Primeiro mês de 2015 mantém ritmo de 2014 com a concretização de 60 transações.

Texto

(1)
(2)

337

415 389

573

722

645 644

799

752 771 812

879

32 17 35 33 42 59 38 63 56 58 53 60 60

2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Jan-Dez Janeiro

Ainda com incertezas sobre o que 2015 prepara para o mercado de fusões e aquisições, nos deparamos 60 transações concretizadas no mês de janeiro, número exatamente igual ao mesmo período do ano passadoano passado de 2014 do mesmo período, porém, número 5,7% acima da média do mesmo período nos anos de 2011 a 2014.

Primeiro mês de 2015 mantém ritmo de 2014 com a concretização de 60 transações.

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Janeiro 2015 2

Média de 58 transações em janeiro

Média de 51 transações em janeiro

Média de 29 transações em janeiro

(3)

Transações

0 20 40 60 80 100

Número de transações por mês- jan/10 a jan/15 32

17

35 33

42

59

38

63

56 58

53

60 60

2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Transações dos meses de janeiro de outros anos (2003 a 2015)

janeiro

(4)

Região Sudeste inicia o ano de 2015 liderando o mercado de fusões e aquisições com 65% das transações no Brasil.

Nota: Não inclui acordos , joint-ventures e transações entre multinacionais.

Fonte: PwC.

Nordeste

2%

Norte

Centro- oeste

Sul

7%

10%

8%

SP 42%

RJ 15%

MG 8%

ES 0%

Com 39 transações anunciadas, equivalentes a 65% do total negociado no mês de janeiro no Brasil, a região Sudeste inicia 2015 com posição usual de liderança frente as demais regiões. Destaca-se que a participação da região Sudeste já atingiu os patamares de 75%, o que reforça o perfil de expansões multiregionais.

O Estado de São Paulo, que concentrou em 2014 o maior número de operações no mercado de Fusões e Aquisições, começou 2015 representando 42% das operações totais no Brasil.

Em segundo lugar, temos a região Sul, com 6 transações anunciadas para o período representando 10% do total de atividades que envolveu o Brasil.

Transações realizadas fora do país representam 8% da atividade total envolvendo ativos brasileiros em 2015.

Transações por região (jan) 2015

Janeiro 2015 4

65%

10%

8%

7%

2%

8%

Sudeste Sul Nordeste Centro-oeste Norte

Estrangeiros

(5)

Os investidores estrangeiros alteram perfil de investimentos no país e iniciam 2015 com participações em 57,1% das transações.

Número de negócios anunciados no período de janeiro de outros anos (2003-2015)*

* Não inclui Joint-Ventures , fusões e cisões

O perfil do mercado de fusões e aquisições no Brasil iniciou o ano de 2015 com uma reviravolta entre os

investidores nacionais e estrangeiros, onde até o ano passado, era representado em sua maioria por investimentos de origem nacional.

O ano de 2015 começou com 57,1% de investimentos vindos de fontes estrangeiras (o mesmo período de 2014 registrou 47%) contra 42,9% de origem nacional (53% para 2014).

21

6

15 14

18

37

19

36

29

25

30 31

24

5 3

11

14

17

13 13

17 19

22 22

27

32

2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Nacionais Estrangeiros

(6)

0 5 10 15 20 25 30 35 40 45

2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Aquisições Compras Joint ventures Fusões

Incorporações Cisão

As aquisições de participação majoritária lideram a procura no mercado brasileiro de fusões e aquisições, com 56,7% do total de transações anunciadas.

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

6

Tipos de transação Total

Aquisições 34

Compras 22

Joint Ventures - Incorporações -

Fusões 4

Cisões -

Evolução das modalidades de transações no período de janeiro de anos anteriores(2003 a 2015) 56,7%

36,7%

6,7%

Tipos de transação

Aquisições

Compras

Fusão

Janeiro 2015

(7)

25%

8%

6%

7% 7%

7%

5%

5%

5%

25%

TI Bancos

Mineração Quím/Petroquím

Mecânica Serviços de saúde Alimentos Serv.Auxiliares

Varejo Outros

O primeiro mês de 2015, mostrou continuidade na liderança do setor de TI no mercado de fusões e aquisições com 15

transações anunciadas (em 2014 foram 141 transações anunciadas).

Em segundo lugar, temos o segmento financeiro com 5 negócios concretizados que também mostrou ao longo de 2014 uma forte presença no mercado de fusões e aquisições.

Ocupando a terceira posição, temos o setor de mineração, químico, mecânico e serviços de saúde com 4 transações, seguida pelo setor alimentício e serviços auxiliares com 3 negócios.

Setores menos expressivos (tais como educação, logística, transporte, têxtil, entre outros) somam 15 transações.

Continuando o perfil de liderança estabelecido ao longo de 2014, o setor de TI possui participação de 25% do mercado total de fusões e aquisições no Brasil, com 15 negócios anunciados.

Top 5 setores (2014-2015) Participação dos setores em F&A Brasil

3 5 2

4

11

4 4 4

5

15

0 5 10 15

Mecânica Mineração Quím/Petroquím Bancos TI

2015 2014

(8)

Exemplos de transações - Top 5 setores

1º - TI

•A Rocket Internet e outros investidores privados realizaram um aporte na Tripda pelo valor de US$ 11 milhões de dólares;

•A Safebus e a GPS Conecta, realizaram uma fusão, formando o que, de acordo com as empresas, a maior empresa de sistemas de rastreamento de ônibus do país.

