Guia do participante

Download (0)

Full text

(1)
(2)

Guia do participante

Este guia é um resumo das informações mais relevantes para todos os que vão participar no Trail d´El Rei. Se for o responsável por uma inscrição de grupo/equipa é

importante faça chegar esta informação aos outros participantes.

Este evento assinala a data da colocação da primeira pedra do Palácio Nacional de Mafra, dia 17-11- 1717, mandado erigir pelo Rei D. João V – O Magnânimo. O Palácio Nacional de Mafra abre as suas portas para o Trail d´EL Rei, visitando espaços habitualmente interditos à visita do público. Para além da passagem por espaços deste magnifico edifício, os trajetos percorrem, ainda, o Jardim do Cerco e a Tapada Nacional de Mafra, espaços de incontestável beleza. Estão reunidos os ingredientes para um evento único e o Rei D. João V não faltará à chamada, dando a partida do evento, acompanhado da sua corte e dos Frades Franciscanos.

Programa

Dia 12 de novembro, sábado (Intermarché de Mafra)

14h00 - Abertura secretariado (levantamento das inscrições), no Intermarché de Mafra 20h00 - Encerramento do secretariado

Dia 13 de novembro, domingo (Palácio Nacional de Mafra)

08h00 - Abertura do secretariado para levantamento das inscrições, no Palácio Nacional de Mafra (porta norte)

09h00 - Encerramento do secretariado e abertura da zona de partida 09h10 - Início do aquecimento coletivo

09h30 - Partida do Trail d´El Rei

10h30 - Abertura do Chá Real, nos claustros do Palácio Nacional de Mafra 11h00 - Entrega de prémios

11h00 - Abertura dos balneários (ténis) no Parque Desportivo Municipal de Mafra (a 1.700m do Palácio)

12h30 - Encerramento da zona de chegada 13h00 - Encerramento do evento

Evento solidário

A organização associou-se, em conjunto com o supermercado Intermarché de Mafra, ao projeto “ajuDAR” da C. M. Mafra, doando um bem alimentar não perecível por cada inscrito. Assim, convidamos todos os participantes a fazerem o mesmo, ajudando as pessoas mais vulneráveis do Concelho de Mafra. No dia anterior, no Intermarché de Mafra, das 14h00 às 20h00, ou no dia do evento, no Palácio Nacional de Mafra, os produtos poderão ser entregues no secretariado.

(3)

Levantamento das inscrições

Aconselhamos, vivamente, que venham levantar as inscrições no sábado (dia 12) em horário alargado das 14h00 às 20h00, no Intermarché de Mafra.

Se não tiverem a possibilidade de realizar o levantamento antecipado é muito importante que, no dia do evento, venham às 8h00, para evitarem a fila e possível demora.

Para levantamento da inscrição, no secretariado do evento, os participantes terão de fornecer o número do documento de identificação e o código do comprovativo de inscrição (enviado por e-mail no momento em que realizaram o pagamento). As inscrições poderão ser levantadas por terceiros, desde que os mesmos venham munidos dessa informação. As inscrições múltiplas (mais do que uma inscrição por referência multibanco) só poderão ser levantadas pelo responsável, ou por alguém que possua todas as informações referidas anteriormente.

Material obrigatório

Todos os participantes (incluindo os caminheiros) terão de utilizar o peitoral que lhes será fornecido. Só os participantes com peitoral poderão entrar nas áreas privadas. Haverá controlo de entradas.

Marcação do percurso

O percurso será assinalado com fita sinalizadora branca com o logótipo da Roteiros Aventura, e setas cor de laranja. Se deixar de avistar marcação durante 50 metros, volte para trás até ao local onde a viu da última vez.

Estacionamento

Existe estacionamento gratuito nas imediações do Palácio Nacional de Mafra, a norte e a sul, com cerca de 500 lugares de estacionamento.

