C U I D A D O R M U L T I D I M E N S I O N A L ( I N T E R A S S I S T E N C I O L O G I A )

Texto

(1)

C

U I D A D O R

M

U L T I D I M E N S I O N A L

( I

N T E R A S S I S T E N C I O L O G I A

)

I. Conformática

Definologia. O cuidador multidimensional é a conscin, homem ou mulher, profissional

remunerada ou voluntária, pesquisadora empenhada na aplicação de técnicas específicas sobre os cuidados dedicados ao doente, idoso ou portador de necessidades especiais, em ambiente hospita-lar ou residencial, considerando os princípios da Cosmoética e o paradigma consciencial.

Tematologia. Tema central homeostático.

Etimologia. O termo cuidado deriva do idioma Latim, cogitatus, “meditado; pensado;

refletido”, de cogitare, “agitar no espírito; remoer no pensamento; pensar; meditar; projetar; pre-parar”. Surgiu no Século XIII. O vocábulo dimensão provém do mesmo idioma Latim, dimen-sio,“dimensão; medida”. Apareceu no Século XVI. A palavra dimensional surgiu no Século XIX. Sinonimologia: 1. Conscin cuidadora multidimensional. 2. Enfermeiro

multidimensio-nal. 3. Cuidador conscienciológico. 4. Conscin zeladora interdimensiomultidimensio-nal.

Neologia. As 4 expressões compostas cuidador multidimensional, cuidador multidimen-sional primário, cuidador multidimenmultidimen-sional intermediário e cuidador multidimenmultidimen-sional avançado são neologismos técnicos da Interassistenciologia.

Antonimologia: 1. Cuidador convencional. 2. Enfermeiro convencional. 3.

Acompa-nhante. 4. Cuidador inativo. 5. Ausente da Cuidadologia.

Estrangeirismologia: a vivência fulltime da interassistencialidade; o rapport

intercons-ciencial entre cuidador e enfermo; a angustia temporum da profissão; o otium cum dignitate da função cuidadora; o continuum assistencial para minimizar o sofrimento humano no planeta hos-pital; o Maturopodium.

Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do

autodiscer-nimento quanto à holomaturescência do empenho interassistencial.

Coloquiologia: o ato de estar de observatório e ficar ligado aos sinais e parassinais

emi-tidos pelo paciente e pelo contexto.

II. Fatuística

Pensenologia: o holopensene pessoal fraterno e acolhedor; os parapensenes, a

parapen-senidade; a diferenciação pensênica; os nosopensenes; a nosopenparapen-senidade; os reciclopensenes; a reciclopensenidade; os lucidopensenes; a lucidopensenidade; os neopensenes; a neopensenida-de; os ortopensenes; a ortopensenidaneopensenida-de; os maturopensenes; a maturopensenidaneopensenida-de; os pensenes especializados formando o vocabulário específico do campo de atuação; o holopensene doméstico dificultando a abordagem tarística ao doente religioso ou místico.

Fatologia: o acolhimento ao doente; os cuidados convergentes com as demandas do

doente; a atuação com o trafor da paciência em tempo integral; o bom humor necessário atuando em conjunto com a dedicação; o aproveitamento do tempo aplicado na tarefa do esclarecimento ao doente; a abordagem firme, porém afável; a qualidade do ato de tomar conta de alguém embasando o nível assistencial do cuidador; o ato de escutar o paciente sendo fator gerador de he-teroconfiança; o ato de saber traduzir os sinais da verdadeira necessidade do enfermo; o cuidador atento às nuances das doenças psiquiátricas; a formação do cuidador multidimensional ultrapas-sando as pesquisas da Ciência Convencional ao adotar o paradigma consciencial e as autopesqui-sas; a promoção de ajustes grupocármicos; o acolhimento pré-dessomático.

Parafatologia: a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a sinalética

gética e parapsíquica pessoal orientando a assistência; a assimilação e a desassimilação de ener-gias sendo fator prioritário durante o atendimento ao doente; o parapsiquismo usado com

(2)

discer-nimento em prol dos enfermos intrafísicos e extrafísicos; a impassibilidade parapsíquica superada pelas afinidades interconscienciais; a empatia com o doente vencendo as dificuldades iniciais no âmbito familiar e parafamiliar; a insegurança do cuidador novato gerando heterassédio no am-biente de trabalho; o cuidador continuando a assistência na tenepes; as sugestões esclarecedoras sobre a melhor forma de abordagem e tratamento do assistido transmitida pelo amparador extrafí-sico durante a tenepes; a Projecioterapia conduzindo ambos, cuidador e paciente, a encontros ex-trafísicos impactantes; a autorreflexão levando à automudança recicladora no assistente e assisti-do; o acolhimento pós-dessomático; o cuidador multidimensional atuante na especificidade de agente antiparapsicose pós-dessomática; a projeção lúcida do cuidador recebendo o doente e pre-parando-o para a dessoma iminente; a continuação da assistência ao doente no período pós-des-somático.

