ATIVIDADE 1 GERAÇÃO DO CELULAR. Inaê Soares da Silva

Texto

(1)

ATIVIDADE 1

COLÉGIO ESTADUAL MARIA ROSILDA RODRIGUES

APARECIDA DE GOIÂNIA,____ JANEIRO DE 2021

ALUNO(a)__________________________________________- PROFESSORA:

9º A- LÁZARA MARIA

9º B,C e D- MARISTELA FERNANDES 9º E,F e G-EDINALVA ARCANJA

Orientações : Prezado aluno, ao realizar sua atividade, favor fazer o cabeçalho completo, com o seu nome, sua turma e o nome da sua professora.

Letras legíveis. Capriche!

LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA DEPOIS RESPONDER AS QUESTÕES PROPOSTAS, (NÃO É NECESSÁRIO COPIAR O TEXTO) COPIAR AS PERGUNTAS E APENAS A ALTERNATIVA CORRETA)

GERAÇÃO DO CELULAR Inaê Soares da Silva

O uso do celular é considerado atualmente o maior entretenimento dos brasileiros, tem ocupado quase a metade das horas vagas da população e especialistas confirmam que as pessoas estão viciadas. Os usuários não usam o celular ou a internet apenas para olhar uma mensagem ou outra, e sim, ficam vidrados o dia inteiro, seja na rua, na praça, com os amigos e até mesmo no trabalho. As pessoas precisam aprender ter maiscontato com o mundo real.

As crianças estão passando horas do seu tempo livre em frente ao computador ou no celular em jogos que poderiam ser utilizadas para uma leitura de bons livros ou para uma conversa com os amigos. Adultos chegam do trabalho já vão conferir as últimas atualizações dos aplicativos de relacionamentos e até idosos estão aderindo à nova tecnologia. A cultura da população está mudando e isso preocupa.

Acredito que as redes sociais foram criadas para que nós tivéssemos mais contato com as pessoas, mas está totalmente ao contrário. O que veio para aproximar, acabou afastando. As redes sociais estão fazendo as pessoas antissociais umas com as outras. A comunicação que prevalece é a virtual e a prática de boas atitudes humanas, como o “bom dia”, “por favor”, são raros.

Temos que incentivar às crianças, aos adolescentes e até aos adultos a se desconectarem do mundo virtual para se conectarem com o mundo real. Deixar o celular desligado quando estiver em família, curtir um passeio sem tantas selfies e dar preferência ao bate-papo olho-no-olho são situações que fortalecerão o relacionamento e o amor.

1ª) Qual o assunto do artigo de opinião? O uso excessivo do celular

2ª) A finalidade do texto é

a) informar sobre o avanço das tecnologias.

b) apresentar dados históricos sobre as redes sociais. c) apresentar um ponto de vista para convencer o leitor. d) informar sobre a importância do celular na comunicação.

3ª) Segundo a autora, como os usuários do celular estão se comportando atualmente em relação aos aplicativos de relacionamento?

(2)

a) Eles estão passando todo o seu tempo livre nas redes sociais. b) Os usuários usam o celular excessivamente.

c) Os usuários usam todos os dias o celular, mas conseguem limitar o tempo que passam nas redes sociais. d) Usam as redes sociais apenas para se relacionar amorosamente.

4ª) No trecho: “...e sim, ficam vidrados o dia inteiro...”, a expressão grifada significa que os usuários a) passam muito tempo no celular.

b) ficam bastante tempo na internet e isso causa problemas na visão. c)podem prejudicar o vidro do celular durante o toque com os dedos. d)são obrigados a usarem o celular.

5ª) A tese que a autora Inaê Soares defende está em

a) “Os usuários não usam o celular ou a internet apenas para olhar uma mensagem ou outra, e sim, ficam vidrados o dia inteiro...”

b) “As crianças estão passando horas do seu tempo livre em frente ao computador ou no celular em jogos que poderiam ser utilizadas para uma leitura de bons livros...”

c) “As pessoas precisam aprender ter mais contato com o mundo real.” d) “... seja na rua, na praça, com os amigos e até mesmo no trabalho.”

