Pisos salariais definidos em 2012 têm ganho superior à inflação

Texto

(1)

Pisos salariais definidos em 2012 têm ganho superior à inflação

A quase totalidade dos acordos trabalhistas assinados no ano passado produziu ganhos reais para os pisos salariais, informa balanço do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgado nesta quinta-feira (25).

Segundo a pesquisa, que leva em conta as negociações registradas no Sistema de Acompanhamento de Salários (SAS) do Departamento, 98% dos 696 reajustes ficaram acima da inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O levantamento informa que as faixas de aumento entre 8,01% e 9% e de 2,01% a 3% foram as de maior destaque, representando 14,4% e 13,5% das negociações, respectivamente. Mesmo os acordos que produziram reajustes abaixo da inflação ficaram próximo ao INPC, com percentual entre 0,01% e 1% inferior ao índice, assinala o documento.

Em relação aos valores definidos para os pisos, 7%

correspondiam ao salário mínimo vigente no período, de R$ 622.

Na comparação com 2011, houve leve acréscimo desse percentual:

cerca de 6% das unidades de negociação definiam o salário mínimo como piso. A maior parte (50%) dos pisos no ano passado correspondeu a até R$ 729,90 e 25% tinham valor de até R$

664,50. O valor médio dos pisos analisados ficou em R$ 808,89.

Em 2012, o salário mínimo necessário calculado pelo Dieese variou de R$ 2.295,58, em março, para R$ 2.617,33, em outubro.

O valor médio anual ficou em R$ 2.463,80. Na comparação com o valor do salário mínimo, o valor definido pelo departamento variou de 3,69 a 4,21 vezes o seu valor. A média anual ficou em 3,96 salários mínimos.

(2)

Da Agência Brasil

PROCERGS – Relato da reunião entre CT, Sindppd/RS e direção da empresa

Colegas da PROCERGS,

A CT e o Sindppd/RS estiveram em reunião com a direção da PROCERGS (CRTS) na sexta-feira passada (19/07), tratando de assuntos referentes ao corpo funcional da empresa. Como a divulgação da ata de reunião fica vinculada à assinatura por parte da empresa, o que normalmente tem demorado, enviamos a seguir um relato para antecipar as informações.

Em relação aos reajustes de benefícios, a nossa representação entregou à empresa as pesquisas com os índices necessários para recomposição dos valores em 2013: tíquete 14,99% e vale- rancho, 17,45%. Os valores praticados atualmente pelas creches também necessitam de reajustes acima dos 6,97 % determinados pelo INPC do período. Nessas questões foi enfatizado que o INPC não repõe o valor desgastado pela inflação no período nesses benefícios, e que deixar para negociar em 2014 aumentará consideravelmente a diferença, sendo logicamente muito mais difícil a recuperação. A empresa ficou de avaliar e validar as pesquisas, para continuar o debate sobre as mesmas.

Outro assunto tratado foi sobre o dia 11/07/2013, dia das mobilizações de Greve Geral definido pelas principais centrais de trabalhadores de todo o Brasil. Solicitamos à empresa o não

(3)

desconto dos trabalhadores deste dia. A empresa manifestou ter orientado as gerências e chefias a abonar o ponto para compensações futuras, não havendo o desconto em pecúnia. A compensação desse dia não teria limites de prazo e casos excepcionais seriam avaliados.

Quando perguntada pelo PCCS, a empresa informou ter feito várias simulações com a folha, e que todas deram acima dos 3%

necessários para reenquadramentos. Também informou que o assessoramento da PGE, SRH e Codipe resultou em algumas orientações importantes, a saber:

Não será um novo PCCS e sim a REESTRUTURAÇÃO do atual. Segundo a empresa, serão reduzidas letras e unificadas algumas carreiras; os TO´S não poderão migrar para nível superior por questões legais e cursos de nível fundamental deverão ser c o l o c a d o s e m e x t i n ç ã o n a e m p r e s a , p o r o r i e n t a ç ã o governamental. Outra questão seria a unificação de valores de promoção (antiguidade e mérito) e a retirada de barreiras de progressão nas carreiras existentes em alguns cargos.

A CT e o Sindppd/RS reforçaram a necessidade dos trabalhadores conhecerem a proposta antes de qualquer trâmite, uma vez que são eles os principais interessados. A PROCERGS manifestou que em torno de dois meses deverá finalizar esses ajustes para apresentar aos trabalhadores e as suas representações.

