• Nenhum resultado encontrado

Relatórios de Estágio realizado na Nova Farmácia Saúde e no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, EPE (Hospital de Vila do Conde)

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Relatórios de Estágio realizado na Nova Farmácia Saúde e no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, EPE (Hospital de Vila do Conde)"

Copied!
128
0
0

Texto

(1)

i

Nova Farmácia Saúde

(2)

ii

Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas

Relatório de Estágio Profissionalizante

Farmácia Saúde

Janeiro de 2018 a fevereiro de 2018 e maio de 2018 a julho de 2018

Luís Miguel Vale

Orientador: Dra. Rita Araújo Monteiro

Tutor FFUP: Prof. Paulo Lobão

(3)

iii

Declaração de Integridade

Declaro que o presente relatório é de minha autoria e não foi utilizado previamente

noutro curso ou unidade curricular, desta ou de outra instituição. As referências a

outros autores (afirmações, ideias, pensamentos) respeitam escrupulosamente as

regras da atribuição, e encontram-se devidamente indicadas no texto e nas

referências bibliográficas, de acordo com as normas de referenciação. Tenho

consciência de que a prática de plágio e auto-plágio constitui um ilícito académico.

Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, 9 de setembro de 2018

(4)

iv

Resumo

O relatório de estágio que aqui se encontra é o culminar de cinco anos de trabalho, esforço

e dedicação, mas também de alegrias e ensinamentos que jamais terei oportunidade de

experienciar novamente.

De facto, o estágio é o alicerce prático que suporta o curso Mestrado Integrado em Ciências

Farmacêuticas e que permite um primeiro contacto real com aquilo que é considerado o

ex-libris da profissão farmacêutica devido à enorme competência e responsabilidade do

farmacêutico na prestação de cuidados de saúde de excelência na comunidade em que

está inserido.

Com efeito, é recompensador rever a evolução que senti ao longo destes quatro meses de

estágio em ambiente de farmácia comunitária, uma vez que o meu crescimento a nível

profissional, científico e pessoal é inequívoco e que me tornam hoje preparado para

ultrapassar os desafios que enfrentarei por aqui adiante.

Este relatório está dividido em duas partes, sendo que na primeira são abordados os temas

relativos ao relato geral e personalizado do estágio com aquilo que tive oportunidade de

experienciar enquanto estagiário da farmácia, bem como a explicação do funcionamento,

gestão e serviços prestados da Nova Farmácia Saúde. Relativamente à segunda parte do

relatório é incidida nas atividades desenvolvidas como intervenção ativa na farmácia com

a realização de quatro projetos com vista na melhoria da farmácia e dos seus serviços

prestados à comunidade.

(5)

v

Agradecimentos

Terminada esta última etapa do percurso a que me propus há cinco anos atrás, não posso

deixar de prestar alguns agradecimentos a quem considero que contribuiu para o alargar

dos meus horizontes, bem como o meu desenvolvimento profissional e/ou pessoal.

Primeiramente, agradeço à Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto,

nomeadamente os professores, funcionários, trabalhadores e colaboradores, por todos os

ensinamentos e desafios que me proporcionaram e que me tornaram uma pessoa mais

capaz e preparada para o mundo de trabalho numa das profissões com maior relevância e

honra na sociedade vigente.

Agradeço à comissão de estágios pelo incansável trabalho organizativo e comunicativo

efetuado com todas as entidades responsáveis pela realização do estágio, em especial ao

professor Paulo Lobão pelo acompanhamento executado ao longo deste período no final

do curso.

Agradeço à Nova Farmácia Saúde, em particular à Dra. Rita Araújo Monteiro no

apadrinhamento e disponibilidade demonstrada ao longo destes 4 meses de estágio, quer

nos ensinamentos e atividades do quotidiano da profissão farmacêutica, quer na abertura

para os projetos de intervenção realizados. Agradeço também em particular à Dra.

Alexandra Gonçalves, Fátima Lopes e Sofia Frazão por tornar esta experiência única, dia

após dia, acompanhando-me em todas a fases deste período, bem como no elucidar em

todas as dúvidas que, habitualmente, me iam surgindo.

Deixo o meu agradecimento aos meus colegas e amigos que tornaram estes cinco anos

numa jornada de aprendizagem sustentada, uma vez que sou apologista que o crescimento

individual é catalisado e suportado pela convivência em comunidade num ambiente de

interajuda e amizade.

Agradeço também aos vários grupos académicos da Faculdade de Farmácia da

Universidade do Porto, nos quais partilho várias amizades, em especial à Tuna de

Farmácia do Porto e Grupo de Fados da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto

aos quais pertenci durante o meu período de ensino superior e que me deram a

oportunidade de experienciar outro tipo de ações formativas, na vertente do

desenvolvimento individual e de grupo. É, sem dúvida, com um enorme carinho que

recordo todos os momentos que me proporcionaram e que desejo a maior das sortes para

a continuidade futura destes mesmo grupos para que as gerações vindouras possam ter a

sorte que eu também tive como estudante.

Por fim, agradeço à minha família que possibilitou o ingresso neste curso e que sempre me

apoiou e deu liberdade de efetuar as minhas próprias escolhas para que pudesse crescer

com um sentido de responsabilidade apurado relativamente às decisões que fui realizando.

(6)

vi

Índice

Resumo ... iv

Agradecimentos ... v

Lista de abreviaturas

... xi

Parte I

... 1

Cronograma das atividades desenvolvidas ao longo do estágio: ... 1

Nova Farmácia Saúde (NFS): ... 1

Apresentação da NFS:

... 1

Localização: ... 1

Horário de funcionamento: ... 2

Recursos Humanos:

... 2

Espaço físico exterior:

... 3

Espaço físico interior: ... 3

Sala de atendimento ao público:

... 3

Gabinete de atendimento personalizado:

... 4

Área de gestão de encomendas e armazenamento primário: ... 5

Armazenamento secundário: ... 6

Gabinete da direção técnica:

... 6

Laboratório e instalações sanitárias:

... 6

Gabinete e zona de recolhimento: ... 6

Comunicação interna: ... 7

Comunicação externa:

... 7

Biblioteca e fontes de informação: ... 7

Sistema Informático: ... 8

Encomendas:

... 9

Encomendas e gestão de stocks:

... 9

Receção e conferência de encomendas: ... 10

(7)

vii

Devoluções:

... 12

Grupo Holon: ... 13

Serviços prestados pela farmácia: ... 14

Determinação de parâmetros bioquímicos e fisiológicos:

... 14

Determinação da pressão arterial:

... 15

Determinação do Índice de Massa Corporal: ... 15

Determinação da glicémia: ... 15

Determinação do colesterol total e triglicerídeos:

... 16

Administração de injetáveis:

... 16

Consulta pé diabético: ... 17

Consulta de podologia: ... 17

Consulta de nutrição:

... 17

VALORMED: ... 17

Campanhas de informação/educação para a saúde: ... 17

Dispensa de medicamentos e produtos de saúde:

... 18

Medicamentos sujeitos a receita médica:

... 18

Receita médica: ... 18

Sistemas de comparticipação:

... 19

Faturação e Conferência do receituário:

... 19

Medicamentos psicotrópicos e estupefacientes: ... 20

Medicamentos genéricos: ... 20

Medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM):

... 20

Medicamentos manipulados:

... 21

Produtos fitoterápicos: ... 21

Dispositivos médicos: ... 21

Produtos de cosmética e higiene corporal:

... 22

Medicamentos de uso veterinário: ... 22

(8)

viii

Suplementos alimentares:

... 23

Puericultura: ... 23

Validação da prescrição e dispensa de medicamentos: ... 24

Formação complementar:

... 24

Parte II

... 26

Projeto 1: Rastreio Cardiovascular ... 26

Contextualização: ... 26

Prevenção e Aconselhamento:

... 27

Maio, Mês do coração:

... 27

Medição do risco cardiovascular: ... 28

Objetivo: ... 28

Parcerias:

... 28

Aplicação do projeto: ... 29

Projeto 2: Ação de formação relativo à acne ... 30

Contextualização:

