• Nenhum resultado encontrado

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ MINUPAR PARTICIPACOES SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2022

Share "1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ MINUPAR PARTICIPACOES SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF"

Copied!
55
0
0

Texto

(1)

01.01 - IDENTIFICAÇÃO

01376-5 MINUPAR PARTICIPACOES SA 90.076.886/0001-40

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ

43200794642

4 - NIRE

Roberto José Fidyszewski

DRS Auditores 00995-4

293.455.960-20 01.03 - DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (Endereço para Correspondência com a Companhia)

Paulo Vicente Sperb

Avenida Senador Alberto Pasqualini 1535

95900-000 Lajeado RS

Sao Cristovao

051 3714-9400 3714-9400 3714-9400

051 3714-9400 3714-9400 3714-9400

01.04 - REFERÊNCIA / AUDITOR

EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO

01/01/2010

1 - NOME

2 - ENDEREÇO COMPLETO 3 - BAIRRO OU DISTRITO

4 - CEP 5 - MUNICÍPIO

7 - DDD 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEFONE 11 - TELEX

12 - DDD 13 - FAX 14 - FAX 15 - FAX

01.02 - SEDE

Avenida Senador Alberto Pasqualini 1535 Sao Cristovao

95900-000 Lajeado

051 3714-9400 3714-9400 3714-9400

3714-9400 3714-9400

3714-9400 051

RS

diretoria@minuano.com.br 1 - ENDEREÇO COMPLETO

3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

6 - DDD 7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEX

11 - DDD 12 - FAX 13 - FAX 14 - FAX

15 - E-MAIL

6 - UF

diretoria@minuano.com.br 16 - E-MAIL

2 - BAIRRO OU DISTRITO

1 - INÍCIO 2 - TÉRMINO

TRIMESTRE ATUAL

3 - NÚMERO 4 - INÍCIO 5 - TÉRMINO

TRIMESTRE ANTERIOR

6 - NÚMERO 7 - INÍCIO 8 - TÉRMINO

31/12/2010 3 01/07/2010 30/09/2010 2 01/04/2010 30/06/2010

9 - NOME/RAZÃO SOCIAL DO AUDITOR

11 - NOME DO RESPONSÁVEL TÉCNICO

10 - CÓDIGO CVM

12 - CPF DO RESP. TÉCNICO

(2)

02.02 - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO (Reais Mil)

1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 30/09/2010 4 - 30/06/2010

2 Passivo Total 11.461 11.756

2.01 Passivo Circulante 1.047 889

2.01.01 Empréstimos e Financiamentos 0 0

2.01.02 Debêntures 0 0

2.01.03 Fornecedores 0 0

2.01.04 Impostos, Taxas e Contribuições 586 534

2.01.05 Dividendos a Pagar 9 9

2.01.06 Provisões 0 0

2.01.07 Dívidas com Pessoas Ligadas 0 0

2.01.08 Outros 452 346

2.01.08.01 Salários a Pagar e Provisões 352 346

2.01.08.02 Outras Contas a Pagar 100 0

2.02 Passivo Não Circulante 109.163 102.529

2.02.01 Passivo Exigível a Longo Prazo 109.163 102.529

2.02.01.01 Empréstimos e Financiamentos 0 0

2.02.01.02 Debêntures 0 0

2.02.01.03 Provisões 0 0

2.02.01.04 Dívidas com Pessoas Ligadas 0 0

2.02.01.05 Adiantamento para Futuro Aumento Capital 0 0

2.02.01.06 Outros 109.163 102.529

2.02.01.06.01 Impostos, Taxas e Contribuições 265 276

2.02.01.06.02 Provisão para Perdas em Investimentos 106.308 99.736

2.02.01.06.03 Outras Contas a Pagar 2.590 2.517

2.03 Resultados de Exercícios Futuros 0 0

2.05 Patrimônio Líquido (98.749) (91.662)

2.05.01 Capital Social Realizado 9.711 9.694

2.05.01.01 Capital Social 9.694 9.694

2.05.01.02 Capital Social a Subscrever 17 0

2.05.02 Reservas de Capital 0 0

2.05.03 Reservas de Reavaliação 4.545 4.595

2.05.03.01 Ativos Próprios 0 0

2.05.03.02 Controladas/Coligadas e Equiparadas 4.545 4.595

2.05.04 Reservas de Lucro 0 0

2.05.04.01 Legal 0 0

2.05.04.02 Estatutária 0 0

2.05.04.03 Para Contingências 0 0

2.05.04.04 De Lucros a Realizar 0 0

2.05.04.05 Retenção de Lucros 0 0

2.05.04.06 Especial p/ Dividendos Não Distribuídos 0 0

2.05.04.07 Outras Reservas de Lucro 0 0

2.05.05 Ajustes de Avaliação Patrimonial 0 0

(3)

