Reunião com Segmentos Sociais Brasília 25 a 29 de fevereiro de 2008

Texto

(1)

Reunião com Segmentos Sociais Brasília – 25 a 29 de fevereiro de 2008

Tendências e Cenários Tendências e Cenários

do Plano Nacional de do Plano Nacional de

Habitação Habitação

Prof. Dr Nabil Bonduki –

Consórcio - Via Pública – LabHab/FAUUSP/FUPAM – Logos Engenharia

(2)

Seminário Interno

É

QUAL É O OBJETIVO

PLANO NACIONAL DE HABITAÇÃO Ç

?

(3)

Seminário Interno

Formular uma estratégia para equacionar a Formular uma estratégia para equacionar a médio e longo prazo as necessidades

habitacionais do Brasil definindo:

habitacionais do Brasil, definindo:

metas;

á i Seminário Interno

• recursos necessários;

• fontes de subsídios;

• programas;

Seminário Interno

• programas;

• propostas para a Cadeia Produtiva;

• propostas de Política Urbana relacionada com habitação p p ç

• arranjos institucionais;

• alterações legais

(4)

Seminário Interno

Metodologia do

Pl N i l d H bit ã Plano Nacional de Habitação

PlanHab

PlanHab

(5)

Seminário Interno

HORIZONTE TEMPORAL DO PLANHAB

PLANHAB 2023

(4 quadriênios)

COM REVISÕES A CADA PPA COM REVISÕES A CADA PPA

(2011, 2015 E 2019)

(6)

PASSOS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO

• Contextualização (leitura técnica e participativa do problema habitacional);

• Levantamento e sistematização das propostas existentes, no governo e em todos os segmentos

i i sociais;

• Cenários: macro-econômico, demográfico, urbano, de

di ibilid d d h bit ã d

disponibilidade de recursos para habitação das diferentes fontes;

Id tifi ã d id d h bit i i t

• Identificação das necessidades habitacionais presentes e futuras;

R i li ã d id d d h bit ã

• Regionalização das necessidades de habitação –

urbano e rural, categorias de municípios, regiões

(7)

• Definição de grupos de atendimento, por Definição de grupos de atendimento, por necessidade de subsídio

• Estabelecimento de metas físicas e financeiras, Estabelecimento de metas físicas e financeiras, gerais e intermediárias, para os diferentes

problemas habitacionais;

• Redefinição dos programas nacionais;

• Definição da articulação com a questão urbana; Definição da articulação com a questão urbana;

• Definição dos arranjos institucionais e articulação dos entes federativos; cu ç o dos e es ede vos;

• Definição do Plano de Ação

• Propostas que viabilizem a estratégia definida

• Propostas que viabilizem a estratégia definida

(8)

CENÁRIOS MACRO ECONÔMICOS CENÁRIOS MACRO-ECONÔMICOS 9crescimento econômico (PIB)

9crescimento econômico (PIB)

9evolução de distribuição de renda ç ç 9receita tributária

9receita das fontes de recursos onerosas

(9)

Cenários macro-econômicos

C i d PIB

• Crescimento do PIB

– Adotado cenário realista – 4% ao ano no período

A li d á i i i 2 5%

– Analisado o cenário pessimista – 2,5% ao ano

• Taxa Básica de Juros (Selic) em queda – estabiliza 4 5% l (d t d i fl ã )

em 4,5% real (descontada a inflação)

• Manutenção da carga tributária nos níveis atuais (35%)

(35%)

– Analisado o cenário de redução da carga tributária

C ti id d lh i d d d t i

• Continuidade na melhoria da renda dos setores mais

pobres

(10)

Tendências e cenários das diferentes fontes de

fi i t b ídi

recursos para financiamento e subsídios

Recursos de mercado

9SBPE 9SFI

9F d d õ t f d i d 9Fundos de pensões e outros fundos privados

Recursos retornáveis 9 FGTS

Recursos não retornáveis – Fontes de recursos p/ subsídios 9 OGU

9Estados

9Municípios

(11)

A n o P I B R e c e ita P ú b lic a

A rre c a d a d a C a rg a T rib u tá ria

T a b e la II - P IB , R e c e ita T r ib u tá r ia A r r e c a d a d a e

C a r g a T r ib u tá r ia : 1 9 9 0 2 0 0 6 (m ilh õ e s d e 2 0 0 6 )

