OS MITOS IORUBÁS E SUA IMPORTÂNCIA PARA SABER A ORIGEM DO MÉRÌNDÍNLÓGÚN

Texto

(1)

A ORIGEM DO MÉRÌNDÍNLÓGÚN

Bàbá Osvaldo Omotobàtálá

26/04/2014

Tradução, Adaptação e Notas

1

: Rudinei Borba

Maio / 2014

(2)

2 INTRODUÇÃO

Para seguir examinando mitos sagrados ou ìtàn que fundamentam a antiguidade do sistema Owó Erò Mérìndínlógún e quem foi seu criador, é necessário antes instruir um pouco ao leitor sobre certa situação que está desvirtuando a antiga tradição da mitologia yorùbá.

Os mitos no sistema de crenças yorùbá tem fundamental importância, pois são quem determinam e fundamentam valores e costumes dentro da tradição, confirmando ou registrando histórias, defeitos, virtudes e qualidades das divindades.

Antes da globalização e da era internet, onde a informação viaja e invade todos os lugares do mundo, difundindo em massa a literatura de Ifá, há muitos anos atrás os conceitos sobre o mito da Criação e certas histórias relacionadas com os Òrìsà não se contradiziam e estavam mais claras que hoje em dia. Fazendo um estudo dos mitos yorùbá na linha de tempo, é possível descobrir a manipulação de certas histórias e inclusive se podem encontrar relatos novos que contradizem os antigos, onde os personagens principais da história foram modificados subjetivamente.

Devemos denunciar publicamente que aproximadamente em meados de 1900, em terra yorùbá apareceram centenas de histórias ou mitos que ofuscaram a imagem de certas divindades do panteão yorùbá para dar primazia a outras como Òrúnmìlà, Ifá ou Òsun. Certos grupos de escritores

yorùbá trabalham a mais de meio século, fazendo com que hoje quase todo

(3)

3 Existe uma grande tendência de globalização de Ifá, usando como método de proselitismo2 palavras ou frases do tipo:

Apóstolos - Para referir-se aos odù Ifá Profeta - Quando falam de Òrúnmìlà Salvação – Quando falam que só Ifá salva

Ifá é o caminho – Para dar iniciação em Ifá

Ifá é a verdade – Transparecendo que os demais não o são

Se analisarmos com minuciosidade todas as frases, ficará fácil notar que as mesmas foram trocadas as expressões Cristãs: "Cristo" ou "Senhor" pela palavra "Ifá". Estes métodos são também usados pelas igrejas evangélicas, as quais alcançam adeptos em grandes quantidades. Acreditamos que alguns adeptos de Ifá se utilizaram destas técnicas para difundir a palavra de Ifá no mundo. Utilizam estas falas em fóruns de discussão, blogs e site na web, difundindo uma ideia errônea sobre o culto de Ifá, onde pretendem mostrar o mesmo como um Culto Universal ou Mundial.

Talvez algumas dessas trocas de expressões e formas novas de publicidade sirvam para atrair novos adeptos desde o Cristianismo ou Islamismo, mas acreditamos que realmente estão prejudicando a raiz yorùbá, já que está se perdendo mitos e legados antigos.

A divindade mais antiga e a maior do panteão yorùbá é ÒRÌSÀ (Òrìsànlá ou Obàtálá), este que foi a primeira e única divindade criada por Olódùmarè, este que após criar Obàtálá, entregou ao mesmo o "Poder de Criação" ou a

(4)

4 "Cabaça da Existência" (Ìgbà Ìwà). Após lhe entregar este poder, Olódùmarè lhe deu a tarefa de criar o Mundo e os Seres Humanos3.

De acordo com mitos antigos, antes que Òrìsànlá fizesse o Mundo e os Seres Humanos, ele criou um “Ser” para que lhe ajudasse em suas tarefas, o qual foi chamado ATUNDÁ. No primeiro ato de rebelião no princípio dos tempos, Atundá planejou matar seu Amo (Òrìsànlá), deixando cair uma pesada rocha sobre o mesmo. Òrìsànlá então se quebrou em "Quatrocentos e Um Pedaços" e cada pedaço lhe cobrou vida e personalidade própria, a qual deu origem ao resto das divindades. O Grande Òrìsà se transformou em o "Pai (bàbá)” das divindades e ao mesmo tempo em seu líder natural. Logo Òrìsà Bàbá (Òrìsànlá ou Obàtálá) com a ajuda das demais divindades realizou a grande tarefa da criação do Mundo e tudo o que contém no mesmo. Finalmente dando a cada Òrìsà seus poderes.

