UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA CURSO DE FISIOTERAPIA

22 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA

CURSO DE FISIOTERAPIA

INFLUÊNCIA DA ACUPUNTURA NA HIPOTENSÃO

PÓS-EXERCÍCIO RESISTIDO EM NORMOTENSOS

LUCAS CAIXETA MAGALHÃES SWERTS

BRASÍLIA

2008

(2)

LUCAS CAIXETA MAGALHÃES SWERTS

INFLUÊNCIA DA ACUPUNTURA NA HIPOTENSÃO

PÓS-EXERCÍCIO RESISTIDO EM NORMOTENSOS

Artigo científico apresentado à disciplina Trabalho de Conclusão de Curso - TCC como requisito parcial à conclusão do Curso de Fisioterapia na Universidade Católica de Brasília – UCB..

Orientador: Prof. Dr. Herbert Gustavo Simões Co-orientador: Prof. Ms. Sergio R. Moreira

BRASÍLIA

2008

(3)

INFLUÊNCIA DA ACUPUNTURA NA HIPOTENSÃO PÓS-EXERCÍCIO RESISTIDO EM NORMOTENSOS INFLUENCE OF THE ACUPUNCTURE ON THE RESISTED POST-EXERCISE HYPOTENSION IN NORMOTENSIVE MEN

Categoria: Artigo científico original (1)

Autores:

1 Lucas Caixeta Magalhães Swerts 1 Renato Amâncio Moreira Silva 2 Herbert Gustavo Simões 3 Sergio Rodrigues Moreira 4 Juscelino Castro Blasczyk 5 Carmen Silvia Grubert Campbell

1 – Alunos Curso de Fisioterapia da Universidade Católica de Brasília. 2 – Prof. Dr. da Universidade Católica de Brasília.

3 – Doutorando Ed. Fis. Universidade Católica de Brasília.

4 – Fisioterapeuta, especialista em acupuntura pela UNISAUDE. 5 – Prof. Dr. da Universidade Católica de Brasília.

Autor para correspondência: Lucas Caixeta Magalhães Swerts Telefone: 61 – 3381-0733/ 61- 9914-2444

Endereço postal: QE 24 Conjunto C Casa 22, Guará II, Brasília-DF CEP: 71060-030

Endereço eletrônico para correspondência: lucasfisioterapia@gmail.com

(4)

RESUMO

A hipertensão arterial trata-se de um problema generalizado das sociedades atuais, podendo ter diversas complicações. Existem várias opções farmacológicas, porém outras formas de controle, como exercício resistido/aeróbio e acupuntura, têm sido sugeridos para seu controle devido aos elevados custos e efeitos adversos das drogas. O objetivo do presente estudo foi verificar a influência da acupuntura no comportamento da hipotensão pós-exercício (HPE) resistido em normotensos. Participaram do estudo 11 sujeitos jovens, normotensos, sexo masculino. Foram realizadas 3 sessões: controle (CON), exercício (Exe) e exercício + acupuntura (Exe+Acu). O exercício empregado foi o resistido, a 43% de 1 Repetição Máxima (1RM). As pressões arteriais sistólica (PAS) e diastólica (PAD) foram mensuradas em repouso pré-exercício, entre os circuitos de exercícios, no momento de “acupuntura” e nos 60 min de recuperação. Observou-se HPE em PAD e pressão arterial média (PAM) em relação ao repouso na sessão Exe+Acu, porém não foi observado o mesmo para a sessão Exe. Houve diminuição da PAS nas sessões Exe e Exe+Acu em relação ao pré-exercício e ao dia controle em vários momentos. Conclui-se que a sessão Exe e Exe+Acu exercem um efeito protetor na pressão arterial, sendo que, a sessão Exe+Acu foi mais efetiva em relação a HPE, porém não foram diferentes entre si, porém notamos uma tendência de Exe+Acu ser mais eficaz, principalmente para PAD. Sugerem-se estudos em populações especiais, como hipertensos.

