1. 6: O 6: : :54-8:2. 3. O

10  Download (0)

Full text

(1)

Lição 4 para 28 de julho de 2018

(2)

1. Elegendo dirigentes. Atos 6:1-7. 2. O ministério de Estevam:

Pregação e oposição. Atos 6:8-15.

Discurso e admoestação. Atos 7:1-53.

Visão e morte. Atos 7:54-8:2.

3. O ministério de Felipe:

Em Samaria. Atos 8:3-25.

“Até o último da terra”. Atos 8:26-40.

contavam aos milhares, incluso entre os sacerdotes.

Mas nem tudo eram bênçãos. Surgiram problemas de relações entre os irmãos. Antes de que chegasse a ser causa de divisão, foram abordados e resolvidos. A eleição de dirigentes capazes não só resolveu um problema pontual, mas também contribuiu muito para que a igreja seguisse cumprindo a missão para qual havia sido fundada.

(3)

A

tos

6:1

-7

“E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão,

homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia;” (Atos 6:5)

O PROBLEMA

Embora todos fossem judeus, um bom número de

conversos procediam de lugares de fora da Judéia. Estes “gregos” se queixaram de discriminação no reparte das ajudas.

A SOLUÇÃO

Os apóstolos propuseram que se nomeasse pessoas que se encarregariam de “ministrar [diakineō] as mesas”, enquanto eles se encarregavam do “ministério

[diakonia] da Palavra”. Estes diáconos serviriam ou ministrariam as necessidades físicas e espirituais da igreja.

A IDONEIDADE

As características que deviam ter estes primeiros

dirigentes eram: Ter bom testemunho, estar cheios do Espírito Santo e possuir sabedoria.

(4)

-15 “E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e

grandes sinais entre o povo.” (Atos 6:8) Além de atender as necessidades da

igreja, Estevam fez um trabalho eficaz de evangelização entre os judeus da

diáspora (que não haviam nascido na Judéia).

Sua pregação levantou uma forte

oposição na sinagoga (v. 9). Como não podiam contradizer seus argumentos (v. 10), subornaram testemunhas falsos para acusa-lo diante do Sinédrio (v. 11). Basicamente, o acusaram de falar contra Moisés e o templo (v. 14). Isto implicava que, seguramente, Estevam falava

claramente de Jesus como o Cordeiro que tira o pecado (e faz desnecessários os sacrifícios do templo).

(5)

A

tos

7:1

-53

Estevam começou sua defesa falando da intervenção e cuidado de Deus na vida de NOSSOS pais.

Ao perceber a rejeição do Sinédrio,

Estevam interrompeu bruscamente seu discurso.

Então, passou a fazer uma dura admoestação (v. 51). Se separou completamente da atitude dos dirigentes, falando-lhes de VOSSOS

pais. Como seus pais haviam matado os profetas, assim fizeram eles com o

Messias. Em sua admoestação, não havia um chamado ao arrependimento. Ao rejeitar a obra de Estevam, o

(6)

-53 O discurso de Estevam segue o padrão dos discursos dos

antigos profetas. Veja a comparação com Miquéias 6.

Apresenta o pacto de Deus com seu povo

Miquéias 6:1-2 Atos 7:2-8

Recordam os poderosos atos de Deus

Miquéias 6:3-5 Atos 7:9-36

Recordam o pacto estipulado e suas violações

Miquéias 6:6-12 Atos 7:37-50

Indicam as maldições por violar o pacto

Miquéias 6:13-16 Atos 7:51-53

(7)

A

tos

7:54

-8:2

“Mas ele, estando cheio do Espírito Santo,

fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus;”

(Atos 7:55) Como vimos, Estevam mudou bruscamente seu discurso. Isto foi devido a atitude antagonista dos membros do Sinédrio.

Neste momento, Deus deu a Estevam uma visão da exaltação de Jesus. Enquanto ele estava sendo julgado na terra, compreendeu que seus acusadores teriam que responder, em seu momento, ao Juiz celestial. Enquanto era apedrejado,

elevou uma última oração. Uma oração de misericórdia para com seus assassinos. Esta oração ficaria marcada com fogo na mente de uma das testemunhas: Saulo de Tarso.

(8)

-25

(Atos 8:5)

Após a morte de Estevam, Saulo liderou um movimento de ataque contra a igreja. Tão dura foi a oposição, que muitos tiveram que sair de Jerusalém para salvar suas vidas.

Felipe desceu à Samaria. Cumpria assim a ordem dada por Jesus em sua ascensão (Atos 1:8).

Ao escutar a Felipe e ver os milagres que fazia, muitos abraçaram a fé. Pedro e João foram enviados para ver o que estava acontecendo. Por seu meio, os samaritanos receberam o Espírito Santo. Passavam a ser “membros de plena comunhão” da igreja cristã.

Embora os samaritanos aceitassem o Pentateuco (os cinco primeiros livros de Moisés) e esperassem o Messias, sua religião estava misturada com o paganismo.

(9)

A

tos

8:26

-40

“E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te, e vai para o lado do sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserta.” (Atos 8:26)

De pregar às multidões, Felipe passou

repentinamente a pregar a uma só pessoa. Um judaizante, tesoureiro da Etiópia,

necessitava compreender o Evangelho para poder prega-lo na África.

A igreja não podia deter-se na Judéia nem em Samaria. A mensagem da salvação devia ir a toda a Terra.

Depois de batizar o etíope, Felipe foi levado a Azoto, e pregou por toda a margem mediterrânea até chegar a Cesareia. Como o etíope, muitos outros levaram

(10)

“Em todos os séculos os escolhidos mensageiros

de Deus têm sido ultrajados e perseguidos; não

obstante, mediante seus sofrimentos foi o

conhecimento de Deus disseminado no mundo.

Todo discípulo de Cristo tem de ingressar nas

fileiras e levar avante a mesma obra, sabendo que

seu inimigo nada pode fazer contra a verdade,

senão pela verdade. Deus pretende que a verdade

seja posta pela frente, se torne objeto de exame e

consideração, a despeito do desprezo que lhe

votem. O espírito do povo deve ser agitado; toda

polêmica, toda crítica, todo esforço para

restringir a liberdade de consciência, é um

instrumento de Deus para despertar as mentes

que, do contrário, ficariam modorrentas”

Figure

Updating...

References

Related subjects :