... 30

Mecanismo da doença:

... 30

Prevalência no mundo e em Portugal: ... 32

Diversidade clínica:

... 32

Parâmetro psicossocial:

... 32

Medidas preventivas: ... 33

Objetivo: ... 33

Parcerias:

... 33

Aplicação do projeto:

... 34

Projeto 3 - Ação de formação relativa aos perigos da exposição solar e importância da

proteção solar a alunos do ensino primário

... 35

Contextualização: ... 35

Protetores solares: ... 35

(9)

ix

Parcerias:

... 36

Aplicação do projeto: ... 36

Projeto 4: Realização de um póster com estudo relativo às margens dos produtos

HOLON® e cartaz com as promoções vigentes e apresentações de vendas cruzadas

... 37

Contextualização: ... 37

Objetivo: ... 37

Aplicação do projeto:

... 38

Conclusão:

... 40

Bibliografia: ... 41

ANEXOS ... 46

(10)

x

Índice de anexos

Anexo 1 - Cruz verde luminosa da NFS. ...47

Anexo 2 - Montra envidraçada da NFS. ...47

Anexo 3 - Gôndola da NFS. ...48

Anexo 4 - Espaço atrás do balcão da NFS. ...48

Anexo 5 - Zona dermofarmácia da NFS. ...49

Anexo 6 - Produtos de cosmética de bebé e mãe e puericultura da NFS. ...49

Anexo 7 - Produtos veterinários da NFS. ...50

Anexo 8 - Expositor de perfumes da NFS. ...50

Anexo 9 - Gabinete de atendimento personalizado da NFS. ...51

Anexo 10 - Frigorífico da NFS. ...51

Anexo 11 - Armário com gavetas deslizantes da NFS. ...52

Anexo 12 - Estantes de madeira para armazenamento primário da NFS. ...52

Anexo 13 - Estantes de madeira para armazenamento primário da NFS. ...53

Anexo 14 - Contentor VALORMED. ...53

Anexo 15 - Zona de entrega de encomendas da NFS. ...54

Anexo 16 - Zona de armazenamento secundário da NFS. ...54

Anexo 17 - Gabinete da direção técnica da NFS. ...54

Anexo 18 - Laboratório da NFS. ...55

Anexo 19 - Instalações sanitárias da NFS. ...55

Anexo 20 - Gabinete e zona de recolhimento da NFS. ...56

Anexo 21 - Fatura Cooprofar. ...56

Anexo 22 - Fatura OCP. ...57

Anexo 23 - Fatura Greenmed. ...58

Anexo 24 - Fatura Empifarma. ...59

Anexo 25 - Requisição de medicamentos psicotrópicos. ...60

Anexo 26 - Requisição de medicamentos psicotrópicos. ...60

Anexo 27 - Requisição de medicamentos psicotrópicos. ...60

Anexo 28 - Lista de controlo de prazos de validade. ...61

Anexo 29 - Nota de devolução. ...62

Anexo 30 - Cartaz avaliação do risco cardiovascular. ...63

Anexo 31 - Publicação online através do Facebook. ...63

Anexo 32 - Dados recolhidos a partir do rastreio cardiovascular. ...64

Anexo 33 - Realização da ação de formação na escola Engenheiro Fernando Pinto de

Oliveira. ...65

(11)

xi

Anexo 34 - Realização da ação de formação na escola Engenheiro Fernando Pinto de

Oliveira. ...65

Anexo 35 - Biblioteca da escola Engenheiro Fernando Pinto de Oliveira. ...66

Anexo 36 - Cartaz com o estudo comparativo dos produtos HOLON da NFS. ...67

Anexo 37 - Cartaz com o estudo comparativo dos produtos HOLON da NFS. ...67

Anexo 38 - Cartaz com as promoções vigentes do mês. ...68

Anexo 39 - Cartaz de vendas cruzadas. ...69

Anexo 40 - Espaço de comunicação interna com os cartazes do projeto incluídos. ...69

Anexo 41 - Representação gráfica dos valores de pressão arterial. ...70

Anexo 42 - Representação gráfica dos valores de colesterol total. ...70

Anexo 43 - Representação gráfica dos valores de IMC e perímetro abdominal. ...71

Anexo 44 - Representação gráfica de hábitos diários referentes a ingestão de bebidas

alcoólicas e cafés por semana. ...71

Anexo 45 - Representação gráfica do risco cardiovascular obtido a partir do método

SCORE. ...71

Lista de abreviaturas

NFS – Nova Farmácia Saúde

DT – Diretora Técnica

CNP – Código Nacional de Produto

PA – Pressão Arterial

DML – Diabetes Mellitus

PNV – Plano Nacional de Vacinação

OF – Ordem dos Farmacêuticos

PVP – Preço de Venda ao Público

ANF – Associação Nacional de Farmácias

MRSM – Medicamentos Sujeitos a Receita Médica

MNSRM – Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica

MICF – Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas

MUV – Medicamentos de Uso Veterinário

RM – Receita Médica

(12)

1

Parte I

Cronograma das atividades desenvolvidas ao longo do estágio:

Tabela 1: Cronograma das atividades desenvolvidas

Nova Farmácia Saúde (NFS):

Apresentação da NFS:

Fundada em 1947 pela Dra. Maria José Bento Soares de Araújo, farmacêutica que, pelo que pude apurar entre diálogos e atendimentos com os utentes mais antigos e regulares, deixa saudade na comunidade leceira não só pelo seu conhecimento mas também pelo modo como lidava com os utentes, explicando e transmitindo informações que os ajudava a utilizar da forma correta os seus medicamentos prescritos ou outros produtos farmacêuticos numa época em que o acesso a informação não era tão facilitado como o de hoje em dia.

Passados 61 anos da fundação, a farmácia altera as suas instalações de modo a oferecer melhores condições para os utentes, com alteração da direção técnica e proprietária para a que vigora atualmente e que apadrinhou o meu estágio curricular. Passava assim a Dra. Rita Araújo Monteiro a exercer funções de Diretora Técnica (DT) da NFS.

Localização:

A NFS está localizada na Rua Hintze Ribeiro, no rés-do-chão do número 292/296, código postal 4450-690, na freguesia de Leça da Palmeira, concelho de Matosinhos, no distrito do Porto.

É uma zona residencial de comércio tradicional e restauração, de fácil acessibilidade para viaturas privadas e transportes públicos, bem como vários lugares de estacionamento público nas imediações.

Atividades

Meses de estágio

Janeiro

Fevereiro

Maio

Junho

Julho

Atendimento ao balcão

Serviços farmacêuticos

Receção de encomendas

Formações

Projeto I – Rastreio

Cardiovascular

Projeto II- Formação acne

Projeto III – Riscos e

Medidas de Prevenção da

Exposição Solar

Projeto IV – Estudo produtos

Holon e vendas cruzadas

(13)

2

Encontra-se a 400 metros de distância em linha reta da farmácia mais próxima em conformidade com o disposto na Portaria n.º 352/2012 [1], de 30 de outubro, relativa às normas para concurso de abertura de farmácias.

Localiza-se próxima de consultórios médicos, de várias escolas que albergam jovens de diferentes faixas etárias e da orla marítima de Leça da Palmeira.

É assim explicada a heterogeneidade dos utentes que frequentam a farmácia que vai desde os mais novos resultante da zona habitacional e proximidade com as escolas, aos pontuais resultantes da zona balnear e, do facto de a farmácia estar localizada nos Caminhos de Santiago, até aos mais idosos e geralmente mais fidelizados não só pela maior necessidade mas também pela forma como são tratados e acompanhados, havendo um cuidado especial em situações económicas desfavoráveis, um dos fatores diferenciadores com que me deparei ao longo do estágio.

Horário de funcionamento:

O horário de atendimento ao público da NFS é de segunda-feira a sexta-feira entre as 9:00 horas e as 19:30 horas, e aos sábados com um horário matinal entre as 9:00 horas e as 13:00 horas, sendo que aos domingos e feriados encontra-se encerrada. A farmácia cumpre a legislação em vigor relativamente ao horário de funcionamento das farmácias de oficina e do período mínimo de funcionamento das mesmas, regulada e definida Decreto de Lei (DL) n.º 53/2007, de 8 de março [2].