A reunião encerrou com indicativo de novo encontro entre 31/07 e 01/08 para prosseguir com a pauta, que ainda tem como assuntos o orçamento de 2014, PPCI e UNIMED, entre outras pendências importantes dos trabalhadores.

Em relação ao PCCS, a CT e o Sindppd/RS manifestam entendimento de que um novo PCCS é objeto de cláusula do acordo coletivo, em que consta que seu atendimento passa por um trabalho paritário empresa x trabalhadores. Também entendem que sua aprovação depende de decisão de assembleia dos trabalhadores. Antes de qualquer coisa, devemos ter

(4)

conhecimento do que a empresa pretende e colocar para apreciação de todos.

CT e Sindppd/RS

SERPRO E DATAPREV 2013/2014 – No Serpro, trabalhadores paralisaram na manhã dessa quarta-feira

Atividade nacional foi convocada pelos sindicatos e OLTs que constroem a FNI (Frente Nacional dos Trabalhadores em Informática) e pelo Sindpd/PE. No Rio de Grande do Sul, os trabalhadores da regional ficaram parados praticamente durante toda a manhã.

Desde às 7h, colegas do Serpro, PSEs e diretores do Sindppd/RS se concentraram em frente à empresa em Porto Alegre. À medida que os trabalhadores iam chegando, já se serviam de café, leite quente e, mais tarde, de quentão sem álcool, para se esquentarem.

(5)

Em torno das 10h30min, iniciou a assembleia para avaliação do quadro nacional de paralisação e deliberação sobre a continuidade ou não da mobilização. Foi repassado o informe de que a direção do Serpro havia solicitado a transferência da mesa de negociação com a Fenadados, que ocorreria durante a manhã em Brasília, para às 14h. Os representantes da FNI que foram à capital para tentar participar da mesa estavam reunidos com a federação, a fim de tratar sobre a participação deles na negociação com a direção do Serpro.

O diretor do Sindppd/RS, Luís Sá, também repassou aos trabalhadores a informação de que as regionais de Pernambuco e de Santa Catarina estavam paralisadas por 24h. Na Bahia e no Paraná, prosseguia o indicativo de 2h de paralisação.

Após um breve debate, os trabalhadores da regional gaúcha decidiram, por ampla maioria, voltar ao trabalho. O objetivo é não se desgastar, já que poucas regionais conseguiram

(6)

paralisar nessa quarta-feira, e juntar mais forças para as próximas atividades da campanha salarial.

Considerando as baixas temperaturas que se manterão nesta quinta-feira e o retorno da representação do Sindppd/RS que esteve presente em Brasília, estamos encaminhando a realização de nova assembleia para a SEXTA-FEIRA, dia 26/7, às 14h, para que sejam repassadas informações sobre as tratativas com a Fenadados dessa quarta-feira, e se debata os próximos passos da campanha.

Portanto colega, nesta SEXTA-FEIRA (26/7), às 14h, tem nova

(7)

assembleia em frente à regional do Serpro. Já vai te organizando! Ajude a divulgar!

E venha participar!

Sindppd/RS

SERPRO E DATAPREV 2013/2014 – Campanha Salarial na Dataprev: Podemos Conquistar Mais!

O país vive um momento diferente. Grandes mobilizações tomaram as ruas a partir de junho, seja com as mobilizações da juventude contra os aumentos das passagens de ônibus e outras pautas, seja com as paralisações de trabalhadores de várias categorias no último dia 11 de julho. A popularidade dos governos antes em alta, agora despencou. A economia dá sinais de que não vai melhorar, aumentando as cobranças e o desgaste dos governantes e seus agentes nas direções das empresas.

A Fenadados, diante dessa realidade, poupa a empresa e o governo, além de torcer para que nada fuja do seu controle.

Como já é costumeiro, propõe mobilizações sem qualquer organização pela base, não levando em consideração a disposição dos trabalhadores. Um exemplo disso foi o indicativo de paralisação de 24 horas no último dia 10/07, quando na maioria dos estados, existia disposição para uma paralisação de 2 horas naquele momento. Outra facilidade criada para a direção da empresa é a pauta de reivindicações, limitada às cláusulas econômicas. Não foi incluída nem a estabilidade no emprego para os trabalhadores da Dataprev, que continuam sofrendo com o terrorismo praticado pelo Sr. Rodrigo Assumpção ao longo dos últimos anos.