III. Detalhismo

Sinergismologia: o sinergismo bioenergético EV–arco voltaico craniochacral; o siner-gismo energético entre o cuidador e o enfermo; o sinersiner-gismo prestação de assistência–recupera-ção de cons; o sinergismo boa vontade–boa intenassistência–recupera-ção–autodiscernimento cosmoético; o sinergis-mo medida exata–medida justa.

Principiologia: o princípio do aperfeiçoamento contínuo do cuidador; o princípio da descrença (PD) na abordagem ao doente; o princípio do não abandono; o princípio dos fatos e parafatos orientarem a pesquisa e a parapesquisa; o princípio evolutivo da megafraternidade; o príncipio da assistência recíproca entre cuidador e assistido; o princípio da autoconsciência multidimensional.

Codigologia: o código de Ética Profissional; o código pessoal de Cosmoética (CPC). Teoriologia: a teoria do EV aplicada teaticamente; a teoria do corpo objetivo; a teoria da bitanatose; a teoria da comunicação interdimensional; a teoria do amparo interconsciencial; a teoria do holossoma; a teoria da serialidade.

Tecnologia: a técnica da sondagem bioenergética; a técnica do encapsulamento paras-sanitário; a técnica da priorização do mais relevante; a técnica da reeducação consciencial; a técnica da heterodesassedialidade; o traforismo em técnicas autoconsciencioterapêuticas facili-tando reciclagens intraconscienciais (recins); as técnicas de rememoração projetiva; a técnica da tábula rasa; a técnica da desassedialidade; as técnicas projetivas.

Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico do estado vibracional; o laboratório conscienciológico da Pensenologia; o laboratório conscienciológico da Paraeducação; o labora-tório conscienciológico da sinalética energética; o laboralabora-tório conscienciológico de técnicas projetivas; o laboratório conscienciológico da Cosmovisiologia; o laboratório conscienciológico da tenepes.

Colegiologia: o Colégio Invisível da Tecnologia; o Colégio Invisível da Medicina; o

Co-légio Invisível da Consciencioterapia; o CoCo-légio Invisível da Parapercepciologia; o CoCo-légio Invi-sível da Autopesquisologia; o Colégio InviInvi-sível da Interassistenciologia; o Colégio InviInvi-sível da Conviviologia; o Colégio Invisível da Experimentologia; o Colégio Invisível da Dessomatologia.

Efeitologia: os efeitos das múltiplas dimensões na intrafisicalidade; os efeitos das ener-gias dos ambientes; os efeitos da discriminação dos pensenes e holopensenes na profilaxia dos assédios interconscienciais; os efeitos cognitivos da solidariedade interassistencial entre o cuida-dor, assistido e família do assistido; os efeitos positivos das verdades relativas de ponta na recu-peração de cons entre o cuidador e enfermo; os efeitos do veteranismo evolutivo.

Neossinapsologia: as parassinapses interassistenciais influindo na aquisição pessoal de neossinapses; a inabilidade do cuidador jejuno dificultando a criação de neossinapses; as neossi-napses geradas pela experiência.

Ciclologia: o ciclo do checkup holossomático; o ciclo sono-vigília; o ciclo ressoma-des- soma; o ciclo das descobertas convivenciais.

Binomiologia: o binômio (dupla) cuidador-enfermo; o binômio autolucidez-autodiscer-nimento; o binômio abordagem intrafísica–abordagem extrafísica; o binômio autexperiência-

(3)

-heterexperiência; o binômio problema-solução; o binômio percepção-parapercepção; o binômio evocações diuturnas–rapport assistencial; o binômio educação formal–autodidatismo perma-nente.

Interaciologia: a interação escuta física–escuta parapsíquica; a interação entre as di-mensões intrafisica e extrafísica; a interação amparador-cuidador-enfermo; a interação paradig-ma convencional–paradigparadig-ma consciencial; a interação cuidador multidimensional–equipex inte-rassistencial; a interação autodesassédio-heterassistência.

Crescendologia: o crescendo iscagem inconsciente–iscagem amadora–iscagem lúcida;

o crescendo autodefesa-acolhimento; o crescendo recebimento-retribuições; o crescendo percep- ções-parapercepções; o crescendo assistido hoje–assistente amanhã.

