CHINA. Especificidades e Oportunidades do Mercado

Texto

(1)

Lisboa, Março de 2011

CHINA

CHINA

Especificidades

(2)

CHINA

CHINA

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão da China e de Xangai

ão da China e de Xangai

Estrat

Estrat

é

é

gia de Neg

gia de Neg

ó

ó

cio

cio

-

-

Protocolo

Protocolo

Caso Particular da

(3)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Designação oficial: República Popular da China

Área: 9.561.000 km2

População: 1,3 biliões de habitantes (estimativa 2009)

Densidade populacional: 139 hab./km2 (2008); População urbana: 43% total (2008)

Chefe do Estado: Presidente Hu Jintao (desde Março 2003) Primeiro-Ministro: Wen Jiabao

Data da actual Constituição: Dezembro 1982; alterações em 1993, 1999 e 2004 Capital: Beijing (13,1 milhões de habitantes) (final de 2007)

Outras cidades relevantes: Shangai, Guangzhou, Zhanjiang, Tiajin

Grau de Abertura e dimensão relativa do mercado (EIU, 2008):

EXp.+Imp (bens e serviços)./PIB = 49,3%

Imp.(bens e serviços)/PIB = 22,7% Imp.(bens)/Imp. Mundial = 8,0%

Unidade monetária: Yuan (renmimbi) da China (CNY)

1 EUR = 8,9863 CNY(média semanal – 22 Fevereiro 2011)

Língua: Mandarim, língua oficial ; outros dialectos

Rankingde Negócios: Índice – 6,39 (10 máximo)

(4)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Mercado chinês

Recente transformação numa sociedade de consumo

Forte crescimento da classe média chinesa (+ 500 milhóes de pessoas em 2020)

Crescimento do poder de compra na sociedade chinesa

Crescente procura de produtos de gama alta/luxo e lifestyle

Oportunidade para Portugal – aposta em áreas/fileiras : . TICs

Ambiente e Energia

Têxteis(moda e casa)

(5)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Fonte: INE – Instituto Nacional de Estatística

Evolução da Balança Comercial

1.452.330 1.023.244 1.114.669 1.342.004 1.063.431 773.203 568.942 Importações 211.842 194.248 221.818 184.018 181.136 213.839 170.589 Exportações 2010 Jan/Nov 2009 Jan/Nov 2009 2008 2007 2006 2005 BALANÇA COMERCIAL

(6)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Xangai – o centro financeiro da China

Xangai é a segunda maior cidade da China. Nos últimos 20 anos desde a aplicação da reforma e abertura, Xangai conheceu grande desenvolvimento económico.

Há 14 anos consecutivos que regista um crescimento do seu

Produto Interno Bruto (PIB) superior a 10%.

É notória a sua importância no desenvolvimento da economia chinesa, sendo considerado o seu centro industrial, comercial e financeiro.

(7)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Xangai – Desenvolvimento Económico

Xangai gera:

• 8,3% da produção industrial da China • 10% do volume de trocas nos portos • 25% das trocas comerciais da China • 12,5% do PIB da China

(8)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Xangai – o centro financeiro da China

O posicionamento estratégico da cidade está centrado na

• indústria de alta tecnologia,

•aposta numa economia orientada para o estrangeiro, •sector terciário e

•incentivo ao Investimento Directo Estrangeiro (IDE) em 6 sectores de

actividade prioritários:

- tecnologias de informação, - produção automóvel,

- produtos petroquímicos e químicos finos, - produtos de aço,

- equipamentos de série completos e - produtos bio-farmacêuticos.

