A crise política argentina QUASI CERTA A REJEIÇÃO PELO CONGRESSO DA RENUNCIA DO PRESIDEN- TE ORTIZ - COMO SE DESENROLAM OS ACONTECIMENTOS

Texto

(1)

m •'¦:.

DIRETOR:

JOSÉ ROCHA VAZ . Redação e Administração *

ALFÂNDEGA, 120 .

im ^m *Bv

..,.'',*v.:.' , M'^f^$%f'-' * '%'¦¦

-¦>¦!¦ ¦¦¦.•:'¦¦¦;.»<.•• iw^i-,,,

'* •;

PREÇO

100 Réis

tei»*.

ANO XI Rio de Janeiro, Sábado, 24 de Agosto de 1940 NÚMERO 4.307

Concentração de tropas ns*

fronteira greco-albaneza

Agradecendo ao chefe do Go- verno os benefícios recebidos

CERCA DE 50 ATORES E ATRIZES RECEBIDOS PELO SR. GETULIO VARGAS

primeiro ministro e o chefe da De-

—fesppaiz—

©

Durante a manifestação de, ontem, no Palácio do Catele, o Presidente Vargas conversa cem os artistas teatrais

Getulio

FALECEU 0 ARCEBISPO, CARbirtt DE

ESPANHA

TOLEDO, 23 (T. O.)

— Morreu o arcebispo, cardial Gomma, primaz cia Espanha.

ri) A classe teatral prestou, na tar- de de ontem, ao presidente da Re- pública uma grande e significativa homenagem. Cerca de cincoenta artistas, representantes de varias companhias e empresas teatrais, tendo à frente Ifrocoplp Ferreira, 'compareceram5ío "'I»Rlaclo

db"Cft- tete afim de levar a sua excelen- ela a sua palavra de aplauso, soli- dariedade e agradecimento.

O salão amarelo do Palácio apre- sentava um aspecto festivo, porque as artistas em grande número, tra- 7ilam bouquês de flores naturais para ofertar ao chefe do governo.

O presidente Getulio Vargas re- cebeu oa artistas brasileiros à fren- te dos seus gabinetes Civil e Mlll- tar. Assim que o presidente che- gou ao salüo, ouviram-se prolon-

gadas palmas de saudação. Pro- copio Ferreira, em seguida leu um sugestivo discurso saudando o che- fe da Naçfto.

O sr. Getulio Vargas, em rápido Improviso, lembrou as Iniciativas

;do, gavemp, e*»l.l*yctr^çla,elfl*>*»,tea_- trnl. .Iá como "deputado

federal pelo Rio Grande do Sul, apresen- tara a CAmara um projeto de assis- tencla financeira e morai ao Tea- tro Nacional. Com aquela home- nagem, tinha oportunidade de sa- ber que suas determinações 'e stuw providencias1 a favor dos homens do teatro estavam sendo cumpridas • que eram os próprios artistas quem lhe trariam o seu testemunho.

Considerava-se, assim, num dia fe.

(Conclue na 3.* página)

LONDRES, 23 — (Afferijsia Nacional) — O Rei Jorge ; da Grécia — segundo noticias en- viadas de Atenas para a "B.

B. C." — teve esta manhã, bem cedo, uma conferência çs- pecial com seu primeiro minis- tro e com o chefe das defeàas do pais. Acredita-se que te- nham sido discutidas as úlfri- mas informações sobre conce,*»- trações de tropas na fronteira

jrrejeo-albanesa. i;

Não se fala no :. À

"ultimatum"

LONDRES, 23 — (Agencia Nacional) —- Os círculos gregos desta capital — de acordo eom

o que informa o radio inglês — náo fazem nenhuma referencia sobre os rumores de que a Da- lia enviara um ultimatum com o prazo de 24 horas, à Grécia.

As autoridades gregas armam a população

TIRANA, 23 (T. O.) — Desde há dias as autoridades gregas na 7.ona de Camuria Pinto, teriam começado a distribuir armas en- trs a população grega. Esta no- ticia é publicada hoje pelo jornal

"Tomori", de Tirana.

O jornal informa que a gendar- meria grega havia iniciado a for- macio de corpos de franco-atira- dores. Um coronel da gendarme-

(Conclue na 3.' página)

0 chanceler paraguaio no Gatete em Forte de Copacabana

S.EX. FOI AINDA HOME- NAGEADO NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

DO EXÉRCITO

O sr. Tomas Salomone, ministro das Relações Exteriores do Para- guai, visitou ontem, pela manhã, c Escola de. Educação Física do Exército e o Forte de Copacabana.

Acompanharam s. excia. nessas visitas o sr. Vicente Rivarok, chefe da representação diplomática daquele país amigo no Rio; o con- sul Jaime do Nascimento Brito, chefe interino do Cerimonial do Itamaratí; e o 1* secretario Lau-

(Conclue na 3.' página)

A crise política argentina

QUASI CERTA A REJEIÇÃO PELO CONGRESSO DA RENUNCIA DO PRESIDEN- TE ORTIZ - COMO SE DESENROLAM OS ACONTECIMENTOS

Torpedeado um transatlântico

®

NOVA YORK, 23 (T.

O.) — O Departamento Naval de Nova York infor.

ma ler sido afundado, em frente n costa da Irlanda, o vapor inglês "Geraldine. Ma- ry", de 7.344 toneladas.

BUENOS AIRES, 33 (A. N.) De acordo com as noticias que cir- eulavam hoje nos círculos polftl- cos desta capital, é quase certo que o Congresso venha a rejeitar por absoluta maioria a renuncia apre- sentada desde ontem pelo Prest- dente Roberto Ortlz.

Essa» noticias íoram corrobora-

das às primeiras horas da tarde, ao ser anunciado que o Partido Radical após a reunião dos seus membros dirigentes, assentara — em caráter deílnltlvo — votar con- tra a concessão da renuncia soli- citada pelo sr. Roberto Ortls, re- Jeitando, principalmente, os motl-

(Conclue na 3.* página)

——**¦

Ãtàq

O DIA DO SOLDADO

AMANHÃ, COM AS COMEMORAÇÕES DO DIA DO SOLDADO, ÉNCER- RAR-SE-Á A SEMANA DE CAXIAS

AS SOLENIDADES REALIZADAS ON TEM E AS QUE TERÃO LUGAR HOJE

¦MP1111**^

/mWSsSmMmmr ,««•.". ' ^'-j--1 ' ->v ^*HllllPllllIli

lmmW^Àr&mm^mliF**^ , ~

V^ i»

mm*bm2£mWl*$<:>ymM^ .-¦¦•&••¦•. $mffii?-ftâ%-<>-J$&*t

ttMBMBBMBMW^\»*ft\ %&€M m3*ím*^Ê mÊm^-w \ Hl &¦.£**£* mmWm BMBWmWgÊmmi'', >'«-- Im mMmw*mm^*W$$ÊÊÊÈÈÈÊm v; * mÈÊÈÊmm mmWlÈ^m^^mmàwf^^m^^- 5:J*Wm¥,Em

mmM-^***Wá" '^^Ê^m^^mwfí^a

mm |M^.-:.;t'f! ^*4%^u.cjMfyySSIHrl mmWM m***m***W$ ¦ .$$& WÊ&mm mm*^mtWW*m^^^^^m>^^ilíí ** m' * ? mmí&^m

m^Êmmm.ySS3*<í:'''¦'.Mmmm^-<-y^&>^i^mWm^^^^9*v & ' J*'*S¦¦$%$& '¦^•^^^•x^^-í

m*m**^WmJ*W*W^^^^&^^^^^^ ^M^máM^MSiki^^^iW

I lk., aM», ,,^WLmmWmk

fc^BÉIÍS*áff^v"' ¦¦¦j*&$gm Sil^S

Wfàt'***.^j*m W&fw *k&$Sm

mg?* IfmS^^.^^^^^Ê^

úmúmm^ÊÊr^m^W^^^^^^''^ H

Com intuito de dar a maior significação às homenagens ao DUQUE DE CAXIAS — Patrono do Exército e símbolo da Unida- de da Pátria — o 3." Regimento de Infantaria recebeu ontem, em seu quartel as representações do meio educacional do Estado Ho Rio do operariado da Estrada de Per- ro Maricá.