Relativamente aos turnos de serviço permanente, as associações representativas das farmácias, nomeadamente, a Associação Nacional das Farmácias propõe à Administração Regional de Saúde, até ao dia 30 de setembro, as escalas de turnos de serviço permanente e de regime de disponibilidade para o ano seguinte. Durante este turno, a farmácia encontra-se em funcionamento ininterruptamente desde a hora de abertura até à hora de encerramento do dia seguinte, ou seja, no caso da NFS o horário de funcionamento durante este turno inicia às 9:00 horas do próprio dia até as 19:30 horas do dia seguinte, retomando o horário habitual daí em diante.

O atendimento noturno é realizado através de um postigo de modo a aumentar a segurança e conforto do atendimento.

Recursos Humanos:

A NFS é propriedade de uma sociedade constituída pela Dra. Rita Araújo Monteiro e pelo Eng.º Manuel Araújo Monteiro. Tendo a Dra. Rita Araújo Monteiro a responsabilidade e permanência exclusiva da direção técnica.

De acordo com o artigo 23º do DL nº 307/2007, de 31 de agosto, é obrigatório a farmácia dispor de pelo menos dois farmacêuticos, sendo que, um deles assume a posição de DT e, na sua ausência, o segundo fará a sua substituição assumindo as mesmas funções.

Assim, a equipa da NFS é constituída por quatro elementos devidamente identificados com um cartão com o seu nome e categoria profissional, de acordo com o artigo 32º do DL 307/2007, de 31 de agosto [3]. São elas a Dra. Rita Araújo Monteiro (Diretora Técnica e Proprietária), Dra. Alexandra Gonçalves (Farmacêutica Adjunta), Fátima Araújo (Técnica de Farmácia) e Sofia Frazão (Técnica de Farmácia).

(14)

3

Ainda, as consultas de nutrição são prestadas por uma nutricionista que se desloca à farmácia quinzenalmente, bem como as consultas de pé diabético e de podologia que são realizadas por um enfermeiro e podologista, respetivamente, que também se deslocam à farmácia mensalmente. As atividades de limpeza são realizadas por uma equipa de uma empresa de limpeza, que se desloca à farmácia, ao longo da semana.

Deste modo, possibilita à NFS um ambiente de excelência não só pela elevada competência e experiência dos seus trabalhadores, que resulta no aumento da sua popularidade junto da comunidade leceira, fidelizando gerações de utentes, mas também pela capacidade de relacionamento interpessoal que torna possível várias parcerias existentes na farmácia e, um ambiente profissional e descontraído no local de trabalho.

Espaço físico exterior:

De acordo com o artigo 28º do DL nº 307/2007, de 1 de agosto, [3] identifica-se exteriormente a NFS pela cruz verde luminosa, ligada nos dias de serviço permanente, e por letras maiúsculas brancas de grande dimensão com o nome “Farmácia Saúde” (anexo 1).

Os horários de funcionamento, as farmácias de serviço permanente do município, a identificação da DT, o sinal de proibição de fumar dentro do espaço interior, o sinal de existência do circuito de videovigilância e sinal de existência do livro de reclamações estão afixados na porta da farmácia, visível a partir do exterior.

Existem duas portas, uma que permite a entrada dos utentes nas instalações e outra que permite a entrada de pessoas autorizadas garantindo a segurança em situações de abertura/ fecho da farmácia e receção de encomendas.

Ainda, apresenta duas montras envidraçadas, com remodelação periódica, de exposição de cartazes e expositores de suplementos alimentares, medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM), produtos de cosmética, produtos sazonais, promoções temporárias (anexo 2), entre outros, como, sobretudo, estratégia de marketing de modo a apelar quer a lançamentos de novos produtos quer a oportunidades de produtos já existentes, apelando a uma mensagem de uma farmácia moderna/na voga à qual os utentes se orgulham de frequentar.

Espaço físico interior:

O espaço interior é constituído por um piso climatizado, com música ambiente, bem iluminado, com sistema de videovigilância, plano de segurança com extintores e saídas de emergência bem sinalizados de modo a garantir as melhores condições e segurança não só aos utentes e colaboradores e equipa de trabalhadores da NFS, como também a conservação de todos os produtos existentes na farmácia. Contém acesso ao público geral e outro acesso aos colaboradores e para entregas na farmácia.

Este piso está dividido de modo a respeitar as áreas e divisões mínimas obrigatórias presentes na farmácia comunitária de acordo com as normas estabelecidas pela Deliberação nº 1502/2014, 3 de julho [4].

Sala de atendimento ao público:

A área de atendimento ao público trata-se de uma zona de grande importância na farmácia já que é esta que estabelece o primeiro contacto com utente. Deste modo, a mesma deve ser acolhedora,

(15)

4

confortável, organizada e com uma comunicação visual de fácil perceção, de modo a criar uma maior empatia e bem-estar ao utente.

Na NFS este espaço é amplo e bem organizado, facilitando a livre circulação de clientes pela farmácia (anexo 3). Existem lineares e gôndolas (anexo 3) dispostas em vista a aumentar a capacidade e a eficiência do espaço, sem diminuir ou dificultar o acesso dos utentes com ou sem limitações locomotoras.

Contém um balcão de atendimento único que compreende três postos de atendimento ao público individualizado, equipados cada um com o seu respetivo computador, impressora de talões e receitas, leitor ótico de código de barras, caixa de dinheiro e terminal para pagamento multibanco. Sobre o balcão o qual são colocados panfletos e expositores de cartão com produtos novos e/ou sazonais, cosméticos ou dermofarmácia, bem como expositores de acrílico com vários cremes de mãos e labiais e outro com vernizes de cor e tratamento.

O espaço atrás do balcão é ocupado por gavetas contendo produtos com elevada rotatividade e ainda lineares com medicamentos não sujeitos a receita médica maioritariamente sazonais, produtos de alimentação especial, produtos bucodentários e medicamentos homeopáticos de modo a captar a atenção do utente aquando do atendimento. (anexo 4).

Ainda, ao redor da área onde é realizado o atendimento existem lineares com prateleiras de vidro com produtos organizados pelas categorias de alimentação infantil, cosmética de bebé e mãe, puericultura, produtos para uso capilar, produtos veterinários e uma gama completa de marcas de cosmética e dermofarmácia. (anexo 5 a 7).

De mencionar também a existência de um expositor de perfumes (anexo 8), produtos de ortopedia, saboaria e fitoterápicos, bem como uma zona de lazer e entretenimento para os mais jovens com um jogo didático infantil e uma cadeira disponível para maior comodidade dos utentes.

Pela área de atendimento estão dispostos vários flyers informativos quer sobre os serviços fornecidos pela farmácia, quer de alertas para determinadas doenças e a promoção de produtos. Existe também uma balança que realiza a medição de peso, altura e índice de massa corporal (IMC).

Gabinete de atendimento personalizado:

Este é um local mais reservado que permite um diálogo mais privado e aberto, com uma maior proximidade com o utente, já que este se apresenta num ambiente mais calmo e seguro, sem o receio de interrupções que possam existir nos postos de atendimento. É um local destinado à prestação de serviços farmacêuticos como a determinação de parâmetros bioquímicos (colesterol, triglicerídeos, glicemia), fisiológicos (pressão arterial), servindo também como local para a resolução de qualquer emergência que ocorra e que haja a necessidade da atuação dos colaboradores da farmácia.

Neste local encontra-se um armário, onde é guardado todo o material necessário à realização destes testes bioquímicos, um lavatório, duas cadeiras e uma mesa que possibilita reuniões/palestras/ações de formação com delegados de informação médica e comerciais das diferentes marcas e parceiros/colaboradores da NFS (anexo 9).