(5)

ABSTRACT

Arterial hypertension has been treated as a generalized problem in actual societies, which might have diverse complications. There are a lot of medications, but other ways of control as resisted/aerobic exercise and acupuncture have been suggested for the pressure control due to elevated costs and adverse effects of the drugs. The objective was to verify the influence of the acupuncture in the resisted postexercise hypotension (PEH) behavior on normotensive men. They have participated on the study 11 young normotensive men. Three sessions had been carried out: control (CON), exercise (Exe) and exercise + acupuncture (Exe+Acu).The intensity of the exercise was 43% of 1 Maximal Repetition. The systolic blood pressure (SBP) and diastolic blood pressure (DBP) were measured at rest (pre-exercise), during the circuits of exercise, acupuncture and 60 min of recovery period. It was observed HPE for DBP and mean blood pressure (MBP) in relation to the rest on Exe+Acu, but it was not observed on Exe. There was a reduction of SBP on Exe and Exe+Acu sessions in relation to pre exercise and control day at some moments. We concluded that the Exe and Exe+Acu sessions produce protective effect in the arterial BP, therefore when realizing Exe+Acu we observed it was more effective for HPE than Exe, even though there was not differences between them, however it was observed a trend on it, mainly for DBP. More studies in special populations are suggested as hypertensive people.

(6)

INTRODUÇÃO

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) tem sido tratada como um problema generalizado nas sociedades industrializadas1. Afeta aproximadamente 700 milhões de

indivíduos no mundo3. É considerado fator de risco para doenças cardiovasculares, que

representam a principal causa de morte no Brasil2 e atinge 22% da população acima de

vinte anos, podendo causar diversas complicações como angina, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, insuficiência cardíaca e renal, que são doenças que geram limitações e incapacidades; isso significa piora na qualidade de vida do portador como também gera grandes custos com saúde 4.

Existem muitas opções de tratamento farmacológico, porém o exercício físico, agudo ou crônico, tem ganhado espaço como uma conduta de tratamento não-farmacológico para a HAS1,4 O exercício físico agudo, na sua forma aeróbia5,6 ou

anaeróbia 2,7,8, desencadeia o fenômeno chamado hipotensão pós-exercício (HPE), que é

definido como a queda dos valores da pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) abaixo dos valores de repouso anteriores ao exercício ou mesmo àqueles medidos em um dia controle, sem a execução de exercícios 9, sendo mais evidente em hipertensos do que

normotensos 10, nos quais a hipotensão ainda não é um consenso 5,11. A atenuação dos

valores pressóricos tem efeito prolongado, podendo durar de 1 a 4 horas em condições ambulatoriais e persistir por até 24 horas 9,11,12. A HPE tem sido explicada por uma

vasodilatação periférica remanescente após o exercício, que leva à diminuição do retorno venoso, conseqüentemente, tem-se a diminuição no débito cardíaco e redução do volume sistólico 9.

A acupuntura é definida como a penetração da pele com objetos afiados, geralmente agulhas inoxidáveis, que são utilizadas para estimular o tecido manualmente, eletricamente ou pelo calor, visando sempre o equilíbrio corpóreo 13. Tem sido usada na

Medicina Tradicional Chinesa (MTC), há mais de 2.500 anos e, atualmente, passou a ser usada no ocidente para tratar condições agudas e crônicas, devido a sua eficácia e por apresentar poucos efeitos colaterais 14. Apesar de controversos os resultados sobre as

reais implicações acerca da hipotensão causada pela acupuntura, tem sido demonstrado bons resultados em humanos, não substituindo as drogas anti-hipertensivas, mas auxiliando-as 15-17.

Tendo em vista os resultados já obtidos com a hipotensão exercício e pós-acupuntura, propomos este estudo a fim de analisar a influência da acupuntura no

(7)

comportamento da hipotensão pós-exercício resistido em normotensos visando uma possível indicação para testes em populações especiais.

MATERIAIS E MÉTODOS

A amostra foi composta por 11 jovens indivíduos sem nenhuma patologia detectável, sexo masculino, média de idade de 22 ± 3 anos, altura 174 ± 5 cm, peso 72 ± 8 kg, IMC 23 ± 2 kg/m2. Para melhor caracterização da amostra foi feito um questionário

(Anexo 2) e anamnese dos voluntários.

Os procedimentos metodológicos adotados no presente estudo foram analisados e aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade local. Os participantes foram informados de todos os riscos e benefícios da pesquisa e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (Anexo 1).

Para composição da amostra foram selecionados indivíduos do sexo masculino, entre 18 e 30 anos, com disponibilidade para realização das coletas no período da manhã. Foram excluídos os voluntários que apresentassem disfunções neurológicas, ortopédicas ou histórico de saúde que comprometessem a realização dos exercícios, além da pressão arterial ≥130/90 mmHg.