Justificou essa recepção a nc- eessidade premente do entrelaça- mento das autoridades civis e mi- luares, no sentido de uma com-

preensão dos imperativos patrió ticos, tendo em vista a criação de uma conciencia genuinamente bra- fileira, fator decisivo rio progres-

»o a da Defesa Nacional.

A festa constou de varias de- monstrações físicas realizadas pe- Io Grupo Escolar Pinto Lima, Es- rola do Trabalho, Escola Aureli- no Leal e pelo 3." Regimento de Infantaria. Houve, também, a dramatização de um episódio da Guerra do Paraguai — Passagem

(Conclue na 3.' página)

ues ae aviação e artilharia pesada

RESPONDERAM AS BATERIAS INGLESAS - AS ATIVIDADES AÉREAS SOBRE A INGLATERRA

-' i iü mu m > íííéü i m íüüh ' ' <*ml~wÊ***, * M^I» WÈ^^ÊÊ*

;-^íj^-mW%MmÊm*m, P^^^i^mmgm^ __\\m--. i w íwMWÊÊÈ>i WÊ& -y^^íwSL^ ^IPtÍImE W?Êiim

P9-^P« Bk •* -3ÊWT'

'ikX^é^W^^mX***^^ '"mmWm'---'' $m*\m

^ssjM^3mBSS*^mm\ nSsgSmW '< ' VStW r1 &$ymmmm\

W%.'âfm% m. ¦¦¦ iSÊmW wmm*

t'j*>:s«l mim Wk%iw$mmW "¦¦ "¦ ¦¦:"¦¦ wm H

WÊ0ÊÊW&' I^mí

w&WÊr Üa

jJfBS mm^y^^T^, '"- ãwaa

QPBWffwInWHfffiS^ ' "• ---&9n*T*v&eft*T**\f'---1 " '¦¦ ' lJ8m9H IwM^^I

m&mmÊm. ., fÊmWM

O MINISTRO DO PARAGUAI, SR. XOMAZ SALOMONE, NO CA- XEXE — Esteve, ontem, nn Palácio do Cutcte, afim ile. apresentai cumprimentos ao Chefe do Governo, p sr. Toinaz Salomone, ministro das Relações Exteriores do Paraguai, sua excin.; que se la/.ia acompanhar «Io ministro Vicente Rivarola, do major Perl Hevila- qua e do sr. I.auro Muller Filho, foi recebido pelo oficial de serviço, capitão Manuel dos Anjos. Momentos apôs, o ministro Salomone era cumprimentado pelo comandante Otávio rte. Medeiros, Chefe- Interino do Gabinete Militar ria Presidência. O sr. Getulio Vargas recebeu, logo depois, o chanceler paraguaio no Salão de Despachos.

O sr. Tomar. Salomone, nessa ocasião, agradeceu as homenagens que o Governo Brasileiro lhe vem tributando durante a sua visita ao Rio, O flagrante que Ilustra esta noticia rol tomado durante a palestra que O sr. Getulio Vargas teve eom o ministro do Paraguai

Destruídos quatro navios de guerra

italianos

A ação dos aviões ingleses na baia de Bomba, se- gundo o comunicado oficial publicado no Cairo —

As atividades aéreas na África

ESTOCOLMO, ÜS — <T. O.) — O porto de llover foi bomhardea- do pela artilharia alemã, da cos- ta francesa, negundo comunicado ingléa de hoje pela manhft.

O comunicado admite que te- nham ie verificado destrulçõe» de casas, sem outros detalhes.

A eficiência dos bom- bardeios a grande

distancia

NOVA YORK, 23 — (T. O.) — O bombardeio da costa sul dn In- glaterra pela artilharia de longo alcance alemft 4 publicado como sensação pelas edições matutinas rie quinta-feira da imprensa yan- kee, acrescentando largos comeu- tarios de peritos militares sobre a eficácia dos bombardeios a grande distancia.

Ao mesmo tempo publica foto- grafias telegraficas do ataque de

artilharia contra o comboio In- gles no Canal da Mancha.

Responderam os ca- nhôes ingleses

LONDRES, 38 — (Agencia Na- cional) Foi revelado hoje a tarde A British Ófficial Press, que n bombardeio alemã» a costa inglesa rie Kent foi imediatamen.

te respondido pelos canhões In- gleses de longo alcance.

Dover está sendo . evacuada

ESTOCOLMO, 23 — (T. O.) — Comunicam de Londres que Uo- ver está sendo evacuaria.

As autoridades até agora nfto deram ordem de evacuação da Cf- dade, mas os habitantes conside- ram a situação de Dover IA» pe- rigosa que cerca de dez mil pes-

(Conclue na 3.' página)

Aspecto fixado durante a visita do chanceler do Paraguai, ontem, ao forte de Copacabana

Bombardeando as po m siçoes germânicas

OS OUTROS OBJETIVOS ATACADOS PEIA AVIA*

ÇÃO INGLESA EM TERRITÓRIO ALEMÃO

LUNUKKS, 23 (Agencia .Nacio- nal) — O comunicado do Minis- terio do Ar hoje divulgado refere que os aviões britânicos de bom- bardelo atacaram ontem demora- damenle o trecho do litoral Iran- cês entre Roulogne « Calais, onde se acham Instaladas os canhões de

lonjto alcance alemães que ontem lucram lojro sobre um comboio britânico. Aepesar de intenso fojta da artilharia anti-aerea, a aviação britKnica manteve durante varias horas sob intenso bombardeio o trecho citado da costa francesa do

(Conclue na 3.* página)

O itifjiif ile Caxuü

LONDRES, 23 (Agencia Nacional) O comunicado oficial publicado no Cairo informa que a Kojal Air Force destruiu, na bafa de Bomba, quatro navios de guerra italianos.

Essas unidades são dois subinari- nos, um contra-torpedeiro e nm navio depósito para submarinos, que foram atingidos em cheio pe- Ias bombas dos aparelhos brlranl- cos. o comunicado Informa ainda que. nflo obstante n emprego de violento fogo anti-aereo e metra- lhadoras conjugadas, todos ns apa- relbos regressaram a salvo

Alexandria novamente bombardeada

LONDRES; 23 (Agencia Nacional) Notlcln-se, oficialmente, no cai- ro que Alexandria foi novamente atacada por sucessivas formações dc aviões Italianos. \% 'Irene* "r

alnrme soaram durante multo lera-1 (Conclue na 3.' páçina' po. Informações que a "B. B. C."

acaba de receber da capital egípcia.

