• Nenhum resultado encontrado

NÍVEL DE NUTRIENTE E DENSIDADE DE PLANTIO ADEQUADOS

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "NÍVEL DE NUTRIENTE E DENSIDADE DE PLANTIO ADEQUADOS"

Copied!
6
0
0

Texto

(1)

NÍVEL DE NUTRIENTE E DENSIDADE DE PLANTIO ADEQUADOS

PARA EXPERIMENTOS COM ARROZ EM CASA DE VEGETAÇÃO 1

NAND KUMAR FAGERIA2. MOREL PEREIRA BARBOSA FILHO3. MORRIS JOSEPH GARBER4

RESUMO - Foram conduzidos dois experimentos de arroz (Oryza saiiva L.), em casa de vegetação (cultivares LAC 47 e IR 841-3-6-3), para avaliar diferentes níveis de nutrientes e densidades de plantio/ vaso. Os níveis de nutrientes usados foram zero, nível normal recomendado para condições de campo, e quatro e oito vezes o nível recomendado para as condições de campo. Estes níveis foram testados com quatro densidades de planta/vaso (1,2, 3 e 4 plantas/vaso). As análises de regressão indicaram que a produção e os componentes de produção foram afetados pelos níveis de nutrientes, densidade e, na maioria dos casos, pela interação destes dois fatores. Em ambas as cultivares, o potássio foi o nu-triente absorvido em maiores quantidades e o fósforo em menores quantidades, em comparação com os demais nutrientes estudados. Os resultados mostraram que o nível adequado de nutrientes para aduba-ção de experimentos com arroz de sequeiro e irrigado, em vasos com capacidade de 6 kg de terra, corresponde, aproximadamente, a oito vezes o nível de adubação recomendada para as condições de campo. A densidade ótima foi a de 2 -3 plantas/vaso.

Termos para indexação:Oryza sativa, cultivares, condições de campo

ADEQUATE NUTRIENT LEVELS AND PLANT DENSITY FOR THE RICE EXPERIMENTS UNDER GREENHOUSE CONDITIONS

ABSTRACT - Two greenhouse pot experiments were conducted with rice (Oryza sativa Li - cultivar IAC 47 and IR 841-3-6-3) - to evaluate dilterent nutrient leveis and plant densities. The nutrient leveis were zero, normal leveis recommended under field conditions, and four and eight times the normal leveis. These leveis were tested at four plant densities, e., one, two, three and four plants per pot. Regression analysis indicated that yield and the yieid components were affected by nutrient levei, density, and in moo cases by the interaction between these two factors. In both cultivars, potassiun-, was absorbed in greater quantities and phosphorus in less quantities in comparison to the other nutrients. The results showed that adequate nutrient leveis for upland and irrigated rice cultivated in 6 kg pots were aproximateiy eight times those recommended for fieid conditions. Optimum piant density was obtained with 2 to 3 plants per pot.

Index terms: Oryza sativa, cultivars, field conditions.

INTRODUÇÃO

Uma prática comum em experimentos de vaso, em casa de vegetação, é a aplicação de nutrientes com base nas recomendações da análise de solo para espécies de plantas cultivadas em condições de campo. Para pequenos vasos, com capacidade de 2 a 6 kg de solo, tal nível de recomendação torna-se insuficiente para as plantas cultivadas em vasos. Por exemplo, em condições de campo, níveis de

35

kg de

N, 50

lcg de P 2 0 5 e 40 kg de K 2 01ha são equivalentes a

105

mg de

N, 150

mg de P 2 0 5 e 120 mg de K2O por seis kg de solo em vaso,

1

Aceito para publicação em 10 de maio de 1982.

2 EngQ Agr9, ?h.11, Centro Nacional de Pesquisa de

Arroz e Feijão (CNPAF) . EMBRAPA, Caixa Postal 179, CEP 74000, Goiania, GO.

Eng9Ar9,M.Sc.,CNPA17.

Estatístico, Ph.D., Convênio EMBRAPA/IICA - CNPAF

Resultados obtidos por Alien et al. (1976) mostraram que quantidades de nutrientes aplica-dos em vaso, equivalentes aos níveis aplicaaplica-dos em campo, resultam em baixo rendimento de plantas. Este problema tem sido enfatizado por Terman (1974), Terman & Allen (1974), Terman & Mortvedt (1978), Mortvedt & Terman (1978).