Trinomiologia: o trinômio Energossomatologia-Parapercepciologia-Parafenomenolo- gia; o trinômio-intelectualidade-parapsiquismo-comunicabilidade; o trinômio-acolhimento-ori- entação-encaminhamento.

Polinomiologia: o polinômio soma-energossoma-psicossoma-mentalsoma; o polinômio postura-olhar-voz-gesto; o polinômio investigar-auscultar-compreender-assistir.

Antagonismologia: o antagonismo cuidar só do soma / cuidar do holossoma; o antago-nismo pessoa aberta / pessoa fechada; o antagoantago-nismo amparo / assédio; o antagoantago-nismo atenção monodimensional / atenção multidimensional; o antagonismo harmonia / entropia; o antagonis-mo omissão superavitária / omissão deficitária.

Paradoxologia: o paradoxo soma perecível–consciência imorrível; o paradoxo da reali-dade bioenergética comum ser discriminada por poucos.

Politicologia: as políticas públicas em Cuidadologia; a meritocracia; a assistenciocra-cia; a lucidocraassistenciocra-cia; a exemplocraassistenciocra-cia; a cosmoeticocraassistenciocra-cia; a energocraassistenciocra-cia; a conscienciocracia.

Legislogia: a lei do maior esforço aplicada no domínio das energias; a lei da insepara-bilidade grupocármica; a lei de causa e efeito; a lei da autorresponsainsepara-bilidade projetiva.

Filiologia: a fatofilia; a parafatofilia; a coerenciofilia; a assistenciofilia; a conviviofilia;

a cosmoeticofilia; a neofilia.

Fobiologia: a tanatofobia; a neofobia; a psicofobia; a projeciofobia.

Sindromologia: a síndrome da mediocrização; a síndrome da autovitimização; a sín-drome de burnout; o diálogo dificultado nas sínsín-dromes autistas; a sínsín-drome do conflito de para-digmas.

Holotecologia: a pesquisoteca; a sinaleticoteca; a fenomenoteca; a medicinoteca; a

bi-blioteca; a infoteca; a comunicoteca.

Interdisciplinologia: a Interassistenciologia; a Cuidadologia; a Holossomatologia; a

Pa-rapercepciologia; a Energossomatologia; a Parapatologia; a Comunicologia; a Conscienciotera-pia; a Tenepessologia; a Despertologia.

IV. Perfilologia

Elencologia: a isca humana inconsciente; a isca humana lúcida; a conscin lúcida; o ser

interassistencial; a conscin enciclopedista; o ser desperto.

Masculinologia: o cuidador multidimensional; o enfermeiro; o assistente social; o

cons-cienciólogo; o consciencioterapeuta; o tenepessista; o cognopolita assistencial; o infiltrado cos-moético; o acoplamentista; o amparador intrafísico; o atacadista consciencial; o autodecisor; o in-termissivista; o compassageiro evolutivo; o completista; o comunicólogo; o conscienciômetra; o conviviólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólogo; o reeducador; o epicon lúcido; o escritor; o evoluciente; o exemplarista; o reciclante existencial; o inversor existencial; o tene-pessista; o ofiexista; o parapercepciologista; o autopesquisador; o pré-serenão vulgar; o projetor consciente; o sistemata; o tertuliano; o verbetólogo; o voluntário; o tocador de obra; o homem de ação; o teleguiado autocrítico; o tecnólogo parapsíquico.

(4)

Femininologia: a cuidadora multidimensional; a enfermeira; a assistente social; a

cons-ciencióloga; a consciencioterapeuta; a tenepessista; a cognopolita assistencial; a infiltrada cos-moética; a acoplamentista; a amparadora intrafísica; a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a compassageira evolutiva; a completista; a comunicóloga; a conscienciômetra; a convivióloga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a reeducadora; a epicon lúcida; a escritora; a evoluciente; a exemplarista; a reciclante existencial; a inversora existencial; a tene-pessista; a ofiexista; a parapercepciologista; a autopesquisadora; a pré-serenona vulgar; a proje-tora consciente; a sistemata; a tertuliana; a verbetóloga; a voluntária; a tocadora de obra; a mulher de ação; a teleguiada autocrítica; a tecnóloga parapsíquica.

Hominologia: o Homo sapiens assistentialis; o Homo sapiens curator; o Homo sapiens energovibratorius; o Homo sapiens experimentatus; o Homo sapiens autolucidus; o Homo sapi-ens parapsychicus cosmoethicus; o Homo sapisapi-ens comunicator; o Homo sapisapi-ens empathopsapi-ense- empathopense-nicus; o Homo sapiens coterapheuticus; o Homo sapiens tenepessista; o Homo sapiens despertus.