Os procedimentos experimentais foram realizados no período de Novembro a Dezembro de 2007 no Laboratório de Estudo de Força – LABEF, em dias distintos, com no mínimo 48 horas entre as sessões, sempre no período da manhã, sendo que foi solicitado aos voluntários que não realizassem exercício no dia anterior e que não fizessem ingestão de bebida alcoólica ou cafeína 24 hs antes das sessões. No total foram quatro encontros com os voluntários:

-Sessão 1: Avaliação do voluntário e teste de 1 Repetição Máxima (1RM); -Sessão 2 (Exe): exercício resistido (25’) + 20’ sentado + 60’ de recuperaçao;

-Sessão 3 (Exe+Acu): exercício resistido (25’) + 20’ de acupuntura + 60’ de recuperação;;

-Sessão 4 (CON): sessão controle - voluntário sentado durante o procedimento (2 hs e 5’), sendo a pressão aferida durante os mesmos momentos das demais sessões);

A sessões 2, 3 e 4 foram realizadas em ordem aleatória, por sorteio, no mesmo horário do dia. Os exercícios resistidos foram compostos por 3 circuitos, passando uma vez por aparelho em cada circuito (leg press, supino, cadeira extensora, cadeira flexora, puxada pela frente e remada na máquina); sendo que estes foram realizados na

(8)

intensidade de 43% de 1 Repetição Máxima (1RM) 18. Entre os circuitos havia um

intervalo de 2 min em que era aferida a pressão arterial.

Antes das sessões 2, 3 e 4; os voluntários permaneceram por 20 minutos em repouso na posição sentada, aferindo a pressão arterial de repouso por 5 minutos pelo monitor automático de pressão arterial digital MICROLIFE (modelo APA-A00002). O que também exatamente exercício, com exceção da sessão 3 em que foi realizado o mesmo de tempo de 20 minutos com acupuntura com o paciente em posição sentado.

Durante os 60 minutos de recuperação foram coletados os valores de PAS e PAD a cada 15 minutos.

No momento da acupuntura foram inseridas agulhas (2.5-4 cm, 0,25-0,3 mm de diâmetro; SHIN GI, China) no ponto E36 (aproximadamente 3 cm lateralmente a tuberosidade da tíbia), devido às suas propriedades já estabelecidas como hipotensor

19,20. Na inserção das agulhas o voluntário deverá referir uma sensação de parestesia

(formigamento), chamada pela medicina tradicional chinesa de “De Qi” 16.

Procedimento estatístico:

A análise estatística dos dados foi realizada a partir de procedimentos de média e desvio padrão. Foi realizado teste para verificar a normalidade dos dados, após isso foi feita ANOVA Two-way para medidas repetidas para a comparação dos momentos de mensuração da pressão arterial intra e entre as sessões experimentais. Para verificar as possíveis diferenças captadas pela ANOVA foi adotado um Post-hoc de Tukey. O nível de significância do estudo foi p<0,05 (Statistica® version 5.0).

RESULTADOS

É importante ressaltar que não houve diferença entre os repousos das 3 sessões quando comparado os valores absolutos de pressão arterial. Estabelecendo critério importante para haver a comparação entre os demais momentos entre e intra sessões.

Os efeitos do exercício resistido e acupuntura na PA, para valores absolutos, estão resumidos na tabela 1. A PAS no período de repouso na sessão CON foi de 119mmHg e aumentou no decorrer da sessão, porém sem diferença significativa (p< 0,05). A PAS no repouso da sessão Exe foi de 120mmHg, teve um aumento durante os circuitos, ao final da intervenção (Rec 0) observou-se diminuição significativa, o que se repetiu aos 45’ e 60’ e recuperação. Na sessão Exe+Acu, a PAS média no repouso foi de 117mmHg, teve um aumento durante o período de exercício, ao final da intervenção e aos 30’ de recuperação

(9)

houve uma queda significativa na PAS, observada uma diminuição de até 8,5mmHg comparada ao período pré-exercício.

A PAD no repouso da sessão CON foi de 71mmHg e aumentou no decorrer da sessão, sem diferença estatística. A PAD no período de repouso, na sessão Exe, foi de 68mmHg, na recuperação foi observada uma diminuição de até 6mmHg (não significativa). Na sessão Exe+Acu, a PAD média no pré-exercício foi de 69mmHg, foi observada sua redução nos momentos 0’, 15’ e 30’ recuperação.

