IPCA. Atualizado no dia 8 de abril de Material produzido pelo time da Warren Análise.

Texto

(1)

Atualizado no dia 8 de abril de 2022

Material produzido pelo time da

IPCA

(2)

Lucas Xavier

Lucas.xavier@warren.com.br CNPI-P 2707

Celson Placido

celson.placido@warren.com.br CNPI 1577

Nosso time

Frederico Nobre

frederico.nobre@warren.com.br CNPI-P 2745

(3)

O IBGE divulgou nesta sexta-feira (08/04) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que subiu 1,62% em março, o maior valor para o mês desde 1994.

O indicador oficial ficou bem acima da mediana das estimativas do mercado (1,30%).

Com o resultado, a inflação oficial acumulada de 12 meses é de 11,30%.

IPCA sobe 1,62% em

março, muito acima das expectativas do mercado

Mar (% mom) Fev (% mom)

IPCA 1,62 1,01

Alimentação e bebidas 2,42 1,28

Habitação 1,15 0,54

Artigos de residência 0,57 1,76

Vestuário 1,82 0,88

Transporte 3,02 0,46

Saúde 0,88 0,47

Despesas pessoais 0,59 0,64

Educação 0,15 5,61

Comunicação -0,05 0,29

(4)

No mês 1,62%

Consenso ¹ 1,30 %

Mínima 1,06 %

Máxima 1,69 %

1Estimativas do consenso de mercado da Refinitiv

IPCA (% mensal)

(5)

Últimos 12m 11,30 % Consenso 10,98%

Mínima 10,57%

Máxima 11,36 %

IPCA (% 12m)

Meta 3,5%

1Estimativas do consenso de mercado da Refinitiv

(6)

Na última reunião do COPOM, a taxa Selic subiu 1,0 p.p., para 11,75%.

Naquela ocasião, a autoridade monetária disse que esperava outro aperto de igual magnitude para a reunião seguinte, que ocorrerá nos dias 03 e 04 de maio, indicando, inclusive, que este seria provavelmente o final do ciclo de aperto monetário.

Contudo, a deterioração das expectativas inflacionárias globais, puxada principalmente pelo choque no preço das commodities, que

dispararam com a guerra entre Rússia e Ucrânia, nos leva a crer que o cenário mudou bastante e o mercado segue revisando as projeções de inflação tanto para 2022, como também para 2023.

Conforme mencionado no relatório anterior, asexpectativas de inflação de 2023 continuam a ser uma variável importantíssima, dado que o BC mostrou uma preferência por alongar o ciclo ao invés de antecipá-lo, olhando mais para 2023.

Dessa forma, acreditamos que é pouco provável que o planejamento original do Banco Central permaneça como cenário base.

Overview

O ciclo de alta de juros deve continuar...

(7)

Preços de commodities

Índice de custos de fretes –Baltic Exchange

Choque de oferta de commodities

● Preços de commodities energéticas, metálicas e agrícolas permanecem muito elevados

● Preços de fretes marítimos reduziram

comparativamente a fevereiro, mas seguem em patamares altos, acima da média histórica

(8)

Inflação mais disseminada: o índice de difusão, que mede o percentual de itens que subiram de preço, atingiu 76,13%, maior valor desde fevereiro de 2016.

Combustíveis: a alta no preço do petróleo (e consequentemente dos produtos refinados) acaba fluindo por outros canais e afetando a economia como todo. Estamos vendo neste momento uma disseminação generalizada da inflação por vários grupos de produtos e serviços.

(9)

Como estão se comportando os núcleos?

Qualitativo permanece ruim: apesar das recentes elevações na taxa Selic, os núcleos continuam piorando pelo quinto mês

consecutivo, com média acumulada de 12 meses na casa de 7,2%.

Perspectivas: a guerra na Ucrânia e a consequente elevação nos preços de

commodities trazem enormes efeitos colaterais sobre a atividade econômica e os preços devem continuar subindo por mais tempo do que se esperava.

Fonte: Banco Central / Elaboração: Warren Análise

(10)

Como se comportaram os componentes?

● Em março tivemos oito dos nove grupos do IPCA subiram, com destaque para transportes (+3,02%) e alimentação e bebidas (+2,42%). O único grupo que apresentou variação negativa nos preços foi comunicação (-0,05%).

● A gasolina puxou o IPCA e alavancou o índice como um todo. A inflação também segue mais disseminada a cada dado novo, algo que vem acontecendo desde o início deste ano.

Componentes do IPCA (% 12m)

(11)

Cesta básica – principais capitais

A perda de poder de compra do brasileiro é uma realidade

● Com a guerra, os preços de alimentos dispararam e os impactos podem ser sentidos principalmente nas famílias de mais baixa renda.

● Os preços da cesta básica nas principais capitais brasileiras continuam subindo consideravelmente e a inflação é apontada em pesquisas como a principal causa de rejeição ao governo atual.

(12)

Conclusão

As pressões inflacionárias seguem pesando sobre o BC. Em sua última decisão de política monetária, no dia 16 de março, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa básica de juros em 1 ponto percentual, a 11,75% ao ano.

No comunicado da reunião, o BC antecipou novo aumento de mesma magnitude na taxa Selic para o encontro maio, indicando que este seria provavelmente o último movimento da autoridade monetária.

Considerando a piora no balanço de risco global com a guerra entre Rússia e Ucrânia e a deterioração nos núcleos de inflação , bem como as revisões no IPCA 2023, acreditamos que o cenário mais provável é que o ciclo de alta de juros não termine na próxima reunião, em 12,75% ao ano.

Sendo assim, nossa expectativa é de que a taxa Selic continue penetrando em território contracionista, além do patamar de juros terminal indicado previamente pelo Banco Central.

Nesse contexto, é cada vez mais provável um cenário de estagflação, um dos piores momentos do ciclo econômico e que consiste na combinação de baixo crescimento e inflação elevada.

(13)

Imagem

Referências

temas relacionados :