1 9 9 0 1 .5 3 2 .7 0 4 .0 4 0 4 5 3 .6 8 0 .3 9 6 2 9 ,6 0 1 9 9 5 1 .7 7 4 .2 9 2 .3 5 0 5 0 4 .6 0 8 .7 4 4 2 8 ,4 4 1 9 9 6 1 .8 1 2 .4 4 8 .4 8 0 5 1 8 .9 0 4 .0 0 0 2 8 ,6 3 1 9 9 7 1 .8 7 3 .6 2 4 .0 2 0 5 3 5 .4 8 1 .7 4 5 2 8 ,5 8 1 9 9 8 1 .8 7 4 .2 8 6 .2 7 0 5 4 9 .7 2 8 .1 6 3 2 9 ,3 3 1 9 9 9 1 .8 7 9 .0 4 8 .4 2 0 5 8 3 .8 2 0 .3 4 4 3 1 ,0 7 2 0 0 0 1 .9 5 9 .9 6 3 .7 6 0 5 9 5 .0 4 4 .9 9 8 3 0 ,3 6 2 0 0 1 1 .9 8 5 .7 0 0 .4 1 0 6 3 2 .8 4 2 .7 2 1 3 1 ,8 7 2 0 0 2 2 .0 3 8 .4 8 2 .1 9 0 6 5 9 .4 4 8 .9 8 8 3 2 ,3 5 2 0 0 3 2 .0 6 1 .8 5 5 .8 4 0 6 5 7 .7 3 2 .0 1 3 3 1 ,9 0 2 0 0 4 2 .1 7 9 .6 3 5 .0 7 0 7 1 5 .3 5 6 .2 3 0 3 2 ,8 2 2 0 0 5 2 .2 4 8 .5 0 4 .4 2 0 7 6 0 .6 6 9 .0 4 5 3 3 ,8 3 2 0 0 6 2 .3 3 2 .9 3 5 .5 4 0 8 1 2 .0 3 9 .2 6 6 3 4 ,8 1 2 0 0 7 2 .5 4 2 .5 6 5 .7 1 2 9 1 3 .0 3 5 .3 4 7 3 5 ,9 1 F o n te : C a rg a trib u tá ria - IP E A D a ta (ja n /2 0 0 8 )

N o ta s : 1 9 9 0 a 2 0 0 6 - P IB IP E A D ata A tu aliz ad o em : 1 2 /1 2 /2 0 0 7

P IB e C arg a T rib u tária d e 2 0 0 7 - J orn al " O E s tad o d e S ão P au lo" d e 1 0 /0 2 /2 0 0 8 p B 4

(12)

Tabela I - Receitas Correntes do Governo

% do PIB Ano Reino Unido* Estados Unidos**

1980 38,2

1981 40 1 35 0

1981 40,1 35,0

1982 42,4 35,0

1983 43,0 34,7

1984 42,3 34,5

1985 42,3 34,9

1986 42,3 , 35,3 ,

1987 41,5 36,2

1988 40,7 35,9

Fonte: OCDE "Economic Outlook" dez/89 e jun/90 in Fonte: OCDE - Economic Outlook - dez/89 e jun/90 in "Indicadores da Economia Mundial no.1 - 1990 "

Elab: Coordenadoria de Conjuntura Internacional /DEAIN /SNP /MEFP Notas:* Mandato Margareth Thatcher: 1979/ 1990

** Mandato Ronald Reagan 1981/ 1989

(13)

Tabela IIa - PIB, Receita Tributária Arrecadada e Carga Tributária

milhões de 2006

Ano PIB Receita Pública

Arrecadada Carga Tributária

Crescimento do PIB e da Carga Tributária a 4,0%aa

Arrecadada

2007 2.542.565.712 913.035.347 35,91 2008 2.644.268.340 949.556.761 35,91 2009 2.750.039.074 987.539.032 35,91

2010 2 860 040 637 1 027 040 593 35 91

2010 2.860.040.637 1.027.040.593 35,91 2011 2.974.442.263 1.068.122.216 35,91 2012 3.093.419.953 1.110.847.105 35,91 2013 3.217.156.751 1.155.280.989 35,91 2014 3.345.843.021 1.201.492.229 35,91 2015 3.479.676.742 1.249.551.918 35,91 2016 3.618.863.812 1.299.533.995 35,91 2017 3.763.618.364 1.351.515.355 35,91 , 2018 3.914.163.099 1.405.575.969 35,91 2019 4.070.729.623 1.461.799.008 35,91 2020 4.233.558.808 1.520.270.968 35,91