6ª) No trecho: “Adultos chegam do trabalho já vão conferir as últimas atualizações...” , a palavra em destaque revela circunstância de a) modo.

b) tempo. c) lugar. d) intensidade.

7ª) O que a autora quis dizer ao escrever “A comunicação que prevalece é a virtual”? a) Com a chegada da tecnologia, a comunicação virtual está diminuindo.

b) Que a comunicação real (olho-no-olho) está se tornando mais frequente. c) Que todos os dias as pessoas estão comprando mais celular.

d) Que a comunicação por meio de aplicativos de celulares está se tornando mais frequente.

8ª) Qual a proposta de solução apresentada pela autora para minimizar os problemas causados pelo celular? a) “Temos que incentivar às crianças, aos adolescentes e até aos adultos a se desconectarem do mundo virtual para se conectarem com o mundo real.”

b) “A comunicação que prevalece é a virtual e a prática de boas atitudes humanas, como o “bom dia”, “por favor”, são raros.”

c) “O que veio para aproximar, acabou afastando.”

(3)

ATIVIDADE 2

COLÉGIO ESTADUAL MARIA ROSILDA RODRIGUES

APARECIDA DE GOIÂNIA,____ JANEIRO DE 2021

ALUNO(A)__________________________________________- PROFESSORA:

9º A- LÁZARA MARIA

9º B,C e D- MARISTELA FERNANDES 9º E,F e G-EDINALVA ARCANJA

Orientações : Prezado aluno, ao realizar sua atividade, favor fazer o cabeçalho completo, com o seu nome, sua turma e o nome da sua professora.

Letras legíveis. Capriche!

PROPOSTA DE REDAÇÃO

Com base no texto lido na aula anterior e na sua experiência, faça um texto argumentativo sobre o uso do celular, no contexto que estamos vivenciando,( aulas virtuais/ online), o celular atende a sua necessidade, destacando a relação de oportunidades aos alunos. Você acredita que todos têm acesso a essa ferramenta de ensino que está sendo utilizada? Argumente. Se possível dê exemplos.

(4)

ATIVIDADE 3

COLÉGIO ESTADUAL MARIA ROSILDA RODRIGUES

APARECIDA DE GOIÂNIA,____ JANEIRO DE 2021

ALUNO(a)__________________________________________- PROFESSORA:

9º A- LÁZARA MARIA

9º B,C e D- MARISTELA FERNANDES 9º E,F e G-EDINALVA ARCANJA

Orientações : Prezado aluno, ao realizar sua atividade, favor fazer o cabeçalho completo, com o seu nome, sua turma e o nome da sua professora.

Letras legíveis. Capriche!

CONTO: O arquivo

Victor Giudice

No fim de um ano de trabalho, João obteve uma redução de quinze por cento em

seus vencimentos.

joão era moço. Aquele era seu primeiro emprego. Não se mostrou orgulhoso,

embora tenha sido um dos poucos contemplados. Afinal, esforçara-se. Não tivera

uma só falta ou atraso. Limitou-se a sorrir, a agradecer ao chefe.

No dia seguinte, mudou-se para um quarto mais distante do centro da cidade. Com

o salário reduzido, podia pagar um aluguel menor.

Passou a tomar duas conduções para chegar ao trabalho. No entanto, estava

satisfeito. Acordava mais cedo, e isto parecia aumentar-lhe a disposição.

Dois anos mais tarde, veio outra recompensa.

O chefe chamou-o e lhe comunicou o segundo corte salarial.

Desta vez, a empresa atravessava um período excelente. A redução foi um pouco

maior: dezessete por cento.

Novos sorrisos, novos agradecimentos, nova mudança.

Agora joão acordava às cinco da manhã. Esperava três conduções. Em

compensação, comia menos. Ficou mais esbelto. Sua pele tornou-se menos

rosada. O contentamento aumentou.

Prosseguiu a luta.

(5)

joão preocupava-se. Perdia o sono, envenenado em intrigas de colegas invejosos.

Odiava-os. Torturava-se com a incompreensão do chefe. Mas não desistia. Passou

a trabalhar mais duas horas diárias.

