Tabela Conjunções_Fonte a Gramática_Fernando Pestana - 1ª Edição_16 Dezembro 2015

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

Coordenativas

Página 1

CONJUNÇÕES COORDENATIVAS

Em princípio, ligam orações ou termos sintaticamente independentes.

ADITIVAS

ADVERSATIVA

ALTERNATIVA

CONCLUSIVA

EXPLICATIVA

Exprimem ideia de soma, acréscimo, adição.

Exprimem ideia de conclusão ou consequência.

e (exprime outros valores: adversidade/conclusão/consequência)

ou*

que

nem (= e não)

porém

nem...nem** (raro!)

logo

nem...nem

antes

ou...ou

assim

porque

mais (coloquial ou matemática)

senão (= mas sim)

já...já

então

porquanto

tampouco

agora

quer...quer

portanto

bem como

contudo

ora...ora

por isso

tanto...quanto

todavia

seja...seja

por conseguinte

tanto...como

entretanto

talvez...talvez

em vista disso

não só...mas (também)*

só que

umas vezes...outras vezes

de modo que*

não só...mas (ainda)*

no entanto

de maneira que*

não só...(bem) como*

ainda assim

de forma que*

não só...como (também)*

não obstante (seguida verbo indicativo)

de sorte que*

não só...como (ainda)*

desse modo**

não só...senão (também)*

dessa maneira**

não só...senão (ainda)*

dessa forma**

Indicam

essencialmente

uma

ideia

de

adversidade,

oposição,

contraste;

também

ressalva, quebra de expectativa, compensação,

restrição; elas realçam o conteúdo da oração que

introduzem.

Exprimem ideia de exclusão,

alternativa

(opção/escolha),

alternância (ação ou resultado

de

alternar),

inclusão,

retificação etc.

Exprimem

ideia

de

explicação,

justificativa;

normalmente vêm após verbos no imperativo.

mas (não pode ser deslocado na frase)

pois (separada por vírgula(s) , DEPOIS do verbo ou no fim da frase)

pois (ANTES do verbo – equivale a porque)

*Os parênteses indicam que tais palavras podem ou não

aparecer.

*(Pode ter matizes de sentido:

exclusão,

inclusão/adição,

retificação,

precisão/sinonimía,

exclusão-

condição/exclusão-consequência)

*Alguns gramáticos, como Gama Cury, Sacconi e Infante, dizem que de

modo que, de maneira que, de forma que e de sorte que podem ser

locuções conjuntivas coordenativas conclusivas.

As conjunções explicativas TAMBÉM PODEM SER

CAUSAIS.

No lugar de não só, pode aparecer não somente ou não

apenas, nas conjunções correlativas aditivas. Ex: Não somente

estudo senão ainda trabalho.

**Ex: Não sei nem se fico, nem

se parto. (=Não sei se fico ou se

parto).

**As expressões desse modo, dessa maneira e dessa forma são

inegáveis conectivos de valor conclusivo dentro do discurso, como alista o

sábio Othon Moacyr Garcia.

Não pode haver combinação de

correlatas diferentes.

Ex: Seja

homem ou mulher, todos gostam

de música. (errado) / Seja

homem seja mulher, todos

gostam de música. (certo)

(2)

Subordinativa Parte I

Página 2

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS (PARTE I)

Em princípio, ligam orações sintaticamente dependentes.

INTEGRANTES

ADVERBIAIS CAUSAIS

ADVERBIAIS COMPARATIVAS

ADVERBIAIS CONCESSIVAS

ADVERBIAIS CONDICIONAIS

Exprimem a causa, a razão de um efeito.

Exprimem condição, hipótese.

que

pois

qual

Posto (não usual)

se

se

que

como

Suposto (ou suposto que) – não usual

caso

tal qual

embora

sem que (= se não)

porque

tal e qual

malgrado

salvo se

porquanto

tal como

conquanto

desde que (seguido de subjuntivo)

já que

tanto...como

nem que

exceto se

(tão)...como/quanto

mesmo que

contanto que

dado que

como se

a menos que

visto que

assim como

não obstante (seguida verbo subjuntivo)

uma vez que ( seguido de subjuntivo)

sendo que

(mais)... (do) que*

ainda que/ quando

a não ser que

visto como

(menos)... (do) que*

se e somente se ( = desde que / contanto que)

uma vez que

(maior )...(do) que*

se bem que

Se caso (redundância – INADEQUADO)

haja vista que (=pois, porque, visto que, já que etc.)