Indicam que foram ouvidas poucas explosões na cidade e que o nu- mero de vitimas é pequeno.

Os bombardeios ingle*

ses na Somália Italiana

LONDRES. 23 (Agencia NaclonaI*i

— Informa a British Offlclal Press, baseada em comunicados recebidos do Cairo, que o aerodromo de Mo- gadiscio, na Somália Italiana, tem sido sujeito a repetidos bombar- deios aéreos por parte das esqua- drllhas de aviões mliltnres sul- africanos.

Na última dessas ações, os bom- burdeadores britânicos atingiram diretamente alguns transportes

Hffi8uE^fl S^wimStfP^^Si^SK-Sli^^K^^^^&^v? •yy$2i&&*iÊ******/' '¦'¦' ' :<9lk^^R ff sSãaMaM

¦^^^¦BH^^I^HHg *4T^r* ¦ ^^¦BfflMi^w.i&s&ss^^ :t^»M :' "'•¦>;". •r;>vN3aWB

<*"aaKi'cwfi*i"oH"**S5S*5'S ¦*y,^fti*Xv.,^*ivfl*''.VhV\v.-.-.-.- ^**^Êy&£!l*****m'£^B_w0&£^'-.¦ • -'¦—.•'¦*¦"¦L' ¦ ¦ ¦ ¦ ¦ ¦ ' ?*_v**^|llu*B**BâauHl ^^B^^^^^V*^ ' ^' v-'*S

x-^ãS^H s^B ^-^s^K^r^^BLB&y **"! ''^r^^^m*w^^^'.'^^s**\m **W^

¦¦

'^^^k^^^^^^^^^^^^Sl

^*m^****m^^^^^^^^2***%W^^^lA^Ê mm^^^-- «S

%^^^9 B^K^s^s^sK^yiir^^ vi:. "&

S^^^^a^K ' V] m^r"^\^***m ******\ â*^^^^ . '¦f.":í'v*>*^H

O "Blackhurn Roc" — o novo tipo de avião introduzido na R. A. F. E' armado com metralhadora» * um canhão com torre gi ratoria. — Foto British Neivs

O conjunto das operações

OS COMUNICADOS OFICIAIS DOS COMANDOS DA ALEMANHA, DA ITALIA, DOS MINISTROS DO AR E SEGURANÇA E DO ALMIRANTADO BRI TÂNICO

COMUNICADO DE GUERRA ALEMÃO

BERLIM, 2.1 — (T. O.) — O Alto Comando Alemão co- munica:

"Esquadrilhas de combate da arma aérea alemã atacaram durante vôos de reconhecimento armados, dois comboios, um na zona marítima de Berwik kc nutro nn estuário do Tâmisa, atin- I gindo rom varias bombas 1 navios mercantes. Ademais o aero-

dromo de Manston foi coberto eficazmente com bombas. No de- correr do dia travaram-se sobre a Inglaterra alguns combates aerens, favoráveis a nossos caças.

Durante ataques noturnos rontra vários aerodromos em ('orn-

«ali e nn território de Gales, bem como contra uma fábrica de aviões em Reading e uma fábrica de motores de aviação em Ko-

(Conclue na 3.' página)

(2)

mWXW

"

v M>

-*. ,

/:.'••¦.

PAGINA 2 Rio dc Janeiro, Sábado, 24 de Agosto de 1940 A BATALHA

K*.-

se

&

Lie da importação estrangeira a industria do cimento

Refsrem Tados estatísticos recentemente divulgados que, cm 1929, o Brasil importava 535.276 toneladas dc ciwcn- td no valor de fi2. 6(>2 con- tos de reis: no ano çí.asado, essa importação hav*S desci- do para 34.834 tonolsdas, no valor de 7.8S9 centos de réis, oa seja, um deaorW«imo cor- respondente a cerca de 65 "|*

relativo a tonclajem impor- tada. Ssgcndo ainia os mes- nos dados estatísticos revê- lados pelo Serviço de Esta- tística da Produção, foram produzidas ro Brasil, 87.160 toneladas, na ln\?ortancia de 12.121 contos de réis; em 1931, 167 115 toneladas, no valor de 28 Í„*5 contos; em 1932, 149.453 toneladas, no

?alor de 28.360 contos; em 1933, 225.680 toneladas, por 41.453 contos; em 1934 823.909 toneladas, por 64.600

«ontos; em 1935, 366.261 to- neladas, no valor de 75.328 contos; em 1936, 485.064 to- neladas, por 105.829 contos;

em 1937, 571.452 toneladas, por 125.342 contos; em 1938,

677.896 toneladas, no valor de 138.306 contos e em 1939, 697.793 toneladas, no valor de 159.302 contos de réis.

Houve, como se vê, um au- mento na produção de cimen- to nacional, dc 1930 a 1939, de cerca de 80 "l" relativa a to- nelagem produzida. Entre os Estados que mais produziram esse artigo, cm 1939, desta- cam-se o de São Paulo, com 840.570 toneladas; Rio de Ja- neiro, com 269.817 tonela- das; Minas Gerais, com 37.944 toneladas; Paraíba, com 36.829 e Espírito Santo, com 12.633 toneladas.

A industria nacional do ci- mento tem capacidade para assegurar completamente, den- tro de pouco tempo, todo o nosso suprimento de tão im- portante material de cons- trução que não está mais na dependência da importação estrangeira, motivo pelo qual o custo da construção não foi envolvido na influencia do conflito europeu, permanecen- do no mesmo nivel da fase anterior a guerra.

Proibida a importação das ce- aulas do Banco da Inglaterra

Uma nota esclarecedora da Fiscalização Bancaria

O Departamento de Impren- sa e Propaganda distribuiu a seguinte nota fornecida pela Fiscalização Bancaria, de açor- do com uma comunicação feita

• pela Embaixada Britânica nes- ta capital.

"1 — O governo inglês deei- diu que, salvo exceção abaixo, não será permitida, daqui por diante, a importação de notas do Banco da Inglaterra, no Kei- no Unido. Essa medida não vi- rá afetar de forma alguma as transferencias normais de es- terlinos efetuadas pelos bancos.

que continuarão a ser feitas nas condições vigentes.

2 — Afim de dar aos atuais possuidores de. notas esterlinas oportunidade de obter o seu va-

ARBORIZAÇÂO PARA AS VILAS OPERÁRIAS

O ministro do Trabalho dirige-se ao prefeito

No local denominado "vila Gua- rabú", da ilha do Governador, o

¦ Instituto de Aposentadoria e Pen- soes da. Estiva, vai construir uma vila para os seus segurados, cn- operando, desse modo, para mais rápido crescimento da edificação a da população ria referida ilha

• conseqüente aumento das ren- das da Prefeitura do Distrito Fe- deral, por efeito da valorização dos terrenos e maior arrecadação do imposto predial e- outros. E, como em correspondência com esse movimento progressista, seria altamente apreciável a arboriza- çâo da praça determinada no pia- no de construção da referida vila operaria, o ministro do Trabalho, sr. Valdemar Falcão, solicitou ao prefeito lesta capital se sirva de ordenar as providencias necessa- rias no sentido de proceder a re- partição competente da munici- palidade à aludida arborização.