Uma tarde, quase ao fim do expediente, foi chamado ao escritório principal.

Respirou descompassado.

— Seu joão. Nossa firma tem uma grande dívida com o senhor.

joão baixou a cabeça em sinal de modéstia.

— Sabemos de todos os seus esforços. É nosso desejo dar-lhe uma prova

substancial de nosso reconhecimento.

O coração parava.

— Além de uma redução de dezesseis por cento em seu ordenado, resolvemos,

na reunião de ontem, rebaixá-lo de posto.

A revelação deslumbrou-o. Todos sorriam.

— De hoje em diante, o senhor passará a auxiliar de contabilidade, com menos

cinco dias de férias. Contente?

Radiante, joão gaguejou alguma coisa ininteligível, cumprimentou a diretoria,

voltou ao trabalho.

Nesta noite, joão não pensou em nada. Dormiu pacífico, no silêncio do subúrbio.

Mais uma vez, mudou-se. Finalmente, deixara de jantar. O almoço reduzira-se a

um sanduíche. Emagrecia, sentia-se mais leve, mais ágil. Não havia necessidade

de muita roupa. Eliminara certas despesas inúteis, lavadeira, pensão.

Chegava em casa às onze da noite, levantava-se às três da madrugada.

Esfarelava-se num trem e dois ônibus para garantir meia hora de antecedência. A

vida foi passando, com novos prêmios.

Aos sessenta anos, o ordenado equivalia a dois por cento do inicial. O organismo

acomodara-se à fome. Uma vez ou outra, saboreava alguma raiz das estradas.

Dormia apenas quinze minutos. Não tinha mais problemas de moradia ou

vestimenta. Vivia nos campos, entre árvores refrescantes, cobria-se com os

farrapos de um lençol adquirido há muito tempo.

O corpo era um monte de rugas sorridentes.

Todos os dias, um caminhão anônimo transportava-o ao trabalho. Quando

completou quarenta anos de serviço, foi convocado pela chefia:

— Seu joão. O senhor acaba de ter seu salário eliminado. Não haverá mais férias.

E sua função, a partir de amanhã, será a de limpador de nossos sanitários.

O crânio seco comprimiu-se. Do olho amarelado, escorreu um líquido tênue. A boca

tremeu, mas nada disse. Sentia-se cansado. Enfim, atingira todos os objetivos.

Tentou sorrir:

— Agradeço tudo que fizeram em meu benefício. Mas desejo requerer minha

aposentadoria.

O chefe não compreendeu:

— Mas seu joão, logo agora que o senhor está desassalariado? Por quê? Dentro

de alguns meses terá de pagar a taxa inicial para permanecer em nosso quadro.

Desprezar tudo isto? Quarenta anos de convívio? O senhor ainda está forte. Que

acha?

A emoção impediu qualquer resposta.

joão afastou-se. O lábio murcho se estendeu. A pele enrijeceu, ficou lisa. A estatura

regrediu. A cabeça se fundiu ao corpo. As formas desumanizaram-se, planas,

compactas. Nos lados, havia duas arestas. Tornou-se cinzento.

(6)

SOBRE O TEXTO

1. Como devemos entender as constantes “promoções” de joão?

Devemos interpretá-las como constantes “despromoções”. Realça que toda a carga irônica do texto está centrada numa absoluta inversão de valores.

2. Qual seria a maior de todas as “promoções”?

Após estar “desassalariado”, a promoção seguinte daria a joão o “direito” de pagar para trabalhar.

3. Como você percebeu, o personagem principal tem seu nome grafado com inicial maiúscula apenas na primeira frase do texto; a partir daí, seu nome aparece grafado com a inicial minúscula. Por que o autor teria usado esse recurso?

O texto trabalha com o crescente coisificação de joão, a qual atinge o clímax quando o personagem transforma-se em arquivo, isto é, literalmente numa coisa, num objeto. O uso da inicial minúscula reforça a ideia de joão como um objeto, um substantivo comum. Ao perder a individualidade, a personalidade, joão perdeu também a inicial maiúscula dos nomes próprios.