2021 4 402 901 160 1 581 081 807 35 91

2021 4.402.901.160 1.581.081.807 35,91

2022 4.579.017.206 1.644.325.079 35,91

(14)

Carga Tributária – Receita Disponível (1) Distribuição da Receita Disponível Entre

Brasil – 1988-2005 % do PIB as Esferas de Governo %

Ano Total União Estados Municípios Ano União Estados Municípios

Ano Total União Estados Municípios Ano União Estados Municípios

1995 26,9 15,1 7,3 4,5 1995 56,2 27,2 16,6

1996 26,9 15,1 7,4 4,4 1996 56,1 27,6 16,3

1997 27,4 15,4 7,6 4,4 1997 56,2 27,7 16,1

1998 27,7 15,6 7,4 4,8 1998 56,2 26,6 17,2

1999 29,0 16,5 7,5 4,9 1999 57,0 26,0 17,0

2000 31,2 17,4 8,2 5,6 2000 55,8 26,3 17,9

2001 32,3 , 18,2 , 8,6 , 5,5 , 2001 56,2 , 26,6 , 17,1 ,

2002 33,4 19,1 8,6 5,8 2002 57,1 25,6 17,2

2003 32,8 18,7 8,4 5,7 2003 57,1 25,6 17,3

2004 33,7 19,5 8,5 5,7 2004 57,8 25,3 17,0

2005 35 0 20 2 8 8 5 9 2005 57 8 25 2 17 0

2005 35,0 20,2 8,8 5,9 2005 57,8 25,2 17,0

Fonte: Afonso, JRA. "O Desenvolvimento do Município de méd 95/05 56,683 26,335 16,982

São Paulo, a Capacidade de Investimentos e Questões da Metrópole"

(15)

Investimento em habitação e urbanização de assentamentos á i i t PPA 2008 2011

precários previstos no PPA 2008-2011

Ação Valor previsto (em milhões)

FNHIS 4.000

Subsídio habitacional 900

Urbanização de Assentamentos Precários 7313

Saneamento Integrado 3.799

Total 16.012

Média anual – 2008 - 2011 4.003

(16)

Evolução e tendências dos recursos não onerosos para habitação e urbanização de assentamentos precários

4500

3500 4000 4500

2500 3000 3500

OGU

1500

2000 Subs.FGTS

0 500 1000

2008/2011

0

2002 2004 2006 2008 Previsão PPA

(17)

Premissas para a construção dos cenários das fontes de recursos para habitação

fontes de recursos para habitação OGU

• PPA 2008-2011 prevê grande elevação de recursos em relação aos períodos anteriores ç p

• Execução de recursos previstos no PPA – 16 bi

• Manutenção da % do investimento em habitação em

• Manutenção da % do investimento em habitação em relação a receita tributária no período 2011 a 2023

P ibilid d d i t d l d % í d

• Possibilidade de crescimento gradual da % no período

• Necessidade de estabilidade, previsibilidade e planejamento das dotações orçamentárias

• Vinculação da receita (?) ( )

(18)

Tabela IVa - Previsão dos Gastos com Habitação no Orçamento Geral da União

ilhõ d 2006 % d OGU ilhõ d 2006 % d OGU ilhõ d 2006 % d OGU ilhõ d 2006 % d OGU

Exercício Fiscal

Cresc. de 4.0% do PIB e da Rec.

Federal Disponível

Cresc. de 4.0% do PIB e 3,2% da Rec. Federal Disponível

Cresc. de 2,5% do PIB e da Rec.

Federal Disponível

Cresc. de 2,5% do PIB e 2,0% da Rec. Federal Disponível milhões de 2006 % do OGU milhões de 2006 % do OGU milhões de 2006 % do OGU milhões de 2006 % do OGU

