A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implantação dos novos procedimentos contábeis.

Texto

(1)

A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implantação dos novos procedimentos

contábeis.

20ª Reunião do GTCON

(2)

Conteúdo

A Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro: estrutura e funcionamento

A implantação do PCASP – Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

A implantação dos PCP – Procedimentos Contábeis Patrimoniais

A implantação das DCASP – Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

(3)

CGE/RJ

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

(4)

CGE/RJ: estrutura

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Gabinete

SUASC SUNOT SUSET

Cosec’s (30)

SUGER SUPAC

Assessoria Administrativa

(5)

CGE/RJ: funcionamento

SUASC

Gerencia o sistema informatizado, preparando-o para os

registros e extração de dados

SUNOT

Normatiza a entrada de

SUSET

Através das Cosec’s, efetua os registros contábeis dos atos e

fatos das entidades estaduais

SUGER

Responsável pela

SUPAC

Transita por todas as

(6)

CGE/RJ: recursos humanos

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Quadro de Servidores da Contadoria Geral do Estado Analistas de Controle Interno 104

Analistas de Fazenda 05

Servidores Extraquadro 17

Estagiário – FIA 02

Estagiários – Nível Superior 02

TOTAL 130

(7)

A IMPLANTAÇÃO DO

PCASP

(8)

Curiosidade...

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

O Estado do Rio de Janeiro foi o primeiro ente da Federação, integrante do sistema SIAFEM, a implantar o PCASP.

(9)

Histórico da Implantação

2010 2011 2012 2013 2014 2015

Equipe da CGE/RJ toma conhecimento do PCASP e

inicia os estudos e planejamento dos trabalhos

Criação do GTCON/RJ, com subgrupo específico para

as atividades do PCASP

(Decreto 43.092/2011)

Criação de banco de dados

exclusivo do Siafem/RJ e elaboração do

DE/PARA

Início da utilização do

PCASP.

Revisão de todas as normas da

CGE/RJ

Preparação p/

convergir ao PCASP Estendido a partir de 2016 Publicação de

artigo s/

experiência do RJ-implantação

do PCASP

(10)

A partir de 2016...

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Siafe-Rio: novo sistema de execução orçamentária, patrimonial e financeira do Estado do Rio de Janeiro, com utilização do PCASP Estendido e diversas funcionalidades desenvolvidas para evitar erros de escrituração e facilitar o registro contábil pelos usuários.

(11)

Operacionalização do PCASP

Primeiros Passos: estudo do MCASP (4ª e 5ª edições, à época), especificamente da parte que tratava sobre o PCASP. Confecção do DE/PARA e análise dos impactos nas rotinas contábeis. Designação de um técnico da CGE/RJ exclusivamente para desenvolvimento dos trabalhos:

(12)

Operacionalização do PCASP

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Associando contas antigas às novas: para que o usuário do Siafem/RJ pudesse associar as contas do antigo plano de contas ao PCASP, foi disponibilizada a funcionalidade LISDEPCASP no sistema:

(13)

Operacionalização do PCASP

Transferência de saldos: para a consulta às contas que receberam saldos registrados com as codificações anteriores ao PCASP, foi disponibilizada a funcionalidade LISDEPARA:

(14)

Operacionalização do PCASP

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Preocupação com o usuário: quando possível, foram mantidos os mesmos eventos contábeis anteriormente utilizados pelos usuários para registros de atos e fatos, alterando o roteiro contábil para a nova estrutura do PCASP:

Codificação anterior ao PCASP

Nova estrutura de contas - PCASP

(15)

Operacionalização do PCASP

Dissociação das naturezas orçamentárias das contas contábeis de receita (VPA) e despesa (VPD): foi criada uma tabela no Siafem/RJ para facilitar o registro, fazendo com que, ao informar a natureza orçamentária, fosse automaticamente inferida a VPA ou VPD correta para cada caso:

(16)

Operacionalização do PCASP

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Estímulo aos registros patrimoniais: visando modificar a forte cultura orçamentária, alguns eventos tiveram alteração no roteiro contábil, a exemplo do evento de registro de receita que foi reestruturado apenas para escrituração por regime de competência. Se o regime fosse de caixa, o usuário deveria solicitar a criação de evento à SUNOT, embasando o seu pedido:

(17)

Problemas Enfrentados

Consolidação – 5º nível das contas: por se tratar de nova sistemática, quando da migração de saldos não foi possível estabelecer critério adequado no DE/PARA, resultando na necessidade de reclassificação de saldos:

(18)

Estratégia Adotada

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Criação de máscara no quinto nível da conta contábil, que identificará o tipo de consolidação a partir do cadastro do credor:

(19)

Problemas Enfrentados

Indicador de Superávit Financeiro: devido às limitações do Siafem/RJ, não foi possível desenvolver sistemática que possibilitasse a troca do atributo de ISF de P para F quando do empenho de despesas que possuíam passivo prévio.

