BULLYING: DESAFIOS ENCONTRADOS PELAS ESCOLAS

Texto

(1)

ALVES, Emanuelly Moreira 1 DARÉ, Elaine Aparecida de Oliveira Campos 2

LOPES, Dayane Mariano 3 VIANA, Luciene da Silva 4

INTRODUÇÃO

O Bullying vem crescendo nas escolas, envolvendo cada vez mais crianças de diferentes formas. É relevante pesquisar quais as consequências que essas práticas podem ocasionar tanto nas vítimas, quanto nos agressores, tendo dentre elas o abandono escolar, queda de rendimento, problemas de saúde e em casos mais severos, o suicídio. Com essa pesquisa poderemos proporcionar novas perspectivas acerca do tema, para que as escolas possam se conscientizar, tratar e trabalhar esse problema que geralmente se inicia no ambiente escolar.

Para isso, iremos utilizar como base teórica os seguintes autores Ana Beatriz Barbosa (2010), autora do livro “Bullying: mentes perigosas nas escolas”, Sônia Maria de Souza, autora do livro “Bullying e suas implicações no Ambiente Escolar”, Cleo Fante, educadora e autora do livro “Fenômeno bullying: Como prevenir a violência nas escolas e educar para paz” dentre outros que retratam com muita enfâse o assunto a ser pesquisado.

Assim, este trabalho pretende relatar as causas e as consequências do bullying no ambiente escolar, também como os problemas acarretados pela prática do mesmo nas escolas, tendo como referência a E.E.E.F Dona Maria Santana, situada no município de Cachoeiro de Itapemirim. Sabendo-se que esse fenômeno é caracterizado por agressões físicas e verbais sendo feitas de formas intencionais por parte do agressor, de maneira individual ou em grupo, atingindo um ou mais colegas.

Na maioria das vezes o agressor prática esse ato para se sentir bem com si mesmo, para ser mais popular ou ser temido pelos outros colegas. Também pode ser devido ao meio em que está inserido, pois se o ambiente em que vive for desrespeitoso, com muitas brigas, logo ele passará de vítima como é em seu lar, para agressor na

1 Graduanda do Curso de Pedagogia do Centro Universitário São Camilo-ES – elaineaparecida.eadoc@gmail.com;

2 Graduanda do Curso de Pedagogia do Centro Universitário São Camilo-ES – manu.moreiraalves95@hotmail.com;

3 Graduanda do Curso de Pedagogia do Centro Universitário São Camilo-ES – dayaneshalonadonai@hotmail.com;

4 Professor Orientador: Mestre em Engenharia e Desenvolvimento sustentável-UFES – luciene.s.viana@gmail.com.

(2)

escola. Cometendo a violência ao colega por causa da pressão que é lhe causada, ou pelo tamanho, aparência, questões de gêneros e pelo colega não agir da mesma maneira que os demais alunos.

O bullying na maioria das vezes ocorre dentro das escolas, mas também pode ocorrer no trabalho, vizinhança, família e nas universidades. E como diz Cleo Fante

“É uma das formas de violência que mais cresce no mundo”. Diante dessa afirmação, é nítido a importância da escola trabalhar sobre tal assunto no ambiente escolar. Então essa pesquisa científica justifica-se em mostrar para a comunidade acadêmica os aspectos que englobam o bullying, entre eles o ambiente familiar, escolar, as vítimas e os agressores.

METODOLOGIA

A metodologia usada foi uma revisão bibliográfica sobre o tema central utilizando de forma exploratória e descritiva as experiências adquiridas durante o Curso, onde a observação e a prática do Estágio Curricular foram essenciais para o desenvolvimento desse estudo.

Este tipo de pesquisa visa identificar os pressupostos, que o autor utiliza como fundamento de sua argumentação estabelecendo relações com outros conhecimentos, o que significa conferir um alcance mais amplo aos resultados obtidos com a leitura analítica (GIL, 2008). Na revisão bibliográfica apresentam-se os autores Ana Beatriz Barbosa Silva (2010), Cleo Fante (2005) e Sônia Maria de Souza Pereira (2009), entre outros renomados autores, além de consulta em livros e periódicos indexados na base de dados do Google Acadêmico e Scielo, a fim de trazer fundamentação científica às discussões realizadas sobre a o tema central.

Está em desenvolvimento uma pesquisa de campo na E.E.E.F ”Dona Maria Santana”, por meio de questionário para maior entendimento das consequências que o bullying pode causar.