(16)

5

Área de gestão de encomendas e armazenamento primário:

Trata-se de uma área reservada aos funcionários da farmácia que é composta por uma secretária com dois computadores com ligação à internet e que podem ser usados no controlo de receituário, três impressoras, três telefones que auxiliam os colaboradores no desenvolvimento da sua prestação de serviços e na resolução de vários problemas que vão surgindo ao longo dos dias. Possui ainda todo o hardware necessário para a gestão de encomendas de produtos, nomeadamente um terminal informático com leitor ótico de código de barras, uma impressora de etiquetas para a marcação dos produtos de venda livre e uma impressora de talões e receitas. Sob esta secretária encontram-se gavetas com várias pastas onde ficam arquivadas notas de encomenda, devoluções, notas de crédito, faturas, registo de receção de benzodiazepinas e psicotrópicos.

Sobre a secretária situam-se diversos livros obrigatórios, impressos variados e folhetos informativos. Realiza-se nesta zona todas as encomendas da farmácia, desde as diárias de medicamentos ao armazenista às encomendas diretas aos laboratórios, sendo aqui tratadas antes de serem armazenadas. Com efeito, também neste espaço são realizadas as devoluções, as notas de crédito, o tratamento do receituário, a regularização das notas de crédito, atualizações de stocks, etiquetagem e outros procedimentos que necessitem de privacidade e não devam ser realizados na área de atendimento

É de referir, ainda, a presença de um frigorífico que opera no armazenamento de produtos de frio (2ºC- 8ºC) (anexo 10), bem como um termohigrómetro, presente também no armazém secundário e no atendimento, que regista diariamente os valores de temperatura e humidade, de forma a controlar as condições de armazenamento impostas pelo DL n.º 176/2006, de 30 de agosto [5]. Na verdade, nesta área situa-se o armazenamento primário, onde está o stock ativo da farmácia. É constituído por um armário com gavetas deslizantes (anexo 11) onde se encontram MSRM e alguns MNSRM, de marca e genéricos, segundo a forma farmacêutica, ordem alfabética e finalmente a dosagem. Estão aqui guardados comprimidos e cápsulas, colírios e pomadas para administração oftálmica, formas líquidas para administração otológica, formas sólidas para aplicação vaginal e retal e formas semi-sólidas para aplicação cutânea. Também é constituído por estantes de madeira organizadas por forma farmacêutica, via de administração, ordem alfabética e dosagem que contêm medicamentos para administração injetável, produtos bucodentários, soluções para administração nasal, ampolas para administração via oral, sistemas transdérmicos, saquetas de granulado ou pó para administração oral, formas líquidas para administração via oral e medicamentos de uso veterinário (anexo 12 e 13).

Finalmente, num armário de acesso restrito encontram-se os psicotrópicos e estupefacientes, bem como, tiras de medição de glicemia e químicos.

Todos os produtos são armazenados segundo os princípios First In, First Out e First Expired, First Out, pois são bastante importantes para que não haja medicamentos com prazo de validade expirado no stock da farmácia. É portanto necessário ter atenção aos prazos de validade quando se arruma os produtos nas gavetas deslizantes e no armazém secundário pois é necessário dispor os produtos para que o próximo a ser dispensado seja aquele que tem o prazo de validade mais

(17)

6

curto a fim de garantir um stock de produtos com prazos de validade confortáveis e seguros para a sua dispensa.

Armazenamento secundário:

Com efeito, todos os produtos excedentes do stock ativo da farmácia, os contentores da Sociedade Gestora de Resíduos de Embalagens e Medicamentos (VALORMED) (anexo 14), material utilizado para montras, cartazes, lineares e, ainda, brindes e outras ofertas promocionais temporárias de marcas de dermofarmácia, cosmética ou outros produtos sazonais que se encontram em maiores quantidades têm lugar no armazém secundário que apresenta uma entrada própria, onde os fornecedores entregam as encomendas, sendo que permanecem temporariamente aqui antes da sua receção, evitando assim a passagem pela entrada principal da farmácia e área de atendimento ao público (anexo 15).

A organização deste espaço é feita de acordo com a forma farmacêutica, ordem alfabética e finalmente a dosagem, ou seja, de forma semelhante aos produtos guardados no armazenamento primário, porém, neste caso, os MSRM estão separados dos restantes (anexo 16).

Gabinete da direção técnica:

Este é o local onde se realizam as operações de gestão administrativa e financeira da farmácia e que possui toda a documentação arquivada que se refere à contabilidade e gestão (anexo 17). É de uso restrito da DT e é utilizado também como sala de reuniões quando assim se justifica.

Laboratório e instalações sanitárias:

O laboratório é utilizado apenas como manipulação de preparações extemporâneas de pós ou liofilizados, que em solução ou suspensão possuem baixa estabilidade e não é possível a sua comercialização no seu estado final, nomeadamente, suspensões orais de antibióticos. Deste modo, aquando de uma dispensa deste tipo de produtos, na NFS, é questionado ao utente se deseja que o colaborador da farmácia lhe faça a preparação para o seu estado final.

Esta área possui um sistema de extração de vapores, uma bancada de trabalho, uma balança analítica, uma zona de lavagem de material e armários para guardar o restante equipamento (anexo 18).

Relativamente à instalação sanitária, está equipada com lavatório, sanita e ducho e é utilizada pelos funcionários da farmácia ou pelos utentes quando assim é solicitado (anexo 19).

Gabinete e zona de recolhimento:

Neste espaço encontra-se uma cama embutida e uma televisão utilizadas quando a farmácia se encontra em serviço permanente, conferindo um maior conforto (anexo 20). Também neste local se guardam os bens dos funcionários num armário, durante o seu período laboral.

Por fim, neste gabinete são realizadas também as consultas de nutrição, que têm lugar quinzenalmente das 14h as 18h, às 6as feiras; Consultas mensais de podologia e de pé diabético, todas elas realizadas por marcação prévia e por profissionais em regime de prestação de serviço. Também aqui ocorre a administração de vacinas não incluídas no Plano Nacional de Vacinação (PNV) por um farmacêutico qualificado, de acordo com a Portaria n.º 1429/2007, de 2 de novembro [6].

(18)

7

Comunicação interna:

Na NFS a comunicação interna é realizada através de suportes físicos nos quais a passagem de informação é facilitada já que se apresenta, geralmente, como tabelas ou esquemas de modo a simplificar/sintetizar aquilo que é de maior relevância abordar.

Para tal, a farmácia apresenta um quadro de vidro junto das gavetas deslizantes e gabinete da direção técnica, no qual se colocam os dados/informações relevantes que se pretendem comunicar entre os colaboradores. Em adição, o espaço existente pelas paredes da área de gestão de encomendas e armazenamento primário, também ele é utilizado para comunicar informações que sejam úteis/ relevantes para o conhecimento de toda a equipa da farmácia.

Posso referir que esta é uma medida louvável pela NFS cujos benefícios presenciei em primeira mão nos primeiros tempos de estágio já que facilitou bastante a minha aprendizagem sobre o funcionamento da farmácia e as ramificações em que está inserida, já que esta conta com vários parceiros e pertence a um grupo de farmácias.

Assim, esta comunicação interna é imprescindível para o desenvolvimento das atividades na farmácia, independentemente da função de cada colaborador, pelo que aqui vi uma oportunidade de dar o meu contributo a partir desta vertente.

Comunicação externa:

A NFS apresenta uma rede de comunicação externa no qual atualiza informações relevantes que queira transmitir aos seus utentes ou potenciais parceiros.

Com efeito, o meio de comunicação preferencial é o site da farmácia, http://farmacia-saude.pt/pt, onde estão atualizados todos os seus dados históricos, as suas campanhas, os seus contatos, os seus serviços e horários de funcionamento.

Adicionalmente, é utilizada uma plataforma online chamada de iCLIENT que direciona mensagens a um perfil específico de clientes, de acordo com o motivo da comunicação, bem como a página de Facebook que chega a alcançar um número considerável de pessoas, nomeadamente 1700 seguidores na data que é realizado este relatório. Recorre-se também ao uso de panfletos e pósteres, sendo esta uma medida bastante abordada no seio da farmácia já que a maioria da comunicação externa na NFS é realizada através de “comunicação boca a boca” pelos seus utentes, algo justificável na medida em que a maioria dos utentes que frequentam a farmácia são pessoas idosas que geralmente não estão conectadas a redes sociais online.