Contacto S.O.S. da organização (só no dia do evento)

962 872 694

Seguro de acidentes pessoais

Liberty Seguros, número de apólice: 1000106210

Rastreio e sensibilização para a diabetes

No dia do Trail d´El Rei, a Câmara Municipal de Mafra promoverá, em conjunto com outras entidades, um rastreio e sensibilização da diabetes entre as 8h00 e as 10h30, no átrio do Palácio Nacional de Mafra. Todos os participantes poderão medir a usa glicemia de forma gratuita.

(4)

Descrição do percurso

A saída será realizada da frente do Palácio Nacional de Mafra percorrendo o Jardim do Cerco e a Tapada Nacional de Mafra (sob jurisdição da Escola de Armas). No interior da Tapada destaca-se a passagem pelo “Vale escuro”, Pinhal do Serralheiro, “Aldeia de Camões” (abastecimento), Forte do Juncal, Pinhal da Vela, Alto da Vela. A parte final do percurso inclui a passagem pelo corredor (“das aulas”) interior do Palácio, que atravessa o edifício de norte a sul. Os últimos metros percorrem todo o pátio da Basílica até à meta situada na frente do monumento. A quase totalidade do trajeto abrange áreas que não estão abertas ao público em geral, com principal destaque para os espaços no interior do Palácio Nacional de Mafra (corredor “das aulas” e pátio da Basílica). Haverá, no final do evento, um Chá Real gratuito para todos os participantes, nos claustros do Palácio Nacional de Mafra.

Palácio Nacional de Mafra

D. João V, o “Rei Magnânimo” (1706-1750), mandou construir um Palácio-Convento na Vila de Mafra em cumprimento da promessa que fez, caso a Rainha lhe desse descendência. Este grandioso monumento, construído numa época de grande prosperidade real em resultado da exploração de ouro e diamantes do Brasil, constitui uma obra-prima do Barroco Português. A primeira pedra da construção do edifício foi colocada dia 17 de novembro de 1717. No entanto, à data da sagração da Basílica, 22 de outubro de 1730, apenas estavam abertos os alicerces do que viria a ser o Palácio, que apenas começou a ser construído nos anos seguintes, sendo dado como concluído perto de 1735.

A vida de Corte no Palácio de Mafra ao tempo de D. João V foi relativamente escassa, pois o Rei adoeceu gravemente em 1742 e morreu em 1750.

Em 1806/1807 toda a Corte se instalou em Mafra, na atribulada época que precedeu as Invasões Francesas.

Em dezembro de 1807, as tropas francesas alojaram-se no Palácio sendo, alguns meses depois, substituídos por uma pequena fracção do exército inglês que aqui ficou até março de 1828. Após o conturbado período das Lutas Liberais, no reinado de D. Maria II, a Corte retoma o hábito de voltar a Mafra.

O Palácio de Mafra está também associado ao fim da monarquia em Portugal, pois acolheu o rei D. Manuel II na última noite que passou no reino antes da sua partida para o exílio.

Jardim do Cerco

Construído e traçado entre o Palácio-Convento de Mafra e a Tapada de Mafra (maior zona murada a nível nacional) este jardim tem o potencial único de articular estes dois valores – arquitetónico e ecológico – e juntar as duas peças da mais forte afirmação cultural da época barroca em Portugal.

Como jardim barroco, destacam-se os jogos de água e lagos, bem como os caminhos largos propícios à conversa e à contemplação.

Tapada Nacional de Mafra

A Real Tapada de Mafra foi criada em 1747 com o objetivo de proporcionar um adequado envolvimento ao Monumento, de constituir um espaço de recreio venatório do Rei e da sua corte e ainda de fornecer lenhas e outros produtos ao Convento.

(5)

Com uma área de 1187 hectares, a Real Tapada de Mafra é rodeada por um muro de alvenaria de pedra e cal, com uma extensão de 16 Km (maior zona murada a nível nacional). A Tapada foi dividida em três partes separadas por dois muros construídos em 1828, estando atualmente a primeira, com 360 hectares, sob administração militar (Escola das Armas). Desde o século XVIII até à implantação da República, a Real Tapada de Mafra foi local privilegiado de lazer e de caça dos monarcas portugueses, sendo contudo nos reinados de D. Luís (1861-1899) e de D. Carlos (1899-1908) que a Tapada conheceu o seu período áureo como parque de caça.

