Textos Alunos na Escola Municipal Gaspar Vianna. Ilustrações Maria Eduarda Medina Luiza Eduarda Vicente Rodrigues

Texto

(1)

0

E. M. José do Patrocínio Revisão:

Organização: José Eduardo Mendes

Organização

Prof. José Eduardo M. de Figueiredo

Textos

Alunos na Escola Municipal Gaspar Vianna

Ilustrações Maria Eduarda Medina Luiza Eduarda Vicente Rodrigues

E. M. Gaspar Vianna

(2)

1

(3)

2

Textos

Ana Clara Marques Pinto Borges (1803) Anna Letycia Silva Alves (1902) Arthur Quirino Generoso (1702) Beatriz dos Santos da Silva (1801) Brayan Erick da Silva Simplício (1901)

Cíntia Marola Ribeiro (1601) Danilo Berto Pereira da Silva (1702) Davi Barukh Lima Delmonego (1601)

Davi Borges Lima (1702)

Eduarda Bernardo Simão Matias (1903) Gabriel Gouvea Pereira (1801) Jackson Santos da Costa (1803)

Julia da Silva Dantas (1901) Laryssa Teles Sá da Silva (1901)

Rafael Pereira Ribeiro (1802) Rafaela Rodrigues do Amarante (1902)

Rodrigo José Motta Santos (1801) Thayná Braz de Lima (1803) Vitor Rogerio Gomes da Silva (1604)

Yasmim da Silva José (1804)

E. M. Gaspar Vianna Rio de Janeiro - 2021

(4)

3 Organização

Prof. José Eduardo M. de Figueiredo

Capa

Maria Eduarda Medina Santos da Rocha Nunes(1802)

Ilustrações

Maria Eduarda Medina Santos da Rocha Nunes(1802) Luiza Eduarda Vicente Rodrigues(1801)

Sinopse

Nathally Victória da Silva Ferrari(1801)

Realização

E. M. 05.14.023 Gaspar Vianna Sala de Leitura Monteiro Lobato

Jornal da Sala de Leitura https://www.emgvianna.com/jornal

Rua Heron Domingues, 122 – Irajá.

Rio de Janeiro/RJ Telefone: 3372-5041 emvianna@rioeduca.net

(5)

4

Apresentação

Este livro é uma produção conjunta dos alunos do 6º ao 9º ano da Escola Municipal Gaspar Vianna. Cada aluno participante contribuiu com os diálogos de uma parte da história, a sinopse da contracapa, o layout da capa ou as figuras que ilustram o livro. O trabalho foi bastante gratificante e produtivo, além de gerar diálogos divertidos e ensinamentos importantes.

(6)

5

Sumário

Chegando à escola... 6

Mais uma aula... 8

O novo aluno... 9

O que fazer? ... 11

Se aproximando... 15

O Bullying... 16

Agora são cinco... 19

Final... 22

(7)

6

Chegando à escola

Laryssa Teles(1901), Rafaela Rodrigues(1902), Gabriel Gouvea(1801) e Danilo Bert(1901)

Em um belo dia de aula, Cecília, Emerson, Bianca e Alberto chegam na escola por volta das 8 horas da manhã, e já começam a tagarelar.

- Bom dia galera, disse Emerson ao ver o grupo de amigos próximo a escada.

- Bom dia Emerson - disseram Bianca e Alberto em uníssono.

- Estão falando sobre o quê?

- A Cecília estava falando da música nova do BTS! É legal... Você já escutou?

completou Bianca.

- Ainda não, mas prometo escutar quando chegar em casa.

(8)

7

Cecília muda o assunto, já sabendo da resposta dos colegas

— Eita! Esqueci. Fiquei jogando futebol até tarde. Emerson falou e logo o grupo de amigos começou a rir.

— Ai, ai, só você mesmo Emerson, disse Bianca gargalhando.

Alberto começou a falar.

-Gente, hoje temos aulas bem legais, não é verdade? Eu estou animado.

Bianca respondeu.

- Gente, vocês fizeram o trabalho de

Ciências?

(9)

8

-Sim. Hoje vai ser um dia bem produtivo.

Priiiiiiiimmm!

- Vamos pessoal! Não quero chegar atrasado na aula. Disparou Alberto.