(menor)...(do) que*

apesar de que

na medida em que

(melhor)... (do) que*

por mais que (indica grau)

(pior)...(do) que*

por menos que (indica grau)

que nem**

por melhor que (indica grau)

feito**

por pior que (indica grau)

antes...(do) que***

por maior que (indica grau)

por menor que (indica grau)

por muito que (indica grau)

Introduzem orações subordinadas

substantivas; conectam uma oração

incompleta a uma oração que, por

sua vez, vai completá-la.

Exprimem

comparação,

analogia,

tanto

qualitativamente como quantitativamente.

Exprimem contrariedade, ressalva, oposição a uma ideia

SEM invalidá-la.

como* (=visto que) – SÓ no início da oração

pois que (uso mais literário)

posto que / dado que (normalmente com verbo no

subjuntivo)

em que (pese) (=ainda que)

Se acaso (construção CORRETA – se:

conjunção condicional + porventura: advérbio

de dúvida)

na medida que - locução inexistente na língua culta–

CUIDADO

Por causa que / por causa de que – COLOQUIALISMO –

EVITE

mesmo se não é locução conjuntiva concessiva -

CUIDADO

Só há duas conjunções integrantes, e

elas

são

as

únicas

que,

tradicionalmente, não carregam um

sentido embutido, apesar de haver

uma sutil mudança de sentido nestas

orações introduzidas por que e por se.

*O verbo após o

como causal

pode ficar no indicativo ou,

menos usualmente, no pretérito imperfeito do subjuntivo. Ex:

Como estudamos/estudássemos dia e noite, alcançamos o

êxito.

*As conjunções comparativas em si são as que não estão

entre parênteses; os termos entre parênteses só

participam da correlação. Outra coisa: lembre-se de que o

do é facultativo antes do que.

A locução conjuntiva sem que pode indicar uma

relação de modo, concessão, condição ou

consequência. Saiu sem que se despedisse.

(modo) / Sem que estudasse, passou.

(concessão) / Sem que estude, dificilmente

passará. (condição) / Não sai sem que leve um

casaco. (consequência). No entanto,

segundo

Sacconi

, “as orações iniciadas por sem que

classificam melhor entre as concessivas ou entre

as condicionais. (…)

Levemos as duas verdades

para a prova.

Não confunda

porque, que, porquanto e pois

causais

com

explicativas. Sempre que vier um verbo no imperativo antes –

não respire! - tais conjunções serão SEMPRE explicativas.

**Que nem e feito são vistos como conectivos coloquiais,

mas Cegalla os alista entre as comparativas sem fazer

ressalva alguma, portanto

cuidado

com a abordagem das

bancas.

Sobre a conjunção condicional se, Bechara e Maria H. de M. Neves dizem que pode apresentar sentidos subjacentes à condição, quais sejam: causa (com verbo

no indicativo), concessão, tempo e factualidade. (...)Já outros gramáticos, como Cegalla e Sacconi, são mais “radicais” ao dizerem que o se é uma conjunção causal ou concessiva. O Sacconi vai além dos valores

do se, mas não nos cabe aqui dizer tudo o que é verdade para tal gramático.

Não confunda

o como

causal

com o

aditivo, comparativo e

conformativo. Como fizesse frio, pus um casaco. (causa) /

Tanto nado como pedalo. (adição) / Como age o pai, age o

filho. (comparação) / Como já dissemos, acalmem-se!

(conformidade)

Não

confunda

a

construção

“tanto...quanto”

comparativa

com

aditiva: Ela tanto ri quanto chora.

(adição) Ela chora tanto quanto ri. (comparação)

***A ideia de superioridade pode representar uma

preferência com a construção “antes...(do) que”: O apelo

das cidades seria antes social que econômico.

(3)

Subordinativa Parte II

Página 3

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS (PARTE II)

Em princípio, ligam orações sintaticamente dependentes.