4. O narrador participa dos fatos ou se coloca como observador?

O narrador se coloca como observador (narração em terceira pessoa).

5. O texto poderia ser narrado em primeira pessoa? Por quê?

Sim. No entanto, como o texto trabalha com o aniquilamento e a absoluta desumanização do personagem, transformar joão em personagem-narrador exigiria uma apuradíssima técnica de composição da narrativa.

6. Quando os fatos ocorrem?

Os fatos se sucedem ao longo de 40 anos, desde a primeira “promoção” até a coisificação de joão.

7. Onde eles ocorrem?

Fundamentalmente, no escritório onde joão trabalha; no mais, há referências vagas aos lugares onde joão morou. No entanto, embora esses lugares não sejam propriamente descritos, desempenham papel importante na construção da narrativa: à medida que ele é “promovido”, vai se mudando para lugares mais distantes, até “não ter mais problemas de moradia” (passa a viver nos campos).

8. Que conflito há na história? Quem é o protagonista? E o antagonista? Comente.

João é o protagonista; seu chefe seria o antagonista. O conflito está presente na relação (joão x empresa, explorado x explorador, etc). O interessante é que o autor soube usar muito bem a ironia, dando ao conflito a aparência de harmonia, isto é, transformando em “promoção” a crescente exploração do trabalhador

9. Que paralelo você pode fazer com a situação “João” com os brasileiros nos dias atuais?

Espera-se que os alunos percebam o desemprego crescente, o grande número de autônomos, a perda dos direitos dos trabalhadores, as péssimas condições de trabalho, a alta do preço dos produtos, a perda do poder de compra, a aceitação de subempregos para se manter etc

(7)

ATIVIDADE 4

COLÉGIO ESTADUAL MARIA ROSILDA RODRIGUES

APARECIDA DE GOIÂNIA,____ JANEIRO DE 2021

ALUNO(a)__________________________________________- PROFESSORA:

9º A- LÁZARA MARIA

9º B,C e D- MARISTELA FERNANDES 9º E,F e G-EDINALVA ARCANJA

Orientações : Prezado aluno, ao realizar sua atividade, favor fazer o cabeçalho completo, com o seu nome, sua turma e o nome da sua professora.

Letras legíveis. Capriche!

1. Essas pessoas tiveram um pequeno problema na hora de escrever seus anúncios.

Seja gentil e refaça as placas, escrevendo de maneira correta:

(8)

1- FUI ALMOÇAR 2- BATATA 4,00 CEBOLA 1,50 MEL 4,00 MELANCIA 3,00 LARANJA 3,00

3- NÃO ME INVEJEM,.TRABALHE. SUA INVEJA É A MINHA FELICIDADE! 4- TAPIOCA FEITA NA HORA, QUEM NÃO PEDIU, PEÇA!

5- CONSERTA-SE FOGÃO, PANELA DE PRESSÃO , AMOLA ALICATE E TESOURA. 6- INGREDIENTES:

5 DENTES DE ALHO 3 COLHERES DE ÓLEO 1 CABEÇA DE REPOLHO

1 COLHER DE MASSA DE TOMATE SAL A GOSTO

(9)

DESCASCA O ALHO, PICA O ALHO E SOCA O ALHO COM O SAL. REFOGA O ALHO NO OLHO

QUENTINHO.PICA O REPOLHO BEM FININHO, REFOGA O REPOLHO, PÔE A MASSA DE TOMATE.MEXE COM A COLHER PARA FAZER O MOLHO.PRONTINHO!

7- NA COMPRA DE UM COLCHÃO, GANHE UM TRAVESSEIRO DE BRINDE. 8- CONSERTA BICICLETA.

9- FAVOR, NÃO DEIXAR OBJETOS NO CORREDOR. 10- HOJE:

PEIXE FRITO

LINGUIÇA ACEBOLADA ARROZ COM BROCÓLIS CERVEJA LONG NECK

11- ADMITE-SE AUXILIAR DE COZINHA. SALÁRIO 700,00 12- VERDURA SEM AGROTÓXICO

Imagem

Referências

temas relacionados :