Por fim, a NFS recorre à decoração das suas montras de forma cuidada, coesa e apelativa cuja informação a reter seja de fácil perceção, geralmente sobre campanhas em vigor, lançamento de novos produtos ou produtos sazonais.

Biblioteca e fontes de informação:

De facto, a procura pelo constante desenvolvimento e atualização de capacidades e conhecimentos é algo que é muito inerente à profissão de farmacêutico, já que esta se encontra em permanente evolução.

Para tal, a NFS dispõe de ferramentas que permitem a procura de informação correta e fidedigna nos momentos apropriados, tais como a Farmacopeia Portuguesa, de acordo com o DL nº 171/2012, de 1 de agosto e outros documentos indicados pela Autoridade Nacional de Medicamentos e

(19)

8

Produtos de Saúde I.P. (INFARMED), nomeadamente o Prontuário Terapêutico (PT). É possível também consultar o Formulário Galénico Português, o Simpósio Terapêutico e o Índice Nacional Terapêutico, o Manual de Medicamentos Não Prescritos, o Simpósio Veterinário e publicações periódicas, como as revistas Farmácia Distribuição, Farmácia Portuguesa, e Farmácia + Saúde. Concomitantemente, estão disponíveis vários websites como a base de dados de medicamentos do INFARMED, o INFOMED, onde é possível aceder a diversos documentos dos medicamentos pesquisados, tais como Folheto Informativo (FI), Resumo de Características do Medicamento (RCM) e Relatório Público de Avaliação ou até entidades como o Centro de Informação Antivenenos, o Centro de Informação do Medicamento da Ordem dos Farmacêuticos, Centro de Documentação e Informação de Medicamentos e o Laboratório de Estudos Farmacêuticos.

Sistema Informático:

De facto, a eficiência digital reflete-se numa elevada qualidade no serviço prestado ao doente. Com efeito, a NFS dispõe de sete computadores, três no balcão, dois na área de tratamento de encomendas, um no gabinete e outro no gabinete da direção técnica.

Deste modo, a gestão das atividades inerentes à farmácia é feita com uso do Sistema Informático, nomeadamente, o Sifarma 2000®, da Global Intelligent Technologies (Glintt), reconhecido pelo INFARMED. Fruto da cooperação do setor farmacêutico com a empresa Glintt, o sistema engloba os processos do funcionamento normal da farmácia e monitoriza todos os movimentos dos medicamentos e produtos entre a farmácia e o exterior.

Na verdade, no início de maio a NFS envolveu-se num projeto desta mesma empresa que consistia em testar a nova e melhorada versão do Sifarma 2000®, num regime de farmácia piloto. Tal projeto, passa a NFS a um regime de “farmácia piloto” que, durante um certo período de tempo, reportava a sua opinião relativamente às alterações efetuadas, bem como sugestões de modo a melhorar a eficiência digital do programa.

Assim, este projeto teve início no dia três de maio deste mesmo ano com a inscrição, ou atualização do perfil do utilizador, de toda a equipa da farmácia, assim como os seus estagiários, na plataforma e-learning da Glintt com o fim de se assistir à formação relativa às atualizações e novidades do novo programa. Posteriormente, segue-se a introdução da atualização do Sifarma 2000® em todos os computadores da farmácia com acompanhamento de um colaborador da empresa, no entanto, ainda com acesso à versão anterior do programa já que a nova atualização ainda não está finalizada em relação a várias opções e diferentes serviços que só é permitida, à data deste relatório, na versão anterior. Tais opções como a criação, envio e receção de encomendas após gestão dos valores mínimos e máximos necessários em stock; Lista de créditos antigos de utentes; informatização do stock de produtos na farmácia e gestão do mesmo, por quantidade, caducidade e conforme os dados estatísticos das suas vendas; entre outras falhas que considero normais quando se faz uma atualização/renovação de um programa informático.

Desta forma, e atendendo a minha facilidade geral e motivação adicional neste ramo informático, fiquei incutido da transmissão de pareceres e resolução de eventuais problemas, com auxílio do colaborador da Glintt, que iam surgindo resultado do programa não se apresentação no seu estado final.

(20)

9

A título de opinião pessoal, revejo a enorme importância da realização de um período de testes à atualização do Sifarma 2000® junto das farmácias parceiras do grupo Glintt, já que, como é de esperar, as versões não finais destes programas vão inevitavelmente apresentar falhas quer a nível de funcionamento de base, como por exemplo o facto da nova versão ser bastante mais lenta a executar/comunicar as suas funcionalidades, quer a nível de ausências de operacionalidades, como por exemplo o facto de ainda não ser permitido a receção de encomendas. Assim, é de grande vantagem bidirecional o envio do feedback, quer positivo quer negativo, da farmácia à empresa pois ainda é possível alterar-se o programa, sabendo que ele ainda está em fase de desenvolvimento. Finalmente, ao longo dos dois meses e meio que a nova versão do Sifarma 2000® esteve em fase de teste concluo que, em comparação com a versão anterior, o programa está muito mais intuitivo, permitindo uma aprendizagem mais rápida, apresenta também informação mais detalhada e melhor organizada relativamente aos medicamentos, dispositivos médicos e outros produtos farmacêuticos e está, no seu geral, mais coeso a nível estético e a nível das suas funcionalidades. No entanto, o programa comunica com os servidores de forma mais demorada e apresenta falhas no número de funcionalidades que permite pelo que muitas vezes o atendimento ficava mais demorado e, em alguns casos não era possível sequer responder às necessidades do atendimento, obrigando o funcionário da farmácia a utilizar a versão antiga. Desta forma, embora com marcadas melhorias em alguns aspetos, ainda não é possível a sua utilização de forma única e fiável, à data da realização deste relatório.

Encomendas:

Encomendas e gestão de stocks:

Relativamente a encomendas, a NFS obtém a maioria dos seus produtos por intermédio de distribuidores grossistas. Estes distribuidores conferem uma maior facilidade na aquisição de produtos uma vez que os compram aos fornecedores primários, como a indústria farmacêutica no caso de medicamentos, são capazes de armazenar grandes quantidades de diferentes produtos e têm montada uma rede de distribuição em larga escala de entregas de encomendas que permite receber na farmácia mais do que uma vez por dia os seus produtos.

A escolha dos fornecedores é efetuada avaliando as condições comerciais oferecidas, a designar, preços, condições de pagamento e descontos, número de rotas e respetivo horário e, finalmente, qualidade do serviço prestado.

Com efeito, a NFS trabalha principalmente com dois destes distribuidores grossistas, a OCP Portugal e Cooprofar Farmácia e pontualmente com a Greenmed e EMPIFARMA.

Quanto aos tipos de encomendas a distribuidores, podem distinguir-se quatro tipos de encomendas, as diárias, as instantâneas, as diretas e as manuais. Relativamente às primeiras, são feitas com base nos stocks mínimo e máximo definido para cada produto no sistema a partir do Sifarma 2000®. Assim que o stock do produto atinge o stock mínimo, o número de unidades do produto necessário para atingir o stock máximo é transportado diretamente para a encomenda diária, pelo que a gestão destes stocks atinge grande relevância para colmatar a rutura de stock criado pelas vendas diárias na farmácia. Caso a farmácia queira ter sempre um número fixo de produtos em stock, terá de definir o mesmo número para os stocks mínimo e máximo.

(21)

10

Na verdade, a gestão deste stock é realizada de forma muito cuidadosa, tendo em consideração as vendas dos meses anteriores, bem como a sazonalidade dos produtos de modo a evitar a imobilização de capital e falta de um produto quando este é necessário para um utente, com risco de descredibilização da farmácia, o que poderá levar à perda de clientes. De facto, é importante existir uma boa relação entre o número de produtos dispensados e o número de produtos em stock, de forma que nem o utente fique prejudicado por não levar o produto ou ter que regressar mais tarde, nem a farmácia fique com produtos sem saída acumulados, até estes passarem o prazo de validade.