Para plantas de arroz não existem informações neste aspecto. Muitas vezes os resultados dos ex-perimentos de casa de vegetação não são satisfa-tórios, devido à aplicação de pequenas quantida. des, ou excesso de nutrientes.

O

objetivo deste es-tudo é fornecer informações sobre nível ótimo de nutrientes e o número de plantas a ser usado por vaso -

MATERIAL E MÉTODOS

Dois experimentos foram conduzidos em casa de vege-tação, com diferentes níveis de nutrientes e densidades de

(2)

plantas de arroz de sequeiro (Exp. 1) e irrigado (Exp. 2), por vaso. O solo utilizado para o experimento com arroz de sequeiro foi um Latossolo Vermelho-Escuro com as se-glaintes características químicas, reveladas pela análise do solo: pH 5,2; P disponível 5 2,7 ppm;I( trocável 5 43 ppm; Ca + Mg trocáveis 6 1,0 meq1100 g de solo; e Ai trocável 6 0,3 meq1100 g de solo. Para o experimento com arroz irrigado, foi utilizado um solo Hidromórfico (Gley Pouco Úmido) com as seguintes características: pH 5,7; P dispo-nível 5 9,7 ppm; K trocável 3 70 ppm; Ca + Mg trocáveis 6 6,5 meq1100 g e Ai trocável 6 0,1 meq1100 g. Amostras de solo da camada superficial (0-20 cm) foram secadas, peneiradas e colocadas em vasos de 6 kg. Dezesseis trata-mentos perfaziam todas as combinações possíveis entre quatro níveis de nutrientes (N 0 : O; N 1 : dose normal re-comendada para as condições de campo; N 4 : 4 vezes a dose normal; e P4 8 : 8 vezes a dose normal) e quatro densi-dades das plantas (D 1 : uma, D 2 : duas, D 3 : três e quatro plantas/vaso). Os tratamentos foram dispostos em blocos casualizados, com quatro repetições, em esquema fatorial.

Os níveis de nutrientes recomendados para as condi-ções de campo, para arroz de sequeiro, em solo de Cerra-do, são: 35 kg/ha de N;50 kg/ha de P 0 5;40 kg/ha de ICO; 5 kg/ha de Zn e 2 t/ha de calcário. E, para arroz irrigado, são: 60 kga de N; 80 kg/ha de P2 0 5; 60 kg/ha de K 2 0; 5 kg/ha de Zn e 2 t/ha de calcário. O objetivo da aplicação de calcário no arroz irrigado foi o de evitar a toxidez de ferro em solos inundados.

Foram usadas as cultivares IAC 47, para arroz de se-queiro, e IR 841-3-6-3, para arroz irrigado. Os vasos que constituíam o experimento de arroz de sequeiro foram ir-rigados de forma a manter a umidade na capacidade de campo, durante todo o ciclo da cultura; nos que consti-tuíam o experimento de arroz irrigado, foi mantida uma lâmina d'água de 1 cm. Colheram-se os dados relacionados com produção e componentes de produção: peso total de matéria seca, peso de grãos, altura da planta, número de perfilhos por vaso, número de panículas por vaso, nú-mero de grãos por panícula, percentagem de grãos cheios, peso de 1.000 grãos e comprimento de panículas.

Logo após a coleta, o material da parte aérea foi seca-do em estufa, a 75°C, por 72 horas. Depois de pesaseca-do, o material foi moído em moinho equipado com peneira de 20 mesh. Em seguida, sofreu uma digestão com mistura de três ácidos:l-1NO 3, H 2 SO4 e IICI04 (proporção 10:1:4), se-gundo processo descrito por Jackson (1973). Ofósforo,no material digerido, foi determinado coloiimetricamente e K, Ca e Mg, pela espectrofotometria de absorção atômica, modelo Perkin Elmer 306 (Yoshida et aI. 1976).

A significação estatística dos dados foi determinada pela análise de variáncia. A superfície de resposta foi

Extrator: Mehlich (H 2 SO4 0,025 N + IICI 0,05 N). 6

Extrator:KCI 1 N.