Existem outras variantes sobre como Òrìsà (Òrìsànlá ou Obàtálá) criou o Mundo e os Seres Humanos, estas narradas por outros autores como Wàndé Abímbolá em "Ifá Divination Poetry", Bolaji Idowu "Olodumare, God in the

Yoruba Beliefs", Omosade Awolalu "Yoruba Beliefs and Sacrificial Rites", Joel

Adedeji "Folklore and Yoruba drama: Obatala as case of study", entre muitos outros e todas coincidem em que Òrìsànlá ou Obàtálá é o CRIADOR da Terra e dos Seres Humanos.

Sabemos que posteriormente surgiram mitos que colocam Odùduwà como o Criador da Terra e em outros trocam a posição de Obàtálá por

ÒRÚNMÌLÀ, elevando o último a glória de Criar a Terra. Por que falamos isto?

Que relação tem com o sistema adivinhatório do Owo Mérìndínlógún?

A resposta a estes questionamentos são semelhantes à manipulação dos ìtàn, mencionados anteriormente, onde também alguns mitos difundidos sobre Owo Mérìndínlógún (os Búzios) foram modificados e manipulados através dos tempos.

(5)

5 A história que analisaremos a seguir mostra um extrato no qual aparece

Òrúnmìlà como o criador e dono do oráculo Awo Mérìndínlógún, entregando

posteriormente o sistema adivinhatório a Òsun, sua esposa. Veremos as contradições no mito.

COMO ÒSUN RECEBEU OS 16 BÚZIOS DE ADIVINHAÇÃO

A maioria dos praticantes e seguidores de Ifá costuma difundir sobre como Òsun ganha de Òrúnmìlà o Mérìndínlógún, mas lamentavelmente não temos a história original escrita em yorùbá para ser analisada. Neste caso iremos relatar o que é difundido sobre o assunto:

“Òsun (Oshun / Oxum) estava casada com Òrúnmìlà e este seguidamente viajava, deixando geralmente Òsun sozinha em sua casa. Quando as pessoas iam à casa de Òrúnmìlà para que este solucionasse seus problemas através de consultas, remédios e soluções encontravam Òsun, esta que acabava usando seus instrumentos de adivinhação para atender estas pessoas. Quando Òrúnmìlà retornou a casa, encontrou Òsun atendendo as pessoas e desde então lhe deu os 16 búzios para que a mesma lhe representa-se em sua ausência, assim podendo ajudar as pessoas”.

Nesta história, ao não ter a original, não sabemos quais INSTRUMENTOS DE ADIVINHAÇÃO usava Òsun para fazer as consultas, pois alguns dizem que era o Òpèlè. Teríamos que analisar porque Òsun usava

Òpèlè. Por que motivo Òrúnmìlà lhe entregaria búzios? Seria mais razoável

(6)

6 Através destes questionamentos, vamos à busca de respostas baseadas nos mitos yorùbá. Òrúnmìlà entrega búzios a Òsun porque o sistema adivinhatório que usava neste mito era o sistema Owo Erò Mérìndínlógún.

Ao analisar o mito, pensamos que Òrúnmìlà não era sacerdote de Ifá neste tempo e seguramente era sacerdote de Òrìsà e estas observações não devem ser vistas como uma loucura, pois de acordo com Ifá, todos os Òrìsà foram gradualmente iniciando-se no culto de Ifá, onde podemos perfeitamente ver registrado no Odù Ifá Okanran Mèjì:

Agbele gbibo é o sobrenome para Égúngún Èjì Ogbe foi quem iniciou Égúngún

Ele disse que absolutamente todo mundo veneraria Égúngún Todos os filhos dos homens venerariam Égúngún

O rei Ominrinipasa é o nome místico que chamamos Òrúnmìlà

Oyèkú mèjì é aquele que INICIOU ÒRÚNMÌLÀ no CULTO DE IFÁ

Ele disse que todos venerariam Òrúnmìlà

Todos os filhos dos homens venerariam Òrúnmìlà Reis e chefes

Fazem reverência a Ifá

Todos eles venerariam o Ikin sagrado

Bàbá borí jagajigi é o epíteto de Osanyin

Iwori mèjì foi aquele que iniciou Osanyin no culto de Ifá

Ele disse que todos venerariam Osanyin O mundo inteiro veneraria Osanyin

Afunkeke jaye é o nome pelo qual chamamos a Òrìsà Obàtálá Odi mèjì foi aquele que iniciou Obàtálá no culto de Ifá

(7)

7 Através do relato podemos perceber que Òrúnmìlà não estava iniciado no culto de Ifá quando era casado com Òsun. O sistema adivinhatório usado por Òrúnmìlà nessa época eram os 16 búzios, cuja autoridade (àse) Òrúnmìlà logo entregaria a Òsun.

