

Kg/PV, temos o resultado de R$ 25,48.

Do ponto de vista produtivo conside- ramos uma baixa rentabilidade, pois temos que ficar com este animal na propriedade até a categoria de bor- rego, praticamente 1 ano a mais.

Será que estes 25,48 R$ de renda por borrego em relação aos cordeiros é viável? Acreditamos que não, já que os custos diretos de uma proprieda- de com vermífugos, alimentação, mão-de-obra, entre outros devem estar próximo a este valor. Sem falar nos custos indiretos, onde podería- mos colocar uma fêmea parindo um cordeiro no local desse borrego, en- tre outros fatores.

Também demonstramos os me- lhores resultados do cordeiro em

relação ao borrego para GMD e Conformação (Figuras 3 e 4), sen- do que estes animais apresentam um metabolismo mais acelerado, o que consequentemente nos traz me- lhores resultados zootécnicos, pois cordeiros por serem animais jovens possuem boa formação muscular aliado a uma desejável deposição de gordura, se bem manejados nu- tricionalmente. De acordo com Pires et al. (2000) o cordeiro é a categoria animal que fornece carne de melhor qualidade e apresenta, nesta fase, os maiores rendimentos de carca- ça e maior eficiência de produção, devido à alta velocidade de cresci- mento.

Portanto, os resultados obtidos na terminação de cordeiros foram su- periores a terminação de borregos, tanto na utilização de dieta de alto concentrado de milho ou de sorgo.

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria

Centro de Ciências Rurais Departamento de Zootecnia

Na Tabela 1 apresentamos os resultados de desempenho de cordeiros e borregos da raça Corriedale submetidos à dietas de alto concentrado.

Tabela 1. Valores médios para peso vivo inicial (PVIni), escore de condição corporal inicial (ECCIni), peso vivo final (PVFin), escore de condição corporal final (ECCFin), ganho de peso médio diário (GMD), dias necessários para o abate (DA) e conformação corporal (Confor) de cordeiros e borregos, da raça Corriedale, submetidos a dieta de alto concentrado

Variável Categoria Grão Efeito* CV*

Cordeiro Borrego Milho Sorgo Categoria Grão CatxGrão (%) PVIni (Kg) 22,11 33,76 27,77 28,09 <,0001 0,6846 0,2226 7,94 ECCIni (1-5) 2,03 2,26 2,09 2,20 0,0580 0,3641 0,5153 15,61

PVFin (kg) 30,48 36,85 33,73 33,61 <,0001 0,9088 0,1846 8,72 ECCFin(1-5) 3,06 3,10 3,07 3,09 0,4493 0,8000 0,0842 5,60 GMD(Kg) 0,277 0,110 0,180 0,207 <,0001 0,3750 0,0763 43,82

DA (dias) 33 32 34 30 0,7926 0,2552 0,3779 33,03

Confor(1-5) 3,26 3,00 3,15 3,10 0,0088 0,6230 0,4144 8,51

*

Cat - efeito da categoria; CV – coeficiente de variação.

(P<0,05)

Obviamente que tanto os resultados de PVIni é significativo estatisticamente a (P<0,05) já que a categoria de cordeiros são de animais com aproximadamente 10 meses de diferença de idade. Para o ECCini e ECCFin, não podemos encontrar valores significativos, pois estes animais foram alocados uniformemente dentro de seus tratamentos, assim não havendo favorecimento para nenhum resultado.

Os resultados de PVFin foram significativos (P<0,05) entre as categorias, resultado importante do ponto de vista econômico, já comentado anteriormente, pois o borrego pesou em média 36,85 kg e o cordeiro 30,48 kg, assim tendo 6,37 kg de diferença entre as categorias. De forma que esta diferença sendo multiplicada pelo valor do Kg pago no PV, que em médio no RS está em torno de 4,00 R$ Kg/PV, temos o resultado de R$ 25,48. Do ponto de vista produtivo consideramos uma baixa rentabilidade, pois temos que ficar com este animal na propriedade até a categoria de borrego, praticamente 1 ano a mais. Será que estes 25,48 R$ de renda por borrego em relação aos cordeiros é viável? Acreditamos que não, já que os custos diretos de uma propriedade com vermífugos, alimentação, mão-de-obra, entre outros devem estar próximo a este valor. Sem falar nos custos indiretos, onde poderíamos colocar uma fêmea parindo um cordeiro no local desse borrego, entre outros fatores.

Também demonstramos os melhores resultados do cordeiro em relação ao borrego para GMD e Conformação (Figuras 3 e 4), sendo que estes animais apresentam um metabolismo mais acelerado, o que consequentemente nos traz melhores resultados zootécnicos, pois cordeiros por serem animais jovens possuem boa formação muscular aliado a uma desejável deposição de gordura, se bem manejados nutricionalmente. De acordo com Pires et al. (2000) o cordeiro é a categoria animal que fornece carne de melhor qualidade e apresenta, nesta fase, os maiores rendimentos de carcaça e maior eficiência de produção, devido à alta velocidade de crescimento.

Ministério da Educação

Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Zootecnia

Portanto, os resultados obtidos na terminação de cordeiros foram superiores a terminação de borregos, tanto na utilização de dieta de alto concentrado de milho ou de sorgo.

Referências Bibliográficas

ALMEIDA Jr. G.A. et al. Desempenho, características de carcaça e resultado econômico de cordeiros criados em creepfeedingcom silagem de grãos úmidos de milho. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.33, n.4, p.1048-1059, 2004.

MADRUGA, M. S. Processamento e industrialização dos produtos da caprinocultura.

In. SEMINÁRIO NORDESTINO DE PECUÁRIA, 9., 2005, Fortaleza, CE. Anais...

Fortaleza: Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará, 2005. 15 f. Seção Caprinoovinocultura. CD-ROM.

MENDONÇA, G. et al. Morfologia, características da carcaça e componentes do peso vivo em borregos Corriedale e Ideal. Ciência Rural, v. 33, n. 2, p. 351-355. 2003.

ORTIZ, J.S., et al. Efeito de diferentes níveis de proteína bruta na ração sobre o desempenho e as características de carcaça de cordeiros terminados em CreepFeeding.