2008 3.908.093 0,00726 3.908.093 0,00732 3.908.093 0,00737 3.908.093 0,00740

2009 3.908.093 0,00698 3.908.093 0,00709 3.908.093 0,00719 3.908.093 0,00726

2010 3.908.093 0,00671 3.908.093 0,00687 3.908.093 0,00701 3.908.093 0,00712

2011 3.908.093 0,00645 3.908.093 0,00666 3.908.093 0,00684 3.908.093 0,00698

2012 4.314.850 0,00685 4.089.350 0,00698 4.158.532 0,00710 4.107.445 0,00719

2013 4.487.444 0,00685 4.191.583 0,00698 4.262.495 0,00710 4.189.594 0,00719

2014 4.666.942 0,00685 4.296.373 0,00698 4.369.058 0,00710 4.273.386 0,00719

2015 4.853.619 0,00685 4.403.782 0,00698 4.478.284 0,00710 4.358.853 0,00719

2016 5 047 764 0 00685 4 513 877 0 00698 4 590 241 0 00710 4 446 031 0 00719

2016 5.047.764 0,00685 4.513.877 0,00698 4.590.241 0,00710 4.446.031 0,00719

2017 5.249.675 0,00685 4.626.724 0,00698 4.704.997 0,00710 4.534.951 0,00719

2018 5.459.662 0,00685 4.742.392 0,00698 4.822.622 0,00710 4.625.650 0,00719

2019 5.678.048 0,00685 4.860.952 0,00698 4.943.188 0,00710 4.718.163 0,00719

2020 5.905.170 0,00685 4.982.475 0,00698 5.066.767 0,00710 4.812.526 0,00719

2021 6 141 377 0 00685 5 107 037 0 00698 5 193 437 0 00710 4 908 777 0 00719

2021 6.141.377 0,00685 5.107.037 0,00698 5.193.437 0,00710 4.908.777 0,00719

2022 6.387.032 0,00685 5.234.713 0,00698 5.323.272 0,00710 5.006.953 0,00719

Fonte: Elaboração própria

Notas: Valores de 2008 a 2011 são os previstos na mensagem presidencial do PLPPA 2008/2011 de 30/08/2007

Valores 2012 a 2022 correspondem à mesma proporção média dos gastos do PPA 2007-2010

(19)

Premissas para a construção dos cenários das fontes de recursos para habitação

fontes de recursos para habitação FGTS

• Crescimento da receita br ta

• Crescimento da receita bruta

• Grande potencial para ampliação do investimento em h bi

habitação e saneamento

• Tendência de queda da receita financeira

• Com as atuais regras – tendência de redução do subsídio

• Espaço para mobilização de recursos para subsidio no Espaço para mobilização de recursos para subsidio no próprio fundo

• Tendência de redução do custo do financiamento

• Tendência de redução do custo do financiamento,

ampliando as alternativas para a baixa renda

(20)

PROJEÇÃO FGTS – 2008/20023

Projeções FGTS 2008-2023 Parâmetros - Pib médio = 4% aa e Novas Regras Propostas Arrecadações Carteira Aplicações e Receitas Financeiras Cart Operações

Arrecad ação Bruta

Arrecad ação.

Líquida

Disponi bilidade

Selic Descontad a Inflação

Receita Finan

TR proj.

Custo (TR+x)

Result.