Pesq. agropec. bras., Brasilia, 17(9): 1279-1284, set;1982.

usada para explicar interações entre densidade e níveis de nutrientes, a um nível de 5% de probabilidade.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Produção e componentes de produção

A produção de grãos e de matéria seca, de ambas as cultivares, aumentou significativamente com o aumento dos níveis de nutrientes (Tabelas 1 e 2). No caso da 'IAC 47', não houve resposta significativa para as diferentes densidades de plan-tas. Para a 'IR 841-3-6-3', o nível ótimo de nutrien-tes estimado pela equação de regressão correspon-deu a 8 e 16,4 vezes o normal recomendado para as condições de campo, para 1, 2 ou 3 e 4 plantas/ vaso, respectivamente.

Os resultados relacionados com altura e número de perfilhos são apresentados na Tabela 1, e os coeficientes de regressão correspondentes, na Ta-bela 2. Para a cultivar IAC 47, a resposta máxima estimada da altura de plantas foi obtida com 7,2; 6,2 e 5,7 vezes o nível normal de adubação para 2, 3 e 4 plantas, respectivarnente. Os resultados obti-dos para a 'IR 841-3-6-3' mostrou ser necessária, para 1, 2, 3 ou 4 plantas/vaso, uma adubação cor-respondente a 7,9; 6,5; 5,7 e 5,3 vezes o nível normal (Tabelas 1 e 2). Estes resultados indicam que a altura de planta diminui com o aumento da densidade de plantas/vaso. Isto ocorreu devido à competição por nutrientes (Matsushima 1957). Com relação ao número de perfilhos, os níveis ótimos de nutrientes estimados quando se utiliza 1, 2, 3 ou 4 plantas/vaso foram, respectivamente: 6,7; 7,0; 7,3 e 7,7 vezes o nível recomendado para condições de campo. Para a 'IR 841-3-6-3', as ne-cessidades de nutrientes estimadas situam-se na fai-xa de 5,5 e 6,39 para uma densidade de 2 a 4 plan-tas/vaso -

O número de panículas e o número de grãos por panícula aumentaram significativamente com o aumento dos níveis de nutrientes, em ambas as cultivares, enquanto que as densidades afetaram somente o número de panfculas/vaso, ocorrendo aumento significativo até duas plantas/vaso. Por outro lado, quando se aumentou o número de plantas/vaso, ocorreu uma redução significativa do número de grãos/panícula, em ambas as cultiva-

(3)

NÍVEL DE NUTRIENTE E DENSIDADE

1281

1

res. Isto significa que existe uma correlação negativa

entre o número de panículas e o número de grãos!

&

.

-

E ri ri ri e.. ri ri

-

panicula. Estes resultados mostram, ainda, que,

e-

com o aumento do número de pankulas, ocorre

O C 1 ri' 00)

uma redução do tamanho de panículas, com con-

1

seqüente redução da produção.

o

i

co

8.

1_

ri•O 0tO.S.

neee

Os valores máximos da percentagem de grãos

1

cheios estimados para a 'IAC 47' e 'IR 841-3-6-3'

2 1 o o no,

foram, respectivamente: 3,6 vezes o nível normal

Q. O o o o

de adubação para uma densidade de 3 plantas/

vaso; e 6,6 para uma densidade de 1 planta/vaso;

ri0N fle-N0

e-ri

5,8 para 2 plantas/vaso; 4,95 para 3 plantas/vaso;

T

4,12 para 4 planús/vaso. Isso pode ser atribuído

1

o

i

1 e000

ao aumento do número de grãos com o aumento

8

dos níveis de nutrientes, havendo, conseqüente-

j°-

mente, competição por carboidratos e causando

1

-

mOto °- e,

'

°

°'

e.. e, co o ri

maior esterilidade principalmente dos grãos situa.

,IT

t2

dos na parte mais baixa das panículas (Kumura

&

o e 0 0.-coo OrieQ,

c.- qis eo.

Takeda 1962, Wada 1969).

o

ie,e.-- orno

Aumento significativo no comprimento das pa-

nículas ocorreu quando se utilizaram 2 plantas!