Espelho contábil de empenho de DEA sem

registro de contas de passivo – classe 2.

(20)

Estratégia Adotada

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Disponibilização de campo Tipo de Reconhecimento de Passivo no documento Nota de Empenho, possibilitando segregar os empenhos que já possuem passivo, daqueles que ainda não ocorreu fato gerador da despesa:

(21)

Problemas Enfrentados

Estágio Em Liquidação: não adoção imediata do estágio Em Liquidação, em virtude da necessidade de mudança dos fluxos internos de informação dos órgãos. Necessidade de aprimoramento da contabilidade estadual, no tocante à tempestividade do registro.

Onde está a conta do EM LIQUIDAÇÃO?

(22)

Estratégia Adotada

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Com o Siafe-Rio, será possível utilizar o Em Liquidação, selecionando a opção Somente Reconhecer o Passivo, no campo Tipo de Contabilização do documento NL – Nota de Liquidação:

Todavia, permanece a necessidade de melhoria dos fluxos internos dos órgãos, de forma a viabilizar a obtenção da informação pela contabilidade de forma tempestiva.

(23)

Outras Ações - PCASP

Realização de eventos de capacitação junto aos profissionais de contabilidade do Estado para disseminar as novas práticas relacionadas ao PCASP:

(24)

A IMPLANTAÇÃO DOS PCP’S

PROCEDIMENTOS PATRIMONIAIS

(25)

Implantação dos PCP’S

Estratégia de Implantação –

Imobilizado e Intangível

(26)

Implantação Gradual

1ª Fase – Implantação dos Procedimentos –

Bens Móveis Início: 2014 Términodo Ajuste

Inicial: 2017

2ª Fase – Implantação dos Procedimentos –

Intangível Início: 2016

3ª Fase – Implantação dos Procedimentos –

Bens Imóveis Início: 2016

4ª Fase – Implantação dos Procedimentos –

Ativos de Infraestrutura

Início: 2017

Imobilizado e Intangível

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

(27)

Histórico – Imobilizado/Intangível

2011 2012 2013 2014 2015

2011 2012 2013 2014 2015

Criação do GTCON/RJ, composto pelo

subgrupo Imobilizado/

Intangível (Decreto 43.092/2011)

Realização de reuniões e elaboração de relatório com a

Metodologia e Tratamento do Imobilizado e

Intangível

Visita às Secretarias de

Estado, realização de capacitações e visitas técnicas

Marco Regulatório

com a publicação do

Decreto nº 44.489/2013.

Publicação de Portaria e Manual do Tratamento Inicial dos Bens Móveis.

Encerramento do primeiro

prazo do Cronograma de

Ajuste Inicial dos Bens

Móveis.

Elaboração da Regulamentação

e do Manual do Intangível

2016

Implantação dos procedimentos – Ativo Intangível

Publicação Decreto de Gestão de Bens

Móveis – 44.558/2014

(28)

Problemas Enfrentados

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

• Tecnologia;

• Quantitativo reduzido de servidores nos setores de patrimônio;

• Mudança de cultura;

• Desconhecimento dos novos procedimentos;

• Falta de padronização.

(29)

Estratégia Adotada

• Falta de Sistema Integrado;

Solução Temporária: Criação de planilhas para o cálculo da depreciação dos bens.

(30)

Estratégia Adotada

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Quantitativo reduzido de servidores nos setores de patrimônio;

Mudança de cultura;

Desconhecimento dos novos procedimentos.

Solução: Publicação de Manual, elaboração de apresentações, palestras e treinamentos.

Falta de padronização.