Líquido Retorno

Orçamento Novos Finan

60%

Habitaçã o

Subsidi o 60%

RL Ano Dotação Ano

da apura

ção

Arrecadações Carteira Aplicações e Receitas Financeiras Cart Operações

2008 39,8 4,0 74,0 7,50% 5,5 1,44 5,51 1,5 10,8 15,4 9,2 0,9 2009

2009 41,8 4,2 78,4 7,00% 5,5 1,38 5,45 1,2 11,4 16,1 9,7 0,7 2010

2010 43,8 4,4 80,0 6,50% 5,2 1,25 5,32 0,9 12,1 16,8 10,1 0,6 2011

2011 45,7 4,6 87,7 6,00% 5,3 1,12 5,19 0,7 12,8 17,7 10,6 0,4 2012

2012 47,7 4,8 98,9 6,00% 5,9 1,12 4,72 1,3 13,6 18,8 11,2 0,8 2013

2013 49,7 5,0 110,2 5,50% 6,1 1,06 4,66 0,9 14,3 19,7 11,8 0,6 2014

2014 51,6 5,2 125,3 5,50% 6,9 1,06 4,66 1,1 15,2 20,8 12,5 0,6 2015

2015 53,6 5,4 140,6 5,00% 7,0 1,00 4,60 0,6 16,1 21,7 13,0 0,3 2016

2016 55 6 5 6 157 8 5 00% 7 9 1 00 4 45 0 9 17 0 22 9 13 7 0 5 2017

2016 55,6 5,6 157,8 5,00% 7,9 1,00 4,45 0,9 17,0 22,9 13,7 0,5 2017

2017 57,6 5,8 175,2 4,50% 7,9 0,93 4,38 0,2 18,0 23,9 14,3 0,1 2018

2018 59,5 6,0 194,9 4,50% 8,8 0,93 4,38 0,2 19,1 25,1 15,1 0,1 2019

2019 61,5 6,1 217,2 4,50% 9,8 0,93 4,38 0,3 20,2 26,5 15,9 0,2 2020

2020 63,5 6,3 240,2 4,50% 10,8 0,93 4,38 0,3 21,4 27,9 16,7 0,2 2021

2020 63,5 6,3 240,2 4,50% 10,8 0,93 4,38 0,3 21,4 27,9 16,7 0,2 2021

2021 65,4 6,5 246,0 4,50% 11,1 0,93 4,38 0,3 22,7 29,3 17,6 0,2 2022

2022 67,4 6,7 251,0 4,50% 11,3 0,93 4,38 0,3 24,0 30,9 18,5 0,2 2023

(21)

Evolução dos recursos do SBPE para habitação Renda média e alta

18

14 16 18

10 12 14

6 8 10

Valor financiado SBPE (inclui Caixa Poupança)

2 4 6

0 2

2002 2004 2006

(22)

Premissas para a construção dos cenários das fontes de recursos para habitação

fontes de recursos para habitação SBPE

M ã d i id d d 6% TR

• Manutenção da atratividade da poupança – 6% + TR

• Manutenção da exigibilidade de aplicação em habitação – 65%

• Crescimento da aplicação em habitação p ç ç

• Necessidade de tributação caso a rentabilidade se aproxime da Taxa Selic

da Taxa Selic

• Gradativa redução das faixas de renda a ser atendidas pelo SBPE

SBPE

(23)

Evol Finan Unidades Unidades SFH

Projeção de Recursos do SBPE – 2008 a 2023

Ano Evol. Finan

(em mil R$) Total Unidades Unidades SFH/SBPE

Unidades SFH

<R$150 mil

2008 21,.9 234.687 205.187 95.119

2009 25,2 269.890 235.965 117.456

2010 27,7 296.879 259.561 138.702

2011 29,1 311.723 272.539 156.360

2012 30,.6 327.309 286.166 176.289

2013 32,1 343.675 300.475 198.747

2014 33,7 360.858 315.498 224.057

2015 35,4 378.901 331.273 252.601

2016 37 1 397 846 347 837 265 231

2016 37,1 397.846 347.837 265.231

2017 38,9 417.739 365.229 278.492

2018 40,9 438.626 383.490 292.417

2019 43 0 460 557 402 665 307 038

2019 43,0 460.557 402.665 307.038

2020 45,1 483.585 422.798 322.389

2021 47,4 507.764 443.938 338.509

2022 49 8 533 152 466 135 355 434

2022 49,8 533.152 466.135 355.434

2023 52,2 559.810 489.442 373.206

Total 590,1 6.323.001 5.528.200 3.892.047

Fonte: Elaboração própria

(24)

IDENTIFICAÇÃO DAS NECESSIDADES HABITACIONAIS PRESENTES E FUTURAS

Necessidades habitacionais presentes 9Défi it tit ti l d

9Déficit quantitativo acumulado 9Déficit qualitativo acumulado

Necessidades Habitacionais Futuras

9Demanda demográfica: crescimento vegetativo e por 9Demanda demográfica: crescimento vegetativo e por migração

9N id d d b tit i ã b l ê i

9Necessidade de substituição por obsolescência

9Necessidade gerada pela urbanização de assentamentos

precários

(25)

Necessidades habitacionais atual e demanda demográfica futura

Especificação Déficit Total

2005 2005-2010 2010-2015 2015-2020 Total 2005-2020

Necessidades habitacionais atual e demanda demográfica futura

Brasil 7.902.699 8.447.771 6.908.450 7.273.546 22.629.767

Norte 850.355 788.072 716.032 760.304 2.264.408

2 3 1

Nordeste 2.743.147 2.347.031 1.885.209 1.928.051 6.160.291 Sudeste 2.898.928 3.257.963 2.658.615 2.749.041 8.665.619

Sul 873 708 1 321 502 1 050 718 1 170 887 3 543 107

Sul 873.708 1.321.502 1.050.718 1.170.887 3.543.107

Centro-Oeste 536.561 733160 597.877 665.264 1.996.301

ƒ A maior demanda de domicílios a acrescentar até 2020 se encontra no Estado de São

Déficit habitacional Urbano

Fonte: Dados básicos: IBGE PNAD 2005

A maior demanda de domicílios a acrescentar até 2020 se encontra no Estado de São Paulo (4.279.386 domicílios). A menor está em Roraima (87.946 domicílios).

