• Nenhum resultado encontrado

Conselho da União Europeia Bruxelas, 26 de novembro de 2021 (OR. en)

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2022

Share "Conselho da União Europeia Bruxelas, 26 de novembro de 2021 (OR. en)"

Copied!
5
0
0

Texto

(1)

13973/21 JG/im/ns

TREE.1.A LIMITE PT

Conselho da União Europeia

Bruxelas, 26 de novembro de 2021 (OR. en)

13973/21

LIMITE ENV 890 CLIMA 385 MED 69 ONU 130 MI 846 Dossiê interinstitucional:

2021/0349 (NLE)

ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Assunto: DECISÃO DO CONSELHO relativa à posição a tomar em nome da União Europeia na 22.ª reunião das Partes Contratantes na Convenção sobre a Proteção do Meio Marinho e do Litoral do Mediterrâneo ("Convenção de Barcelona") e respetivos protocolos no que respeita à adoção de uma decisão de apresentação de uma proposta para designar o mar

Mediterrâneo, no seu conjunto, como zona de controlo das emissões de

óxidos de enxofre (Med SO x ECA), nos termos do anexo VI da Convenção

Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios ("Convenção

MARPOL")

(2)

DECISÃO (UE) …/… DO CONSELHO de …

relativa à posição a tomar em nome da União Europeia na 22.ª reunião das Partes Contratantes na Convenção sobre a Proteção do Meio Marinho e do Litoral do Mediterrâneo ("Convenção de Barcelona") e respetivos protocolos no que respeita à adoção de uma decisão de apresentação de uma proposta para designar o mar Mediterrâneo, no seu conjunto, como zona de controlo das emissões de óxidos de enxofre (Med SO x ECA), nos termos do anexo VI

da Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios ("Convenção MARPOL")

O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA,

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, nomeadamente o artigo 192.º, n.º 1, em conjugação com o artigo 218.º, n.º 9,

Tendo em conta a proposta da Comissão Europeia,

(3)

13973/21 JG/im/ns 2

TREE.1.A LIMITE PT

Considerando o seguinte:

(1) A Convenção sobre a Proteção do Meio Marinho e do Litoral do Mediterrâneo modificada (a seguir designada por "Convenção de Barcelona") foi celebrada pela União através da Decisão 1999/802/CE do Conselho 1 e entrou em vigor a 9 de julho de 2004.

(2) Nos termos do artigo 18.º, n.º 2, alínea vi), da Convenção de Barcelona, a reunião das Partes Contratantes na Convenção de Barcelona e respetivos protocolos pode considerar e empreender qualquer ação que possa ser necessária para alcançar os objetivos da

Convenção de Barcelona e dos protocolos. Nos termos da regra 43.ª do Regulamento Interno relativa a reuniões das Partes Contratantes, as decisões em matéria substantiva, salvo disposição em contrário na Convenção de Barcelona, nos protocolos ou no mandato financeiro, são adotadas por maioria de dois terços das Partes Contratantes presentes e votantes.

(3) Na sua 22.ª reunião, que se realiza de 7 a 10 de dezembro de 2021, as Partes Contratantes na Convenção de Barcelona e respetivos protocolos deverão adotar uma decisão (“a decisão das Partes Contratantes”) no sentido de apresentar à 78.ª sessão do Comité para a Proteção do Meio Marinho (CPMM) da Organização Marítima Internacional em 2022 uma proposta com o objetivo de designar o mar Mediterrâneo, no seu conjunto, como zona de controlo das emissões de óxidos de enxofre (MED SO x ECA) e de especificar a data de entrada em vigor.

1 Decisão 1999/802/CE do Conselho, de 22 de Outubro de 1999, respeitante à aceitação das

alterações ao protocolo relativo à proteção do mar Mediterrâneo contra a poluição de origem

telúrica (Convenção de Barcelona) (JO L 322 de 14.12.1999, pp. 32).