DISCUSSÃO

O bullying é um fenômeno que existe há muito tempo, discutido em vários países como Portugal, Noruega, Espanha e Estados Unidos, mas no Brasil só foi dado ênfase sobre este assunto no final do ano de 1990. E muitas pessoas ainda

(3)

desconhecem o significado desse termo e as consequências que este pode acarretar como a autora Ana Beatriz Barbosa, aborda que:

A palavra bullying ainda é pouco conhecida do grande público. De origem inglesa e sem tradução ainda no Brasil, é utilizada para qualificar comportamentos violentos no âmbito escolar, tanto de meninos quantos de meninas. Dentre esses comportamentos podemos destacar as agressões, os assédios e as ações desrespeitosas, todos realizados de maneira recorrente e intencional por parte dos agressores. É fundamental explicitar que as atitudes tomadas por um ou mais agressores contra um ou alguns estudantes, geralmente, não apresenta motivação específicas ou justificáveis. Isso significa dizer que, de forma quase “natural”, os mais fortes utilizam os mais frágeis como meros objetos de diversão, prazer e poder, com o intuito de maltratar, intimidar, humilhar e amedrontar suas vítimas. E isso, invariavelmente, sempre produz, alimenta e até perpetua muita dor e sofrimento nos vitimados. (SILVA, 2010, p.21)

Como Barbosa relata, este tipo de violência geralmente é cometida por aqueles ditos fortes para com os fracos, realizada de maneira física com socos, e pontapés e de maneira verbal, com insultos e fofocas, ferindo assim o emocional da vítima, acarretando a autoestima da criança e causando estresse. E ainda pode ser de forma indireta, onde a vítima é excluída dos grupos existentes dentro do âmbito escolar.

Assim como outro tipo de violência, o bullying tem o intuito de ofender e maltratar o outro. Porém, esta atitude só pode ser considerada bullying quando realizada de forma repetitiva, onde os ataques são feitos mais de uma vez, de maneira que o indivíduo seja perseguido e insultado. Geralmente esses ataques são devido ao tamanho da vítima, idade, personalidade, gostos diferentes dos demais e por se encontrarem fora do padrão de beleza que a sociedade impõe.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) Art. 5º.

“Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais”. No momento em que o bullying é identificado é necessário que seja tomada rapidamente uma iniciativa para banir tais atos dentro do ambiente escolar, por que os alunos inseridos nas escolas, tem de ter os mesmos direitos, de expressão, religião, cultura, orientação sexual e outros pontos que diz respeito a sua vida pessoa. O bullying pode ser trabalhado realizando projetos, palestras, debates sobre o assunto, vídeos com depoimentos de pessoas que sofreram, e etc.

(4)

Existem muitos métodos para que as consequências de tal ato seja o menor possível, mas ainda assim muitas pessoas não conseguem superar o bullying e levam cicatrizes para o resto de suas vidas, algumas precisam até de ajuda de psicólogos, de médicos que tratam especialmente de casos assim, por isso a importância de ser falado sobre o respeito as diferenças. Ninguém é igual a ninguém, todos temos pontos de vista diferentes, criados de forma diferentes, em culturas as vezes opostas, mas o respeito tem de ser trabalhado, é fundamental na escola. Como diz Augusto Cury: “Violência só gera violência, os fracos julgam e condenam, porém, os fortes perdoam e compreendem”. Por isso é importante o tema estar presente nas escolas, para que as vítimas de hoje não se tornem os agressores de amanhã, pois isso acontece.

CONSIDERAÇÃO FINAL

Essa pesquisa tem como objetivo possibilitar professores e ao grupo escolar perceber o quanto é importante saber identificar e trabalhar o tema bullying dentro das salas de aulas afinal, essa vertente está crescendo cada vez mais entre as crianças e os adolescentes e as consequências estão se tornando cada vez mais graves.

Essa prática não necessariamente é de forma física, pode ser realizada de forma verbal e normalmente em bandos atingindo a vítima com insultos, ofensas, xingamentos dentre outros, levando// a evasão escolar.

A maioria das coisas na vida de uma criança começa dentro da escola, pois é onde elas passam a maior parte do tempo como Ana Beatriz Barbosa Silva (2010) diz em seu livro “Bullying: mentes perigosas nas escolas”, que no ambiente escolar é que começa a construção cidadã de um sujeito crítico social e deve desenvolver o respeito, a responsabilidade e a solidariedade.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente, Câmera dos Deputados, Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. DOU de 16/07/1990 – ECA. Brasília, DF. Disponível em < https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/91764/estatuto-da-crianca-e- do-adolescente-lei-8069-90#art-5>. Acesso em: 10 de maio de 2018.

FANTE, Cleo. Fenômeno bullying: Como prevenir a violência nas escolas e educar para paz. Campinas (SP): Verus, 2005.

(5)

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

PEREIRA, Sônia Maria de Souza. Bullying e suas implicações no Ambiente Escolar. São Paulo: Paulus, 2009.

SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Bullying: mentes perigosas nas escolas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

INSTITUTO JETRO. Disponível em http://www.institutojetro.com/frases/augusto- cury/?f=519%7Cviolencia-gera-violencia-os-fracos-julgam-e-condenam-porem-os- fortes-perdoam-e-compreendem. Acesso em: 10 de maio de 2018.

Imagem

temas relacionados :