(31)

Estratégia Adotada

Treinamentos

Aspectos Contábeis

Prestação de Contas

Controle e Gestão de

Bens

Gestão de Bens Móveis

(32)

Estratégia Adotada

REDEBENS - Decreto 45.171 de 04/03/14

Art. 1º - Fica criada, no âmbito da Administração Pública Estadual, sem aumento de despesas, a REDE DE GESTORES DE BENS MÓVEIS - REDEBENS, tendo por objetivos padronizar os procedimentos relativos às atividades de gestão de bens móveis; fornecer aos gestores a orientação necessária para a boa execução de suas responsabilidades;

estimular o intercâmbio de conhecimento e de boas práticas administrativas entre os integrantes da rede e promover a capacitação e a atualização dos gestores de bens móveis.

(33)

Estágio Atual

Descrição Anterior 12/2014 06/2015 10/2015 Total (%) *

Executivo - Adm. Direta 4 10 18 18 67%

Autarquia 4 6 13 14 82%

Fundação 2 4 11 11 58%

Subtotal 10 20 42 43

Empresa Pública 3 3 3 3 100%

Soc. Econ. Mista 10 10 10 10 100%

Subtotal 13 13 13 13

Demais Poderes 3 3 3 3 75%

Controle de Saldo das Depreciações – Bens Móveis

(34)

Implantação dos PCP’S

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Estratégia de Implantação – Receitas Tributárias e de

Contribuições

(35)

Implantação

2011 2012 2013

Criação do GTCON/RJ, composto pelo

subgrupo Receita por Competência

(Decreto 43.092/2011)

Realização de reuniões e elaboração do

estudo.

Estudo e relatório finalizado.

Projeto piloto de adoção do

regime de competência para o IPVA.

2014

Com a implantação do

Siafe-Rio, o projeto foi paralisado temporariamente.

2016

Retomada do Projeto Piloto -

IPVA.

(36)

Implantação dos PCP’S

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Provisões, Passivos Contingentes

e Ativos Contingentes

(37)

Estágio atual

O reconhecimento das Provisões – Riscos Cíveis, Fiscais e Trabalhistas, no momento não está sendo realizada, porém, com a implantação do Siafe-Rio, em 2016, já será possível contabilizar as provisões.

(38)

Estágio atual

Provisões para riscos decorrentes de contratos de Parcerias Público-Privadas (PPP) – Não se aplica.

Observação: Os demais passivos derivados de apropriações por competência, como por exemplo, férias a pagar e décimo terceiro salário, já estão sendo registrados de acordo com o MCASP, ou seja, o reconhecimento mensal já vem sendo realizado.

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Provisões para repartição de créditos tributários – Em estudos.

(39)

Implantação dos PCP’S

Reflexo Patrimonial das Despesas de Exercícios

Anteriores (DEA)

(40)

Estágio atual

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Atualmente, todas as despesas de exercícios anteriores são contabilizadas como Ajuste de Exercícios Anteriores, e estudos estão sendo realizados para adoção integral das orientações da 6ª edição do MCASP.

No Siafe-Rio, será possível inserir uma DEA no status em reconhecimento, gerando contabilização em contas de controle. Quando reconhecida, gerará a opção de contabilizar como contrapartida a conta de VPD, Ajuste de Exercícios Anteriores ou Superávit/Déficits de Exercícios Anteriores.

!

!

(41)

Futuro

(42)

Implantação dos PCP’S

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Outros Procedimentos

(43)

Estágio atual

Reconhecimento, mensuração e evidenciação da Dívida Ativa, tributária e não-tributária.

Evidenciação de ativos e passivos contingentes em contas de controle e em notas explicativas.

Reconhecimento, mensuração e provisão atuarial.

Reconhecemos e adotamos a Metodologia da

PGE/RJ

Em estudos.

Já é reconhecido.

(44)

Estágio atual

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Reconhecimento, mensuração e evidenciação de créditos previdenciários.

Reconhecimento, mensuração e evidenciação de empréstimos, financiamentos e dívidas contratuais e mobiliárias.

Em estudos. Rotina de Compensação

Previdenciária finalizada.

Já é reconhecido.

Reconhecimento, mensuração e evidenciação de investimentos permanentes.

Já é reconhecido.

(45)

A IMPLANTAÇÃO DAS DCASP

(46)

Curiosidade...

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

O Estado do Rio de Janeiro foi o primeiro ente da Federação, integrante do sistema SIAFEM, a implantar as DCASP.

(47)

Instruções para implantação das DCASP

IPC 04 – Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial

IPC 05 – Metodologia para Elaboração da Demonstração das Variações Patrimoniais

IPC 06 – Metodologia para Elaboração do Balanço Financeiro

IPC 07 – Metodologia para Elaboração do Balanço Orçamentário

IPC 08 – Metodologia para Elaboração da Demonstração dos Fluxos de Caixa

(48)

Histórico da Implantação

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Elaboração das DCASP de

forma facultativa.