(9)

Estrat

(10)

Apresenta

Apresenta

ç

ç

ão

ão

Sectores de Oportunidade

Sectores de Oportunidade --

Principais Feiras em 2011

Principais Feiras em 2011

Estratégia de negócio na representação de produtos portugueses

:: união de produtores / exportadores / traders ::

InterTextile Beijing (China International Trade Fair for Apparel Fabrics and Accessories) | 30 Março – 01 Abril | Pequim

Oil China | 18 – 20 Abril | XangaiSIAL China | 18 – 20 Maio | Xanghai

Existem muitas mais feiras em todo o território chinês e de áreas tão distintas como o calçado, componentes automóveis,

telecomunicações, agricultura, bens electrónicos, material de construção e muitas outras.

(11)

Sobriedade

Na Ásia, onde a China é referência, desde há milénios, o interesse do bem comum prevalece sobre a expressão individual. Trata-se de um princípio fulcral na sua cultura. Assim, a busca da harmonia social é uma constante:

ninguém deve gritar, humilhar, maltratar ou perder o controlo das suas emoções. Há momentos privilegiados na vida social para fomentar relacionamentos humanos harmoniosos, como as refeições ou o ritual da troca de presentes. Curiosamente, constitui excepção no cultivo da sobriedade, a forma sempre acalorada e, por vezes, agressiva, com que os chineses

discutem preços.

Estrat

(12)

Pontualidade

Os Chineses geralmente são muito pontuais, e esperam o mesmo de seus parceiros. Pontualidade é sinónimo de respeito pelo compromisso assumido. Cancelar uma reunião em cima da hora é interpretado como uma ofensa gravíssima.

Hierarquia

Na China atribui-se uma importância extrema à senioridade, à rede de contactos e ao estatuto que cada um tem na

organização. Para garantir o sucesso da missão empresarial, é fundamental ter a certeza que os representantes da sua empresa estão no mesmo nível hierárquico dos

interlocutores chineses.

Estrat

(13)

Cartões de visita

O cartão de visita é um instrumento de trabalho

indispensável, leve cartões em quantidade com tradução em mandarim.

Visto tratar-se de um país onde se cultiva a hierarquia, a cerimónia de troca de cartões segue algumas regras. O

cartão deverá ser observado com toda a atenção, segurando-se com as duas mãos e virado de modo a que o segurando-seu

interlocutor possa ler o seu nome (de preferência escrito em mandarim). Quando lhe entregarem um cartão de visita,

observe-o atentamente, pois este representa a pessoa que está à sua frente, e coloque-o em cima da mesa num local visível para futura referência e nunca no bolso. Para um

ocidental, o cartão é apenas um papel, mas para um chinês é um documento de extrema importância.

Estrat

(14)

Ofertas

Em ambiente de negócios, a troca de presentes é uma forma de demonstrar estima e respeito pela hierarquia. A troca ocorre geralmente durante um banquete, ou na reunião do último dia da visita. Deve-se evitar oferecer:

- livro, uma vez que na língua local o termo é muito parecido com a palavra «perder»;

- chapéus ou bonés de cor verde, pois é sinónimo de marido traído;

- relógios de parede, uma vez que significa “assistir um parente moribundo”;

- ofertas embrulhadas em papel branco, pois isto será

interpretado como sinal de luto. Recomenda-se a utilização dos tons vermelho ou dourado.

Como presente, sugere-se a oferta de produtos típicos

portugueses (vinho, azulejos, louça) e canetas. Evite oferecer apenas uma unidade.

Os presentes geralmente não são abertos na presença de quem os oferece. Deste modo, nenhum dos intervenientes

perde a face”, caso a oferta não seja do agrado.

Estrat

(15)

Guanxi

O “Guanxi” é uma expressão fundamental, que designa a complexa rede de relações indispensáveis ao funcionamento social, político e organizacional na China. No convívio com chineses há como que uma ‘«conta corrente» que deve estar sempre equilibrada. Se lhe dão um presente, deve retribuir; se o convidam, deve fazer o mesmo. Se pedir um favor, contrairá uma obrigação.