01376-5 MINUPAR PARTICIPACOES SA 90.076.886/0001-40

02.02 - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO (Reais Mil)

1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 -30/09/2010 4 -30/06/2010

2.05.05.01 Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários 0 0

2.05.05.02 Ajustes Acumulados de Conversão 0 0

2.05.05.03 Ajustes de Combinação de Negócios 0 0

2.05.06 Lucros/Prejuízos Acumulados (113.005) (105.951)

2.05.07 Adiantamento para Futuro Aumento Capital 0 0

(4)

Sem Ressalva

30/09/2009 30/06/2010

30/09/2010

01.06 - CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA

01.07 - SOCIEDADES NÃO INCLUÍDAS NAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS

1 - ITEM 2 - CNPJ 3 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Total

6 - TIPO DE CONSOLIDADO

Empresa Comercial, Industrial e Outras

1 - TIPO DE EMPRESA

Operacional

2 - TIPO DE SITUAÇÃO

Privada Nacional

3 - NATUREZA DO CONTROLE ACIONÁRIO

5 - ATIVIDADE PRINCIPAL Número de Ações

(Mil)

1 - TRIMESTRE ATUAL 2 - TRIMESTRE ANTERIOR

1 - Ordinárias 2 - Preferenciais 3 - Total Em Tesouraria 4 - Ordinárias 5 - Preferenciais 6 - Total

Do Capital Integralizado

289.800 0 289.800 01.05 - COMPOSIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL

289.800 0 289.800

0 0 0

0 0 0

1220 - Alimentos

4 - CÓDIGO ATIVIDADE

3 - IGUAL TRIMESTRE EX. ANTERIOR

96.600 0 96.600

0 0 0

7 - TIPO DO RELATÓRIO DOS AUDITORES

Abate e preparação de carnes de aves.

01.08 - PROVENTOS EM DINHEIRO DELIBERADOS E/OU PAGOS DURANTE E APÓS O TRIMESTRE

1 - ITEM 2 - EVENTO 4 - PROVENTO 5 - INÍCIO PGTO. 6 - ESPÉCIE E

CLASSE DE AÇÃO

7 - VALOR DO PROVENTO P/ AÇÃO 3 - APROVAÇÃO

(5)

7 - QUANTIDADE DE AÇÕES EMITID

VO PÚBLICO FEDERAL - COMISSÃO DE VALORES MOBILRIOS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS RESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS 1 - IDENTIFICAÇÃO DIGO CVM 76-5 9 - CAPITAL SOCIAL SUBSCRITO E ALTERAÇÕES NO EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO M2 - DATA DA ALTERAÇÃO 3 - VALOR DO CAPITAL SOCIAL (Reais Mil) 4 - VALOR DA ALTERAÇÃO (Reais Mil)

5 - ORIGEM DA ALTERAÇÃO

MINUPAR PARTICIPACOES SA

2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL (Mil)

Data-Base - 30/09/2010 05/04/20109.6949.694DESDOBRAMENTO NÚMERO DE AÇÕES193.2 0 - DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES ATA2 - ASSINATURA 1/2010 1/2010 09:36:16

(6)

02.01 - BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO (Reais Mil)