(4)

(4) A decisão das Partes Contratantes diz respeito à proteção do ambiente, que é uma

competência partilhada entre a União e os seus Estados-Membros, em conformidade com o artigo 4.º, n.º 2, alínea e), do Tratado. A decisão das Partes Contratantes não se insere num domínio em grande parte abrangido pelas regras da União relativas a essa proteção. A União não tenciona fazer uso da possibilidade de exercer a sua competência externa nos domínios abrangidos pela referida decisão em que a sua competência ainda não tenha sido exercida internamente.

(5) É conveniente definir a posição a tomar, em nome da União, na reunião das Partes Contratantes na Convenção de Barcelona e respetivos protocolos, uma vez que a decisão das Partes Contratantes respeita à apresentação de uma proposta à 78.ª sessão do CPMM, em nome de uma organização da qual a União é parte, com o objetivo de designar o mar Mediterrâneo, no seu conjunto, como zona de controlo das emissões de óxidos de enxofre (Med SO x ECA), pelo que constitui um ato com efeitos jurídicos.

(6) Uma vez que o objetivo da decisão das Partes Contratantes é conduzir à atualização dos requisitos relativos à proteção do mar Mediterrâneo, em consonância com a ambição da União de reduzir a poluição no meio marinho e proteger a saúde humana, a União deverá apoiar a adoção da decisão das Partes Contratantes,

ADOTOU A PRESENTE DECISÃO:

(5)

13973/21 JG/im/ns 4

TREE.1.A LIMITE PT

Artigo 1.º

A posição a tomar em nome da União Europeia na 22.ª reunião das Partes Contratantes na Convenção de Barcelona e respetivos protocolos é a de apoiar a adoção da decisão relativa à apresentação à 78.ª sessão do Comité para a Proteção do Meio Marinho da Organização Marítima Internacional de uma proposta com o objetivo de designar o mar Mediterrâneo, no seu conjunto, como zona de controlo das emissões de óxidos de enxofre ("MED SO x ECA"), bem como de especificar a data de entrada em vigor.

Artigo 2.º

À luz da evolução da 22.ª reunião das Partes Contratantes na Convenção de Barcelona e respetivos protocolos, os representantes da União, em consulta com os Estados-Membros, poderão decidir efetuar ajustes à posição a que se refere o artigo 1.º durante as reuniões de coordenação no local, sem que seja necessária uma nova decisão do Conselho.

Artigo 3.º A presente decisão entra em vigor na data da sua adoção.

Feito em Bruxelas, em

Pelo Conselho

O Presidente

Referências

Documentos relacionados

Assunto: DECISÃO DO CONSELHO relativa à posição a tomar, em nome daUnião Europeia, no âmbito do Comité Misto criado pelo Acordo provisório de Associação Euro-Mediterrânico

(1) É do interesse da Comunidade suspender total ou parcialmente os direitos autónomos da pauta aduaneira comum para um certo número de produtos que não figuram no

2 Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos; Reexame dos limites máximos de resíduos (LMR) em vigor para o bifenazato, em conformidade com o artigo 12.º do Regulamento (CE)

Dessa forma, o estudo justifica-se pela estruturação do cuidado na UTI através do processo de enfermagem baseado em teorias de enfermagem que podem contribuir

relativa à posição a tomar, em nome da União Europeia, no âmbito do Subcomité das Alfândegas criado pelo Acordo de Associação entre a União Europeia e os

Lembro-me bem dos filhos de Seu Veiga, todos excelentes rapazes. Era, aliás, o filho querido de Seu Veiga, pai extremoso, que não admitia piadas. Não tinha o menor senso de

Em 10 de outubro de 2018, a Comissão Europeia apresentou ao Conselho a proposta de regulamento do Conselho que fixa, para 2019 e 2020, as possibilidades de pesca para os navios

As principais características da maior parte do desporto organizado com base em valores na Europa representam uma organização desportiva numa base autónoma, democrática e