Assim, os produtos cujo stock mínimo é atingido são diretamente incluídos na encomenda diária, mas esta deve ser sempre verificada antes de ser enviada ao fornecedor já que por vezes existem descontos em certos produtos ou campanhas de obtenção de bónus/descontos aquando da compra de um certo número de unidades de um produto. Essa informação pode ser acedida no menu das encomendas do Sifarma 2000® e convém ser analisada cautelosamente antes da realização do envio da encomenda diária pois podem acrescentar-se novos produtos à encomenda.

As encomendas instantâneas são realizadas quando um utente solicita um medicamento cujo stock da farmácia é zero ou não satisfaz o seu pedido e apresenta um regime especial contido na lista de projeto “Via Verde do Medicamento”. Para tal, acede-se à ficha do produto e seleciona-se a opção “encomenda instantânea”, escolhe-se o fornecedor pretendido e a quantidade pretendida, com a introdução dos dados da receita associada de modo a finalizar-se a operação.

As encomendas diretas são geralmente realizadas em grandes quantidades, elevado valor económico e baixa frequência anual diretamente ao fabricante, como por exemplo produtos sazonais, de cosmética e puericultura.

Ainda, as encomendas manuais são realizadas quando é solicitado um produto cujo stock disponível na farmácia é zero ou em quantidade insuficiente para o pedido do utente, através de chamada telefónica ou via gadget, por código nacional do produto (CNP) ou por designação do produto, é encomendado o produto para o armazenista com tempo de entrega mais curto, para dar resposta mais rápida e eficiente ao utente.

Ao longo do meu estágio efetuei várias encomendas manuais e instantâneas, bem como, em muito menor quantidade e sempre com supervisão, encomendas diretas e diárias a partir do Sifarma 2000® (incluindo a versão mais recente testada pela farmácia), pela internet, pelo gadget e ainda por telefone.

Receção e conferência de encomendas:

É de grande importância estes dois processos uma vez que a incorreta introdução de um produto no stock da farmácia, quer seja pela referência do produto quer seja pela quantidade do mesmo, irá gerar um erro no stock que terá repercussões na eficiência e qualidade do atendimento ao utente. Na verdade, as encomendas chegam à NFS em contentores específicos de cada armazenista, discriminados pelas respetivas cores e envolvidos por fitas termosseladas. Estas são levadas para o terminal informático quando se encontra livre a fim de serem rececionadas. Por vezes, as encomendas contêm contentores térmicos constituídos por uma embalagem isotérmica de

(22)

11

esferovite e acumuladores de gelo, sendo que são logo encaminhadas para o frigorífico e, de seguida, são tratadas de igual forma na sua receção.

De facto, todas as encomendas que dão entrada na farmácia fazem-se acompanhar de uma nota de encomenda ou de uma fatura identificativa do fornecedor, o destinatário, os produtos encomendados, a quantidade pedida, a quantidade efetivamente entregue, o Preço de Venda à Farmácia (PVF), o Imposto de Valor Acrescentado (IVA), e quando aplicável, ainda o Preço de Venda ao Público (PVP), descontos ou bonificações e o Código Nacional Português (CNP). Todos os produtos não enviados estão incluídos no final da fatura com a justificação do não envio. No final da fatura vem indicado o valor total e, dependendo do armazenista, o número de embalagens enviadas (anexos 21 a 24). No programa Sifarma 2000® existe o menu “Encomendas” e um separador denominado “Receção de encomendas” que possui listadas todas a encomendas efetuadas e pendentes com seus respetivos códigos identificativos.

No entanto, as encomendas realizadas por “carrinho de compras” e através da via telefónica não se apresentam neste separador, tendo que ser criadas manualmente no separador “Gestão de encomendas” com os produtos pedidos nas quantidades encomendadas, aprovar e enviar a mesma, para posteriormente ser passível da sua receção.

De seguida, seleciona-se a encomenda a rececionar e introduz-se o número da fatura e o valor total da mesma.

Segue-se o registo no computador do Código Nacional de Prescrição (CNP) de cada produto presente na encomenda, manualmente ou através do leitor de códigos de barras de modo a garantir que todos os produtos rececionados correspondem aos enviados. Durante este processo são verificados os prazos de validade dos produtos, devendo ser sempre alterados caso o stock esteja a zero ou o novo produto caduque primeiro que um semelhante já existente na farmácia, assim como o PVP no caso dos produtos com Preço Indicado na Cartonagem.

Quando é rececionado um produto para o qual ainda não existe ficha criada, é gerado um alerta pelo programa com a sugestão de criar ficha do produto. Esta ficha deve ser preenchida com a caracterização do produto importada do dicionário através do CNP, se existente. Caso contrário, cria-se um código, introduz-se a designação e IVA aplicado, bem como prazo de validade, stock mínimo e máximo, e no caso de não ser MSRM, PVF, margem, criar ou atualizar o PVP e selecionar a opção de impressão de etiquetas.

Para os medicamentos estupefacientes, psicotrópicos e/ou benzodiazepinas o fornecedor tem de enviar, juntamente com a fatura, um documento com a Guia de requisição destas substâncias (Anexo 25 a 27). Este documento é assinado pelo fornecedor e também por um farmacêutico da farmácia. É posteriormente enviado mensalmente para o fornecedor e arquivado por ambas as entidades durante três anos.

Quando existe qualquer inconformidade contacta-se o fornecedor para resolução do problema em questão. Em diversas situações, os distribuidores entregam produtos danificados pelo que é necessário verificar se as embalagens apresentam sinais de más condições de conservação. Nestes casos, efetua-se uma reclamação ao fornecedor que depois gera uma nota de devolução e uma posterior devolução do crédito.

(23)

12

Todas as faturas são arquivadas em pastas separadas pelo respetivo fornecedor e todos os produtos são colocados em cestos e contentores específicos, de acordo com o local onde os produtos serão armazenados, de modo a facilitar o processo posterior.

De facto, a minha aprendizagem relativamente à receção e conferência de encomendas foi realizada numa fase já avançada do meu estágio. Mais concretamente, em meados de junho, pelo que já tinha bem consolidado todas as etapas envolventes neste processo, nomeadamente o conhecimento dos produtos de maior rotatividade na NFS, bem como os seus nomes comerciais e, ainda, a maioria das funcionalidades que o programa Sifarma 2000® possibilita. Assim, esta aprendizagem foi facilitada pela experiência que ia acumulando ao longo dos meses na NFS e do inevitável contacto que ia tendo com os meus colegas de curso, onde entre conversas mais casuais, existia espaço para troca de ideias, experiência e conhecimentos que íamos obtendo e partilhando a partir do estágio de cada um (algo que considero bastante importante uma vez que na partilha destas experiências, ideias e conhecimentos ao longo do período de estágio surge uma evolução profissional e pessoal com melhor sustento, e que me ajudou de forma significativa).

Controlo de prazos de validade:

O controlo de prazos de validade é de grande importância no ambiente de farmácia comunitária. Com efeito, este controlo permite garantir a qualidade, estabilidade e segurança de todos os medicamentos e produtos farmacêuticos dispensados aos utentes.

Na verdade, os prazos de validade são verificados diariamente, aquando da receção de encomendas, e mensalmente a partir da emissão informática de uma lista de produtos cuja validade termina num período reduzido, geralmente nos três meses seguintes, bem como o seu stock e o seu CNP, para mais fácil identificação (anexo 28).

Para tal, um colaborador procede à verificação física da validade de cada produto a partir do seu CNP e aqueles cujo prazo termina na data definida são retirados do local de armazenamento. De seguida, é dada baixa desses produtos no sistema informático e são devolvidos aos fornecedores ou diretamente ao laboratório que procede ou à creditação ou à troca direta do produto.

De referir que caso a validade do produto seja superior à indicada na listagem faz-se a correção da mesma e que o perigo que um produto farmacêutico caducado pode representar para a saúde de um utente justifica a rigidez deste controlo, assim como a antecipação da desvalorização de um produto que não poderá ser devolvido.