(8)

Mas os trabalhadores da Dataprev têm trajetória de luta, a exemplo da última greve em 2011, e é dessa capacidade que a direção da empresa tanto teme. Em 2013 se repetiram as demissões imotivadas em algumas regionais e, agora, a empresa apresenta uma proposta com 1% de ganho real na tabela do PCS, na esperança de que os trabalhadores não se mobilizem. Mas os trabalhadores sabem que é possível conquistar mais e que esta proposta não está à altura dos ganhos que dão à empresa.

A Dataprev é destaque dentro do setor de TI que já cresce muito acima da média da economia nacional. No ano passado, a economia brasileira cresceu 0,9%, enquanto o setor de TI cresceu 10,8%. Dentro desse contexto, a Dataprev ganhou o prêmio como a segunda melhor indústria digital do ano, no especial Melhores e Maiores 2012 da Revista Exame. Em 2013 a perspectiva econômica da empresa não é diferente. O faturamento projetado é de R$ 1,257 bi e os investimentos em infraestrutura estão programados em R$ 230 milhões.

Por que nesse cenário econômico da empresa, ela só apresenta 1% de ganho real no salário e no adicional de atividade? Por que se contentar com 6,49% no tíquete se o custo com alimentação subiu 13,99% para a data-base de maio, segundo o apurado pelo IPCA? Por que distribuir somente pouco mais de 6%

do lucro líquido no PLR? Por que aceitar um PCS em que não são pagas as promoções por antiguidade, mas uns poucos escolhidos a dedo recebem a promoção por mérito? Não é hora de reduzir a jornada de trabalho? Até quando vamos conviver com demissões imotivadas?

Está mais do que na hora de voltarmos a transformar a indignação em ação. É o que a direção da empresa, que representa o governo federal dentro da Dataprev, mais teme neste momento. É hora de exigirmos tudo aquilo que nos é de direito. Podemos e devemos!

Estabilidade no emprego já!

Aumento real salários de verdade!

Texto retirado do BLOG da FNI

(9)

SERPRO E DATAPREV 2013/2014 – No RS, trabalhadores aprovam paralisação de 24h na próxima quarta-feira (24/7)

Em assembleia realizada na congelante tarde de sexta-feira (19/7), em Porto Alegre, cerca de 65 trabalhadores do Serpro decidiram pela paralisação de 24h na próxima quarta-feira, dia 24 de Julho. Trabalhadores de Santa Catarina e de Pernambuco já deliberaram essa paralisação. Na semana que vem, acontecerá assembleia na BA e no PA; outros estados estão buscando a marcação de assembleia.

No encontro de hoje à tarde, os trabalhadores gaúchos debateram bastante a campanha salarial. Ao mesmo tempo em que sabem que somente com mobilização é que teremos avanços, também se mostraram preocupados com a falta de participação de alguns estados devido à inoperância de vários sindicatos ligados à Fenadados – e também por desconfiança desses trabalhadores, que enxergam que a federação está, mais uma vez, capitulando aos interesses da direção do Serpro e do governo federal.

A OLT e representantes do Sindppd/RS apontaram que é inadmissível que em Brasília, onde estão lotados mais de 1 mil

(10)

trabalhadores do Serpro, o sindicato, ligado à Fenadados, não chamou NENHUMA assembleia até hoje – passados quase 3 meses da data-base da nossa categoria. Mesmo assim, com todas as dificuldades, a OLT de Brasília tem organizado manifestações.

Também foi lembrado que no Rio de Janeiro, outro importante estado para o Serpro e a Dataprev, ocorrerá a eleição para a nova gestão do sindicato, portanto a oportunidade para os trabalhadores colocarem gente de luta na entidade.

Surgiram várias propostas de como seria a paralisação: alguns colegas, propondo paralisar por 2 horas; outros, sugerindo parar 4 horas. Também tiveram colegas que defenderam manter as 24h de paralisação, afirmando que este é o momento de pressionar para se ter avanços na campanha salarial. É uma forma, ainda, de fortalecer os estados que já convocaram as mobilizações e incentivar os colegas dos demais estados a se organizarem e furarem o bloqueio da Fenadados.