E quem entregou a Òrúnmìlà os 16 búzios do sistema Owo Erò Mérìndínlógún?

A resposta se encontra em um odù Òrìsà, onde as histórias relacionadas com Òrúnmìlà no culto de Òrìsà estão guardadas na tradição oral dos odù do sistema Owo Erò Mérìndínlógún. O odù Ogbe mèjì ou Ejonílè mèjì (Fonte:

Sixteen Cowries de William), diz:

Quando Bàbá Apodihoro, Òrìsànlá Oseregbo, Deu origem aos 401 filhos,

Apodihoro, Pai criou 401 profissões.

Apodihoro, Òrìsànlá Oseregbo, Pai criou 401 talentos.

Ele disse que cada filho teria que escolher o seu. E ali estava Òrúnmìlà, aquele que não era forte. Exatamente como uma pessoa fraca,

Que ao segurar uma enxada lhe colocava em apuros, Carregar a mesma também era difícil,

e inclusive caminhar.

Não havia trabalho que fosse fácil para Òrúnmìlà Pai disse: O que tú farás?

Ele disse que seria adivinho. Que espécie de adivinho?

(8)

8

(...)

De tal modo, chamou a Òrúnmìlà

E Òrúnmìlà recebeu uma bolsa de adivinhação (...)

Dessa forma, Òrúnmìlà se tornou adivinho. Todos os demais também queriam ser.

Ògún queria ser um deles,

O Pai (Òrìsànlá) disse: Você que és forte? Você deveria ser ferreiro

Oya queria ser um deles,

O Pai (Òrìsànlá) disse: Você que és forte? Você deveria ser comerciante

Hoje em dia todos os iniciados dos demais Òrìsà podem adivinhar. Os iniciados de Sàngó, iniciados de Oya...

Isso graças a Òsun

Foi Òsun que não deixava Òrúnmìlà descansar Não o deixava sair

Tanto insistiu que Òrúnmìlà lhe ensinou a adivinhar Logo Òsun lhe ensinou a adivinhar e ao resto dos Òrìsà (...)

...

Òrúnmìlà se tornou adivinho

Ele cantava:

Apodihoro, Òrìsànlá Oseregbo

O Pai teve 401 filhos

(9)

9

O Pai criou 401 profissões

Apodihoro, Òrìsànlá Oseregbo

O Pai criou 401 talentos

Deu aqueles que aprenderam um meio de vida, Apodihoro Com aquele que aprendi, agora estou comendo, Apodihoro Com aquele que eu aprendí...

Este mito confirma várias coisas:

1) Que Òrìsànlá é o pai de todas as divindades e criador das distintas profissões que tem cada Òrìsà.

2) Que Òrìsànlá foi aquele que entregou a "bolsa de adivinhação" (o sistema adivinhatório dos 16 búzios) a Òrúnmìlà, em uma época anterior ao culto de Ifá, quando se converteu no adivinho dos Òrìsà.

3) Que na verdade Òrúnmìlà quando estava casado com Òsun, ainda não estava iniciado em Ifá e por isto usava os búzios que Òrìsànlá lhe entregou para adivinhar.

Logo Òrúnmìlà entregaria a Òsun 16 búzios e a ensinaria a adivinhar. As histórias então não se contradizem, mas o problema está naquilo que se difunde, onde por interesses pessoais acabam modificando todo o contexto.

(10)

10 Todo praticante de qualquer variante de Òrìsà ou Ifá sabe que para entregar algo, haverá que ter o àse primeiro, pois não se pode dar o que não se tem.

Pensamos que o fato de Òrúnmìlà ter entregado 16 búzios adivinhatórios a sua esposa Òsun é porque ele era um sacerdote de Òrìsà e deveria fazer adivinhação através do sistema Owo Erò Mérìndínlógún. Isto está muito longe da ideia de que "Ifá entregou o Mérìndínlógún a Òrìsà" ou pensamento de que "o Mérìndínlógún nasce de Ifá".

Imagem

Referências

temas relacionados :