1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 30/09/2010 4 - 30/06/2010

1 Ativo Total 11.461 11.756

1.01 Ativo Circulante 8.427 8.393

1.01.01 Disponibilidades 35 1

1.01.02 Créditos 0 0

1.01.02.01 Clientes 0 0

1.01.02.02 Créditos Diversos 0 0

1.01.03 Estoques 0 0

1.01.04 Outros 8.392 8.392

1.01.04.01 Dividendos a Receber 8.392 8.392

1.02 Ativo Não Circulante 3.034 3.363

1.02.01 Ativo Realizável a Longo Prazo 3.034 3.363

1.02.01.01 Créditos Diversos 0 0

1.02.01.02 Créditos com Pessoas Ligadas 3.034 3.363

1.02.01.02.01 Com Coligadas e Equiparadas 3.030 3.359

1.02.01.02.02 Com Controladas 0 0

1.02.01.02.03 Com Outras Pessoas Ligadas 4 4

1.02.01.03 Outros 0 0

1.02.02 Ativo Permanente 0 0

1.02.02.01 Investimentos 0 0

1.02.02.01.01 Participações Coligadas/Equiparadas 0 0

1.02.02.01.02 Participações Coligadas/Equiparadas-Ágio 0 0

1.02.02.01.03 Participações em Controladas 0 0

1.02.02.01.04 Participações em Controladas - Ágio 0 0

1.02.02.01.05 Outros Investimentos 0 0

1.02.02.02 Imobilizado 0 0

1.02.02.03 Intangível 0 0

1.02.02.04 Diferido 0 0

(7)

VO PÚBLICO FEDERAL - COMISSÃO DE VALORES MOBILRIOS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS 1 - IDENTIFICAÇÃO 76-5MINUPAR PARTICIPACOES SA

RESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS 1 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Reais Mil) DIGO2 - DESCRÃO5 - 01/07/2009 a 30/09/20094 - 01/01/2010 a 30/09/20103 - 01/07/2010 a 30/09/2010

DIGO CVM2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 30/09/2010 Receita Bruta de Vendas e/ou Servos000 Deduções da Receita Bruta000 Receita Líquida de Vendas e/ou Servos000 Custo de Bens e/ou Servos Vendidos000 Resultado Bruto000 Despesas/Receitas Operacionais(137.376)(7.104)14.706 .01Com Vendas000 .02Gerais e Administrativas(150)(412)(768) .02.01Administrativas(44)(331)(449) .02.02Honorios dos Administradores(106)(81)(319) .03Financeiras(66)(112)(229) .03.01Receitas Financeiras300 .03.02Despesas Financeiras(69)(112)(229) .04Outras Receitas Operacionais000 .05Outras Despesas Operacionais(8)(7)(20) .06Resultado da Equivancia Patrimonial(137.152)(6.573)15.723 Resultado Operacional(137.376)(7.104)14.706 Resultado Não Operacional000 .01Receitas000 .02Despesas000 Resultado Antes Tributação/Participações(137.376)(7.104)14.706 Provisão para IR e Contribuão Social000 IR Diferido000 Participações/Contribuões Estaturias000 .01Participações000 .02Contribuões000 Reversão dos Juros sobre Capital Pprio000 1/2010 09:36:18

(8)

VO PÚBLICO FEDERAL - COMISSÃO DE VALORES MOBILRIOS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS 1 - IDENTIFICAÇÃO 76-5MINUPAR PARTICIPACOES SA

RESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS 1 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Reais Mil) DIGO2 - DESCRÃO5 - 01/07/2009 a 30/09/20094 - 01/01/2010 a 30/09/20103 - 01/07/2010 a 30/09/2010

DIGO CVM2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 30/09/2010 Lucro/Prejuízo do Peodo(137.37(7.104)14.706 PREJUÍZO POR AÇÃO (Reais)

LUCRO POR AÇÃO (Reais)

NÚMERO AÇÕES, EX-TESOURARIA (Mil) 0,05075 (0,02451)(1,4221

289.800289.80096.60 1/2010 09:36:18

(9)

06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010

(Em milhares de reais)

1. Contexto Operacional

A Minupar Participações S/A tem por objeto principal a participação no capital de outras sociedades.

A controlada Companhia Minuano de Alimentos tem as suas principais atividades organizadas nos segmentos de industrializados, aves e suínos. Comercializa seus produtos nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, e exporta para países localizados no Oriente Médio, Europa, Ásia, África e América do Sul e Central. O parque fabril é formado por seis unidades industriais localizados nos estados do Rio Grande do Sul (4) e Santa Catarina (2). A

Companhia atua na produção própria e na prestação de serviços para terceiros nas linhas de abate, desossa e industrialização de carnes de aves e suínos, com contratos firmados até dezembro de 2012.

2. Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis

As informações contábeis contidas nas Informações Trimestrais - ITR foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, as quais abrangem a legislação societária, os Pronunciamentos, as Orientações e as Interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis e as normas emanadas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), no ano de 2009, emitiu diversos Pronunciamentos Técnicos, Interpretações e Orientações, os quais também foram aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM com vigência obrigatória para os exercícios sociais iniciados em 01/01/2010, devendo as Companhias reapresentar de forma ajustada as demonstrações financeiras do exercício comparativo.

Através da Deliberação CVM nº 603/09, o órgão regulador, prorrogou para 31/12/2010 a aplicação dos normativos editados e aprovados em 2009, o que

(10)

obrigará as Companhias a realizarem os ajustes retrospectivos e a conseqüente reapresentação das Informações Trimestrais - ITR durante o exercício de 2010 contendo os possíveis reflexos decorrentes das novas normas contábeis.

Desta forma, a administração da Companhia optou em apresentar as Informações Trimestrais - ITR de acordo com as normas contábeis vigentes em 31/12/2009, pois os impactos dos novos normativos nas demonstrações contábeis ainda estão sendo avaliados e quantificados. A mensuração dos respectivos reflexos envolve a análise de processos, controles internos, sistemas eletrônicos e outros aspectos relevantes que ainda estão em fase de elaboração, o que não permiti o adequado reconhecimento dos ajustes nas demonstrações contábeis e/ou Informações Trimestrais.

Na avaliação da Administração da Companhia os principais Pronunciamentos, Orientações e Interpretações emitidas pelo CPC que poderão ter efeito por ajuste e/ou divulgação nas suas demonstrações contábeis a partir do exercício findo em 31/12/ 2010, são os seguintes:

-CPC 16 – Estoques

-CPC 18 – Investimento em Coligada e em Controlada -CPC 20 – Custos de Empréstimos

-CPC 21 – Demonstração Intermediária -CPC 22 – Informações por Segmento -CPC 24 – Eventos Subsequentes

-CPC 26 – Apresentação das demonstrações contábeis -CPC 27 – Ativo imobilizado

-CPC 30 - Receitas

-CPC 32 – Tributos sobre o Lucro

-CPC 36 – Demonstrações Consolidadas

-ICPC 09 – Demonstrações contábeis individuais, demonstrações separadas, demonstrações consolidadas e, aplicação do método de equivalência patrimonial -ICPC 10 – Interpretação sobre a aplicação inicial ao ativo imobilizado e a propriedade para investimento dos CPCs 27, 28, 37 e 43.

3. Sumário das Principais Práticas Contábeis

a) Caixa e Equivalentes de Caixa

O caixa e equivalentes de caixa contemplam numerários em caixa, saldos de contas correntes bancárias e aplicações de liquidez imediata.

(11)

06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

b) Contas a Receber

As contas a receber são reconhecidas pelo regime de competência e são representadas pelas faturas emitidas com base em valores nominais. As contas a receber do mercado externo estão atualizadas pelas taxas de câmbio vigente na data do balanço.

A Administração da Companhia considera que os prazos concedidos na liquidação das contas a receber são inerentes as condições comerciais normalmente contratadas no mercado de atuação, não havendo característica de atividade de financiamento.

c) Provisão para Riscos de Crédito

A provisão para riscos de crédito foi constituída com base na análise da carteira de clientes, em montante considerado suficiente para cobrir as prováveis perdas na realização das contas a receber.

d) Estoques

Os estoques estão demonstrados pelo menor valor entre o custo médio de aquisição ou produção e o preço de mercado ou valor líquido de realização.

e) Outros Ativos Circulante e Não Circulante

Os ativos são apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos, as variações nas taxas de câmbio e as variações monetárias.

f) Investimentos

Os investimentos em sociedades controladas estão avaliados de acordo com o método de equivalência patrimonial. O resultado da avaliação tem como contrapartida uma conta de resultado operacional. Para os investimentos em controladas que apresentam o passivo a descoberto, foi constituída a respectiva provisão para perda registrada no passivo. Os demais investimentos estão demonstrados ao custo de aquisição, deduzidas de provisão para perdas estimadas na realização destes ativos, quando aplicável.

g) Imobilizado

O imobilizado está registrado pelo custo de aquisição, formação ou construção, acrescido de reavaliação espontânea, corrigido monetariamente até dezembro de 1995 e ajustado pelas depreciações acumuladas. As depreciações são calculadas pelo método linear sobre o custo de aquisição ou construção e reavaliação, com base em taxas determinadas em função do prazo de vida útil estimado dos bens.