1

vaso e um nível de nutrientes correspondente a

IN

22

6,65 vezes o normal, de campo, ou 3 plantas/vaso

1

'

e 000e CONO)0

e um nível de nutrientes 6,0 vezes o normal. Já

O 00%e-F' otw-

a cultivar IR 841-3-6-3, o melhor valor estimado

c

foi de 1 planta/vaso e um nível de nutrientes 4,08

moe or-;o

Se. Sei -.4

maior.

oe,00 fli000

1

No que se refere ao peso de 1.000 grãos, não

houve efeito significativo da densidade de planta!

vaso, mas o pico de resposta

i

aplicação de nu-

1

1

trientes ocorreu quando se usou um nível de 4,82

-°-

ririrn e-O

vezes o normal, de campo. A 'IR 841-3-6-3' mos-

-

e-co 0

trou uma resposta positiva e linear aos níveis de

a.! 1

,( e

nutrientes e densidades utilizados.

o

i

coo emqnqs

1 rro.teÇ er-

Teor percentual a absorção de nutrientes

1 e

eco ot-,0

'

e—cos oeeo,

Fósforo

1 E

1

?nuq

Com relação

&

percentagem de P, a resposta da

1

0O.

o.E 8ri e

.

4-• -

cultivar IAC 47 aos diferentes níveis de nutrientes

ri e e e

e densidades representa a combinação de 2 ou 3

oe..oNmor. 0 e,

,_

e-

plantas/vaso, ao nível máximo de nutrientes tes-

,-

1

a

t 6

E

tados (Tabelas 3 e 4). Para a cultivar IR 841-3-6-3

1

e on—n

e densidades de 1, 2, 3 e 4, os melhores níveis de

I

ej eIk

nutrientes encontrados correspondem, respectiva-

mente, a 5,83; 5,45; 5,06 e 4,67.

a

A absorção de P, no caso da 'IAC 47', aumen-

1t E £iz"Ê

6cS'd'o"

tou com o aumento dos níveis de nutrientes, sem

(4)

e. e. O ei z O e. 2 e. 0 2 0 , a- .

1

'a a' c o 50 e.

a

o C1 0 o Ia' 2 o. a, CM z 'a E Ia 2 •0 4, O a: O a) o o) Ia a) 'O 4, a, •0 e a: a r t 'a c a' c o a E o O Pesq. agropec. bras., Brasilia, 17(9)

COOCONOelW0OI 1 N0--CO0OLfl 0Çn0300 COLO Lflt000Cfl e. N.fl0WNNI çç000e.cq 000000000 000000000l

-

In O 0)0) LCJN g. ' 0 o z 09 t 9 N'.f CM 00 o u) o n e- — LO 00 O C 2 a" el (ON O CO 'N-e1 CflOLOOIONO'CO

S'-t"US—.°. O z cto.— O000CO ,co, N q

LC090NOQO e)000t'J O

o

N a" O CO 'OLO

NON

00 CO '- COCO-

.aq O, O N—e-° e- flor-

e?.7 '7 ai 9 QNN

000C')'CIOCON OCO0DCMCO N

NNNØO'eM

-ena-cnr)0 OntonCO .LfltCO cO CO

NN'Cn0Or)N 0 CONN O

CONc..00XO0 tONWfl

0e)Ntfl —N O cOLne flO co

ONCON (O' a)

N'Nt CØ° CO CflNCN COOU) CnN

'9 ri' o odd Cfl' Vdo

WOI00000LO4 COflLONOOr-cO N0NOLONNN LflcOfl00--t,-

8

OLO'L0030 .COsO,at-te z stoowtt Na-toq)L000 ClCOrn.00enN0 — NN-one)oe ) - CO O LO COO O) NONONO O CO e) Co e) O LO 00 COLONNLOONNU) NaN N 0 m o 9N-000a-N CO 0C'dN OCOCIN o 4 o -t o E 2 — E o, .E o a a' a "o a aaEoOa c 2a 2o Eo°a ,oa o 'ac 0 -O Ec a) = o a ,-0001 a °° '- O 0i41 E

o-o-o- e jt-OV O" -0 E

oo<ZZZ!O o.<ZZZo.O

(5)

- 0'

1» 1» cl O oOti' NNO0' 00O'n :WN

00 o-c-jcln ett'tc.tC.t ' E 0000 0000 ao N 'e wrr,'e .-t00tL) o, O,c4flfl c'tn°'t 0000 0000 - 00flNW O'eIO0 'e c0fltiO, 0,cqe'kO, o 'e'COO OIflN 00 cir-eN ocr. NODO'.' 0,000,0 o nree mete c:i 00 0000 0000 ao e(rrC ejc.rlrl 00000000 - 0N0,0)" 0000 ti O O ti ti O ti O E 2fl 0 r- EeLOoo Ntinra 'e flO. ,- ek I0.ti3O.O.