Mais uma aula

Davi Barukh(1601)

Na sala de aula, Cecília diz:

- É bom aprender Matemática, é bem interessante.

Alberto continua.

- Sim. Precisamos dela em certas áreas, como a criptografia.

- Depende da área também, Bianca entra na conversa.

Prossegue um debate sério sobre a Matemática até a professora entrar na sala e a aula começar.

(10)

9

Toca o sinal do recreio.

- Vamos pro pátio, convida Emerson.

- Vamos! Respondem os amigos.

O novo aluno

Arthur Quirino(1702) e Yasmim da Silva(1804)

Os colegas se encontraram no pátio e conversaram bastante, mas o isolamento de um novo aluno chama atenção

- O que vão fazer depois da escola?

Pergunta Alberto.

(11)

10

- Acho que eu vou desenhar um pouco, comprei lápis novos. Fala Bianca.

- Eu vou ler um livro que comprei ontem com a minha mãe, diz Cecília.

- Gente, por que aquele menino tá tão sozinho? pergunta Emerson.

Alberto olha ao redor e fala.

- Aonde? Que menino?

- Aquele ali?

Sim.

Alberto completa.

- Ele não participou muito da aula. Ficou na dele sem falar

com ninguém.

(12)

11

- A gente precisa fazer alguma coisa, fala Cecília

O sinal toca. É hora de voltar para a próxima aula. Alberto completa.

- Sim, mas depois, agora a gente tem que ir pra aula.

Eles voltam pra aula de Ciências.

Quando a aula termina, eles se encontram novamente no pátio.

O que fazer?

Sthefany Vitória(1902), Rodrigo José(1801) e Julia Dantas(1901)

(13)

12

- Nossa, a aula de Ciências estava muito boa, diz Alberto.

- É, verdade, mas vocês viram o aluno novo, todo isolado, parece que tá com medo, fala Cecília.

- Pois é, deve ser por que ele ainda não se enturmou, só isso, diz Emerson.

Acho que a gente pode fazer amizade com ele, fala Cecília.

- É, seria legal um amigo novo pra sair com a gente. Completa Bianca.

Assim que saíram da escola Bianca continua:

- Podemos conversar com ele amanhã, sermos simpáticos, sabe. Bianca diz quase como um murmúrio.

(14)

13

Emerson pelo contrário, não gostava nem um pouco da ideia, porque logo iriam criar amizade, e teriam um novo amigo. E Emerson é totalmente inseguro com novas amizades. Resolveu se manifestar

-Como assim o que você quer dizer com isso? -Perguntou Cecília.

- Quero dizer que estão se preocupando a toa. - Respondeu Emerson.

- Por que vocês se importam tanto? Ele pode se adaptar sozinho. Não precisa da ajuda de ninguém.

(15)

14

- E por acaso você nunca passou por isso também? Digo, nunca se sentiu mal com tal situação? Ver alguém excluído?

E os amigos se separaram, cada um com sua razão, e foram embora. Mas o papo continua no zap.

(16)

15

No dia seguinte, Emerson concorda que precisam enturmar o colega. Os quatro amigos resolveram conversar sobre como poderiam ajudar o novo aluno a

(17)

16

se integrar no grupo escolar. Como eles poderiam ajudá-lo nesse processo, e se aproximam dele para conversar.

Se aproximando

Rafael Pereira(1802), Davi Borges(1702) e Vitor Rogério(1604)

- Então, cara por que você prefere ficar sozinho? Perguntou Emerson.

- Na minha antiga escola, eu recebia bullying constantemente por causa dos meus óculos. Eu acho que todo mundo vai começar a me zoar de novo. Eu apenas não quero passar por isso novamente, responde Fabrício.

- Você não precisa se preocupar com isso, pode fazer amigos nessa escola, garante Emerson.

(18)

17

O Bullying

Ana Clara Marques(1803), Beatriz dos Santos(1801), Anna Letycia(1902) e Eduarda Bernardo(1903)

Mas o pior acontece. Ao entrar na fila para almoçar, o novo aluno ouve piadinhas com relação ao seu aspecto físico. Emerson defende Fabrício.

- Por que vocês não param com isso hein? Gostam de zombar dos outros pela aparência. Aparência não significa nada.