Revista Brasileira de Zootecnia. v.34, n.6, p.2390-2398, 2005.

OSÓRIO, J.C.S e OSÓRIO, M.T.M. Situación Del Sector y Perspectivas em Brasil. In:

SAÑUDO, C. y GONZALES, C. Aspectos estratégicos para obtener carne ovina de calidad em El conosur americano. Univ. Nacional Del centro de La Provincia de Buenos Aires, 1ª Ed., 222p. 2008.

PEIXOTO, L.R.R., et al. Características físico-químicas e sensoriais da carne de cordeiros de diferentes genótipos terminados em confinamento. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v.12, n.1, p.117-125 jan/mar, 2011.

PIRES, C.C. et al. Cria e terminação de cordeiros confinados.Ciência Rural, Santa

Maria, v.30, n.5, p.875-880, 2000.

(8)

Gira Anual

Sociedad de Criadores de Corriedale del Uruguai

Nos 29 a 30 de maio a coirmã uru- guaia realizou a sua tradicional Gira Anual, desta vez visitando proprieda- des localizadas em Tacuarembó e Durazno. Sempre com programação interessante, estas giras contam com a presença de corriedalistas brasilei- ros, nesta edição um diminuto grupo composto do cria dor Luiz Claudio Pereira e seu filho João Eduardo, mais a presidente da ABCCorriedale Elisabeth Lemos e a Sra. Maria Hele- na Ferreira.

Sempre muito organizada, com a obediência de horários e todo o acompanhamento podendo ser fei- to com a distribuição de um release muito completo dos estabelecimen- tos a serem visitados, mais a cola- boração dos participantes, faz com que haja uma sinergia e o desenrolar da programação flua sem tropeços.

A programação começou pela manhã na “La Hondonada” (Agro- pecuária La Esperanza), situada em Tacuarembó, na Parada Achar, pro- priedade de 1.048 hectares onde se exploram 4.185 ovinos, 599 bovinos e algo de agricultura. Foram apresen- tados os seguintes temas:

- Diferentes sistemas de invernada de cordeiros – próprios e comprados

- Sistema intensivo de cria ovina Corriedale Pro – ovelhas Corriedale encarneiradas com carneiros Finnish x Milchschaf/ borregas Corriedale Pro encarneiradas com borregos Corrie- dale Pro/ cordeiras DL encarneiradas com cordeiros Corriedale Pro.

- Cães de trabalho e guarda – Border Collie e Kelpie

A segunda visita, na mesma re- gião, ainda pela manhã, foi na em- presa que reúne as propriedades El Asolano, El Cambará e Los Olivos da família Contín Flores, com um total de 3.572 hectares. A apresentação dos sistemas de produção do estabeleci- mento mostrou a utilização do ciclo completo com cruzamentos termi- nais com Poll Dorset sobre manada Corriedale de última cria e refugos. O rebanho Corriedale é manejado na Cambará e as cruzas terminais na El Asolano, tendo uma média de 3550 animais distribuídos nas três proprie- dades.

Dia lindo de sol propiciou um agradável almoço que começou no galpão arrumado para receber os

corriedalistas e que terminou ao ar li- vre, com a destacada hospitalidade e simpatia dos anfitriões. Como de praxe, ao final da visita, o agradeci- mento da Sociedade de Criadores, com a entrega de um “recuerdo”.

Partindo em caravana, todos se dirigiram ao próximo estabelecimen- to,”Los Ñandubayes” (Agropecuária Esperanza), ainda em Tacuarembó, na parada Paso Hondo., com super- fície total de 934 hectares, com lota- ção de 1418 ovinos (plantel Corrie- dale fino – Corfin e plantel Poll Dorset, 121 bovinos e 555 bovinos leiteros.O rebanho de cria é composto de 719 ovelhas Corriedale Corfin encarnei- radas com carneiros de muito bons dados de DEPS. Os objetivos são ter um rebanho de cria rústico com

Muitos lotes foram revisados

Momentos de hospitalidade e confraternização

(9)

9 CORRIEDALE bom prolificidade, habilidade ma-

terna,boa produção de lã e a mais fina possível (- de 26 micras) e vender reprodutores para estabelecimentos que persigam os mesmos objetivos.

À noitinha, no final deste primei- ro dia, chegamos a San Gregório de Polanco, cidade “museu a céu aberto”, conhecida como um lugar balneário às margens do rio Negro.

Olívia e Bernardo Iturralde foram os companheiros do grupo brasileiro para jantar. Que boas horas de con- versa amiga foram passadas, poden- do agora ser guardadas na memória para sempre co muita saudade..

Na manhã seguinte, após tra- vessia pitoresca por balsa, o cara- vana de caminhonetes se dirige a propriedade “Santa Cecília” (Silmiro S/A) agora em Durazno, na Parada Cuchilla de Ramirez, com uma área total de 1.455 hectares, sendo 100 arrendados. O sistema de ciclo com- pleto nos ovinos com plantel Corrie- dale e Texel somente para o uso em cruza terminal em ovelhas descarta- das. Venda de 900 cordeiros pesados

Explanações sobre os trabalhos na La Esperanza e na Santa Cecília Olívia com carneiro da La Esperanza

Travessia do Rio Negro em San Gregorio de Polanco

Carneiro naturalmente esculpido na rocha na Santa Cecília

tipo SUL e 60 a 80 carneiros Corriedale por ano. Foi mostrado o trabalho de invernada de cordeiros em “pontes verdes”, onde é semeado azevém so- bre a resteva de soja, onde em 2013 terminaram 950 cordeiros Corriedale e Corriedale x Texel. O plantel Corrie- dale conta com 160 ventres PI e PO e todos os animais produzidos contam com dados de EPD.

Um gostoso almoço servido em baixo de carpas, aproveitando o lin- do dia, foi palco para a confraterni- zação entre os participantes, fotos e entrevistas da imprensa, que sempre

está presente no Uruguai, dando a devida importância ao agronegó- cio. A participação brasileira termi- nou nesta propriedade, mas a gira continuou visitando a “Santa Isabel”

de Jaime Gomes de Freitas e família, onde recorreriam pastagens e obser- variam animais nos bretes e manguei- ras.