(12)

As aves reprodutoras são registradas pelo seu custo de formação, que inclui o custo das matrizes, ração, medicamentos e mão-de-obra. Estes custos são acumulados por aproximadamente seis meses até o início do ciclo reprodutivo. A partir deste momento os custos das aves passam a ser amortizados linearmente.

O ciclo reprodutivo situa-se em torno de quatorze meses.

A Companhia decidiu manter os saldos existentes nas reservas de reavaliação, constituídas antes da vigência da Lei nº 11.638/07, até sua efetiva realização.

Em atendimento ao que determina o CPC 27, a Companhia contratou empresa especializada e procedeu, no exercício de 2009, a revisão e ajuste da vida útil econômica estimada para o cálculo da depreciação de seus parques fabris.

h) Intangível

O ativo intangível é avaliado ao custo de aquisição, deduzido da amortização acumulada e perdas por redução do valor recuperável, quando aplicável. Os ativos intangíveis são compostos de marcas e patentes, softwares e licenças de uso, os quais são amortizados levando em conta uma vida útil estimada de cinco anos. Os ativos intangíveis com vida útil indefinida não são amortizados.

i) Empréstimos e Financiamentos

Os empréstimos e financiamentos estão demonstrados pelos valores de contratação, acrescidos dos encargos pactuados, que incluem juros e atualização monetária ou cambial incorridos.

j) Imposto de Renda e Contribuição Social

O Imposto de Renda e a Contribuição Social são calculados, quando devidos, com base nas alíquotas estabelecidas pela legislação do imposto de renda e

contribuição social.

k) Outros Passivos Circulante e Não Circulante

Os demais passivos são demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, ajustados, quando aplicável, dos correspondentes encargos, das variações nas taxas de câmbio e das variações monetárias incorridos.

A Administração da Companhia considera que os prazos concedidos na liquidação das contas a pagar são inerentes as condições comerciais normalmente contratadas no mercado de atuação, não havendo característica de atividade de financiamento.

l) Ativos e Passivos Contingentes

Os Ativos Contingentes são reconhecidos somente quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis, transitadas em julgado. Os ativos contingentes com êxitos prováveis são apenas mencionados em nota explicativa.

(13)

06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

Os Passivos Contingentes são provisionados quando há possibilidade de perdas prováveis e os montantes envolvidos mensuráveis com segurança. As perdas consideradas possíveis são apenas mencionadas em nota explicativa e as perdas remotas não são provisionadas e nem divulgadas.

m) Patrimônio Líquido

A partir da Resolução CFC 1.283 de 28/05/2010, o Patrimônio Líquido Negativo deixou de ser chamado de Passivo a Descoberto, mantendo sua nomenclatura de Patrimônio Líquido.

n) Estimativas Contábeis

Na elaboração das demonstrações contábeis a Companhia utilizou estimativas para contabilizar certos ativos, passivos e outras transações. Portanto, essas demonstrações contábeis incluem estimativas referentes à vida útil dos bens do ativo imobilizado, provisões necessárias para passivos contingentes, determinações de provisões para imposto de renda e outras similares. Os resultados reais podem apresentar variações em relação às estimativas.

o) Apuração do Resultado

O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência. Inclui os rendimentos, encargos e variações monetárias ou cambiais calculados a índices ou taxas oficiais, incidentes sobre ativos e passivos, circulantes e não circulantes, bem como, quando aplicável, os efeitos de ajustes de ativos para o valor de mercado ou de realização.

p) Ajuste a Valor Presente

A Companhia concluiu não ser aplicável o ajuste a valor presente para os elementos do ativo e do passivo decorrentes de operações de longo prazo, ou de curto prazo, quando houver efeitos relevantes, conforme dispõe o CPC 12 (Deliberação CVM nº 564/08), uma vez que os ativos e passivos de longo prazo não são passíveis de ajuste, bem como os efeitos de curto prazo não são relevantes.