O valor da PAM no período de repouso da sessão CON foi de 87mmHg, em seguida ocorreu uma elevação do seu valor, sendo significativo ao final da sessão (Rec 60). Na sessão Exe, a PAM no repouso foi de 85mmHg e permaneceu menor em todo período de recuperação, porém sem diferença significativa. A PAM, na sessão Exe+Acu, se comportou similar à sessão Exe, observando quedas de até 8mmHg no período de recuperação, significativas aos 0’, 15’ e 30’de recuperação

Tabela 1- Valores de média e desvio padrão (DP) de PAS, PAD e PAM em todas as sessões.

Hipotensão Pós Exercício * p< 0,05.

Como pode ser visto nas próximas figuras, foram comparados os vários momentos entre as três sessões para valores em delta. Na figura 1, em relação à PAS, observou-se que houve redução significativa nas sessões Exe e Exe+Acu nos momentos 30 e 45 min

Sessão PAS REP EXE Rec 0 Rec 15 Rec 30 Rec 45 Rec 60 CON MEDIA 119,36 117,82 118,91 119,82 121,82 122,45 122,18 DP 7,23 8,76 7,91 6,63 6,63 7,64 7,43 Exe MEDIA 120,16 131,70 112,36* 114,27 113,64 112,82* 112,18* DP 10,36 15,17 9,32 10,23 8,57 9,67 9,01 Exe+Acu MEDIA 116,93 131,91 108,45* 111,27 108,55* 111,27 115,27 DP 7,86 13,25 7,63 6,99 9,86 8,69 8,16

PAD REP EXE Rec 0 Rec 15 Rec 30 Rec 45 Rec 60 CON MEDIA 70,64 71,03 71,00 71,64 74,27 73,73 76,73 DP 7,46 7,99 6,71 5,90 7,32 8,55 6,35 Exe MEDIA 68,02 69,97 61,91 61,91 62,36 69,45 68,27 DP 5,23 7,87 7,90 7,53 14,12 8,71 6,44 Exe+Acu MEDIA 69,48 71,70 61,82* 63,27* 64,00* 67,45 67,18 DP 6,61 7,94 6,16 7,54 6,31 6,61 5,84

PAM REP EXE Rec 0 Rec 15 Rec 30 Rec 45 Rec 60 CON MEDIA 86,88 86,63 86,97 87,70 90,12 89,97 91,88* DP 7,01 7,66 6,13 4,96 6,23 6,98 5,94 Exe MEDIA 85,40 90,55 78,73 79,36 79,45 83,91 82,91 DP 6,61 9,52 7,23 7,86 10,54 7,70 6,99 Exe+Acu MEDIA 85,30 91,77 77,36* 79,27* 78,85* 82,06 83,21 DP 6,60 8,84 5,41 6,71 7,17 6,59 6,13

(10)

de recuperação, não havendo distinção entre elas, e na sessão Exe houve queda também aos 60 min de recuperação, porém não encontramos diferenças entre as sessões Exe e Exe+Acu. Delta PAS -14 -12 -10 -8 -6 -4 -2 0 2 4 6

REP Rec 0 Rec 15 Rec 30 Rec 45 Rec 60

M omento P A S ( m m H g )

Controle Exercício Exercício + Acupuntura

*

*

*

*

*

† † ‡ ‡ ‡ INTERVENÇ ÃO

Fig. 1- Valores de PAS em delta nos vários momentos da coleta. O símbolo † representa diferença

significativa da série exercício + acupuntura para a sessão controle, ‡ é a diferença significativa entre a sessão exercício e a sessão controle. * a diferença entre o momento pós-exercício com o repouso (p< 0,05).

Conforme a figura 2, para valores em delta de PAD, observou-se diferença entre as sessões Exe+Acu e o repouso aos 0’, 15’ e 30”de recuperação. Não observou-se diferença entre sessões Exe e Exe+Acu.

(11)

Delta PAD -12 -10 -8 -6 -4 -2 0 2 4 6 8 10

REP Rec 0 Rec 15 Rec 30 Rec 45 Rec 60

M omento P A D ( m m H g )

Controle Exercício Execício + Acupuntura

* * *

‡ ‡

INTERVENÇ ÃO

Fig. 2: Gráfico do comportamento da PAD nos vários momentos da coleta. O símbolo “†” indica diferença

significativa entre a sessão exercício + acupuntura em relação à sessão controle, “‡” diferença entre a sessão exercício e controle (p<0,05). * a diferença entre o momento pós exercício e o repouso.