A tristeza e o medo de passar por tudo novamente voltam a cabeça de Fabrício. Parece que é somente mais uma escola.

Bianca, Cecília e Alberto chegam até os dois e falam.

(19)

18

- Nós iremos te ajudar, também não achamos graça naquilo que eles falaram.

- Nós temos que ir à direção da escola, disse Emerson.

Logo depois, os cinco chegam na sala da diretora e falam que precisam conversar com ela algo muito sério.

- Oi! O que estão fazendo aqui hein?

Precisam de ajuda? Cecília responde.

- Diretora, viemos para falar sobre um assunto sério. Tem uns garotos mexendo com o aluno novo da nossa sala.

(20)

19

Bianca fala que dois alunos estavam fazendo bullying com Fabrício.

Nisso a diretora pede para que Fabrício diga a ela detalhadamente quem são os alunos e o que eles falaram. Depois de uma longa conversa, a diretora toma as medidas cabíveis ao acontecido.

Pede pra chamar os meninos que estavam praticando o bullying com Fabrício, pede que eles se desculpem com ele e procura orientar a todos para que isso não se repita.

No dia seguinte, a diretora chamou todos os responsáveis para conversar sobre o ocorrido. Fabrício se

(21)

20

sentiu mais tranquilo com seus novos amigos.

Agora são cinco

Thayná Braz(1803) e Brayan Erick(1901)

- Obrigado amigos por terem me ajudado.

- Não é necessário agradecer, Fabrício.

Nós estamos nessa luta para que nenhum aluno sofra discriminação aqui na escola, diz Cecília

- É verdade. Os outros alunos precisam entender que todos nós somos iguais, completa Bianca

- Isso! merecemos respeito. Fala Alberto.

Emerson espera os colegas terminarem e diz:

(22)

21

- Isso mesmo parceiros. Vamos mostrar a eles que não importa se somos altos ou baixos, gordos ou magros, com óculos ou sem óculos... isso não nos faz pior e nem melhor que ninguém.

- Olha Fabrício, eu realmente não sei o que acontecia na sua outra escola, mas aqui isso não é tolerado, fala Bianca.

- EXATAMENTE! Todos aqui temos gostos, corpos, rostos e jeitos diferentes, e aprendemos desde cedo que o lema da escola é “Viver, Aprender, Crescer e Entender” , é um por todos e todos por um. Completou Cecília.

- Mas não se engane, algumas pessoas não pensam igual a gente, e por isso

(23)

22

devemos lutar com sabedoria e segurança, disse Alberto.

- Em um momento eles zombaram dos meus pés que eram muito grandes, foi quando virei amigo dessas 3 pessoas legais. Eles avisaram a diretoria e ela corrigiu. Nos tornamos grandes amigos.

Venha não fique com medo, nos de um abraço, fala Emerson.

Todos se abraçam no refeitório.

- Muito obrigado gente, ninguém nunca me tratou assim, tenho a impressão de que seremos grandes amigos.

Então, naquele dia, eles se reuniram para organizar uma campanha para que não houvesse bullying na escola

(24)

23

com os colegas. É preciso educar os alunos para isso.

- Amigos! Valeu a pena vir para essa escola e encontrar vocês! Conclui Fabrício.

Final

Cíntia Marola(1601) e Jackson Santos(1803)

- Imaginem se o nosso sonho se tornasse realidade... e nós vivêssemos como adultos em um mundo em que os seres humanos se respeitam, afirma Emerson.

- É, imaginem só! Diz o novo amigo Fabrício.

- Seria maravilhoso! Completa Cecília E se nosso sonho se tornar realidade?

Comenta Alberto.

(25)

24

- Nós podemos tonar, sim, nosso sonho em realidade... É só nós fazermos no mundo o que fazemos aqui! Eu queria que, quando a gente fosse adulto, o mundo fosse melhor. Finaliza Bianca.

(26)

25

Bianca, Cecília, Alberto e Emerson estudam na mesma escola e são grandes amigos.

São jovens que gostam de se divertir, como é comum na sua idade. Mas já demonstram preocupação com a injustiça e o futuro. Isto é testado com a chegada de Fabrício ao colégio. Não deixe de ler esta história de amizade e respeito.

Nathally Victória (1801)

Imagem

Referências

temas relacionados :