Durante o meu período de estágio na NFS realizei este controlo todos os meses e é de referir que o facto de ter executado esta função (bem como o controlo de stocks e o armazenamento dos produtos) num período tão inicial, mais concretamente a partir do sétimo dia de estágio, que me ajudou bastante na aprendizagem do posicionamento dos produtos na NFS, facilitando futuros atendimentos, na medida em que me ajudou a ter contacto com os medicamentos e produtos farmacêuticos de maior rotatividade, bem como obter uma ideia geral do inventário disponível na farmácia, diminuindo o tempo de espera do utente no atendimento, consequentemente.

Devoluções:

Este tipo de processo acontece por variadas razões, a designar, prazo de validade próximo do fim, inconformidade do produto, encomenda por engano ou produto não encomendado, pedido de

(24)

13

recolha pelo INFARMED ou pelo laboratório que comercializa o produto e, ainda, revisão anual de preços.

Deste modo, é emitida uma Nota de Devolução (anexo 29), em triplicado, na qual deve constar o número da fatura, o produto e a quantidade devolvida, bem como o motivo da devolução, identificação do fornecedor e o CNP (quando aplicável).

Após assinadas e carimbadas pelo farmacêutico responsável, das três cópias impressas, duas são enviadas ao fornecedor e uma fica arquivada na farmácia.

Depois de recebida a devolução pelo fornecedor, este pode aceitar ou não. No caso da devolução não ser aceite, a farmácia é obrigada a assumir o prejuízo, caso haja aceitação da devolução por parte do armazenista, este pode emitir uma Nota de Crédito para a farmácia ou trocar os produtos por iguais com maior caducidade.

Grupo Holon:

A NFS está inserida num grupo de farmácias que ajuda a desenvolver vários projetos, bem como disponibiliza vários serviços ao utente e ainda possibilita à farmácia a venda dos seus produtos, geralmente de grande margem, rentabilizando e otimizando a experiência do utente na sua visita à farmácia. Para tal, são impostas várias medidas com o intuito da concretização dos objetivos sugeridos pelo grupo.

Não podia deixar de mencionar o grupo Holon, uma vez que foi importante para a minha aprendizagem enquanto enquadramento da farmácia e dos seus serviços prestados à comunidade, bem como inserção e profissionalização no ambiente de farmácia comunitária.

De facto, logo no início do meu estágio, foram-me dispensadas várias capas com documentos variados de como proceder num ambiente de farmácia comunitária, a destacar técnicas de discurso, de resolução de conflitos e ainda, e de grande utilidade a meu ver, de atendimentos/situações tipo, com o aconselhamento naturalmente direcionado para a venda dos produtos do grupo. No entanto, é de realçar que este tipo de informação me ajudou numa fase inicial a ter contacto com vários produtos existentes, na sua maioria MNSRM, na NFS, bem como os seus nomes comerciais, aquando da minha aprendizagem dos mesmos e, consequentemente, me ajudou nos meus atendimentos iniciais.

Na verdade, é de referenciar que foi a partir da informação que me foi dispensada do grupo Holon, que pude ver até onde é a extensão que é aplicada da parte comercial e de marketing nas farmácias e a razão de existência destes grupos num local promotor de saúde como a NFS.

Assim sendo, e a título de opinião pessoal, embora haja uma perda de autonomia / menor independência das farmácias que se inserem no grupo, há uma relação de simbiose namedida em que os serviços prestados a partir da colaboração com o grupo Holon, realizados ao longo do período do meu estágio, são de enorme de qualidade para o utente, bem como as medidas sugeridas para aplicação na farmácia são conscientes e equilibradas. Finalmente, de referir que a ajuda que o grupo presta a nível de comunicação externa e acompanhamento de serviços e eventos abonados pelo grupo facilita na organização dos mesmos, sendo vantajoso para a farmácia.

(25)

14

Serviços prestados pela farmácia:

Na NFS existe um conjunto de serviços que, para além da dispensa de medicamentos e aconselhamento farmacêutico, fideliza o utente e promove a sua saúde e bem-estar.

A designar, os serviços prestados pela NFS são aqueles que constam na Figura 1:

Figura 1: Esquema representativo dos serviços prestados pela NFS

Determinação de parâmetros bioquímicos e fisiológicos:

De facto, a farmácia comunitária é o local onde existe mais fácil acesso ao utente para expor as suas preocupações a nível da sua saúde ou de acompanhamento de certas patologias a partir do registo rotineiro e sustentado de certos valores indicadores, como os parâmetros bioquímicos e fisiológicos. Tal acontece uma vez que não é necessária marcação prévia pelo utente e geralmente não existe muito tempo de espera para realizar a análise destes parâmetros. Deste modo, a farmácia passa a ser o local de eleição de muitos utentes para medir e receber aconselhamento relativo aos parâmetros medidos.

A determinação destes parâmetros é realizada no gabinete de atendimento personalizado, que confere um ambiente de maior conforto e privacidade, e consequentemente uma relação mais próxima/intimista entre o farmacêutico e o utente.

A nível de parâmetros fisiológicos, na NFS podem ser determinados peso, altura e percentagem de massa gorda e também a pressão arterial. Relativamente a parâmetros bioquímicos, a NFS determina a concentração de glicose no sangue capilar, colesterol total e triglicerídeos.

Relativamente ao procedimento geral na determinação de parâmetros bioquímicos que exigem punção é o seguinte:

1) Averiguar as horas de jejum do utente e questionar o motivo da medição 2) Colocação das luvas e preparação do material necessário;

3) Aquecimento do local de punção e respetiva assepsia com o álcool;

4) Após o álcool secar, proceder à punção do dedo e descartar a lanceta num contentor de resíduos perigosos;

(26)

15

6) Pressionar o local da punção com um algodão.

7) Colocar o material usado num contentor específico para material cortante e cirúrgico da Cannon Hygiene® disponível na NFS e limpar o local de trabalho.

É importante o papel do farmacêutico na análise e interpretação do resultado dos valores obtidos, direcionando o seu aconselhamento, consoante a determinação se trate de uma monitorização da eficácia da terapêutica, uma alteração no estado de saúde do paciente ou um teste de rotina.

Determinação da pressão arterial:

A PA está diretamente relacionada com as doenças e eventos cardiovasculares. O controlo deste parâmetro está assim associado a uma diminuição da incidência de eventos cardiovasculares súbitos.

O farmacêutico tem um papel essencial na monitorização e na promoção de um mapeamento regular da tensão arterial, já que muitos dos utentes que se dirigem à farmácia apresentam valores de tensão arterial descontrolados. Ainda, pode e deve referir medidas não farmacológicas, como estimular a aquisição de hábitos saudáveis, pela indicação do tipo de alimentação e exercício físico mais adequados à pessoa em questão e apelar à adesão à terapêutica, bem como o uso correto do medicamento.

Para a medição da PA. o utente deve estar repousado, sentado e em silêncio, com os pés apoiados no chão, sem cruzar as pernas, a palma da mão deve estar virada para cima e o braço apoiado numa superfície plana, sem roupa que aperte e à altura do coração.

De seguida, coloca-se o dispositivo em funcionamento, regista-se a pressão arterial sistólica e diastólica e pulsação. No fim da medição, devem ser anotados os valores obtidos num cartão próprio para o efeito, fornecido pela farmácia ou do próprio utente.

O farmacêutico deve fazer-se acompanhar dos valores de referência, de forma a fazer uma melhor avaliação do caso. Na NFS os parâmetros de avaliação da pressão arterial utilizados são os descritos pela Direção Geral de Saúde.

Na verdade, ao longo do período de estágio realizei várias determinações de PA, onde pude aconselhar medidas não farmacológicas, de adesão à terapêutica e ainda encaminhar utentes ao médico.

Determinação do Índice de Massa Corporal:

É efetuado a partir de uma balança eletrónica que se encontra na sala de atendimento ao público que fornece os valores de peso em kg e altura em cm do utente. O resultado do índice de massa corporal é registado num talão imprimido automaticamente pela balança e é calculado a partir da relação dos valores acima descritos.