Implantação das DCASP.

2012 2013 2014 2015 2016

Implantação e modernização das DCASP no

Siafe-Rio.

Atualização das DCASP em atendimento a 6ª edição do MCASP.

Envio das informações da

Declaração de Contas Anuais

(DCA) referente 2013.

(49)

Processo de Implantação

Preparação e adaptação do sistema (SIAFEM/RJ)

Capacitação dos funcionários

Maior interação interna (ATI – SEFAZ) e externa (SERPRO)

Ciclo de Trabalho

SERPRO

ATI CGE

(50)

Problemas Enfrentados

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

A limitação sistêmica foi a principal dificuldade para criação e configuração das demonstrações contábeis. A modernização dos sistemas de informações é essencial para promover a transparência dos resultados orçamentário, financeiro, econômico e patrimonial do setor público.

(51)

Problemas Enfrentados

Alterações nos layouts das DCASP

X

(52)

Problemas Enfrentados

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Controle de Ajustes de Exercícios Anteriores: Medida tomada para filtrar e controlar os lançamentos que impactam o balanço financeiro e a demonstração dos fluxos de caixa.

Exemplo:

Desincorporação de Disponibilidade Financeira

Baixa de Consignações

Incorporação / Desincorporação de Depósitos de Diversas Origens

(53)

Problemas Enfrentados

Considere a situação hipotética em que uma entidade tenha que realizar a reincorporação de um depósito de diversas origens, por motivo de erro imputável a um determinado exercício anterior, pois foi baixado indevidamente.

(54)

Problemas Enfrentados

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

MUDANÇAS DE CRITÉRIOS CONTÁBEIS (FORTE INFLUÊNCIA DE UMA CULTURA ORÇAMENTÁRIA)

CONTABILIZAÇÕES INCORRETAS PELAS UNIDADES GESTORAS

REFORMULAÇÃO DE ROTINAS CONTÁBEIS

(55)

Configuração das DCASP

GERAREL: Esta função do SIAFEM cria as linhas dos demonstrativos, porém só é capaz de apresentar o saldo total ou fluxo de entrada e saída de uma determinada conta contábil.

(56)

Configuração do DCASP

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

FONBAL: é utilizado para criação e configuração das linhas dos demonstrativos que apresentam as fontes de recursos. O BF e o quadro do superávit / déficit financeiro utilizam esta funcionalidade.

Nome das fontes de recursos que irão corresponder

as linhas do balanço Número das

linhas

(57)

Configuração do DCASP

PARMBAL: este recurso é utilizado para evidenciar os saldos orçamentários e alocar as linhas que foram criadas no FONBAL nos respectivos demonstrativos.

(58)

Metodologia Própria

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Os indicadores dos Ativos e Passivos Financeiros / Permanentes (metodologia utilizada conforme 5ª edição do MCASP).

Ativo Financeiro: Contas 1.0.0.0.00.00 com atributo F

Ativo Permanente: Contas 1.0.0.0.00.00 com atributo P

Passivo Financeiro: Contas 2.0.0.0.00.00 com atributo F e Conta 6.3.1.1.1.01.01 – Restos a pagar Não Processados a Liquidar

Passivo Permanente: Contas 2.0.0.0.00.00 com atributo P

(59)

Metodologia Própria

Segundo IPC 04 - 2015

(60)

Metodologia Própria

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

A execução dos créditos adicionais abertos por superávit financeiro apurados no Balanço Patrimonial.

Créditos Adicionais abertos por

superávit financeiro

Execução dos créditos adicionais

Balanço Orçamentário - MCASP - 5ª Edição

(61)

Metodologia Própria

Em 2014 adaptamos a Demonstração dos Fluxos de Caixa com as informações extraorçamentárias.

MCASP 6ª Edição

(62)

A partir de 2016...

CGE/RJ – Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro

Siafe-Rio: Sistema que irá substituir o SIAFEM. Atualmente estamos efetuando a criação e configuração das DCASP em conjunto com a empresa responsável pelo sistema.

(63)

DÚVIDAS ?

(64)

Obrigado a todos pela atenção.

Contadoria Geral do Estado do Rio de Janeiro Tel.: (21) 2334-4368

Imagem

Referências

temas relacionados :