4. Demonstrações Contábeis Consolidadas

As demonstrações contábeis consolidadas foram elaboradas em conformidade com os critérios de consolidação previstos pelas práticas contábeis adotadas no Brasil e pelas instruções normativas da CVM, abrangendo as demonstrações

(14)

contábeis da Minupar Participações S/A e suas controladas, diretas ou indiretas, levantadas em 30 de Setembro de 2010, mencionadas a seguir:

% de Participação

Controladas Direta Indireta

Companhia Minuano de Alimentos - 96,1913

Sulaves S/A 99,9923 -

Valepar S/A 99,9837 -

Na elaboração das demonstrações contábeis consolidadas, merecem destaque as seguintes práticas:

a) A Minupar Participações S/A e suas controladas adotam práticas contábeis uniformes para o registro de suas operações e avaliação dos elementos patrimoniais;

b) Os saldos das contas patrimoniais e contas de receitas e despesas decorrentes de operações entre empresas consolidadas estão devidamente eliminados. Os investimentos em controladas são eliminados contra a proporção de patrimônio líquido incluída na consolidação por estas companhias;

c) As participações de acionistas não controladores nas sociedades controladas estão destacadas na apresentação das demonstrações contábeis consolidadas.

5. Caixa e Equivalentes de Caixa - Consolidado

3T2010 2T2010

Caixa Geral 4 12

Bancos Conta Movimento 85 86

Aplicações de Liquidez Imediata 1 1

Total 90 99

Os numerários em caixa, saldos de contas correntes bancárias e aplicações de liquidez imediata são os itens do balanço patrimonial apresentados na demonstração dos fluxos de caixa como caixa e equivalentes de caixa.

6. Clientes - Consolidado

Circulante 3T2010 2T2010

Clientes – Mercado Interno 3.263 3.213

Clientes – Mercado Externo 4.249 2.890

(-) Títulos Descontados (3.060) (2.174)

(-) Adiantamento Contrato Câmbio (68) (381)

(15)

06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

(-) Faturamento Antecipado (512) (443)

(-) Provisão para Riscos de Crédito (290) (303)

Total 3.582 2.802

7. Estoques – Consolidado

Circulante 3T2010 2T2010

Produtos Acabados 1.318 580

Produtos em Elaboração - -

Matérias-Primas e Materiais Auxiliares 904 913

Materiais Diversos 1.141 1.043

Total 3.363 2.536

8. Impostos a Recuperar – Consolidado

3T2010 2T2010

Circulante Não Circulante

Circulante Não Circulante

IRRF a Recuperar 5 - 5 -

ICMS a Recuperar 8.157 - 7.570 -

IRPJ a Compensar 4.473 - 4.473 -

CSLL a Compensar 1.664 - 1.664 -

Pis e Cofins a Recuperar 1.339 - 1.341 -

Crédito Prêmio de IPI - 19.842 - 22.839

Total 15.638 19.842 15.053 22.839

O saldo da conta “Crédito Prêmio de IPI” refere-se ao crédito sobre exportações resultante dos registros das competências, outubro de 1982 a outubro de 1990, habilitados pela Receita Federal do Brasil e deduzidas as compensações formalizadas até 30 de setembro de 2010. (demais informações referente Crédito Prêmioi IPI, ver Nota 19)

9. Investimentos em Sociedades Controladas

Valepar S/A Sulaves S/A

a) Principais Informações

Capital Social 709 6.900

Quantidade de Ações Possuídas (lote de mil) 1.442.103 15.602 % Participação no Capital Social 99,9837 99,9923

Patrimônio Líquido (95.916) (10.408)

(16)

Resultado Líquido do Exercício 14.077 1.649 b) Movimentação Provisão para

Perdas em Investimentos

Valepar S/A Sulaves S/A Total

Saldos em 30 de junho de 2010 (90.012) (9.723) (99.735) Resultado de equivalência patrimonial (5.889) (684) (6.573) Saldos em 30 de setembro de 2010 (95.901) (10.407) (106.308)

10. Imobilizado – Consolidado

3T2010 2T2010

Taxa Anual

%

Imobilizado Depreciação

Acumulada Líquido Líquido

Terrenos - 5.931 - 5.931 5.931

Edificações 4 51.685 (23.892) 27.793 28.204 Máquinas e Equip. 4-10 48.351 (29.328) 19.023 19.454 Instalações 4-10 17.593 (10.873) 6.720 6.943 Móveis e Utens. 4-10 3.825 (3.460) 365 364 Equip. Informática 20 1.793 (1.462) 331 335

Veículos 20 1.203 (891) 312 154

Vasilhames 10 478 (159) 319 173

Aves Postura 87 1.124 (341) 783 566

Imob. Andamento - 20 - 20 18

Outros - 12 (7) 5 2

Total 132.015 (70.413) 61.602 62.144

A movimentação do imobilizado no 3º Trimestre de 2010 foi

a seguinte:

Liquido

2T2010 Adições

Baixas

Deprecia-

ção

Liquido 3T2010 Terrenos

5.931

- - -

5.931 Edificações

28.204

74 -

(485)

27.793 Máquinas e

Equip.