Fica o agradecimento pelos bons

momentos de convivência e hospita-

lidade, a oportunidade de conhecer

esta região do país vizinho e de po-

der avaliar e aprender mais com o

trabalho sério dos produtores.

(10)

Durante os dias 20 e 21 de julho passado realizou-se na cidade de Buenos Aires, Argentina, o 15º Con- gresso Mundial do Corriedale, cuja programação fez parte da 128ª Ex- posición de Ganaderia, Agricultura e Indústria Internacional, realizada tradicionalmente no Parque de Pa- lermo.

A raça Corriedale teve um local próprio, montado para o evento, que abrigou as bretes, a pista de julgamento e remate, mais escritó- rio, sala de reunião e um estar com bancos de feno encapado, onde se reuniam os corriedalistas argentinos e das delegações estrangeiras para trocar ideias sobre os 31 animais inscritos para a Exposição, sendo 2 exemplares oriundos do Uruguai. O Brasil não pode participar por barrei- ras sanitárias.

Rafael Savino, coordenador do Congresso e sua noiva Karin, Carlos Vila Moret, o presidente da Associa- ção Argentina, Sandra Jamieson, es- tavam à frente do grupo de criado-

Visão geral do julgamento morfológico

Bretes foram montados em galpão especial

Bandeira da ABCCorriedale presente em

Palermo Grande Campeã da Sausalito

S/A Grande Campeão da

Cabanha Sausalito Os jurados Roberto Jamieson e

José inácio Freitas

15º CONGRESO MUNDIAL

DE CORRIEDALE

ARGENTINA - JULHO 2014

res que recepcionavam os visitantes.

A delegação brasileira com expres- sivo número de 38 pessoas, oriundas de Bagé, Dom Pedrito, Pedras Altas, Quaraí, Santana do Livramento e Uruguaiana, estiveram revisando os animais.

EXPOSIÇÃO

O julgamento começou às 10 ho-

ras da manhã do dia 21, tendo como

jurados o criador argentino Roberto

(11)

11 CORRIEDALE

Carlos Vila Moret, presidente da Associação Argentina de Criadores de Corriedale

Jamieson e o brasileiro José Inácio de Andrade Freitas, o anunciado

“Señor Aca”, e como árbitro o vice -presidente da Associação Argenti- na Samuel Benta, criador em Curuzu Cuatiá, que será um dos jurados da Expointer 2014.

As fêmeas foram julgadas pela manhã e os machos a tarde, com presença maciça de criadores ao redor da pista, tanto que precisaram buscar mais cadeiras e, ainda assim, muita gente ficou em pé.

Sempre com uma profusão de fo- tógrafos e a presença do presidente da Associação Rural da Argentina Dr.

Luís Miguel Etchevehere na decisão dos grandes campeões, entre muitos aplausos e alegria dos vencedores, ao final da tarde foram concluídos os trabalhos.

Condor 1042, Reservado Grande Campeão, vem para o Brasil

Reservada Grande Campeã de Vila Moret

Na sequência, após arrumação do local por eficientes colaboradores e serviço de buffet, foi oferecido um farto e excelente coquetel, com deli- ciosos e diferentes salgados, doces e bebidas. Neste momento foram pres- tadas homenagens aos jurados e aos ex-presidentes da co-irmã argentina

e feita a entrega de troféus aos ven- cedores, quando a ABCCorriedale também participou, premiando os grandes campeões. Foi um alegre momento de confraternização entre corriedalistas argentinos, australia- nos, americanos, brasileiros, chilenos, peruanos e uruguaios.

No dia seguinte, 22 de julho, no edifício sede da Associação Rural Argentina, no Parque de Palermo, reuniram-se os congressistas, às 9:30 horas para o credenciamento e às 10 horas aconteceu a abertura do Congresso, feita pelo secretário da Associação Javier Pereyra, passando a palavra para o presidente Carlos

RESULTADOS DA EXPOSIÇÃO Grande Campeão e Campeão Carneiro Estabelecimento Sausalito S/A, Província de Buenos Aires

Reservado Grande Campeão e Reserva- do Campeão Carneiro

Cia de Tierras Sud Argentino S/A, Caba- nha Condor, Patagônia

Campeão Borrego – criação Emílio Pallota Melhor Velo de Machos – Cabanha Coy Aike S/A

Melhor Conformação de Machos – cria- ção Rene Settimi

Melhor Cabeça de Macho – criação Jor- ge Meier

Grande Campeã, Campeã Borrega, Me- lhor Velo e Melhor Cabeça de Fêmea Estabelecimento Sausalito S/A, Província de Buenos Aires

Reservada Grande Campeã, Campeã Ovelha e Melhor Conformação de Fêmea criação Carlos Vila Moret

CONGRESO MUNDIAL

Vila Moret que deu as boas vindas

a todos e exaltou a importância da

criação do ovino. Na sequência o

presidente da Associação Rural Luís

Miguel Etchevehere cumprimentou

as delegações, desejando uma boa

jornada e declarou aberto o 15º Con-

gresso Mundial do Corriedale.

(12)

Assistência do Congresso Apresentação da ABCCorriedale

Dissolvida a mesa de honra, foi chamado o primeiro palestante Juan Maurício Alvarez, que apresentou o trabalho “Mejoramiento Genético de la Raza Corriedale em pequenas majadas de ganaderos familiares de la Cooperativa La Mosqueta, El Bol- són, Patagônia Argentina”, de autoria de Sebastian DDebenedetti. O relato deste trabalho de apoio a pequenos produtores mostrou que é possível, através de uma cooperativa, aumen- tar a produção, melhorar o material genético e dar melhor renda aos cria- dores. Foram dois anos de muito tra- balho, hoje já podem dizer que são vitoriosos, pois conseguiram aumen- tar a taxa de assinalação para 90%, aumentar o tamanho dos animais, baixar a finura da lã e fazer treina- mento do pessoal. Também lograram aumentar o tamanho das pequenas manadas, diminuir o custo de produ- ção, principalmente implementando planos sanitários. Conclusão de que um trabalho como este deve ser dis- seminado.