(12)

Para os valores de delta PAM (Fig. 3), não foi observada diferença intra sessão para Exe, somente um aumento para o CON aos 60’de recuperação e para Exe+Acu aos 0’, 15’ e 30’ de recuperação, tendo quedas de até 8 mmHG. (p< 0,05).

Delta PAM -12 -10 -8 -6 -4 -2 0 2 4 6 8

REP Rec 0 Rec 15 Rec 30 Rec 45 Rec 60

Momento PA M (m m H g )

Controle Exercício Exercício + Acupuntura

* * * * † † † † † ‡ ‡ ‡ ‡ INTERVENÇ ÃO

Fig. 3: Gráfico do comportamento da PAM nos vários momentos da coleta. O símbolo † indica diferença

significativa entre a sessão exercício + acupuntura em relação à sessão controle, “‡” diferença entre a sessão exercício e controle, * a diferença entre o momento pós exercícioe o repouso (p<0,05).

DISCUSSÃO

O principal resultado encontrado com o presente estudo. Com relação à hipotensão pós-exercício, ainda não há um consenso quanto sua efetividade, duração e aplicação para diferentes grupos populacionais, como também não está estabelecida qual a exata forma/intensidade/duração dos exercícios para induzi-la. Por exemplo, Mach et al. (2005) encontraram hipotensão significativa na PAS após exercício resistido de intensidade moderada em hipertensos, o que também é afirmado nos estudos de MacDonald et al. (1999). Já Fisher, observou diminuição significativa pós-exercício resistido para PAD e não para PAS em mulheres hipertensas e normotensas.

Lizardo et al. (2005) encontraram hipotensão de PAS, PAD e PAM em 11 sujeitos normotensos após exercício resistido a 30% de 1RM, porém em nosso estudo, a sessão

(13)

composta somente de exercício não teve hipotensão para PAD e PAM, o que ocorreu se somada a acupuntura, mostrando que esta auxiliou no processo de hipotensão.

Mach et al. (2005) sugerem que o principal mecanismo da redução da PA pós-exercício é a diminuição da resistência vascular periférica, causada por uma inibição da atividade simpática e por uma resposta vascular alterada secundária a liberação de substâncias vasodilatadoras locais que, somadas, levariam a redução do débito cardíaco.

Foi relatado que a acupuntura somada ao exercício22 ou como única terapia21 é

capaz de reduzir efetivamente a pressão arterial em hipertensos 16,17 mesmo não sendo

diferente significativamente em relação ao efeito placebo e para o medicamento reserpine® 15. Andersson22 afirma que, segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a

acupuntura deveria ter efeitos mínimos ou não ter efeitos em sujeitos normais, apenas em disfunções os mecanismos de balanço produziriam claros efeitos, porém como mostramos, as duas terapias somadas foram capazes de diminuir PAD e PAM, diferentemente, de quando utilizamos somente exercício.

Apesar dos detalhes serem ainda desconhecidos, evidências clínicas sugerem que a acupuntura pode também afetar o sistema simpático da mesma forma que o exercício muscular, pois liberam igualmente opióides endógenos (β-endorfina) importantes na regulação da pressão arterial, que provoca uma diminuição do tônus simpático durante exercício ou acupuntura, com vasodilatação e um menor drive no coração, seguinte a excitação inicial do centro vasomotor22. Outra explicação para a diminuição da pressão

arterial pela acupuntura é que esta aumenta a produção de óxido nítrico, substância vasodilatadora, que proporciona menor resistência periférica 20.

Além da hipotensão pós-exercício, foi evidente em nosso estudo o efeito protetor que ao realizar Exe ou Exe+Acu proporciona ao praticante, visto que houve diminuição da pressão em relação ao dia em que o voluntário não faz nenhuma atividade física. Verificamos uma tendência de a sessão Exe+Acu ser mais eficaz que a Exe, apesar de não termos achado diferenças entre elas, talvez devido ao tamanho da amostra.

Em nosso estudo, utilizamos uma amostra pequena, a qual apresentou uma grande variabilidade de dados, o que resultou num alto desvio padrão que pode ter mascarado alguns pontos de hipotensão, podendo inferir que os achados significativos o são com certeza, porém onde não encontramos, pode ser que exista uma diferença, já que foi observado na literatura valores de hipotensão em mais momentos de recuperação em intensidades menores (30%)2.