Inr equivalente, concertaram-se as medidas seguintes:

O período marcado para a ul- timaçáo dessas medidas é cur- to, e providencias imediatas de- vem ser tomadas por aqueles que desejarem se valer dessa oportunidade. Em caso algum será o período prorrogado.

— As notas do Banco da Inglaterra que foram entregues a um Banco do Brasil até o fechamento dos negócios em 27 de agosto, serão creditadas à conta do Banco que as remeter para o Reino Unido, observa- das as seguintc.s condições:

1) Que as notas enviadas te- nham sido colocadas em uma Agencia dos Correios no Brasil, pelo banco remetente, até às 24 horas do dia 27 de agosto; 2) Seja telegrafadn pelos bancos remetentes, antes da abertura dos negócios em 28 de agosto, o total encampado. Esse tele- grama deve ser dirigido ao seu correspondente no Reino Unido ou ao correspondente de sua ca- sa matriz. Cada remessa con- signada deve acompanhar uma carta de banco remetente indi- cando que forma parte ou o to- tal da importância notificada por telegrama.

— As notas atualmente em trânsito do Brasil para o Reino Unido serão aceitas.

5_ — As remessas de notas serão, como de costume, sob risco dos remetentes.

6 — Todas as consignações que não se enquadrarem nes- sas condições não serão aceitas no Reino Unido para cobran- ça. As notas enviadas por par- ticulares ou outro que não um banco de reconhecida reputação aos seus correspondentes regu- lares no Reino Unido, não se- rão creditadas à sua chegada".

Extraordinário rendi- mento cultural do

trigo indiano 1

Um colono semeou 5 ks., na Baixada Fluminense, e já colheu 600—Outro tanto na segunda safra

eolf «5SS? ?! Í,nformaí9° Af?rI- lo devera produzir, ja este ano, cola noticiou ha dias que 8. Pau- cerca tle 10 toneladas de adlay, o chamado trigo indiano ou dos tró-

fl BATALHA

; RfiA PA ALFÂNDEGA N.« 130

|"P Caixa Portal 99

\- Redação, administração .&¦ t oficina*

Diretor:

JOSÉ ROCHA VAZ

Diretor 23-0714

; Secretario 23-0196

Telefones da Redação:

Redatores »S-0413

¦ Reportagtm de poUcla 23-1U63 Telefone oficial .. .. 33-888 Secção de Esportes .. 23-0413

Telefonei da Administração:

23-ÜH4II . .. 23-01)37 , .. 23-10S7 ' .. 23-1288 '

305000 Gerente

Couiaüílldede .. ., , Fubllcldadt .. .. .'.

Secção Teatral

— ASSINATURAS

•INTERIOR

¦ Semcst;<

An° . «ÕJUUÍ*

Sucursal em S.";o Paulo:

Rua Xavier de lolodo n." 30 1." andar.

EXPEDIENTE

Diretor responsarei, dr. R J Klbeiro de Carvalho

o su. i;;*,i..v\l hu.viz t

NOSSO IMiu (*l>H!tAI*')i

-"«i-ipiiiip m\*

picos

A esse fato auspicioso vem de

•» Juntar um outro nüo menos Importante e deveras surpreenden- te. Trata-se do rendimento excep- cional que obteve o colono do lote Í88 do Núcleo de Santa Cruz, na Baixada Fluminense.

Segundo comunicação levada ao conhecimento do ministro Fernan- ilo Costa, esse agricultor tendo se- meado 6 quilos de adlay, numa faixa de terra, recentemente sa- peada, de 44 metros de frente por 72 de fundo, colheu seis meses de- pois. mais de 600 quilos. Como o cereal em apreço dá duas colhei- tas, espera o referido colono obter quantidade Igual à anterior daqui a melo ano. Isto significa que os 6 quilos de adlay cedidos pelo Ml- nisterio renderão 1.200 quilos!

Informou o mesmo que a se- fnentelra foi feita em época im- própria, suportando chuvas tor.

renciais, o que Impediu, juntamen- te com a voracidade dos pássaros e outras aves, ter sido maior a primeira safra.

Os técnicos e os lavradores náo escondem seu entusiasmo pela ex- traordinaria colheita e o belo as- pecto do cereal, que se tornou alvo das atenções gerais. Para evitar confusões é "ora que fique escla- tecido quc o cereal adlay nào con- tem glutem, elemento que carac- tcrlza o gênero tritlcum, aplicável na fabricação do pio, Entretanto, o adlay pos.sur grande valor nutri- tivo por rrr multo rico om pro- tcina.

A campanha do trigo

Não se pode reconstruir uma Nação sem lutas e sem sa- crificios. Todas as grandes campanhas, que importam no re- erguimento econômico e moral da Pátria, envolvem o impera- tivo do'trabalho tenaz e esse trabalho representa, em si mes- mo, um combate perseverante e decidido a todos os interesses contrários ao bem nacional.

O Brasil Novo inaugurou a campanha do trigo. Essa cam- panha não é um gesto platônico de nacionalismo. E' a expres- são de uma necessidade imprcterivcl: a da nossa plena e defi- nitiva emancipação econômica. O pão é o alimento básico, pnr excelência. O trigo é, nois, um produto, que um país deve pos- suir para que, nn campo mai.s vital das importações, não fi- que na dependência de outros. Este é o objetivo principal da campanha do trigo, que consiste, como é obvio, num esforço inteligente e fervoroso para que não se verifiquem as fugas constantes de ouro, que afetam a nossa balança comercial.

Uma campanha dessa natureza, que significa a proteção das nossas divisas e a redenção da nossa economia, naquilo que ela tem de mais importante, nãn só não pode ser objeto de npi- niões equívocas, como tambem não pode sofrer protelações. O que está em jogo é o próprio direito da Nação brasileira de procurar bastar-sc a si mesma, produzindo, dentro do seu ter- ritorio, aquilo que é imprescindível à vida de sua população.

Por outro lado, a economia, como a natureza, não dá saltos.

Não é possivei realizar milagres em matéria econômica. As soluções dos problemas de uma Nação não podem ser soluções mágicas e não se improvisam da noite para o dia. Produzir tri- go no Brasil para o Brasil é o claro desejo de todos os brasi- loiros, é_a firme resolução do governo. Entretanto, como as es- pigas não caem do ceu e, sim, brotam do chão. após um labor aturado e pertinaz, compreende-se que ainda temos de esperar alguns anos até que cheguemos a possuir o trigo necessário ao nosso consumo. Enquanto não atingirmos esta situação, a so-- lução, que se impõe, como medida transitória, é o aproveita- mento de farinhas nacionais na fabricação do chamado pão mixto. O pão mixto, que entra hoje, todos os dias, nas casas do Brasil, é o símbolo da nossa vontade de emancipação eco- nomica. O governo adotou medidas severas de fiscalização para que nao sejam burladas as suas determinações sobre a mistura de farinhas. O fim dessas medidas é fazer com que seja respeitada a dosagem oficial, _ porque — é necessário que todos o saibam — se for observada essa dosagem, o pão nacional terá sabor agradável e não poderá ser considerado in- fenor ao chamado pão integral, o pão mixto é, para a eco- nomia brasileira, uma fonte de lucros, sob todos os pontos de vista. Graças a ele, poupamos, só no ano passado, 24 mil e /7fi contos de reis, somente devido an aproveitamento da fa- rinha de mandioca, que. tambem por este motivo, já é hoje uma nova e promissora industria.