Após o debate foi construída, por consenso, uma única proposta de paralisação de 24h no dia 24/7, com a realização de uma assembleia a partir ainda pela manhã. Nela, os trabalhadores deliberarão sobre a continuidade da paralisação, para o restante do dia.

Em votação, por ampla maioria, os trabalhadores decidiram por paralisar na quarta-feira (24/7) e, às 10h, realizar uma assembleia em frente à empresa, a fim de avaliar o quadro nacional de mobilizações e a continuidade da paralisação e

(11)

também sobre os próximos passos.

Movimento dos trabalhadores é construção coletiva! Venha para a paralisação na quarta-feira!

OLT Serpro/RS e Sindppd/RS

SERPRO – Assembleia da Campanha Salarial na SEXTA- FEIRA ( 19/07). Participe!

Colegas do Serpro,

Estamos convocando assembleia para SEXTA-FEIRA (19/07), às 14h em frente ao Serpro, para tratar da campanha salarial 2013.

Trataremos sobre fatos novos relacionados aos planos de cargo do Serpro e outros temas importantes, além da continuidade das mobilizações em nível nacional. No dia 11/07, fizemos uma forte mobilização e precisamos dar continuidade.

CLIQUE AQUI para ver o edital de convocação da assembleia

A hora é de unidade e mobilização de todos os trabalhadores. O Sindppd/RS e a OLT convidam a tod@s a se fazerem presentes na assembleia desta sexta-feira.

Participe!

Sindppd/RS

(12)

Sindnet: Justiça confirma suspensão de deliberações da assembleia que criava outro sindicato de TI no RS

O Mandado de Segurança que havia sido concedido a nosso favor às vésperas da assembleia de 28/02/2013, foi julgado pela Seção de Dissídios Individuais-SDI do Tribunal Regional do Trabalho no dia 28/06/2013 e teve confirmado seus efeitos, pelo placar de 6 votos a um. De acordo com este julgamento, fica mantida a decisão anterior, reproduzida abaixo:

….

“decido por deferir o pedido liminar sucessivo, determinando, até a sentença de mérito no processo principal, a suspensão dos efeitos decorrentes da deliberação a ser tomada pela impetrada na assembleia convocada para o dia 28/02/2013, às 15h, em tudo que possa atingir, direta ou indiretamente, o sindicato impetrante e a categoria por ele representada, com expedição de ofícios aos Cartórios de Registro de Pessoas Jurídicas de Porto Alegre, Ministério do Trabalho e Emprego e Secretaria de Relações do Trabalho a fim de que se abstenham de realizar o registro do sindicato que a impetrada pretenda registrar.”

….

Agora resta-nos aguardar os desdobramentos do processo principal, em que será julgada definitivamente a questão, e esperamos que estes ataques à entidade e aos trabalhadores sejam barrados.

(13)

Lembre do caso

No início deste ano, empresários e sindicalistas pelegos articulados pela Feittinf e pelo Sindpd/SP se uniram para criar outro sindicato de TI (Tecnologia da Informação) no RS:

o Sindnet. Foi convocada uma assembleia no dia 28 de Fevereiro, para aprovar a fundação desse novo sindicato, que pretendia representar os profissionais ligados a provedores de acesso à Internet, serviços de VoIP e treinamento e capacitação, entre outros.

A assembleia foi marcada por diversas irregularidades, como o fato de a organização não ter permitido a entrada de cerca de 70 trabalhadores da TI que estavam no local. Na verdade, o objetivo real desse grupo é dividir a categoria de TI do RS.

Link das notícias anteriores:

http://www.sindppd-rs.org.br/noticias/geral/2599-trabalhadores - d e - t i - s a o - i m p e d i d o s - p e l a - f e i t t i n f - d e - p a r t -

cipar-de-assembleia-na-capital

http://www.sindppd-rs.org.br/noticias/geral/2617-sindnet-sindi calistas-qpelegosq-apoiados-pelos-empresarios-tentam-de- rubar-liminar-do-sindppdrs

Sindppd/RS

DIA DE LUTA NACIONAL – Greve

geral para Porto Alegre e

(14)

várias cidades do interior do estado

Foi a maior mobilização no estado nos últimos 30 anos, superando outras greves gerais.