< O o.'oNnei'en < ONCON 000 - N'eN 'e'efl Notio, tD'eo'e 00 N000 r-ww 00 IO'eLflW 00 c, -tAlo. 0. ¶ 'e r-,r.'nw Ocoeti ni000 r-tieN tiw Z2fl 2:; a. d&dd ao 0' N 'e N'e ON000NIO , o, 00q oqo, o 5 0000 0000 o ti a ri o ri 2 3 ti 2 ti o 2 0 a e o a O .53 o o e. a a tiO

NÍVEL DE NUTRIENTE E DENSIDADE 1283

o0lOO-Ne Or-ti000,Nr% o. 0-LOLOtlN-N çOfl.O0OtiN 000000NC)00 NC)LOO(OOWLO 00000000 00000000 eeoo N O 0 ti LO r LO N e- ti °o000 ti ON000 2 O LO0 , N O'-OO LO OcNr'-O 04 0000 2 o 000,0 nCNnNeION (0 ONeO.tie O a '4 OC?OeQ 00 0 r- N o-) LO LOCØ0O ti ti (O 0 , NOti O ti O fltitflOo) ti CO00)00) O O C flO01 3 O 9 NLOLOLOLON.'o CO meco ÇOtdN000NO e, O''tC000 0'OLOLOOLO.- .- 0 -. Oo. o,,. 00000Lnorn O 00000 , 0) (O ti e,or- ,-o 'WNLOOetiO O0N000

oeLoLn ,-e,-e e. O ti000

0fl0cq0q'4 a 0

00000000ti O OLOO.- O

NtiOeLfltlLOW NoO ,)O0o_

ti ti tO (O O Im ti0tl0e,c0N a 0NO0ti00)ti ocec' - -- -- o OLO.-.-oflqt, ocdoRdeoe co, o e — — (OOOONe,O OeC)flLONN0 r-OOLOOtiOO N0)0-0000LOfl e,0000r900oØo -cn-flo--r--O0 qor-o'-or 0tiWOti0t- OelC'itiOe,OLO > > - - O, o

a - ooOoo tIO CO °.00Ooo

CO CO C0 lo CO C00L.0L.0

<I_czI_<I_c

(6)

evidência da ocorrência de um ponto máximo den-tro dos níveis estudados. Por ouden-tro lado, a absor-ção de P não foi afetada significativamente pelas densidades de plantas. Para a 'IR 841-3-6-3', o me-lhor valor para absorção de P foi encontrado quan-d0 se utilizou 1 planta/vaso e um nível de P 8 ve-zes a recomendação normal de campo.

Potássio

A resposta da 'IAC 47', com respeito ao teor percentual, é representada por uma equação qua-drática, ocorrendo um ponto máximo na dose de 4,88 vezes a recomendação normal de nutrientes para as condições de campo, independente da densidade de plantas/vaso (Tabelas 3 e 4).

No caso da 'IR 841-3-6-3', o nível máximo de nutrientes esperado para 4 plantas/vaso foi de 4,94 vezes o normal. A absorção de K, 'pela IAC 47', é representada por uma equação quadrática atingin-do um ponto de máximo quanatingin-do se usam 11,72 vezes o nível normal de nutrientes (fora dos valores testados). Em relação & densidade, a resposta para absorção de K foi linear e negativa.

Para a 'IR 841-3-6-3', utilizando-se 3 ou 4 plan-tas/vaso, os melhores valores estimados foram, res-pectivamente, 8 e 7,5 vezes o nível normal de nu-trientes.

Cálcio

A resposta da 'IAC 47', com relação ao teor percentual foi quadrática, ocorrendo um pon-to de máximo a um nível de nutrientes correspon-dente a 5,43, indepencorrespon-dente da densidade de plan-tas/vaso (Tabelas 3 e 4). Para a 'IR 841-3-6-3', os melhores valores foram encontrados com 2 ou 3 plantas/vaso e um nível de nutrientes 8 vezes o normal.