Podemos ter ainda, como fator agravante para a manutenção ou aumento da pressão, a penetração da agulha que, por si só, poder gerar certo estresse em alguns dos

(14)

pacientes, principalmente os que nunca tinham utilizado essa técnica, o que poderia ser minimizado em futuros estudos realizando um treinamento com a amostra em um dia de avaliação.

CONCLUSÃO

O presente estudo não observou diferença significativa (p<0,05) entre as sessoes Exe e Exe+Acu, porém evidenciou que houve hipotensão pós-exercício significativa em relação ao período pré-exercício para os valores de PAS em ambas as sessões; hipotensão em PAD e PAM somente para Exe+Acu. Também observamos que houve diferença das sessões de Exe+Acu e Exe em relação ao CON, onde podemos afirmar que o dia que o indivíduo realiza exercício e/ou acupuntura, sua pressão apresenta redução significativa comparado a um dia sem atividade qualquer, caracterizando um efeito protetor para a pressão arterial dos indivíduos.

Considerando que a acupuntura segue o princípio do equilíbrio corporal, não deveria se esperar uma resposta hipotensora exacerbada para normotensos, mesmo assim tivemos uma redução suficiente para caracterizar o fenômeno da hipotensão pós-exercício, o que talvez pudesse ser otimizado com sua utilização em voluntários hipertensos no futuro.

(15)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. American College of Sports Medicine. Physical activity, physical fitness and hypertension. Medicine and Science in Sports and Exercise, 1993, vol.25.

2. Lizardo J. H. F.; Simões, H.G.: Efeitos de diferentes sessões de exercícios resistidos sobre a hipotensão pós-exercício - Rev. Bras. Fisioter., 2005; vol. 9 (3): 289-295.

3. Mensah, G.A. The global burden of hypertension: good news and bad news. Cardiol. Clin, 2002; vol. 20: 181-185.

4. Ministério da Saúde. Relatório técnico da campanha nacional de detecção de suspeitos de diabetes mellitus. Brasília: Secretaria de Políticas da Saúde, Ministério da Saúde; 2001.

5. Forjaz, C. L. M et al.: Exercise duration determines the magnitude and duration of post-exercise hypotension. Arq. Bras. Cardiol., 1998; vol.70 (2).

6. Pescatello L. S. et al. Short-term effect of dynamic exercise on arterial blood pressure. Circulation, 1991; vol. 83: 1557 – 1561.

7. Cunha, G. A. et al: Hipotensão pós-exercício resistido em hipertensos submetidos ao exercício aeróbio de intensidades variadas e exercício de intensidade constante. Rev Bras Med Esporte, 2006; vol. 12 (6).

8. Mediano, M. F. F. et al.: Subacute behavior of the blood pressure after power training in controlled hypertensive individuals. Rev Bras Med Esporte. Niterói, 2005; vol. 11(6).

9. Fisher, M. M.: The effect of resistance exercise on recovery blood pressure in normotensive and borderline hypertensive women. J Strenght Cond Resp; 2001; vol.15 (2): 120-6.

10. Brum, P.C, et al:Adaptações agudas e crônicas do exercício físico no sistema cardiovascular. Revista Paulista Educ. Física, São Paulo, 2004; vol.18: p.21-31.

(16)

11. Mac Donald, J; Mac Dougall, J; Hogben, C. The effects of exercise intensity on postexercise hypotension. J Hum Hypertension,1999; vol. 8: 527-531.

12. Kenney, M. J.; Seals, D R. Postexercise hypotension: key features, mechanisms, and clinical significance. Hypertension, 1993; vol. 22: 653 – 664.

13. Mach, C. et al.: Effect of Exercise Duration on Postexercise Hypotension. Journal of Cardiopulmonary Rehabilitation, 2005; vol. 25:366-369.

14. Kanardahl, S. et al.: Sympathetic nerve activity after acupuncture in humans. Pain, 1998; Vol. 75: 19-25.

15. Macklin, E. et al.: Stop Hypertension With the Acupuncture Research Program (SHARP): Results of a Randomized, Controlled Clinical Trial. Hypertension, 2006; v. 48: 838 – 845.