ADVERBIAIS CONFORMATIVAS

ADVERBIAIS CONSECUTIVAS

ADVERBIAIS FINAIS

ADVERBIAIS PROPORCIONAIS

ADVERBIAIS TEMPORAIS

Exprimem acordo, maneira, conformidade. Exprimem resultado, efeito, consequência.

Exprimem tempo.

conforme

tal...que

como (= conforme)

tão...que

para que

à proporção que

quando

conforme

tanto...que

de modo que (=para que; não usual)

à medida que

enquanto

segundo

tamanho...que

de maneira que (=para que; não usual)

ao passo que

de sorte que*

de forma que (=para que; não usual)

até que

de modo que*

enquanto*

depois que

de forma que*

a fim de que

antes que

de maneira que*

sempre que

tanto assim...que

logo que

de tal modo

assim que

de tal maneira ...que

agora que

a tal ponto...que

desde que ( verbo indicativo)

cada...que – COLOQUIAL*

primeiro que (= antes que; não usual)

cada vez que

todas as vezes que

ao mesmo tempo que

no que (=assim que) – COLOQUIAL*

Exprimem finalidade, objetivo, intuito,

propósito, fim.

Exprimem proporcionalidade, simultaneidade,

concomitância.

porque (=para que; não usual)

conforme (equivalendo a à medida que/ ao passo

que)

mal (=logo que)

apenas (= logo que; não usual)

consoante (não usual)

quanto

mais/menos/menor/maior/melhor/pior...*(tanto)

mais/menos/menor/maior/melhor/pior

de sorte que (=para que; não usual)

Não confunda

como conformativo

com

comparativo

. Na comparação é preciso haver

pelo menos dois seres sendo comparados, o

que não ocorre com a conformidade. Ex: O

lutador luta como o mestre.

*Na linguagem coloquial, a correlação de cada

+ que é comum: Falou cada coisa de minha

mãe que merecia uma surra.

Não confunda

para que

(preposição exigida

por algum nome + conjunção integrante) com

para que

(locução conjuntiva final). Ex: A

preservação da Floresta Amazônica é

importante para que se mantenha o equilíbrio

ecológico mundial. (preposição + conjunção

integrante) / Temos de preservar a Floresta

Amazônica para que se mantenha o equilibrio

ecológico mundial. (locução conjuntiva final).

*As locuções conjuntivas iniciadas por quanto

(quanto mais/quanto menos...) estão em correlação

com as expressões que as seguem (tanto mais,

tanto menos...). Ex: Quanto menos esforço fizer,

tanto melhor será.

*No que ele saiu, começou a chover. -

COLOQUIALISMO – Não há registro na língua

culta.

A conjunção conforme também pode ser

proporcional

, segundo o dicionário Houaiss e

Maria H. De M. Neves, equivalendo a à

medida que / ao passo que. Ex: Conforme os

convidados iam chegando, iam

acomodando-se nas cadeiras.

*As locuções de sorte que, de modo que, de

forma que, de maneira que são sinônimas.

*Enquanto, além de

temporal

, segundo o gramático

Celso Cunha e Maria H. De M. Neves e os

dicionários Aulete e Houaiss, é

também

proporcional:

Ex: Enquanto uns se decepcionaram,

outros

aplaudiram.

Indica

normalmente

simultaneidade: Desliguei a TV, enquanto ela me

beijava. Equivale a “ao passo que”.

A conjunção quando pode indicar matiz

condicional e concessivo

. Ex: Quando o

senhor quer algo de mim, é gentil. (condição) /

Vive saindo, quando deveria estar estudando.

(concessão).

Saiba que, nas correlações, só o que é a

conjunção consecutiva.

As expressões que formam a correlação com a

conjunção que podem vir implícitas. Ex: Essa

mulher bebe (tanto) que acaba xingando todo

mundo.