APRESENTAÇÃO DE OFICIAIS

Apresentaram-se, ontem, os se- guintes oficiais :

A* Diretoria do Infantaria — Coronel Onofre Muniz Gomes de Lima, do Q. B. M., por ter de seguir para Mato Grosso, arbitrar as manobras da 9a *R. M.; ma- jores Carlos de Lemos Bastos, da .inspetoria Geral do 1° Gr. R.

M., por ter sido designado para árbitro das mano.oras da 9» R.

M, e ter de seguir para Mato Grosso; Joáo Dias Campos Ju- nior, da E. M., por ter de se- guir para São Paulo como repre- sentante da E. M., nas comemo- rações da "Semana de Caxias", bem assim por ter sido transferi- do do Q. E. M. para o Q. S.

P.; capitães Vallensteln Teixeira de Mendonça, adido a esta Dire- toria, por ter ficado adido, aguar- dando reversão e classificação;

João Armindo Correia da Costa, da E. M., por ter de seguir para São Paulo, no'comando de uma companhia de infantaria do Cor- po de Cadetes da E. M,; primei- ros tenentes Joáo Francisco de Paula Satamini, do S. G. H. E., por ter vindo de Porto Alegre em ferias; José Rabelo Machado, do 22o Bi Ci| p0r ler sido t.,ans_

ferido do íl" R. T. para o 22°

B, C., e ter obtido permissão para gozar parte do trânsito nes- ta capital; segundo tenente An- tonio Valim de Paiva, do 2" B.

C, por ter sido transferido do 1° para o 2" B. C.

A* Diretoria de Cavalaria — Capitão Luiz de Azambúja Car- doso, do 3" R. C. D. por ter de regressar ao corpo; 1° tenente Vi- cente Saguas Presas Junior, do Q. S., por tçr vindo de S. Paulo para servir á disposição do sr.

general comandante da 1» Região Militar.

A* Diretoria de Artilharia — Capitão Jurandir Carneiro Tosca- cano de Brito, do Q. E. M., por ter de regressar à sua sede, em São Paulo; escriturario Luiz Va- lentim de nAdrade, por termina- ção de dispensa do serviço, por motivo de moléstia.

A' Dirotoria de Engenharia — Por diversos motivos: coronel Mi- guel Salazar Mendes de Morais, por passar a responder pelo ex- pediente da Inspetoria de Enge- nharia, durante a ausência do sr.

general inspetor; tenente-coronel Firmino Fernando de Morais Car- neiro, da D. E., por ter sido exonerado e deixado o cargo de chefe do S. E. da D. Ae, e no- meado chefe de sub-secção da D.

E.; major Jorge de Oliveira Ti- noco, da D. Ae E„, por ter sido designado e assumir a chefia do S, E. da D. Ae E.

SEMANA DO SERVIÇO MILITAR

(De 26 de Agosto e 1" de Setembro)

A Pátria é uma religião a que Iodos devem servir com desinteresse.

DECRETOSLEIS ASSINADOS PELO CHEFE Dí NAÇÃO

Autorizando a alienação de imo- veis, He propriedade da União, si- tuados na cidade de Joàn Pessoa, Estado ria Paraíba, o presidente da República assinou o seguinte decreto-lei:

"Art.

1." — Fica autorizada a alienação rios seguintes imovei»

de propriedade -da União, situa- rins em João ressoa, Estado da Paraíba:

a) — terreno e benfeitoria na rua Barão rio Triunfo, junto ao prédio n. ,infi, com 19,.r>'n metros de frente e 352,82 metros quadra- dos;

b) — terreno e benfeitoria na rua Barán do Triunfo, esquina ria rua Maciel Pinheiro, com ,'11,92 metros rie frente e 2S5.79 metros qui.drarios.

Parágrafo único — A alienação será processada em concerrencia pública, na base de 15:000$000 pa- ra o imóvel da alinea "a" o ....

10:000?nrin pnra o imovei da eli- nea "1>", de acordo com a avalia- ção proceriidrta pela Diretoria do Dominio da União.

0 ministro da Guerra na Escola de Veterinária

O ministro ria Guerra esteve on- lem pela manhã nn Escola rie Ve- terinarin rio Exército, onrie foi recebido pelo comandante rio refe- ririo estabelecimento, major Al- miro Vieira. Daí o titular'da pas- ta da Guerra, seguiu para a Quin- ta da Boa Vista em companhia da- quele comando e nes^e logradouro público trabalhou durante algum tempo com a sua montada. En- contrando-se com os generais Sil- va Junior, comandante ria 1* Re- gião Militar e Mario José dc Pin- to Guedes, rio Estado Maior do Exército, e ministro Gaspar Du- tra assistiu os exercícios propa- ratorios para a parada de Sete de Setembro, do Batalhão de Guar- uas, sob o comanoo uo major Ciro Espírito Santo Cardoso e final- .nente asistiu o neí,ile da Com- panhia Motorisada daquele bata- lháo.

0 PATRONO DA SAUDE DO EXÉRCITO

Homologado o plebisci- to da revista militar

"Nação

Brasileira"

Na Dirtoria de Saude do Exer- cito, foi realizada ontem, à tarde, a cerimonia da leitura do decre- to governamental homologando o plebiscito promovido pela revista militar "Nação Armaria" para eleição do patrono do referido Serviço que, como é rio conheci- mento público recaiu no nome do saudoso general médico dr. João Sevcriano ria Fonseca.

Compareçam à 2a Seção da Secretaria Geral

da Guerra

Estão sendo chamados com ur- gencia à 2* Secção ria Secretaria Geral do Ministério da Guerra, os cidadãos Luiz dc França Junior, Afonso Tavares de Sousa, Salvador Marinho rie Paula Barros e Emi- lio Alves.

MAIS 800 RESERVISTAS DE 3a CATEGORIA

A 1.* Circunscrição do Recruta- mento. sob a chefia do coronel Manuel Hcnriques Gomes, forne- cera hoje, mais uma grande tur.

ma de reservistas. Cerca das 11 hores, no pátio interno do Quar.

tel General do Exército, cerca de S»n cidadãos que legalizaram a sua situação nerante o serviço mi- litar. prestarão n compromisso re- BUlamentár à bandeira e recebi*.

T"> os «cuj respertjvoj certifica- dos.

DA NOVA LEI SINDICAL

Despachou no D. N. T.

o ministro do Trabalho

O ministro do Trabalho, sr Valdemar Falcão, esteve, ontem, nn Departamento Nacional do Tra- halho e no Instituto de Aposcn- tadoria e Pensões rios Industria- rios, onde despacharam com S.

Ex. os respectivos diretor e presi".

nente, srs. Rego Monteiro e Pli- nio Cantanhede.

Pnr ocasião rio despacho no D.