O segundo trabalho da manhã foi apresentado por Gabriel Ciappesoni Sacarone e versava sobre “Aumen- to de la Profilicidad em la raza Cor- riedale: El caso uruguayo”. Foi uma apresentação muito técnica, com apresentação de dados obtidos em avaliações de 950 carneiros pais ao longo dos vinte últimos anos, sendo que em 1994 não havia nenhuma cabanha participante e hoje são mais de 40. Conclusão de que para melhorar a raça devemos nos preo- cupar com o aumento de cordeiros por ovelha e com a resistência a pa- rasitas. Buscar o uso de carneiros pais que se destacam nas características procuradas.

Encerrou a palestra com os se- guintes dizeres: Sin pereza para hacer proguese lo proprio; sin egoísmo para colabora em lo ajeno.

Na sequência um coffee break de meia hora, com café, sucos e água, acompanhados de deliciosas bolachinhas e biscoitos. Retomando as palestras foi apresentado o 3º tra- balho “Objetivos de mejoramiento e índices de selección para la raza Corriedale em la Argentina”, nova- mente com Juan Maurício Alvarez, técnico do INTA. Foram respeitados os objetivos de cada região (Patagô- nia, Pampa Húmeda, Mesopotâmia e outras), suas características e a meta que se propõe cada produtor para a sua manada. Foram ressaltados os objetivos de fertilidade, prolificidade e fecundidade. A sobrevivência dos cordeiros, idade de desmame e peso corporal são aspectos a serem obser- vados na habilidade materna. Muitos gráficos foram mostrados comparan- do os resultados nas regiões estuda- das.

Encerrando os trabalhos da ma- nhã foi apresentado por Sergio Fierro Fernandez a palestra “Incremento de la eficência reproductiva em cordera Corriedale diente de leche”. De início ele esclareceu que a pesquisa ainda não terminou e que estava apresen- tando dados preliminares.

Foram avaliadas borregas dois dentes e borregas dente de leite. As principais restrições são o peso cor- poral e a sanidade, as vantagens são a de ter mais mães, mais cordeiros e mais progresso genético. O encarnei- ramento de borregas dois dentes e dente de leite foi testado, sendo ob- tidos resultados satisfatórios. O peso das dente de leite deverá estar entre 35 a 38 kg, mas os melhores resulta- dos foram obtidos com 40 a 45 kg e estado corporal 2,5, usando carneiros adultos, tendo cuidado com a sani- dade e separando-as do potreiro das

ovelhas. A pesquisa vai seguir para obtenção de melhores dados em in- cremento de fertilidade e profilicida- de, melhor sobrevivência do cordeiro e diminuição do primeiro serviço.

Representantes das delegações estrangeiras foram convidados para almoço no Prédio da Rural, sendo ci- ceroneados pelo sempre gentil Rober- to Speroni. Voltando às 14:30 horas, continuou a apresentação das pales- tras, desta vez com a apresentação do “Modelo de Producción Ovina em la Sausalito S/A”. O estabelecimento possui 5 mil hectares, fica na Província de Buenos Aires, foi vencedora na Ex- posição do Congresso, conquistando o grande campeonato de macho e fêmea. Aspectos ressaltados pelo veterinário responsável: pessoal ca- pacitado, manejo, pastoreio rotati- vo ou rotarial (arame elétrico de três fios), esquila pré parto. Fazem exame clínico nos carneiros e ovelhas, aná- lise de sangue para brucella, análise por OPG, controle parasitário antes do serviço, que é feito de 15 de abril a 30 de maio para o rebanho geral, com diagnóstico de prenhez 30 dias após, vacinação da clostidiose 1 mês antes do parto. O encarneiramento do plantel PO é feita mais cedo, em função das exposições. Temas que estão trabalhando: comercialização da carne, venda de 100% dos cordei- ros em dezembro, hoje uma especia- lidade, venda de cortes embalados, venda da lã através de licitação.

Encerrando com chave de ouro o ciclo das palestras, foi apresenta- do o trabalho “Cenário Internacio- nal e suas oportunidades carne e lã”

pelo Lic. Ernesto Ambrosetti, que fez

um demonstrativo do consumo de

carne mundial, tendo a carne ovina

aumentado 45% em 20 anos (1992 a

(13)

Sandra O’Byrne e Rafael Savino, organizadores

do Congresso junto a Cristina e Beth Samuel Benta entrega a homenagem da Asso- ciação Argentina

Yan Mackinnon anuncia Congresso na Aus- trália 2018

13 CORRIEDALE 2012), passando de 9,5 para 14 mi-

lhões de toneladas. No comércio in- terno houve aumento de 28%, sendo que o preço subiu 170%, na expor- tação aumentou 33% em volume e 133% no preço, o que assegura um bom futuro. Quanto ao aspecto lã, afirmou que o mercado vem decain- do, está em 1º do mercado mundial e que falta um marketing para salientar as vantagens sobre as outras fibras.

Para finalizar a programação hou- ve a apresentação dos representan- tes das Associações Mundiais sobre a situação da raça Corriedale em seus países. A Argentina foi representada por criadores, que apresentaram a situação das diversas regiões. Marce- lino Dias falou pela Patagônia, onde está a maior população Corriedale, com 681 estabelecimentos e 13 ca- banhas.

Por Austrália falou o seu presiden- te Ian Mac Kinnon, cabanheiro e pro- prietário do plantel Glen Esk, em Co- nara na ilha das Tasmânia. A Austrália será a anfitriã do próximo Congresso, em 2018.

Seguiu a apresentação do Perú através do criador Billy Prime, que mostrou a evolução da raça ao lon-

go de 20 anos e os preços de comer- cialização para as diversas catego- rias: US 4,64 p/kg de carcaça; US 1,96 p/kg de lã; US 70,00 p/ovelhas adul- tas; US 220,00 p/borregas; US 285,00 p/

carneirinhos e US 2000,00 p/carneiros destacados.