Normalmente nas correlações, tão é advérbio

de intensidade, tanto é advérbio de

intensidade ou pronome indefinido e tamanho

e tal são pronomes indefinidos,

(4)

Geral

Página 4

CONJUNÇÕES COORDENATIVAS

ADITIVAS

ADVERSATIVA

ALTERNATIVA

CONCLUSIVA

EXPLICATIVA

ou

que

nem (= e não)

porém

nem...nem (raro!)

logo

nem...nem

antes

ou...ou

assim

porque

mais (coloquial ou matemática)

senão (= mas sim)

já...já

então

porquanto

tampouco

agora

quer...quer

portanto

bem como

contudo

ora...ora

por isso

tanto...quanto

todavia

seja...seja

por conseguinte

tanto...como

entretanto

talvez...talvez

em vista disso

não só...mas (também)

só que

umas vezes...outras vezes

de modo que

não só...mas (ainda)

no entanto

de maneira que

não só...(bem) como

ainda assim

de forma que

não só...como (também)

não obstante (seguida verbo indicativo)

de sorte que

não só...como (ainda)

desse modo

não só...senão (também)

dessa maneira

não só...senão (ainda)

dessa forma

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS (PARTE I)

INTEGRANTES

ADVERBIAIS CAUSAIS

ADVERBIAIS COMPARATIVAS

ADVERBIAIS CONCESSIVAS

ADVERBIAIS CONDICIONAIS

que

pois

qual

Posto (não usual)

se

se

que

como

Suposto (ou suposto que) – não usual

caso

tal qual

embora

sem que (= se não)

porque

tal e qual

malgrado

salvo se

porquanto

tal como

conquanto

desde que (seguido de subjuntivo)

já que

tanto...como

nem que

exceto se

(tão)...como/quanto

mesmo que

contanto que

dado que

como se

a menos que

visto que

assim como

não obstante (seguida verbo subjuntivo)

uma vez que ( seguido de subjuntivo)

sendo que

(mais)... (do) que

ainda que/ quando

a não ser que

visto como

(menos)... (do) que

se e somente se ( = desde que / contanto que)

uma vez que

(maior )...(do) que

se bem que

Se caso (redundância – INADEQUADO)

haja vista que (=pois, porque, visto que, já que etc.)

(menor)...(do) que

apesar de que

na medida em que

(melhor)... (do) que

por mais que (indica grau)

(pior)...(do) que

por menos que (indica grau)

que nem

por melhor que (indica grau)

feito

por pior que (indica grau)

antes...(do) que

por maior que (indica grau)

por menor que (indica grau)

por muito que (indica grau)

mesmo se NÃO é locução conjuntiva concessiva - CUIDADO

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS (PARTE II)

ADVERBIAIS CONFORMATIVAS

ADVERBIAIS CONSECUTIVAS

ADVERBIAIS FINAIS

ADVERBIAIS PROPORCIONAIS

ADVERBIAIS TEMPORAIS

conforme

tal...que

conforme (equivalendo a à medida que/ ao passo que)

como (= conforme)

tão...que

para que

à proporção que

quando

segundo

tanto...que

de modo que (=para que; não usual)

à medida que

enquanto

tamanho...que

de maneira que (=para que; não usual) ao passo que

de sorte que

de forma que (=para que; não usual)

até que

de modo que

enquanto

depois que

de forma que

a fim de que

antes que

de maneira que

sempre que

tanto assim...que

logo que

de tal modo

assim que

de tal maneira ...que

agora que

a tal ponto...que

desde que ( verbo indicativo)

cada...que – COLOQUIAL

primeiro que (= antes que; não usual)

cada vez que

todas as vezes que

ao mesmo tempo que

no que (=assim que) – COLOQUIAL

e (exprime outros valores:

adversidade/conclusão/consequência)

mas (não pode ser deslocado na frase)

pois (separada por vírgula(s) , DEPOIS do verbo ou no fim

da frase)

pois (ANTES do verbo – equivale a porque)

como* (=visto que) – SÓ no início da oração

pois que (uso mais literário)

posto que / dado que (normalmente com verbo no

subjuntivo)

em que (pese) (=ainda que)

Se acaso (construção CORRETA – se: conjunção

condicional + porventura: advérbio de dúvida)

na medida que - locução INEXISTENTE na

língua culta– CUIDADO

por causa que / por causa de que –

COLOQUIALISMO – EVITE

porque (=para que; não usual)

mal (=logo que)

consoante (não usual)

apenas (= logo que; não usual)

quanto

mais/menos/menor/maior/melhor/pior...*(tanto)

mais/menos/menor/maior/melhor/pior

Imagem

Referências

temas relacionados :