2º - Banco

•A Valid Soluções realizou a aquisição de todos os ativos da Card Cells, pelo valor de US$ 8,3 milhões de dólares;

•A Access Microfinance Holding realizou a aquisição Accion Microfinanças, sem valores anunciados.

3º - Químico

•A Allnex realizou a aquisição da Águia Química, sem valores anunciados;

•A Sweet Hair e a All Ore, realizaram uma fusão, passando a se chamar Sweet Hair Cosméticos.

4º - Mineração

•A Clariant realizou a aquisição dos 50% restantes da empresa brasileira CBB, sem valores anunciados;

•A PetroRio realizou a aquisição de 80% dos Campos de Bijupirá e Salema com a Shell Brasil, pelo valor total de US$ 150 milhões de dólares.

5º - Serv. De Saúde

•A Amilpar realizou a compra do Hospital Maternidade Promater, sem valores anunciados;

•A DG Participações, Unifocus e PreviQuali realizaram uma fusão.

Janeiro 2015 Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

8

(9)

57%

43%

Origem do investimento de PE janeiro 2015

Nacionais Estrangeiros

Private Equity

Investidores financeiros estiveram presentes em 40%

das transações anunciadas no período com 28 participações em transações.

Em comparação ao mesmo período em anos anteriores, nota- se um aumento notável, por parte dos investimentos desta natureza (17% em janeiro de 2014 – 10 transações).

Do total de participações de fundos de private equity,

57%

são de fundos

nacionais e 43% de fundos estrangeiros Finalizando o mês de janeiro com 28

participações em transações.

(10)

O fundo de investimento Verus Group, realizou um aporte na startup brasileira Cuponeria, pelo valor de R$ 800 mil reais;

A Keywords Studios realizou a aquisição da empresa brasileira Reverb Localização, por 300 mil euros;

A Azimut realizou a aquisição da LFI Investimentos,

adquirindo 50% da empresa pelo valor de R$ 8,5 milhões de reais;

O fundo Criatec II realizou um aporte no valor de até R$ 2,5 milhões de reais para a empresa Siteware e para a HTP Solution;

A Alupar Investimentos realizou a aquisição de 50,2% do capital social da ECTE pelo valor de R$ 4,2 milhões de reais;

O fundo Valor Capital Group realizou um aporte no aplicativo Sontra Cargo pelo valor total de R$ 5 milhões de reais;

Um investidor privado brasileiro e a Sequoia Capital

realizaram um aporte na startup de Cingapura 99.co pelo valor de S$ 2.7 milhões de dólares de Cingapura;

Investidores privados da Argentina realizaram a aquisição da Jefferson Sudamericana e suas filiais pelo valor total de US$

5,7 milhões de dólares;

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

A Anheuser-Busch Inbev, realizou a aquisição da Elysian Brewing Co., de Seattle, sem valores anunciados;

A Primetek realizou a aquisição da CTIS Digital, sem valores anunciados;

A Performa Investimentos realizou um aporte na sStoks, sem valores anunciados;

A Arcil SA realizou a aquisição da empresa brasileira Dinieper sem valores anunciados;

A Intuit realizou a aquisição da startup ZeroPaper, sem valores anunciados;

A SGS realizou a aquisição da Cronolab Referências em Análises Químicas e da Air Services, sem valores anunciados;

A Toyota Tsusho realizou a aquisição da NovaAgri, sem valores anunciados;

O braço televisivo da Warner, a Turner Broadcasting Company, realizou a aquisição da emissora Esporte Interativo, sem valores anunciados;

A Redpoint e.Ventures liderou uma rodada de investimentos para a startup brasileira Sophie & Juliete, sem valores anunciados.

Transações de janeiro

10 Janeiro 2015

(11)

Aquisição de participações controladoras são aquelas em que o comprador obtém, na transação, o controle da empresa. Enquadram-se nesta categoria as transações de compra de 100% das ações, de uma

participação majoritária (maior do que 50%, mesmo que por apenas uma ação), participações adicionais que

transferem o controle para o comprador (por exemplo, um acionista que já possui 30% ao comprar uma participação adicional de 21%), ou qualquer outra transação em que fique explícito que o controle foi transferido para o comprador.

Compra de participações não-controladoras são aquelas em que o controle da empresa não é transferido junto com as ações - tipicamente, são transações menores do que 50% do capital.

Joint venture caracteriza-se por ser um empreendimento de dois ou mais sócios em uma nova empresa, sendo que os sócios continuam a existir com suas operações

independentes. É diferente de um acordo comercial (uma representação, por exemplo), em que não existe a criação de uma nova empresa.

Fusão é quando duas empresas juntam suas operações e deixam de existir isoladamente, dando origem a uma terceira nova empresa.

Incorporação acontece quando uma empresa absorve as operações de outra, que deixa de existir.

Cisão é o tipo de transação em que uma empresa é dividida, surgindo daí uma outra empresa. É caso das empresas que querem separar os negócios em unidades independentes.

Definições aplicadas neste relatório na categorização de uma transação

(12)

Imagem

Referências

temas relacionados :