N. T., o sr. Rego Monteiro, tra- tando da execução da nova lei sin- fiical, teve oportunidade de se rc- ferir à repercussão altamente fa- voravel que tem produzido a no- va organização sindical entre ' as diversas classes e que se reflete no grande número de assembléias gerais convocadas pera adaptação dos respectivos sindicatos ao novo regime legal. índice tambem. da colaboração eficiente das entida- fies sindicais com o poder públi- co, segundo as normas políticas Ho Estado Novo, é a cooperação que tem sido prestado pelas referi- das entidades na propaganda rin recenseamento geral do pais, a ser realizado no próximo mês.

Assim efetuaram assambléias rais, para propaganda do reccn-ge- seamento , entre outras, União rios Empregados do Comercio rio Rio dc Janeiro, a Federação Naci- onal dos Marítimos, o Sindicato oos Estivadores e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Terrestres, reuniões que foiani Presididas pelo diretor do Dcdar- tamento Nacional do Trabalho, com a presença do delegado rcziiü nal do Sen*. Nac. de Recenscamcn to, de outras autoririaries e grande numero dc associados, quc manifes taram sua alta compreensão rio significado social ria operação cen- sitaria

Art. 2." — Revogam-se as dis- posições em contrario".

Para atender as despesas da Comissão Mista Brasileiro-Bolivia- na de Petróleo o presidente da Ke- pública assinou deciJto-lei abrin- do, pelo Ministério do Exterior, o credito especial de 2.7i;i*620?000.

O presidente da República assinou decreto-lei abrindo, pelo Ministério da Fazenda, o crédito especial de 100:0005000, para nova instalação ria Delegacia rio Im- posto rie Renda em São Paulo.

Para concessão rie auxilio à Associação Comercial Industrial e Rural de Vacaria, pela realiza- çãn ria Exposição Agro-Pectiaria e Industrial que teve lugar naquela cidade, o presidente da Republi- ca assinou decreto-lei abrindo, pelo Ministério ria Agricultura, o crédito especial rie fi0:000?000.

O presidente ria República assinou decretos na pasta da Agri- cultura, autorizando, o cidadão brasileiro Gregorio rie Azevedo, a pesquizar pedras corarias em ter- i;enos situados no Município de Santa Tereza, no Estado do EspI- rito fganto, o cidadão brasileiro Mario Cario Tareto a pesquizar ralcareo nn Município de Dores rie Campos, rio Estado de Minas Ge- mis e "Tnrtustrias Luiz Duhcaux S. A." a reconstituir uma harra- gem no Rio Jaguarana, no Muni- cipio de Amaragí, Estario de Per- nambuco.

A viagem do general José Pessoa à bacia ama-

zônicr)

Conforme divulgamos ontem, o general José Pessoa inspetor da Arma rie Cavalaria, segue hoje, em avião militar para a bacia amazn- nica. S. Ex. viaja em companhia rie seu ajudante de ordens, capi- tão Humberto Pelegrine, e do 1."

tenente veterinário Manuel Pro- ença.

GALERIA DOS CHEFES DA ARMA DE CA-

VAIARIA

A solenidade de ontem na Inspetoria de Cava-

laria do Exército

Por iniciativa do general José Pessoa, inspetor de Cavalaria, foi inaugurada, naquele departamen- to, a galeria dos grandes chefes da arma de cavalaria. Assim, fo- ram inaugurados os retratos' dos generais Me.nuel Luiz Osório, marque?, de Herval; Manuel Mar- e,ues de Sousa, conde de Porto Alegre; brigadeiro José Joaquim de Andrade Neves, 2° barão do Triunfo; generais José Antônio Correia da Câmara, visconde de Pelotas; marechal José de Abreu, barão de Serro Largo; brigadeiro Vitorino José Carneiro Monteiro, barão de São Borja, e generais João Manuel Mena Barreto e João Propicio, barão de São Gabriel.

Foram tambem inaugurados os retratos dos imortais brigadeiros Antônio de Sousa Neto, Bento Manuel Ribeiro e David Carnei- ro. sendo que estes tfès últimos, íoram descerrados pelo ministro Gaspar Dutra.

Inaugurando a referida, galeria, falou o general Jor Pessoa, que fea um expressivo discurso, ten- do agradecido, em nome da fa- milia do general Osório, o sr.

Osório Mascarenhas, neto daque- le grande soldado, e pela familia Andrade Neves, o sr. Ari Barros Neto, que agradeceram a home- nagem prestada.

Estiveram presentes, alem do ti- tular da pasta da Guerra, os ge- neràis Silva Junior, José Meira de Vasconcelos, Isauro Reguera, Almerio de Moura, Alexandrino Ferreira da Mota, Artur Silio Por- tela, Felipe Antônio Xavier de Barros, Valentim Benicio da Sil- va coronel Lehmann Muller, che- fe da Missão Militar Americana, e grande número de oficiais.

Aos presentes foi servida uma

NOTICIAS

do Ministério da Guerra

0 cincoentenario do Asilo São Luiz para a Velihce

Desamparada

Bem justificadas, sem dúvida.

as comemorações que se celebra- ráo, amanhã, e que marcam o ini- ci de toda uma semana rie festas no Asilo São Luiz para a Velhice Desamparada, cm homenagem ao meio século de existência de tão útil e piedosa instituição. Obra grandiosa que reflete a bondade do seu fundador, o saudoso vis- conde Ferreira d'AImeiria e a dos continuadores dos seus esforços abençoados. O Asilo que se ergue, majestoso, na^ Ponta do Caju. aí está prestando'os mais altos sei- viços á Cidade, ao atingir seu meu centenário. Tres mil trezen- tos e trinta velhinhos já passa- iam pelos hunibrais de suas por- tas, sempre ahertas para acolher os desamparados da sorte. As grandes festas comemorativas ,-e iniciarão amanhã com homenasens nos benfeitores e associados e ¦.i- sita ao Asilo. No dia 27, pela ma- nhã, missa e à tarde linda festa oferecida aos velhinhos e aos quc trabalham nos diferentes setores da Casa. No dia 20 homenagem à Imprensa, com discurso do dr.

Carlos Ferreira de Almeinda e so- lo pelo soprano lírico sra. Alnie- rinha Castclar e colocação rie pia- cas comemorativas. No dia 1 dc Setembro o programa será encei- rado com Te-Deum e com uma grande homenagem à colônia pnr- tuguesa. fazendo-se ouvir o afi- nado nrfcão português, sob a rc- renein rio maestro Marques Coc- lho. Estarão presentes o corpo- coral, o conjunto musical e o gru- arieriades do Orfeão Por S

JUSTIÇA MILITAR

Convertido o julgamen- to em diligencia — Com- petencia do Conselho --

Denuncia contra um sargento

O Conselho Permanente de Jus- tiça da ,"!.« Auditoria converteu em diligencia o julgamento do militar Alarico Fraga da Costa, perten- cente ao 2." R. I., acusado de agressão na pessoa do capitão Hugo Mendes Vilela, afim rie que seja o mesmo submetido a exame de sanidade mental.

— O promotor Adalberto Bar- reto, titular da 2.' Auditoria, opi- nou pela competência rin Conselho de Justiça para sentenciar o pro- cesso instaurado peln crime rie deserção contra o 1." tenente da reserva naval aérea Fernando Borges.