Determinação da glicémia:

Na NFS a glicémia é medida no sangue capilar através de uma punção com lanceta. A determinação é feita através de um dispositivo automático OneCallExtra®.

O valor referência para o diagnóstico da diabetes, estabelecido pela Direção Geral de Saúde, é de 126mg/dL em jejum ou acima de 200 mg/dL como valor de glicemia ocasional juntamente com sintomas clássicos [7]. No que toca a medidas não farmacológicas, o farmacêutico deve aconselhar a moderação do consumo de alimentos ricos em hidratos de carbono simples e a prática de exercício

(27)

16

físico, bem como a realização de diversas refeições ao longo do dia de forma a evitar picos de glicémia pela ingestão de grandes quantidades de alimentos de uma só vez.

No caso dos utentes com DML diagnosticada, o farmacêutico deve relembrar das medidas não farmacológicas e reforçar a importância do cumprimento da terapêutica prescrita, bem como o controlo dos seus valores de glicémia.

Enquanto estagiário da NFS, realizei este tipo de determinações a partir do mês de maio, bem como o aconselhamento subsequente, algo que me ajudou particularmente na organização e realização de um dos meus projetos, como se poderá apurar adiante.

Determinação do colesterol total e triglicerídeos:

O controlo do colesterol total é feito recorrendo ao sistema MultiCarein® e visa a prevenção e o controlo de dislipidemias, impulsionadoras de complicações cardiovasculares a longo prazo. Por sua vez, os triglicerídeos são determinados recorrendo ao mesmo sistema, mas com as tiras reativas próprias para o efeito.

O sangue obtido para análise é, tal como no caso da glicémia, obtido através de uma punção capilar num dedo de acordo com o procedimento anterior. A determinação do valor de colesterol total no sangue capilar é um teste bastante rápido e que não requer qualquer preparação especial. Por outro lado, a determinação do perfil lipídico exige um jejum de 12 horas pois esta condição é necessária para uma correta determinação dos níveis de triglicerídeos.

Durante o meu estágio, não tive oportunidade de realizar a determinação de triglicerídeos pois não surgiu ocasião para que tal fosse possível quer motivada pela requisição do próprio utente no controlo deste parâmetro, quer por sugestão dos colaboradores da farmácia, estando aqui incluído. No entanto, tive oportunidade de proceder a várias determinações dos níveis de colesterol, que se iniciaram, como as determinações da glicemia, a meados do meu estágio, nomeadamente a partir do mês de maio. Acompanhada desta determinação, propunha a adesão de medidas não farmacológicas individualizadas, consoante a situação que me era exposta, relativas à prática de exercício físico sustentado de acordo com as possibilidades motoras e psicológicas do utente, bem como a alteração de hábitos alimentares e estilos de vida, nomeadamente a redução da ingestão de gorduras saturadas, aumento de ingestão de legumes, leguminosas, verduras e frutas, cessação do consumo tabágico, entre outras que fossem pertinentes referenciar no caso específico.

Ainda, com vista a um maior acompanhamento do utente nesta vertente, questionava o mesmo relativamente à terapêutica habitual de forma a detetar possíveis interações ou riscos na medicação utilizada no tratamento da hipercolesterolémia.

De facto, tais práticas aquando da prestação deste serviço farmacêutico, bem como a presença numa formação relativa a “Riscos na Saúde Cardiovascular”, foram-me bastante úteis, particularmente na motivação, organização e execução de um dos meus projetos direcionados nesta vertente inserida na vertente de saúde cardiovascular.

Administração de injetáveis:

É possível a administração de vacinas não incluídas no PNV na NFS, efetuada pelas farmacêuticas com formação adequada reconhecida pela OF.

(28)

17

Deste modo, após dispensa com prescrição médica, as vacinas são administradas recorrendo ao gabinete de atendimento personalizado e realizado o registo do lote da vacina administrada.

Consulta pé diabético:

Devido às alterações metabólicas, neurológicas e vasculares e doentes diagnosticados com DML, há a necessidade de um reforço no cuidado com os seus pés.

Para tal, há possibilidade de uma consulta realizada na NFS, no gabinete, por um enfermeiro especialista, no intuito de prevenir ou tratar complicações já existentes.

Consulta de podologia:

De facto, até parte do meu estágio, existiram este tipo de consultas. Eram realizadas mensalmente por uma podologista habilitada a prevenir, diagnosticar e tratar as patologias que afetam o pé. A podologista realizava as consultas no gabinete da NFS, a partir de protocolo existente com o grupo Holon em que a farmácia se insere. No entanto, a partir de junho estas consultas foram canceladas passando a NFS a deixar de prestar este serviço até a data da realização deste relatório.

Consulta de nutrição:

Estas consultas são realizadas por uma nutricionista, de modo quinzenal, com o objetivo da reeducação alimentar para perda de massa gorda. São também realizadas no gabinete da NFS, permitindo um aconselhamento mais personalizado em relação ao tipo de dieta mais adequada para cada um dos utentes, de acordo com a idade, condição física e patologias.

VALORMED

:

Na verdade, a VALORMED é uma sociedade gestora de resíduos de medicamentos fora de uso, sem fins lucrativos, criada com o objetivo de gerir os resíduos de embalagens de medicamentos vazias e medicamentos fora de uso, que se apresenta como uma ferramenta fundamental no processo de uso racional do medicamento e para a prevenção de danos ambientais.

Caixas, blisters, restos de medicamentos, folhetos informativos, frascos e ampolas são resíduos que devem ser considerados especiais, devido à necessidade de preservação e conservação do ambiente e devem ser colocados nos contentores de recolha de resíduos (anexo 14), fornecidos pela VALORMED às farmácias, sendo estes selados, pesados, rotulados pelos farmacêuticos e entregues a alguns armazenistas quando não possuem maior capacidade de recolha. Estes resíduos serão finalmente reciclados ou incinerados. É essencial a sensibilização dos utentes para esta prática, através do aconselhamento específico neste sentido.

Campanhas de informação/educação para a saúde:

A NFS prima pela prestação deste serviço, uma vez que permite à farmácia vincar a sua posição na comunidade como local de promoção de saúde. Deste modo, a consciencialização do utente para certos problemas ou riscos para a saúde atingem uma marcada importância, que não deve ser subestimada.

Consequentemente, é de realçar as campanhas realizadas nesta vertente, já que é benéfico para os utentes que têm a oportunidade de assistir e também para a farmácia, na medida em que eleva o seu nome num ambiente que é, quer se queira reconhecer ou não, competitivo.

Referências

Documentos relacionados

Se a responsabilidade pelo evento fosse exclu- sivamente do transportador (ou empresa transportadora), ao qual ou à qual estivesse o passageiro vinculado pelos laços da

Condições eletroforéticas: capilar de sílica fundida não revestido internamente, com diâmetro interno de 50 µm, 50 cm de comprimento efetivo, empregando solução tampão borato

A aplicação desenvolvida mostra que a informação espacial tem utilidade para a gestão e visita de um parque natural; tanto funcio- nários como visitantes podem retirar vantagens

Não foram constadas modificações nos teores de proteína, de DNA e na razão proteína DNA dos animais analisados, indicando que os protocolos de exercício e dieta hiperprotéica

Aumentar o número de doutores e/ou especialistas nas áreas científicas do ciclo de estudos relacionadas com as Ciências Empresariais, dado que a área principal do curso é a área

A.12.5. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada. Recomendações de melhoria. Objectivos gerais do ciclo de estudos.. 1.1. Os objectivos gerais definidos

Existem publicações científicas do corpo docente do ciclo de estudos em revistas internacionais com revisão por pares, nos últimos 5 anos e na área do ciclo de estudos.. Existem

1 – O trabalho dos empregados do condomínio será controlado pelo Síndico do CONDOMÍNIO CAMINHO DA SERRA CONDOMÍNIO HARAS E CLUBE, ou por que ele indicar, ficando a seu