V. Argumentologia

Exemplologia: cuidador multidimensional primário = o pré-serenão vulgar com

hipo-acuidade quanto às manifestações interdimensionais na lida com o assistido; cuidador multidi-mensional intermediário = o tenepessista com o parapsiquismo atuante a favor do assistido; cui-dador multidimensional avançado = o ser desperto com autoconsciência permanente do emprego das energias conscienciais ao atender o assistido.

Culturologia: a cultura da hiperacuidade consciencial; a cultura do acompanhamento interassistencial.

Caracterologia. Sob a ótica da Experimentologia, eis, por exemplo, na ordem alfabética,

10 condições vivenciadas pelo cuidador multidimensional:

01. Benevolência: desenvolvimento da heterobeneficência (Magnanimologia). 02. Desassim: eficácia pessoal na desassimilação energética (Energossomatologia). 03. Habilidades: retomada dos potenciais assistenciais inatos (Competenciologia). 04. Oportunidade: resgate das oportunidades assistenciais perdidas (Interprisiologia). 05. Parapsiquismo: identificação de fenômenos parapsíquicos (Parapercepciologia). 06. Proéxis: visão da proéxis na tomada de decisões (Proexologia).

07. Recuperação: reconquista da saúde e bem-estar da pessoa acamada (Medicina). 08. Reeducação: autempenho persistente na evolução consciencial (Reeducaciologia). 09. Responsabilidades: autorresponsabilização cosmoética (Paradireitologia). 10. Tares: esclarecimentos pró-autonomia consciencial (Interassistenciologia).

VI. Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem

alfabé-tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-trais, evidenciando relação estreita com o cuidador multidimensional, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:

01. Abridor de caminho: Interassistenciologia; Homeostático.

02. Agente comunitário multidimensional: Interassistenciologia; Homeostático. 03. Autovigilância ininterrupta: Consciencioterapia; Homeostático.

04. Confiança: Confianciologia; Homeostático.

05. Consciência assistente: Interassistenciologia; Homeostático. 06. Convivência nociva: Conviviologia; Nosográfico.

07. Cuidadologia: Interassistenciologia; Homeostático. 08. Fronteiriço dessomático: Intrafisicologia; Nosográfico.

(5)

09. Função amparadora: Amparologia; Homeostático. 10. Interconscienciologia: Experimentologia; Neutro.

11. Minipeça interassistencial: Interassistenciologia; Homeostático. 12. Olhar de fraternidade: Interassistenciologia; Homeostático.

13. Princípio da responsabilidade interassistencial: Interassistenciologia; Homeostá-tico.

14. Sistematização comportamental: Paraetologia; Neutro. 15. Tempo assistencial: Interassistenciologia; Neutro.

A

ATUAÇÃO DO CUIDADOR MULTIDIMENSIONAL MANTEN

-DO HETERACOLHIMENTO

,

AUTODEDICAÇÃO E ESFORÇO

,

É RECURSO AUTEVOLUTIVO PARA ALCANÇAR VIVÊNCIAS

PARAPSÍQUICAS ASSISTENCIAIS COSMOÉTICAS LÚCIDAS

.

Questionologia.Você, leitor ou leitora, se vê atuando na condição de cuidador ou sob os

cuidados de alguém? Considera necessário aprofundar os estudos a respeito? Bibliografia Específica:

01. Bontempo, Márcio; Manual da Medicina Integral; 574 p.; 3 partes; 31 seções; 10 caps.; 21 esquemas; 17 ilus.; 18 tabs.; 38 técnicas; 107 refs.; ono.; 20,5 x 13 x 3 cm; br.; 4ª Ed.; Best Seller; São Paulo, SP; 1998; páginas 101 a 252 e 543 a 562.

02. Carvalho, Francisco; Paradoxos na Assistencialidade: Assistente-Assistido; Artigo; Anais da IV Jornada

de Saúde da Consciência; Foz do Iguaçu, PR; 07-10.09.06; Journal of Conscienciology; Revista; Trimestral; Vol.

9; N. 33-S; 4 citações; 5 enus.; 1 microbiografia; 4 questionários; 11 refs.; International Academy of Consciousness (IAC); Londres; Setembro, 2006; páginas 29 a 40.

03. Lima, Ângela Maria Machado de; & Sangaletti, Carine Teles; Cuidar do Idoso em Casa: Limites e

Possi-bilidades; coord. Antonio de Pádua Phiton Cyrino; (Coleção Saúde e Cidadania); 205 p.; 11 partes; 8 caps.; 1 E-mail; 35

enus.; 9 fichários; 4 fotos; 9 ilus; 5 websites; glos.; 37 termos; 36 refs.; 1 anexo; 3 apênds.; 18 x 11 cm; br.; Unesp; São Paulo, SP; 2010; páginas 17, 35 e 121 a 140.