Estrat

(16)

Reuniões

Quando efectuar uma viagem de negócios à China, nunca o faça sozinho uma vez que os chineses negoceiam sempre em grupo e poderá ser

bastante útil ter um aliado na árdua tarefa da negociação.

Os orientais evitam dizer coisas desagradáveis ou negativas directamente, assim como demonstrar que não compreenderam

determinado assunto ou que não estão preparados. As perguntas directas são interpretadas como uma grave falta de respeito. Preferem responder indirectamente, utilizando expressões como: “Vou ver o que posso

fazer…”; ”Vou fazer o meu melhor…”; “Vou pensar no assunto…”; “Não sei se vai ser possível…”. Esta forma subentendida de expressar o “não” nunca fecha portas, permitindo sempre retomar o assunto quando for mais oportuno. É de extrema importância saber dominar também a técnica de dizer “não” de modo implícito e nunca forçar um chinês a responder “não”.

Assinar um contrato, significa apenas que se estabeleceu um relacionamento pessoal entre ambas as partes, as verdadeiras negociações começam a seguir.

Estrat

(17)
(18)

Expo Xangai 2010

O Centro de Negócios do Pavilhão de Portugal, cuja promoção foi

realizada com a colaboração da AICEP em Portugal e na China,

assumiu-se como uma plataforma de informação e de divulgação de

marcas e empresas portuguesas para um público especializado

chinês.

Ao longo dos

6 meses

da Exposição Mundial, foram realizadas

14 acções

de promoção, com a duração total de 40 dias.

Aproximadamente

1.150 convidados

estiveram presentes nos

diferentes seminários e 50.000 pessoas visitaram a exposição de

Design.

(19)

Expo Xangai 2010

Estas actividades e números significativos dinamizaram a vinda de

missões empresariais portuguesas que tiveram como principal

objectivo captar o interesse de empresas locais para possíveis

parcerias ou negócios futuros. Na totalidade, estiveram presentes

138 representantes de empresas e instituições

portuguesas, 2 Ministros e 3 Secretários de Estado.

Casos de Sucesso:

- TTT (Torre Turística Sustentável)

- Mobi E. (carro eléctrico)

(20)

Expo Xangai 2010

As Semanas Temáticas que proporcionaram novas oportunidades de negócio:

Semana das Energias Renováveis

Missão Empresarial AICEP/AIP

Seminário Mobi E.

Missão Empresarial “Sines – A Porta Atlântica da Europa”

Seminário “Edifícios Sustentáveis, Cidades Inteligentes”

Exposição de Design

Apresentações dst/Aquapor

Semana dos Recursos Florestais

Semana do Turismo

Acção Invest Lisboa

Seminário Parque Expo “Reinventar o território em Portugal e no Mundo”

Semana “Geological Resources for Society”

Semana BES Inovação

(21)

aicep Portugal Global,

um parceiro

(22)

Na China, um Centro de Negócios com 3 Representações

Filipe Costa

Consulate General of Portugal – Economic Section

16th floor, Crystal Century Tower, Nr. 567 Wei Hai Road - Shanghai 200041 T: + 86 21 62886767 mail: aicep.shanghai@portugalglobal.pt

XANGAI XANGAI

Mariana Oom

Consulado Geral de Portugal em Macau

R. Pedro Nolasco da Silva, 45-2º – Macau SAR (PR China)

T.: +853 2872 83 00/1 F.: +853 2872 83 03 aicep.macau@portugalglobal.pt

MACAU/HONG KONG MACAU/HONG KONG

Miguel Ataíde Coelho

AICEP Portugal Global – Seccao Economica da Embaixada de Portugal em Pequim 8, San Li Tun Dong Wu Jie – Beijing 100600 - PR China

T.: +86 10 6532 0401 (Ext.29) F: +86 10 6532 6746 mail: aicep.beijing@portugalglobal.pt

PEQUIM PEQUIM

(23)

www.portugalglobal.pt

Imagem

Referências

temas relacionados :