Divergiu, assim, esse represen- tante do Ministério Público, da marcha que se deu ao processo na Auditoria da 5.* R. M., de Curi- tiba, submetendo-se o acusado a interrogatório na ausência do Conselho rie Justiça.

O auditor H. A. Magalhães de Almeida, concordando com a pro- moção, determinou fossem desig- nados dia e hora para o sorteio do Conselho de Justiça.

— O promotor Paulo Whitaker, em exercício dn II.« Auditoria, ofe- receu denuncia contra o 3." sar- gento Murilo Nascimento Rosas, pertencente ao Batalhão Vilegran Cabrita, pelo crime rie agressão a inferior, a Miguel Mendes, peln crime de resistência e cabo José Pereira do Nascimento, do Bata- lháo Vilagran Cabrita, por teenta- tiva de homicídio.

Miguel Mendes é do Regimen.

to Andrade Neves.

Secretaria Geral — Ga- binete do ministro da

Guerra

APRESENTAÇÃO DE OFICIAI.

GENERAL. —.Apresentou-se o sr.

general José Pessoa Cavalcante de Albuquerque, por ter de seguir pa- ra a bacia amazônica, a serviço.

APRESENTAÇÃO DE OFICIAL.

— Apresentou-se o capitão Home- ro Figueiredo Silveira, por ter sido exonerado, a podido, das funções de instrutor' da Policia Militar do Distrito Federal.

CONVITE. — O sr. diretor Ua Secretaria Geral dc Educação e Cultura da Prefeitura do Distrito Federal, em oficio n.» 175, de 20 do corrente, remeteu a esta Secretaria, o seguinte convite:

"A Secretaria Geral de Educação e Cultura realizará, por intermédio do Serviço de Museus da Cidade, deste Departamento, nos dias 24 e 25 do corrente, uma exposição do- cumental em homenagem a Caxias, que terá lugar no saguão do Pala- cio da Prefeitura e estará fran- queado à visitação pública das 11 às 18 horas em ambas as datas.

Em nome do sr. secretario geral de Educaçáo e Cultura, coronel José Borges de Castro, tenho a honra de convidar-vos a visitar esse certamen e pedir que seja o presente convite tornado extensivo a quantos, em quaisquer postos ou funções, cooperam convosco na elevada obra que vindes realizan- do..

Atenciosas saudações.

(a.) Amaral Peixoto."

INAUGURAÇÃO DE PAVILHÕES DOS DEPÓSITOS CENTRAIS DE MATERIAL. — Heallzar-se-á na próxima segunda-feira, 26 do cor- rente, às 10 horas, nos terrenos do antigo Jockey Clube, em São Francisco Xavier, a Inauguração de diversos pavilhões das Depósitos Centrais de Material de Engenha- ria e de Saude.

Para a cerimonia da Inaugura- çáo, o sr. ministro convida os se- nhores generais e os chefes de ser- viços e repartições.

UNIFORME. — calção cinza, tú- nica branca (desarmado).

De ordem do sr. ministro, a Pri- meira Região Militar providencie uma banda de música, quu deverá estar no referido local às 9 horas e 45 minutes.

PERMISSftES. — Concedo per- missão:

a) — Ao capitão rr.Sdtco dr.

Aramls Taborda de Ataide, da Quinta Região Militar, para vir a esta capital, dentro da dispensa em cujo gozo se acha;

b) — Ao segundo tenente far- macêutico Osvaldo Neves Barata, classificado no fi." Batalhão de Ca- çadores (Ipamerf). para interrom- per, durante o trânsito, sua via- gem em São Paulo.

(a.) — VALENTIM BENICIO DA SILVA. General dp Brigada, Secre- tarlo Geral.

CONFERE: — FRANCISCO DE PAliLA CIDADE, Coronel, Chefe Ho Gahlnete.

Diretoria de Infantaria

nn op Vi ' lueués.

BEBAM CAFÉ GLOBO

- O MELHOR E O MAIS SABOROSO _

BOM ATE' A ULTIMA GOTA!!!

GUARDEM AS CAPAS QUE TEM VALOR

""IT

IIIII —

I I I ¦*,!¦*¦ |I*<11LI JJJ».—¦¦JIBUmi.

Representará o Ministe- rio do Trabalho no Con-

gresso Brasiieiro de Geografia

O sr. Valdemar Falcão, minis- iro do Trabalho, assinou portaria, designando o tecnologista interi- no., Jaime da Nobrega Santa Rosa. para tomar parte, na qua- lidade de representante do Ml- nisterio do Trabalho, em substi- tuiçào do tecnologista Silvio Fróis rie Abreu, e juntamente com os demais fundoionarios jã designa- an», nos trabalhou do Nono Con- gresto Brasileiro de Geografia, a ruallrar-*e, dc 7 a i« ,u setembro prrtvimn, na capünl do E»t»do de j Santa Catarina.

PERMISSÕES. — Concedo per- missão:

a) — Ao primeiro tenente José Rabelo Machado, transferido do 11."

Regimento de Infantaria para o 22."

Batalhão de Caçadores, para gozar parte do trânsito nesta capital;

b) — Ao sub-tenento Elpldio Leite Cavalcante, transferido do 11." Regimento de Infantaria para o I/R. A. C, para gozar o tràn- sito nesta capital:

c) — Ao soldado Silvino Ramos de Oliveira, do Contingente do 1."

Grupo de Regiões Militares, para Ir à Barbacena (Estado de Minas) dentro da dispensa do serviço a lhe ser concedida.

MOVIMENTO DR PKSSOVL — DE SIB-TENENTE. — Transfiro, por conveniência dn serviço:

Do 20." Batalhão de Caçadores onde é excedente, para o 21." Ba- talhão de Caçadores, o sub-tenen- te Esmeraldlno Meneses de Olivel- ra, afim de preencher vaga, de acordo com a Portaria n." 2.599 de 23 de Janeiro de 1940

DE SARGENTO. - Transfiro:

Do Regimento Sampaio, onde e excedente, para a Companhia do Quartel General do Exército, o se- gundo sargento Narciso Pinto, o qual deverá se apresentar a refe- rida Companhia com a possível ur- gencia..

REINCIASAO DE SUB-TENEN- TE. — o comandante do 24.» Ba- talhão de Caçadores, em Radio nú- mero 396, de ontem, comunicou que, de ordem do excelentíssimo senhor ministro, relncluiu. no dia 21 do corrente mês, como adido — aguardando reforma — o sub-te- nente Benedito ciovis Oliveira Gu- terres.

TRANSFERENCIA PARA \ nE- SERVA REMUNERADA. - Foram transferidos para a reserva remu- nerada ficando adidos à 12 « Cir- cunscriçâo de Recrutamento, os sargentos ajudante Lino Ferreira França e 1.» sargento Natanlel Ri-beiro.

(»•) — BOANERGES LOPES DE SOUZA. General de Brigada. Dire- tor dc Infantaria.

CONFERE: — OTÁVIO MONTEI- RO ACHE*. Tenente-coronel. Chefe do Gabinete.

Diretoria de Artilharia

JvTGnXK-4fA° DE REGULA-

*v««A • ~ NOMEAÇÃO DE CO- MINSOLS. _ Ari„, „p CU||

plano para a organização dc regu- lamento* pnra a arma de Artilha- rin aprovado pr|0 Estado Maior Uo Exercito, nomeio as seguintes ro- nils«ftes:

A) - PRIMEIRA pARTI? __ .,.,.