O Chile se fez presente por um criador, que foi portador de uma ho- menagem do presidente Juan Carlos Cavada para a Associação Argenti- na, enquanto a criadora Donna Abru- zzeze, dona de um pequeno plantel Corriedale nos Estados Unidos, fez uma rápida interferência dizendo-se encan- tada em ter participado do Congresso.

O Uruguai fez uma apresentação através de seu presidente Salvador Garcia Pintos sobre a situação do Corriedale em seu país, em especial sobre os programas de avaliação ge- nética tão bem sucedidos, contando com a colaboração do SUL e do INIA.

O Brasil foi representado por sua presidente Elisabeth Amaral Lemos, que fez uma introdução sobre a si- tuação do criatório no país e no Rio Grande do Sul, finalizando com um ví- deo que mostrou o trabalho da ABC- Corriedale, que prendeu a atenção dos congressistas.

Ao final, a Associação Argentina de Criadores de Corriedale entregou uma placa a todas as delegações, sendo também homenageada pela organização e sucesso do 15º Con- gresso Mundial do Corriedale.

REMATE

Na noite de 2 de setembro, sobre a batuta de Daniel Biocca, do Escri- tório Saenz y Valiente, foi realizado o remate dos animais expostos. Desta- que para a venda do Reservado de Grande Campeão, o Condor 1042, que foi comprado por 60.000 pesos argentinos, pelos brasileiros Dr. Olím- pio Simões Pires e Cond.Parrásio Si- mões Collares Fº, respectivamente Cabanha Recanto da Esperança e São Matheus.

Outro exemplar virá para Lauro Mandarino Fittipaldi, Cabanha Letí- cia, por 21.000 pesos, que arrematou o borrego 2º prêmio de criação de Emílio Pallotta.

Foram vendidos 15 machos com média de 20.200 pesos argentinos, enquanto as 2 fêmeas vendidas fize- ram média 15.000 pesos.

dia 21, tendo como jurados o cria- dor argentino Roberto

CORRIEDALE – UMA PEQUENA HISTORIA EM PORTUNHOL – JULHO 2014

Eu sou um típico produto Mercosul, concevido no Li- vramento por meu pae alemao e minha mae argentina, que en Setembro 1939 e x esas cosas da guerra, decidie- ron que eu nascesse a Rivera, oriental e non gaúcho.

En todo casso, 20 anos mais tarde, como comprador junior de las, comencei revissando na famosa gira de Pringles, no Sud da Provincia de Buenos Aires, principal- mente ovelhas Corriedale.

Durante tudos essos anhos segui de perto a evolucao da rassa, em primer lugar abriendo as caras, obteniendo cada vez precos menores pela la, mais viendo a pau- latina evolucao positiva do preco da carne ovina e em particular, dos cordeiros.

Em estos anhos recentes, algunos observadores pen- sabam que a rassa Corriedale iba en disminucao, sobre tudo pela forte competencia das novas rassas doble propossito, a Dohne em Uruguay, e a MPM na Patagonia argentina e chilena. Sin embargo, y para ser justo con mi- nha avaliacao, penso que un Corriedale moderno, com- prido, de boa carcassa carnicera, e cara descubierta, tem un bom futuro da mano da carne ovina e os cordei- ros. Em definitiva, o que conta es o produto comercial da la e da carne, a “ faturacao per ovelha “. Assim, acredito que “tenemos Corriedale para rato… “

Joaquín B. Allolio consultor – lanas, ovinos & guanacos jballolio@gmail.

com – ( 54.11 ) 4 8 0 6 – 7 5 5 1

(14)

Bernardo Iturralde e Daniel Barros foram os jurados na Fenovinos 2014 Grande Campeã - JEP 370, Cr. e Exp. Luiz Claudio Pereira/Fernanda Scardoelli e

Filhos, Cabanha Santa Cecília, Dom Pedrito, RS Grande Campeão - JEP 335, Cr. e Exp. Luiz Claudio Pereira/Fernanda Scardoelli e Filhos, Cabanha Santa Cecília, Dom Pedrito, RS

Fenovinos 2014 - uma festa em Santiago

A proposta inicial dos ovinoculto- res de Santiago em sediar a Fenovi- nos 2014, de 14 a 18 de maio, quan- do apresentaram e foram escolhidos em votação realizada em Julio de Castilhos um ano antes, transformou- se, evoluiu e ao final foi uma grande surpresa para todos os participantes.

As forças uniram-se – as Prefeituras Municipais e os Sindicatos Rurais de Capão do Cipó, Unistalda e Santia- go, o comércio, as entidades locais, os produtores da região e suas espo- sas – todos trabalharam para realizar um grande evento, que atraiu o pú- blico alvo e o público urbano, que vieram prestigiar o evento, fazendo com que o Complexo Esportivo Aure- liano de Figueiredo Pinto fosse trans- formado em um grande parque de exposições, com muitas atrações e shows, que propiciaram o interesse e a afluência de muita gente.

A programação começou com deslocamento ao município de Unis- talda, com recepção à beira da es- trada do senhor Prefeito e da maioria de seu secretariado, denotando a importância que estava sendo dada ao evento. O Dia de Campo progra- mado foi na Cabanha Figueira, de Maira Visintainer, que recebeu a to- dos com fidalguia, primeiramente na sede, onde contou um pouco da his- tória da secular propriedade. Depois

todos se deslocaram para as man- gueiras para revisar o rebanho de cria, as borregas dois dentes e dente de leite. Na volta foram mostrados os cavalos crioulos, que despertaram atenção de todos.

O almoço foi na sede do CTG, onde foi apresentado o projeto de ovinos que tem convênio com o Sindicato Rural, para valorizar esta atividade e aumentar o número de matrizes, consequentemente a ofer- ta de cordeiros para abate. Também falou aos presentes a presidente da ABCCorriedale, Elisabeth Amaral Le- mos, que expôs a parceria firmada com o Frigorífico Marfrig e a Associa- ção, para a certificação da carne de qualidade Corriedale.

Os criadores atenderam ao cha- mado e inscreveram seus animais, ocupando todo o galpão destinado, que possuía uma estrutura de salas para o escritório de remates, impren- sa, sala de estar para os visitantes, sala de reuniões, entre outras ativida- des.