04. Mason, Douglas J.; Cuide de sua Memória (The Memory Doctor); trad. Vera Martins; 160 p.; 8 caps.; 4 citações; 1 E-mail; 6 enus.; 23 fichários; 1 questionário; 21 x 14 cm; br.; 2ª Ed.; Arx; São Paulo, SP; Setembro, 2006; páginas 17 a 32 e 101 a 158.

05. Pessini, Leocir; Distanásia: Até quando Prolongar a Vida?; apres. Leonard M. Martin; revisores Mau-rício B. Leal; & Anuar Jarbas Provenzi; 432 p.; 3 partes; 74 seções; 58 subseções; 16 caps; 26 abrevs.; 169 citações; 1 E-mail; 54 enus.; 1 foto; 1 microbiografia; 46 siglas; 1 tab.; 1 website; 427 notas; 400 refs.; 8 anexos; 6 apênds.; ono; 23 x 16 x 3 cm; br.; Editora do Centro Universitário São Camilo & Edições Loyola; São Paulo, SP; 2001, páginas 45 a 66 e 101 a 158.

06. Takimoto, Nario; Princípios Teáticos da Consciencioterapia; Artigo; Anais da IV Jornada de Saúde da

Consciência; Foz do Iguaçu, PR; 07-10.09.06; Journal of Conscienciology; Revista; Trimestral; Vol. 9; N. 33-S; 4

cita-ções; 5 enus.; 1 microbiografia; 4 questionários; 11 refs.; International Academy of Conciousness (IAC); Londres; Setem-bro, 2006; páginas 11 a 26.

07. Varella, Drauzio; Guia Prático de Saúde e Bem Estar: Envelhecimento; Álbum; apres. Carlos Jardim; 64 p.; 14 partes; 24 enus.; 4 fichários; 30 ilus.; 1 website; 23 x 15,5 cm; br.; Gold; São Paulo, SP; 2009; páginas 7 a 63.

08. Vieira, Waldo; Homo sapiens reurbanisatus; revisores Equipe de Revisores do Holociclo; 1.584 p.; 24 seções; 479 caps.; 139 abrevs.; 12 E-mails; 597 enus.; 413 estrangeirismos; 1 foto; 40 ilus.; 1 microbiografia; 25 tabs.; 4 websites; glos. 241 termos; 3 infográficos; 102 filmes; 7.665 refs.; alf.; geo.; 29 x 21 x 7 cm; enc.; 3ª Ed. Gratuita;

Associação Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC); Foz do Iguaçu, PR; 2004; páginas

115 a 117, 312 a 314, 335, 336, 388 e 389.

09. Idem; Manual da Tenepes: Tarefa Energética Pessoal; revisor Alexander Steiner; 142 p.; 34 caps.; 147 abrevs.; 1 E-mail; 52 enus.; 1 foto; 1 microbiografia; 1 tab.; 1 teste; glos. 282 termos; 5 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br.;

Insti-tuto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1995; páginas 27, 40, 41, 55 a 58 e 69 a 73.

10. Idem; O que é a Conscienciologia; 192 p.; 100 caps.; 33 E-mails; 1 foto; 1 microbiografia; 15 técnicas; 11 testes; 4 websites; glos. 280 termos; 3 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br.; 3ª Ed.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2005; páginas 20, 21, 23, 24, 41, 42, 55, 56, 60, 61 e 63 a 67.

11. Idem; Projeciologia: Panorama das Experiências Fora do Corpo Humano; revisores Alexander Steiner;

et al.; 1.248 p.; 18 seções; 525 caps.; 150 abrevs.; 16 E-mails; 1.156 enus.; 1 escala; 1 foto; 3 gráfs.; 42 ilus.; 1

microbio-grafia; 1 sinopse; 2 tabs.; 2 websites; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21 x 7 cm; br.; 5ª Ed. rev. e aum.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 2002; páginas 149 a 151, 497 a 499, 594 a 602 e 686 a 690.

(6)

12. Idem; 700 Experimentos da Conscienciologia; 1.058 p.; 40 seções; 100 subseções; 700 caps.; 147 abrevs.; 1 cronologia; 100 datas; 1 E-mail; 600 enus.; 272 estrangeirismos; 2 tabs.; 300 testes; glos. 280 termos; 5.116 refs.; alf.; geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Instituto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1994; páginas 312 a 314, 335, 336, 388 e 389.

E. C.

Imagem

Referências

temas relacionados :