Ti 1.0 iv _ A-i - (Nonienclatti-

ra p sprvlço do Material Krupp 7S

*''X T. R. mmlpinJ908): — Ca-'*

Ba-stos Neto. da Diretoria de Art!- -naria; primeiros tenente* Fernan- do Menc-cal Vilar, do Estado Maior- Silvio Valter Xavier, do r, , , Jaime Mouílnhr. Nilr»i „„ ,,

») - IHIMIlilV 1'ARIE - TI-

TULO IV - C-2 - (Nomenclatura e serviço do Material Sclüielder 15 C/18, T. R. modelo 1909): — ca- pitão Antônio Leite de Magalhães Bastas Neto, da Diretoria de Am- lharia; primeiros tenentes Cario»

Camulrano, da E. M., José Piru, de Araújo Rebelo, do G. E. e An- tonio Carlos de Andrade Serpa' do 1." Grupo de Artilharia de Doi«o

C) — PRIMEIRA PARTE ~ T,'.

TULO VIII — (Organização il„

lerreno): — Capitão Edson Pires Condeixa, da Diretoria de Artilha- ria; Francisco Saraiva Martins! d»

E. M. e José Augusto Pèrnahdes da E. A.

D) — PRIMEIRA PAK'1 F. — II- TULO VII — (Ligações e transníls- soes): — Capitães Antônio Lciin de Magalhães Bastos Neto, da Di- retoria de Artilharia; Araken de Oliveira, da E. M. e Ivanhoé Gon- çalves Martins, da E. A.

E) — PRIMEIRA PARTE — TI- TULO V — (Reconhecimento <•

ocupação de posição): _ Capitar-, Edson Pires Condeixa, da Diretoria de Artilharia; Gabriel da silva Santos, da E. A. e Newton Castp.

lo Branco Tavares, da E. M (a.) — ANTÔNIO FERNANDES DANTAS, General rie Brigada, Dl- retor.

CONFERE: — GLEISTHÈNÉS BARBOSA, Major, chefe rio Gabl- nete.

Diretoria de Engenharia

PERMISSÃO. — conrerln per- missão:

Ao major Luiz Agapito da Vel- ga, chefe da C. D. F. Betione. pa- ra vir a esta capital, a serviço d-.

mesma comissão.

LICENÇA A FUNCIONA KIO. - Foi concedida pela Secretaria O"- ral do Ministério da Guerra, nos termos dos artigos 154, 162 p 16á, do Decreto-Lei n." 1.713, ne 28 dr outubro de 1939. licença (noventa dias) a Jonas Porciunculã de Mo.

rais, escrevente da classe G. do Quadro I, classificado na Diretoria de Engenharia, a partir de 17 de Julho de 1940.

DESIGNAÇÃO DE OFICIAI, Pv- RA OBRAS. — Designo o major Paulo Mac Cord, para dirigir a exe- cução dos reparos urgentes e pin- turas nas casas 20 e 20-A do Mor- ro da Babilônia, a que se. refere n B. D. n." 195, de 20 dc aiosto -- item XXI).

REGRESSO DE OFICIAI. - CHEFIA DO S. E. DA SfiTIMt REGIÃO .MILITAR. - o tenente- coronel José Rodrigues Silva. chr.

fe do S. E. da Sétima Região Mi- litar, participou haver regresiado de Fortaleza, em 20 do correme, reassumindo, em conseqüência, ? = suas funções.

Deixou de responder pelo expc- dlente do S. E. o capitão Xisto Baia.

(a.) — RAIMUNDO SAMPAIO, General de Brigada, Diretor de En- gen imrla.

CONFERE: — PAULO DE Bl- TENCOURT A.MARANTE, M»|nr.

Chefe do Gabinete.

Q. G. da 1." Região Militar

APRESENTAÇÃO DE OFICIAI''

— Apresentaram-se ,1 este coman- do, ontem, os senhores:

Capitães: — Benedito Freitas Di- nlz, da I. R. T. G.. ontem, pnr não ter seguido para Vitoria, visto o navio em que devia viajar não ter podido seguir viagem; e, ho!.r por ter de ir à Petropoiis, presidir e dirigir o juramento à Bandeira pelas atiradores dessa cidadp p n*

de Cantagalo e Friburgo.

José Luiz Jansen de Melo. da I. R. T. G., por ter de ir à Vi- toria inspecionar os Tiros sitos ne=- sa cidade e assistir ao juramento à Bandeira dos atiradores, no dia 25.

Médicas drs. José d? Arruda Valim, por ter vindo a esta c.ipii.i!

a serviço a chamado do sr. CIipíp do S. S. R.

Norival Duarte Silva, do P.

A. V. M., por conclusão de trân- sito c ter de assumir suas funçfipf no F, A. V. M.

Primeiros tenentes: — Viren''' Saguas Presa."* Junior. do Quadro Suplementar, por ter sido postn >

disposição do excelentíssimo senho*

comandante desta Re-jiáo •. açsu- mir o comando da Escola desta Região Militar.

Mario Tupinambá Ribeiro, do D. C. C. B., por ter sido transi'- rido para o Hospital Centra! de Campo Belo e vir em trânsito com permissão.

Segundo tenente: — Antônio Va- lim de Paula, do 2." Batalhào d.»

Caçadores, por ter sido transferido do 1.» pnra o 2." Batalhão de Ca- çadores à disposição desta ResiSo.

RESULTADO DE INSPEÇÃO DB SAUDE. — Em Inspeção ilp smiie a que foram submetidos pola -Um- ta Militar de Sanrip riestp ('nanei General, foram julgados:

APTCS PARA O SERVIÇO DO EXÉRCITO: — Cabo Erasmo Aqui- no dc Oliveira, do 1." R. C. P : soldados Leonino José Sérvulo ria Silva, do Batalhão de Guardas: Ed- gard Silva e Valdemar José dos Santos, ambos do Batalhão de Guardas: Luiz Barbosa Braga. d*>

Companhia do Quartel General do Exército: João Ladislau. da 1.* *"•

I. R.: José Magalhães rie Castro.

do Contingente deste Quartel Ge- neral; todos para fins de engaja- mento; civis Renato Rodrigues Ve- reza e Narciso Marinho, ambos pa- ra fins de verificação de praça vo- luntariamente no BatfihSo rie Guardas.

INSPEÇÃO PE SAUDE. — Se.lin' Inspecionados de 'aurip |>pla Junta Militar ilp Saude ripstp Quartel üe- neral:

PARA FINS DE ENGAJAMENTO:

— Soldados artífices Zuleno Zeíe- rino Pereira e Ermógenes Barcelos.

ambos da 1.» F. I. R-: reservista de primeira categoria Antônio Fi- guciredo Soares, por ter requerido engajamento para o Centro de Pre- paraçâo rie Oficiais ria Reserva.

(a.) — FRANCISCO IO**E' '¦ • SILVA .11 MOR, General de OI"*

«ín.

CONFERE: — \l V\K" •.KM'*

Coronel Chefe do t- M A.

¦1

Imagem

Referências

temas relacionados :