Uma grande pista de julgamen- to foi montada, com divisões para o julgamento das diversas raças, com som individual para os comentários dos jurados, boa acomodação para o público assistente, bretes para os lotes de rústicos, local de remate, enfim tudo bem pensado, posto em prática e com o acompanhamento constante dos organizadores.

fotos: Gabiel Becco

(15)

15 CORRIEDALE

Beth palestrou no CTG sobre o projeto Carne

Certificada Corriedale A ABCCorriedale homenageia o Sindicato Rural de Santiago através de seus presidentes

Reservada Grande Campeã - Santa Amália 02, Cr. e Exp. Paulo Roberto Silva Assunção, Filho e Netos, Cabanha Santa Amália, Bagé, RS

3ª Melhor Fêmea - Paty 2469, Cr. e Exp. Carlos Alber- to Teixeira, Cabanha Santa Patrícia, Santa Margarida do Sul, RS

4ª Melhor Fêmea - FKL Monchi da Felicidade 1983, Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

Reservado Grande Campeão - Farroupilha 693, Cr. e Exp. Oscar Silva Vitorino, Cabanha Boa Nova, Santiago, RS

3º Melhor Macho - FKL Monchi da Felicidade 1997, Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

4º Melhor Macho - Letícia 2075, Cr. e Exp. Lauro Antônio Mandarino Fittipaldi, Cabanha Letícia, Barra do Quaraí, RS

Também as senhoras dos direto- res do Sindicato foram excelentes anfitriãs, acompanhando os visitan- tes e recebendo na sala de convi- vência com deliciosos salgadinhos e docinhos, chá, café e refrigerantes.

A raça Corriedale esteve muito bem representada com a participa- ção de 16 expositores, oriundos de 10 diferentes municípios, totalizando 66 animais. O julgamento foi feito pelo criador uruguaio Bernardo Iturralde, proprietário da Cabanha El Talar, em conjunto com o criador no município do Herval, Daniel Barros.

A entrega de prêmios foi na sede do Clube Militar, onde foi organiza- do saboroso jantar, com muito bom gosto na apresentação, terminando

com show de Julio Saldanha, que animou os presentes a dançar com sua linda voz e repertório.

Como expresso em placa de homenagem entregue no jantar, a ABCCorriedale quer mais uma vez

agradecer e parabenizar aos orga- nizadores deste evento, que cremos ter começado por ocasião do Gira do Corriedale no ano de 2013.

Acompanhe os resultados com- pletos da 26ª Fenovinos 2014.

FÊMEAS PO

- Grande Campeã,Campeã Ovino Jovem e Melhor Conformação – JEP 370, Cr. e Exp. Luiz Claudio Pereira/

Fernanda Scardoelli e Filhos, Cabanha Santa Cecília, Dom Pedrito, RS

-Reservada Grande Campeã e Reservada Campeã Ovino Jovem – Santa Amália 02, Cr. e Exp. Paulo Roberto Silva Assunção, Filho e Netos, Cabanha Santa Amália, Bagé, RS

- Terceira Melhor Fêmea e Campeã Borrega Menor – Paty 2469, Cr. e Exp. Carlos Alberto Teixeira, Cabanha Santa Patrícia, Santa Margarida do Sul, RS

- Quarta Melhor Fêmea e Reservada Campeã Borrega Menor – FKL Monchi da Felicidade 1983, Cr. e Exp.

Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

- Campeã Ovino do Futuro – JSF do Espinilho 142, Cr.

e Exp. Paulo Sergio Soares e Joaquim Soares Neto, Cabanha Espinilho, Bagé, RS

- Campeã Borrega Maior – Cabanha Oliveira Flor- estinha 69, Cr. e Exp. Sergio Luiz Oliveira, Cabanha Oliveira, Uruguaiana, RS

- Reservada Campeã Ovino do Futuro – Letícia 2210, Cr. e Exp. Lauro Antônio Mandarino Fittipaldi, Cabanha Letícia, Barra do Quaraí, RS

- Reservada Campeã Borrega Maior - Letícia 2140, Cr.

e Exp. Lauro Antônio Mandarino Fittipaldi, Cabanha Letícia, Barra do Quaraí, RS

- Terceira Melhor Borrega Menor – Três Marias 1870, Cr.

e Exp. Claudio de Medeiros Bofill, Estância três Marias,

Barra do Quaraí, RS

- Terceira Melhor Ovino Jovem – Santa Odessa ZOO 02288, Cr. e Exp. Luiz Carlos Engelhart Petrarca, Cabanha Quinta Santo Antônio, Lavras do Sul, RS

- Quarta Melhor Borrega Menor e Melhor Velo de Fêmea - FKL Traíras II da Felicidade 2007, Cr. e Exp.

Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

- Quarta Melhor Ovino Jovem - Santa Odessa Traíras 2290, Cr. e Exp. Luiz Carlos Engelhart Petrarca, Cabanha Quinta Santo Antônio, Lavras do Sul, RS

- 2º Prêmio cat. Borrega Menor lã inteira - Santa

Odessa 02292, Cr. e Exp. Luiz Carlos Engelhart Petrarca, Cabanha Quinta Santo Antônio, Lavras do Sul, RS - 3º Prêmio cat. Borrega Menor ½ lã – Tango 02, Cr.

e Exp. Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santana do Livramento, RS

- 3º Prêmio cat. Ovino Jovem - Três Marias 1613, Cr. e

Exp. Claudio de Medeiros Bofill, Estância Três Marias,

Barra do Quaraí, RS

- 4º Prêmio cat. Borrega Menor ½ lã – Tango 10, Cr. e

(16)

Exp. Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santa- na do Livramento, RS

- 5º Prêmio cat. Borrega Menor ½ lã – Tango 06, Cr. e Exp.

Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santana do Livramento, RS

- 6º Prêmio cat. Borrega Menor ½ lã – Tango 04, Cr. e Exp.

Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santana do Livramento, RS

MACHOS PO

- Grande Campeão, Campeão Ovino Jovem e Melhor Conformação – JEP 335, Cr. e Exp. Luiz Claudio Pereira/

Fernanda Scardoelli e Filhos, Cabanha Santa Cecília, Dom Pedrito, RS

- Reservado Grande Campeão e Reservado Campeão Ovino Jovem – Farroupilha 693, Cr. e Exp. Oscar Silva Vitorino, Cabanha Boa Nova, Santiago, RS - Terceiro Melhor Macho, Campeão Borrego Menor e Melhor Velo de Macho e da Raça – FKL Monchi da Felici- dade 1997, Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

- Quarto Melhor Macho e Campeão Borrego Maior - Letícia 2075, Cr. e Exp. Lauro Antônio Mandarino Fittipaldi, Cabanha Letícia, Barra do Quaraí, RS

- Campeão Ovino do Futuro – Farroupilha 733, Cr. e Exp.

Oscar Silva Vitorino, Cabanha Boa Nova, Santiago, RS - Campeão Ovino Adulto – Três Marias 1499, Cr. Claudio

de Medeiros Bofill, Exp. Sergio Luiz Oliveira, Cabanha

Oliveira, Uruguaiana, RS

- Reservado Campeão Borrego Menor – Paraísos JEP 1748, Cr. e Exp. Suc. Florício Silveira Soares, Cabanha Paraísos, Pedras Altas, RS

- Reservado Campeão Borrego Maior – Cabanha Oliveira Junior Primeiro 62, Cr. e Exp. Sergio Luiz Oliveira, Cabanha Oliveira, Uruguaiana, RS

- Terceiro Melhor Borrego Menor - FKL Monchi da Felici- dade 2002, Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, RS

- Terceiro Melhor Borrego Maior – Letícia 2057, Cr. e Exp.

Lauro Antônio Mandarino Fittipaldi, Cabanha Letícia,

Barra do Quaraí, RS

- Terceiro Melhor Ovino Jovem – Paty 1212A, Cr. e Exp.

Carlos Alberto Teixeira, Cabanha Santa Patrícia, Santa Margarida do Sul, RS

- Quarto Melhor Borrego Menor – Urumbeva 199 – Cr.

e Exp. Colbert Pereira Saretta, Cabanha Caldeirão, Caçapava do Sul, RS

- Quarto Melhor Borrego Maior – Três Marias 1615, Cr. e

Exp. Claudio de Medeiros Bofill, Estância Três Marias, Barra

do Quaraí, RS

- Quarto Melhor Ovino Jovem – Tapera 610, Cr. e Exp.

Suc. Gil Dutra de Faria, CabanhaTapera Branca, Herval, RS - 3º Prêmio cat. Borrego Menor ½ lã - Paraísos JEP 1747, Cr. e Exp. Suc. Florício Silveira Soares, Cabanha Paraísos, Pedras Altas, RS

- 4º Prêmio cat. Borrego Menor ½ lã - Tango 07, Cr. e Exp.

Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santana do Livramento, RS

- 4º Prêmio cat. Ovino Jovem Lã inteira – Paraísos 1715, Cr. e Exp. Suc. Florício Silveira Soares, Cabanha Paraísos, Pedras Altas, RS

- 5º Prêmio cat. Borrego Menor ½ lã – Cristal 1181, Cr. e Exp. João Batista Cardoso de Lima, Cabanha Cristal da Pedreira, Santiago, RS

- 5º Prêmio cat. Ovino Jovem lã inteira - Três Marias 1563,

Cr. e Exp. Claudio de Medeiros Bofill, Estância três Marias,

Barra do Quaraí, RS

- 6º Prêmio cat. Borrego Menor ½ lã – Cristal 1189, Cr. e Exp. João Batista Cardoso de Lima, Cabanha Cristal da Pedreira, Santiago, RS

MACHOS RGB

- Grande Campeão e Campeão Borrego Menor – FKL 647, Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, RS

- Reservado Grande Campeão e Reservado Campeão Borrego Menor – FKL 650, Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

FÊMEAS SO

- Grande Campeã e Campeã Ovino Jovem – Tat. 201, Cr. e Exp. Paulo Roberto Silva Assunção, Filho e Netos, Cabanha Santa Amália, Bagé, RS

- Reservada Grande Campeã e Reservada Ovino Jovem – Tat. 22, Cr. e Exp. Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santana do Livramento, RS

MACHOS SO

- Grande Campeão, Campeão Ovino Jovem e Melhor Velo – Tat. 41, Cr. e Exp. Adair Rodrigues Mota, Cabanha Pessegueiro, Santana do Livramento, RS

RESULTADO RÚSTICOS FÊMEAS PO

- Lote Grande Campeão, Lote Campeão Ovino Jovem, Melhor Rústica, Melhor Velo e Melhor Conformação (tat.

646) - Cr. e Exp. Oscar Silva Vitorino, Cabanha Boa Nova,

Santiago, RS

- Lote Reservado Grande Campeão e Lote Reservado Campeão Borrega Menor - Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS - Terceiro Melhor Lote e Lote Reservado Campeão Ovino Jovem - Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

MACHOS PO

- Lote Grande Campeão, Campeão Borrego Menor, Melhor Rústico e Velo (Tat. 1641) e Melhor Conformação

(Tat. 1649) - Cr. e Exp. Claudio de Medeiros Bofill, Estância

três Marias, Barra do Quaraí, RS

FÊMEAS RGB

- Lote Grande Campeão, Lote Campeão Borrega Menor, Melhor Rústica, Melhor Velo e Melhor Conformação (Tat.

663) - Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos, Cabanha Vista

Alegre, Pedras Altas, RS

- Lote Reservado Grande Campeão e Lote Campeão

Ovino Jovem - Cr. e Exp. Elisabeth Amaral Lemos,

Cabanha Vista Alegre, Pedras Altas, RS

(17)

C M Y CM MY CY CMY K

Anuncio_Jornal_Boletim_potensal_21x26cm_F.pdf 1 15/08/14 17:03

(18)

Carne Corriedale Certificada

Consolidação dos abates realizados

Foram realizados, no Frigorífico Marfrig, diversos abates com acom- panhamento da ABCCorriedale, através da certificadora contratada, Srta. Maria Alice Avellanal, acompa- nhada em alguns dias pelos direto- res da entidade, como Luiz Claudio Pereira e Elisabeth Lemos. Eles foram realizados nos dias 12/05, estando previsto o próximo para o dia 11 de agosto.