16. Ren, Y. E. Acupuncture in the Treatment of Hypertension and Stroke. Acupuncture in Medicine, 2000; vol. 18(1):54-60.

17. Weil, N. et al. The Effect of Acupuncture on Blood Pressure in Hypertensive Patients Treated in a Complementary Medicine Clinic. Integrative Medicine Insights, 2007; vol.2:1-5.

18. Moreira, S. R. Identificação dos limiares de Lactato, Glicêmico e Ventilatório e efeitos da Intensidade do exercício resistido sobre a glicemia em diabéticos tipo-2. Tese de Mestrado da Universidade Católica de Brasília, 2006.

19. Flachskampf, F.A. et al.: Randomized Trial of Acupuncture to Lower Blood Pressure. Circulation, 2007; vol. 115(24): 3121-3129.

20. Williams, T. et al. Effect of acupuncture-point stimulation on diastolic blood pressure in hypertensive subjects: a preliminary study. Physical Therapy, 1991; vol. 71(7):523-9.

(17)

21. Kim, D. D. et al. Acupuncture Reduces Experimental Renovascular Hypertension Through Mechanisms Involving Nitric Oxide Synthases. Microcirculation., 2006;vol. 13(7): 577–585.

22. Andersson, S.; Lundeberg, T.: Acupuncture – from Empiricism to Science: Functional Background to Acupuncture Effects in Pain and Disease. Medical Hypotheses, 1995; vol. 45: 271-281.

(18)

ANEXO 1 – Termo de Consentimento Livre e Esclarecido UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA – UCB

Nome:__________________________________________________________

1. ESCLARECIMENTO DAS AVALIAÇÕES

Você estará participando de um grupo experimental do estudo INFLUÊNCIA DA ACUPUNTURA NA HIPONTENSÃO PÓS-EXERCÍCIO RESISTIDO, com o objetivo de verificar a influência da acupuntura na magnitude da hipotensão pós-exercício resistido. Para tanto, você será submetido (a) a algumas avaliações. Você poderá a qualquer momento desligar-se da presente pesquisa sem nenhum constrangimento. Para que você possa decidir sobre sua participação, descrevemos a seguir os testes:

1.1 Avaliação, acupuntura e exercícios

-Sessão 1: Dia de avaliação do voluntário: anamnese, avaliação antropométrica, avaliação de pressão arterial e teste de 1RM;

-Sessão 2: exercício resistido;

-Sessão 3: exercício resistido seguido da aplicação de acupuntura; -Sessão 4: sessão controle;

Durante as sessões acima e 60 minutos após os exercícios ou acupuntura, serão realizadas aferições da pressão arterial a cada 15 minutos. Serão utilizadas agulhas (2.5-4cm, 0,25-0,3 mm de diâmetro; SHIN GI, China) durante as sessões de acupuntura.

2. POSSÍVEIS RISCOS E DESCONFORTOS

Durante a realização dos testes, poderão surgir alguns desconfortos. Durante a realização exercícios, poderão ocorrer: 1) hipoglicemia reativa (queda da taxa de açúcar no sangue); 2) hiperreatividade da pressão arterial ao exercício (aumento súbito da pressão arterial frente ao exercício) podendo gerar complicações cardiovasculares como doença arterial periférica, doença arterial coronariana e acidente vascular cerebral (derrame); 3) isquemias (redução do suprimento de oxigênio ao coração); 4) dor de cabeça e/ou muscular ou mesmo anginas (dor no coração); 5) lesões articulares e

(19)

musculares devido à exposição ao esforço físico; 6) pequenos sangramentos advindos da penetração das agulhas; 7) Irritabilidade da pele pela presença da agulha; 8) desconforto ao inserir e/ou retirar a agulha. Contudo, em caso de ocorrência dos riscos citados os testes serão interrompidos e o tratamento emergencial será feito pelo médico local que estará presente durante a realização dos testes, monitorando as sessões de exercício. Nenhum benefício especial será concedido para a compensação ou para pagamento de algum tratamento devido à participação nesta pesquisa.

3. BENEFÍCIOS ESPERADOS

Os participantes deste projeto serão informados sobre seu estado atual de condicionamento físico geral e energético através das avaliações realizadas em equipamentos internacionalmente reconhecidos.

O benefício possível dessa pesquisa diz respeito à identificação de uma variável não-medicamentosa capaz de maximizar os efeitos benéficos do exercício. Caso seja observada essa variação poderão surgir novos tratamentos e pesquisas para o combate das doenças cardiovasculares, o que possibilitará a intervenção apropriada de forma precoce, conseqüentemente, minimizando os efeitos deletérios desses quadros indesejáveis. Pesquisas dessa natureza certamente beneficiarão as futuras gerações.