19.454

164 -

(595)

19.023 Instalações

6.943

23 -

(246)

6.720 Móveis e Utens.

364

15 -

(14)

365

(17)

06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS Equip.

Informática

335 19

(4) (19)

331 Veículos

154

177 -

(19)

312 Vasilhames

173

159 -

(13)

319 Aves Postura

566

391 -

(174)

783 Imob.

Andamento

18

2 - -

20

Outros

2

3 - -

5

Total

62.144

1.027 (4)

(1.565)

61.602

A depreciação do ativo imobilizado referente do 3º Trimestre, foi distribuída nas seguintes contas:

3T2010 3T2009

Custo dos Produtos e Serviços Vendidos 1.524 1.801

Despesas com Vendas 3 2

Despesas Administrativas 38 41

Total 1.565 1.844

De acordo com o CPC 01 (Deliberação CVM nº 527/08) – Redução ao Valor Recuperável de Ativos – a Companhia não identificou perdas por redução ao valor de recuperação (impairment) em 30 de setembro de 2010.

11. Intangível – Consolidado

3T2010 2T2010

Marcas e Patentes 169 169

Programas de Software-Licenças de Uso 114 112

(-) Amortização Acumulada (68) (63)

Total 215 218

O ativo intangível é amortizado pelo método linear à taxa de 20% ao ano.Os ativos intangíveis com vida útil indefinida não são amortizados.

(18)

De acordo com o CPC 01 (Deliberação CVM nº 527/08) – Redução ao Valor Recuperável de Ativos – a Companhia não identificou perdas por redução ao valor de recuperação (impairment) em 30 de setembro de 2010.

A movimentação do intangível no 3º Trimestre de 2010 foi a seguinte:

Marcas e Patentes

Programas Software

Total

Valores Originais em 30 de junho de 2010 169 112 281

Adições - 2 2

Amortização - (68) (68)

Saldos em 30 de setembro de 2010 169 46 215

12. Instituições Financeiras – Consolidado

Os empréstimos e financiamentos junto às instituições financeiras possuem as seguintes características e condições:

3T2010

Instituição Financeira Encargos Vencimento Circulante Não Circulante

Banrisul S/A – ACC U$ + 6,8%aa 2010 1.205 -

Banrisul S/A – ACC U$ + 6,8%aa 2011 1.881 -

Banrisul S/A – CCI CDI +10,0%aa 11/2010 500 - Banrisul S/A – CCI CDI +4,3%aa 03/2011 417 - Bicbanco S/A – Giro CDI +1,3%am 08/2012 2.538 2.538 Bicbanco S/A – Giro CDI +1,3%am 04/2011 375 -

Daycoval S/A – CCB 2,2%am 01/2011 110 -

Outras – Limite Crédito - - 2.221 -

Arrendamento Mercantil - 2013 66 200

Acordos Bancários BB TR +1,0%am 01/2011 1.913 - Acordos Bancários BB TR +1,0%am 01/2014 4.828 4.668

Reaver TJLP+6,5%aa 05/2005 8.574 -

Total 24.628 7.406

2T2010

Instituição Financeira Encargos Vencimento Circulante Não Circulante

Banrisul S/A – ACC U$ + 6,8%aa 2010 3.541 -

Banrisul S/A – CCI CDI +10,0%aa 11/2010 1.245 -

(19)

06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

Banrisul S/A – CCI CDI +4,3%aa 03/2011 637 - Bicbanco S/A – Giro CDI +1,3%am 08/2012 2.378 2.774 Bicbanco S/A – Giro CDI +1,3%am 04/2011 440 -