O trabalho da certificadora co- meça no recebimento dos animais nos currais, avaliando a definição da raça ou até 50% de cruzamento, conforme estabelecido no progra- ma. Depois da esfola, a colocação de etiquetas identificam os produtos Corriedale, que são avaliados por dentição, peso de carcaça e aca- bamento de gordura, sendo levados para as câmaras de resfriamento.

No terceiro dia é feita a desossa e os cortes embalados com os selos Carne Corriedale de Qualidade e colocados nas caixas, que também levam o selo da Associação.

No quadro abaixo o número to- tal de animais abatidos e dos ovinos Corriedale neste universo.

Baseado neste quadro abaixo, chegamos aos seguintes dados:

- Percentual de animais Corrie- dale em relação ao total de animais abatidos - 58,09%

- Percentual de machos Corrie- dale em relação ao total de animais abatidos - 59,14%

- Percentual de fêmeas Corrieda- le em relação ao total de animais abatidos -46,75%

Estima-se que em torno de uns 10% dos animais não foram certifi- cados, seja por falta de cobertura ou por mutilação de carcaças em função de contaminação da lã. É re- comendado que os ovinos a serem abatidos devam estar com, no má- ximo, lã de três meses, descascarea- dos para evitar a contaminação.

O importante é salientar que o percentual de 58% de Corriedale em relação ao total de animais abatidos refere-se ao nº de ovinos certifica- dos que, se somados aos não certi- ficados, chegaríamos a aproximada- mente 68% (Corriedale) do total dos ovinos abatidos, o que ao encontro do que é apregoado, a raça Corrie- dale é a mais criada no Rio Grande do Sul, com mais de 65% de animais do criatório gaúcho. Este dado é importante para os criadores de Corriedale, pois, no tempo de alta demanda de carne ovina, somente uma raça numericamente expressiva pode atender este mercado.

Outro grande fator para a cons- cientização dos criadores da raça Corriedale de que devem investir no aumento da criação, além de atender a demanda dos números, é de que o cordeiro e a carne ovi-

Carcaças de cordeiros

Total de animais abatidos: 7460 Total de machos abatidos: 5752 Total de fêmeas abatidas: 1708

Total de animais Corriedale abatidos: 4831 Total de machos Corriedale abatidos: 3868 Total de fêmeas Corriedale abatidas: 963

na Corriedale, criada a pasto no Rio Grande do Sul, traz um sabor diferen- ciado, proveniente de sua cobertura e entremeio de gordura, que tanto agrada o consumidor.

O momento é muito propício, de- vido aos novos mercados abertos para o Uruguai, grande fornecedor de cordeiros para São Paulo, região com forte valor agregado, já fideliza- do com a raça Corriedale, visto ser esta a mais criada no país vizinho, que agora está sem o abastecimen- to eficaz. É hora de o Corriedale gaú- cho suprir este mercado, pois temos o mesmo produto de qualidade.

Esta é a primordial meta da ABC-

Corriedale, fixar e valorizar a marca

Corriedale. Após a fidelização do

cliente, virá o retorno em termos de

remuneração ao produtor, agregan-

do valor ao produto produzido em

nossos campos.

(19)

19 CORRIEDALE

Producarne certificará a carne Corriedale

A Associação Brasileira de Cria- dores de Corriedale elaborou o Pro- grama de Certificação da Carne Corriedale, que teve seu início junto ao Frigorífico Marfrig, agora também será abraçado pelo Frigorífico Produ- carne, localizado em Dom Pedrito.

É mais uma empresa que acredita neste trabalho. O primeiro contato foi realizado na Estância Santa Ana, do associado e conselheiro fiscal Ed- mundo Torres, em um rápida conver- sa com Edson Endres, que demons- trou interesse no projeto.

No dia 15 de agosto passado, foi realizada uma visita do diretor te- soureiro Luiz Claudio Pereira ao Fri- gorífico, sendo recebido por Edson e seu filho Armando, quando foram analisadas as possibilidades da cer- tificação e produção dos cortes de cordeiro e de outras categorias. Ha-

Loja anexa ao frigorífico atende ao consumidor Frigorífico Producarne, agora certifica Corriedale

O frigorífico Producarne atua na Região da Campanha adquirindo animais de raças de qualidade su- perior. Esta é a forma que encontra de garantir aos seus clientes a segu- rança de obter produtos diferencia- dos que atendam a expectativa de um público conhecedor e exigente.

Oferece cortes de novilho e cordeiro, atendendo a boutiques de carnes, restaurantes, churrascarias, super- mercados e açougues. Apresenta cortes embalados a vácuo, o que garante a segurança de qualidade, como também, cortes fracionados e personalizados de acordo com a so- licitação do cliente.

Conta com equipamentos de última geração e suas instalações primam por exemplar condição de higiene e limpeza, além de rigoroso controle de qualidade. Atende dire- tamente o consumidor final em sua loja própria, que fica localizada junto ao frigorífico.

A loja Producarne tem atendi- mento de segunda à sexta, das 07:00 às 11:30 e das 13:00 às 18:30. Atende- mos também no sábado, das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:30.

Luiz Claudio reuniu-se com proprietários do Producarne

vendo reciprocidade de interesse, tanto por parte do Producarne como da ABCCorriedale, mais uma parce- ria foi estabelecida.

Os ajustes e preparativos para o 1º abate já foram providenciados e certamente na Expointer teremos a apresentação dos cortes com eti- queta Producarne e selo Qualidade Corriedale Gaúcho.

Muitas outras parcerias se abrirão

para comercializar a carne certifica-

da, pois este é um trabalho que a

ABCCorriedale colocou como meta

para melhor atender os produtores

corriedalistas. Fazer esta intermedia-

ção entre a indústria e os criadores,

entre a indústria e o mercado con-

sumidor faz parte dos objetivos do

programa.

Imagem

Referências

temas relacionados :