4. RESPONSABILIDADE DO PESQUISADOR E DA INSTITUIÇÃO

O pesquisador responsável suspenderá a pesquisa imediatamente ao perceber algum risco ou dano à saúde do participante, mesmo riscos não previstos neste termo de consentimento.

5. RESPONSABILIDADE DOS PARTICIPANTES

Estar presente no local dos testes nos dias e horários marcados. Informar ao professor pesquisador qualquer desconforto que por acaso venha a perceber.

6. RESULTADOS OBTIDOS

As informações obtidas neste experimento, por meio dos resultados de todos os testes, poderão ser utilizadas como dados de pesquisa científica, podendo ser publicados e divulgados, sendo resguardada a identidade dos participantes.

(20)

A sua permissão para participar desta pesquisa é voluntária. Você estará livre para negá-la ou para em qualquer momento desistir da mesma se assim desejar.

Declaro ter lido este termo de consentimento e compreendido os procedimentos nele descritos. Informo também que todas as minhas dúvidas foram respondidas de forma clara e com fácil compreensão. Estou de acordo em participar da referida pesquisa.

______________________ _______________________ Assinatura – RG Participante Assinatura – RG Testemunha

(21)

ANEXO 2 – Questionário de Caracterização da Amostra

Nome: ________________________________Idade: _____ Peso: _____ Altura: ____ Nascimento: ____________ Data: ____________ Telefone: _______________

Por favor, responda as perguntas a seguir:

1- Você faz exercícios freqüentemente? ( ) Sim ( ) Não Se a resposta for não, mude para a pergunta 6. Há quanto tempo (anos) você pratica atividades físicas? ______________

2- Com que freqüência semanal você pratica exercícios? ( ) 1 ou 2 vezes ( ) 2 ou 3 vezes ( ) 3 ou 4 vezes ( ) 4 ou mais vezes

3- Marque o tipo de exercício que você geralmente faz (marque mais de uma se necessário).

( ) corrida ( ) bicicleta ( ) basquete ( ) natação ( ) futebol ( ) ginástica ( ) caminhada ( ) outros (especifique): ____________________________________

4- Quanto tempo (horas/minutos) você gasta com suas sessões de atividade física? Mínimo: ___________________ Máximo: __________________

5- Você faz exercícios com assistência ou orientação de algum profissional? ( ) Sim ( ) Não

6- Você tem alguma restrição que possa impedir a realização de algum tipo de exercício? ( ) Sim ( ) Não Se a resposta for sim, por favor, escreva mais detalhes sobre essa

restrição:

_____________________________________________________________________

7- Escreva a hora que você geralmente dorme e acorda diariamente:

Hora que dorme: __________________ Hora que acorda: ________________

8- Qual é a hora usual que você faz as refeições?

Café da manhã: ______ Almoço: ______ Lanche da tarde: _______ Jantar: _______

(22)

( ) Tem hipertensão ( ) Tem pessoas na família com histórias de problemas cardíacos ( ) Tem alguma doença cardíaca ( ) Tem diabetes – Tipo-1 ( ) ou Tipo-2 ( ) ( ) Tem algum problema ortopédico ( ) Fuma cigarro ou outro produto que contém tabaco ( ) Tem asma ou outros problemas respiratórios ( ) Apresentou recentemente algum mal estar ou

distúrbios gastrointestinais ( ) Apresenta alguma disfunção renal ( ) Apresenta algum outro problema de saúde não listado aqui. Qual?

__________________________________________________

10- Se você faz uso de algum medicamento, liste o que está sendo usado por você diariamente e relate qual a função do medicamento em seu organismo.

______________________________________________________________________

11 – Já ocorreu algum evento mais grave decorrente de alguma patologia que necessitou de uma visita a emergência do hospital ou de uma internação hospitalar? Se a resposta for sim, quando (mês e ano) e o que aconteceu?

______________________________________________________________________

12 - Você fuma?( ) N ( ) Sim. Há quanto tempo?____________________

Eu certifico que as respostas dadas por mim para responder esse questionário são todas verdadeiras, precisas e completas.

ASSINATURA: _________________________________________

Imagem

Referências

temas relacionados :