Forte do juncal

Integrado na 2ª linha defensiva dos de Torres Vedras, o Forte tem uma planta em forma de estrela, construído a 317 m de altitude, situa-se no centro de um conjunto de 19 redutos que controlavam as estradas e outros acessos a Mafra. Foi concebido para uma guarnição de 380 soldados e encontrava-se em apoio mútuo ao Forte do Sonível nº 76, ao Forte da Paz nº 86 e ao Forte do Pinheiro nº 87.

É uma construção exclusivamente em terra, com fosso interior escavado na rocha.

Dados técnicos dos percursos Caminhada 10km

Distância: 10.100m Desnível positivo: 307m Ponto mais alto: 303m Ponto mais baixo: 182m

Grau de dificuldade física: 2 (Classificação de 1 a 5 = mais exigente)

Tipo de piso: 90% trilhos e caminhos de terra batida; 10% passeio e estradas em alcatrão

Tempo limite: 3 horas

Material obrigatório: Peitoral fornecido pela organização e mantido ao longo de todo o percurso na zona frontal do tronco

Material aconselhado: Telemóvel com autonomia de bateria mínima de 3 horas, depósito de água, ou similar com capacidade para 0,5l

Pontos de Abastecimento: Aos 6.400m (constituído por água, refrigerante de laranja, biscoitos, maçãs, laranjas, bananas, marmelada) e no final do percurso (chá quente e biscoitos)

(6)

Caminhada 15km

Distância: 15.000m Desnível positivo: 478m Ponto mais alto: 321m Ponto mais baixo: 182m

Grau de dificuldade física: 3 (Classificação de 1 a 5 = mais exigente)

Tipo de piso: 90% trilhos e caminhos de terra batida; 10% passeio e estradas em alcatrão

Tempo limite: 3 horas

Barreira de tempo: Aos 8.100m os participantes podem seguir pelo percurso maior, se percorrerem a distância em 100 minutos. No caso de ultrapassarem esse tempo, serão encaminhados para o percurso menor

Material obrigatório: Peitoral fornecido pela organização e mantido ao longo de todo o percurso na zona frontal do tronco

Material aconselhado: Telemóvel com autonomia de bateria mínima de 3 horas, depósito de água, ou similar com capacidade para 0,5l

Pontos de Abastecimento: Aos 6.400m (constituído por água, refrigerante de laranja, biscoitos, maçãs, laranjas, bananas, marmelada) e no final do percurso (chá quente e biscoitos)

Gráfico de altimetria:

Corrida 15km

Distância: 15.000m Desnível positivo: 478m Ponto mais alto: 321m Ponto mais baixo: 182m

Grau de dificuldade física: Trail curto grau 2 (Grau de 1 a 4 = mais exigente – Classificação ITRA)

Grau de dificuldade técnica: Fácil

Tipo de piso: 90% trilhos e caminhos de terra batida; 10% passeio e estradas em alcatrão

Tempo limite: 3 horas

Barreira de tempo: Aos 8.100m os participantes podem seguir pelo percurso maior, se percorrerem a distância em 100 minutos. No caso de ultrapassarem esse tempo, serão encaminhados para o percurso menor

(7)

Material obrigatório: Peitoral fornecido pela organização e mantido ao longo de todo o percurso na zona frontal do tronco

Material aconselhado: Telemóvel com autonomia de bateria mínima de 3 horas, depósito de água, ou similar com capacidade para 0,5l

Pontos de Abastecimento: Aos 6.400m (constituído por água, refrigerante de laranja, biscoitos, maçãs, laranjas, bananas, marmelada e barras de cereais) e no final do percurso (chá quente e biscoitos)

Gráfico de altimetria:

O Palácio Nacional de Mafra, a Escola das Armas, a Câmara Municipal de Mafra, a Junta de Freguesia de Mafra e a Roteiros Aventura desejam um bom evento a todos os participantes.

Figure

Updating...

References

Related subjects :