DIA DE LUTA NACIONAL – Nada

será como antes no Serpro

(15)

após 11 de Julho

Brasília

Os trabalhadores do Serpro, em nível nacional, fizeram importantes paralisações nessa quinta-feira (11/7). No RS, SC, BA, PA e PE pararam por 24h. Também ocorreram mobilizações de 2 horas em SP, Brasília, CE e PR.

E m P o r t o A l e g r e , a s s i m c o m o e m v á r i a s c i d a d e s , o s trabalhadores paralisados nem apareceram na frente das regionais por conta das dificuldades no transporte. No interior do RS, teve manifestação dos colegas do Chuí.

Funcionários que participavam de pós em Porto Alegre apoiaram a manifestação

A reunião entre a Fenadados e o Serpro, mais uma vez, foi conversa de uma nota só. Não existe nenhuma explicação para

(16)

suspender por 13 dias uma mesa de negociação – somado ao fato da suspensão do comando, sem tirar nenhum tipo de mobilização.

Reforçar a unidade e nova mobilização de 24h são possíveis com a presença de mais estados

A regional de Santa Catarina (SC) já tem um novo indicativo de paralisação de 24h para o dia 24/07. Essa data permite que outros estados se organizem e entrem na luta. É importante compreender que o próximo passo dependerá da adesão de novos estados, além dos cinco que paralisaram por um dia em dia em 11 de Julho. A resposta dos trabalhadores, OLTs e sindicatos que querem avanços é de organizar nova mobilização.

Cartazes em Brasília: “Este sindicato não me representa”

Trégua ao Serpro após 70 dias de campanha salarial é inaceitável

Decorridos 70 dias desde o 1º de Maio, dar ao Serpro mais 13 dias de trégua é um verdadeiro absurdo. Essa atitude dos

(17)

dirigentes da Fenadados tem somente um sentido: desmobilizar quem já furou o bloqueio e não quer mais saber de entreguismo.

Não vamos deixar que continuem tentando desmoralizar os trabalhadores, depois de termos chegado à paralisação de 24h em cinco estados. Fazemos um chamado aos colegas de SP, MG, RJ e Brasília para realizar assembleia e deliberar por se juntar aos outros estados em luta.

Dia nacional de greve parou boa parte do Brasil

É necessário fazer referência ao grande dia de paralisação nacional que tomou conta do país nessa quinta-feira. A questão salarial, a aposentadoria e a jornada de 40h semanais, além da questão do transporte público, foram as principais bandeiras da greve. É muito importante que compreendamos que somos parte da classe trabalhadora brasileira e, se uma categoria ganha, abre espaço para que outras também tenham conquistas – assim como se uma perde, cria riscos para todos.

Em Porto Alegre e no RS foi a maior greve em trinta anos. A luta foi forte também em capitais como Salvador, Belo Horizonte, Curitiba, São Paulo, Recife, Belém, além de outras cidades. A luta não vai parar por aqui. Governo Dilma, governadores, prefeitos e empresários, saibam que as mobilizações irão continuar até que as reivindicações sejam atendidas.

Sindicatos e OLTs que organizam a FNI

DIA DE LUTA NACIONAL –

(18)

Concentração para ato será a partir das 13h, no Largo Zumbi dos Palmares

Colegas da TI,

amanhã, 11 de Julho, Dia Nacional de Greve, o Sindppd/RS estará organizando desde cedo da manhã, juntamente com as OLTs e comissões de trabalhadores, as atividades nas empresas da categoria em Porto Alegre.

Aos trabalhadores (setores público e privado) reforçamos a se concentrarem a partir das 13h no Largo Zumbi dos Palmares (antigo Largo da Epatur), na Perimetral. De lá, sairemos em caminhada para o Largo Glênio Peres, onde às 16h acontece o ato unificado das centrais sindicais.

As principais reivindicações dos trabalhadores neste dia de greves e paralisações são:

– Jornada de 40h semanais

– Aumento real nos salários e benefícios

– Planos de Cargos que garantam avanços e evolução funcional – Reduzir o preço e melhorar a qualidade dos transportes coletivos

– Fim do fator previdenciário e aumento do valor das aposentadorias

– Contra o PL 4330, da terceirização – Basta de corrupção

Agora é a vez dos trabalhadores organizados levarem para as ruas as suas reivindicações!

#VempraruaTI!

Sindppd/RS

Imagem

temas relacionados :