Os melhores valores de absorção de Ca, tanto para a 'IAC 47' como para a 'IR 841-3-6-3', ocor-reram quando se utilizaram 2 ou 3 plantas/vaso e um nível de nutrientes 8 vezes o normal.

Magnésio

O teor percentual e a absorção de Mg aumenta-ram com o aumento dos níveis de nutrientes, em ambas as cultivares (Tabela 3), sendo os melhores valores encontrados através da equação

de regressão, 2 ou 3 plantas/vaso a um nível de nutrientes 5,6 vezes o normal, para a 'IAC 47', e 6,84 para a 'IR 841-3-6-3'.

CONCLUSÕES

1, Os níveis ótimos encontrados nesse experi-mento correspondem, aproximadamente, a oito vezes o nível de adubação geralmente recomenda-do para as condições de campo.

2. A densidade ótima encontrada foi de duas ou três plantas por vaso tanto para o arroz de sequeiro como para o irrigado.

REFERtNCIAS

ALLEN, SE.; TERMAN, G.L. & CLEMENTS, L.B. Greenbouse teehniques for soi!-p!ant-fertilizer research. Muscle Shoa!s, Nati. Fert. Develop. Center, Tennessee Valley Authority, 1976. (Buli. Y - 104). JACKSON, M.L. SoU chemical analysis New Delhi,

Prentice Hall o! India Private Limited, 1973. 498p. KUMARA, A. & TAKEDA, T. Analysis of grain

produc-tion in nec plant. Proc. Crop. Sei. lapan, 30(7): 261-5, 1962.

MATSUSHIMA, S. Analysis of deve!opment factors determining yield and yield production in lowland nice. Buil. Nat. Inst, Agr. Sei, lapa Ser. A., (5): 1-271, 1957.

MOR TVEDT, J.J. & TERMAN, G.L. Nutnient effectiveness in relation to rates applied for pot experiment: II. Phosphorus sounces. Soil Sei. Soe. Am. J., 42: 3024, 1978.

TERMAN, G.L. Amounts of nutrients supplied for crops grown in pot expeniments. Commum. Sou. Sci. PlantÀnal_5:115-21, 1974.

TERMAN, G.L. & ALLEN, S.E. Accnetion and dilution of nutnients in young conn,as affectedby yield response to nitrogen, phosphonus, and potassium. Sei!. Sei. Soe. Am. Proc., 38:455-60, 1974.

TERMAN, G.L. & MORTVEDT, J.J. Nutnient effective-ness in relation to iates applied for pot experiment: 1. Nitrogen and potassium. SoU Sei. Soe. Am. 1., 42: 297-302, 1978.

WADA, G. The effeets of nitrogenous on the yield - deter-mining of nice plant. Buil. Nat. Inst. Agr. Sei, lapa Ser.k, 16:27-167, 1969.

VOSLIIDA, 5.; FORNO, DA.; COCK, J.H. & GOMEZ, K.A. Laboratory manual for physiological studies of rice. Los Baflos, Phiippines. The International Rice Research Institute, 1976. 83p.

Referências

Documentos relacionados

Dificilmente proprietários rurais em São Paulo estariam desejosos de experimentar a eucaliptocultura, já que o estado abrange grandes usinas de cana-de-açúcar na região

Assim, o presente trabalho surgiu com o objetivo de analisar e refletir sobre como o uso de novas tecnologias, em especial o data show, no ensino de Geografia nos dias atuais

costumam ser as mais valorizadas. B) Uma soma de fatores, como fácil acesso à água, possibilidade de utilizar os rios como meio de transporte e o baixo custo imobiliário devido

Os maiores coeficientes da razão área/perímetro são das edificações Kanimbambo (12,75) e Barão do Rio Branco (10,22) ou seja possuem uma maior área por unidade de

Esta realidade exige uma abordagem baseada mais numa engenharia de segu- rança do que na regulamentação prescritiva existente para estes CUA [7], pelo que as medidas de segurança

Se você vai para o mundo da fantasia e não está consciente de que está lá, você está se alienando da realidade (fugindo da realidade), você não está no aqui e

• Execute o simulador SOsim e configure-o para trabalhar com Escalonamento Circular com Prioridades Dinâmicas: janela Console SOsim / Opções / Parâmetros do Sistema na

Deste modo, este trabalho teve como objetivo identificar na literatura científica estratégias de detecção precoce de fatores de risco ocasionados pelo uso