Daycoval S/A – CCB 2,2%am 01/2011 629 -

Outras – Limite Crédito - - 1.147 72

Acordos Bancários BB TR +1,0%am 01/2011 1.850 - Acordos Bancários BB TR +1,0%am 01/2014 4.204 4.985

Reaver TJLP+6,5%aa 05/2005 8.333 -

Total 24.404 7.831

Os acordos bancários referem-se às renegociações de obrigações contratadas com o Banco do Brasil S/A e sobre os mesmos incidem juros de 1,0% ao mês mais TR. Os acordos possuem vencimento final em janeiro de 2011 (R$ 1.913) e janeiro de 2014 (R$ 9.496). Os acordos estão garantidos por garantias reais (hipoteca de imóveis e penhor de máquinas e equipamentos) e avais dos administradores.

A operação Reaver (Caixa-RS) encontra-se vencida e sobre ela incide juros de 6,5% ao ano mais a variação da TJLP e multas por inadimplência. A mesma está garantida por garantias reais (hipoteca de imóveis) e avais dos administradores.

13. Fornecedores de Ativo Fixo - Consolidado

Os fornecedores de ativo fixo referem-se a recursos contratados com terceiros para investimentos na Companhia, com as seguintes características e condições:

Circulante Não Circulante

Encargos Vencimento 3T2010 2T2010 3T2010 2T2010 CDI 01/02/2012 1.207 985 355 563 CDI +6,0%aa 20/12/2012 4.739 4.734 5.682 6.869

1,5%am 10/02/2011 106 118 - -

- - 406 406 - -

Total 6.458 6.243 6.037 7.432

(20)

14. Outras Contas a Pagar - Consolidado

Circulante Não Circulante

Encargos Vencimento 3T2010 2T2010 3T2010 2T2010 Indice Poupança 05/04/2012 251 246 167 205 Indice Poupança 10/04/2015 136 126 440 472

CDI - - 2.590 2.518

TR +0,5%am 15/01/2013 355 342 1.216 1.036

- - 2.441 1.714

Total 3.183 2.428 4.413 4.231

15. Salários a Pagar e Provisões - Consolidado

Circulante 3T2010 2T2010

Salários a Pagar 2.454 2.235

Provisão Férias e 13º Salário 7.075 6.462

Provisão Abono Salarial e Auxílio Escolar 664 290

Total 10.193 8.987

16. Impostos, Taxas e Contribuições - Consolidado

Circulante Não Circulante

Impostos a Pagar Vencimento 3T2010 2T2010 3T2010 2T2010

ICMS –

Parcelamento (SC)

2010 237 230 6 5

ICMS –

Parcelamento (RS)

2013 107 275 152 459

ICMS –

Parcelamento (SP)

2017 254 342 1.355 1.387

FGTS –

Parcelamento

2020 123 121 1.123 1.131

SESI/SENAI - Parcelamento

2013 189 189 449 483

Lei 11.941/2009 - Parcelamento

2024 449 449 72.575 70.817

IPTU Parcelamento 2010 16 32

ICMS - SC 18.658 18.657

ICMS - PR 911 902

ICMS - Subst.Trib. 169 91

PIS 29 34

COFINS 134 155

Referências

Documentos relacionados

semântico refletido nas estruturas que, de modo geral, são usadas como pedidos e ordens indiretos. As convenções de forma, por outro lado, especificam as unidades lexicais a

Esses três tipos de leitura propostos por Barthes serão claramente os inspiradores do modelo de investigação que Stuart Hall irá propor, em 1973, para o problema da decodificação

O comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), no ano de 2009, emitiu diversos Pronunciamentos Técnicos, Interpretações e Orientações, os quais também foram aprovados pela

O comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), no ano de 2009, emitiu diversos Pronunciamentos Técnicos, Interpretações e Orientações, os quais também foram aprovados pela

Conforme mencionado na nota explicativa nº 3.5, as contas a receber de clientes são ajustadas a valor presente pela taxa de juros efetiva na data da transação (nota explicativa

As demonstrações contábeis foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, suportadas na Lei das Sociedades por Ações e normas

O mesmo procedimento adotado para estimativas das temperaturas médias anuais (Tm) foi utilizado para obtenção das temperaturas máximas anuais (Tx), sendo as

No mérito, ambos os réus pretendem que se reconheça que o acidente teria sido causado por culpa exclusiva da vítima, que estaria trafegando em velocidade excessiva para o