Fonte: Dados básicos: IBGE – PNAD, 2005

Elaboração: Fundação João Pinheiro – déficit habitacional no Brasil 2005 – Mcid – SNH Projeções das Demandas Demográficas Futuras

Fontes: IBGE, Censo Demográfico 1991 e 2000; MS/SVS/DASIS, SIM 1999 a 2001; U.S. Bureau of the Census.

Elaboração: CEDEPLAR, 2007

(26)

SEGMENTAÇÃO DAS NECESSIDADES HABITACIONAIS PRESENTES E FUTURAS 9por faixas de renda p

9por tipo de problema habitacional 9por formas de atendimento

9por formas de atendimento 9por unidades da Federação 9categoria de cidade

9categoria de cidade

Fundamental para quantificar as necessidades Fundamental para quantificar as necessidades por programas, forma de atendimento e

capacidade de pagamento do financiamento

capacidade de pagamento do financiamento

(27)

População

do Características Gerais Número de municípios

Taxa de cresci-

mento

% Déficit Habita-

cional

% do Déficit

Déficit

Habitac. Tipo

município municípios mento

1991-2000 Básico Total

Urbano Relativo

p

RM SP e RJ 54 1,49 12,72 96,82 7,71 A

Municípios das

54 1,49 12,72 96,82 7,71

Demais RMs e aglomerações

urbanas do centro/sudeste/sul 187 2,73 9,19 96,1 8,4 B

Espaços urbanos aglomerados e

capitais mais prósperas do norte 63 2 15 8 05 93 9 14 9 C

RM’s e de + de 100 mil

capitais mais prósperas do norte e nordeste

63 2,15 8,05 93,9 14,9 C

Centros regionais prósperos do

Centro-Sul 215 1,95 8,66 95,6 7,4 D

C t R i i

Centros Regionais em regiões

pobres Norte/Nordeste 57 2,01 8,66 85,1 21,7 E

de 20 mil até

Prósperos 252 0,90 a 2,00 3,52 4,61 F

Em desenvolvimento 274 -0,05 4,18 5,49 G

100 mil

, , ,

Centros urbanos em áreas rurais

pobres 84 0,55 7,75 5,49 11,82 H

Prósperos 976 0,40 2,97 2,65 9,08 I

Menos de 20 mil Em desenvolvimento 1.437 -0,33 12,67 8,12 25,37 J

Pobres 1.406 -0,57 20,20 10,67 39,09 K

(28)

Tipos A, B, C, D, E Municípios com alto p déficit habitacional absoluto e altas taxas de crescimento

de crescimento

575 municípios em RM’s, aglomerações e RM s, aglomerações e com + de 100 mil

habitantes

Concentram 46% do déficit habitacional total

total

Alta taxa de crescimento crescimento

populacional, que se

(29)

Tipo F – Centros urbanos em espaços rurais prósperos com + 100 mil habitantes

l d b i i d d

Alta taxa de urbanização, crescimento moderado e baixa precariedade. Prósperos, situados nas micro-

regiões mais ricas do país tem mais condições de F

regiões mais ricas do país, tem mais condições de enfrentar o déficit com recursos próprios

Ti G C t b i

Tipo G – Centros urbanos em espaços rurais consolidados com + 100 mil habitantes

Níveis moderados de precariedade e pobreza Níveis moderados de precariedade e pobreza, regiões de ocupação consolidada, com relativa

estagnação. G

Tipo H – Centros urbanos em espaços rurais

b t d + 100 il h bit t

pobres e estagnados com + 100 mil habitantes

Baixa taxa de urbanização (54,6%); alto déficit

habitacional relativo aacom concentração na

habitacional relativo, aacom concentração na

(30)

Tipo I.

Espaços

r rais 3.819

rurais

prósperos com menos municípios

de 20 mil h bi

habitantes

35 84% d Tipo J

35,84% do

déficit total

p Espaços rurais

18,53%

consolidados

Tipo K.

Espaços i

da

população

rurais

pobres de

(31)
(32)

Distribuiç ã o pe rc e ntua l  do  dé fic it ha bita c iona l  bá sic o a justa do   por tipos  de  c ida de s

st a d o  ‐   18,0

12,0 14,0 16,0

l   s ic o   aj u

4 0 6,0 8,0 10,0

h ab it ac io n a 200 5

0,0 2,0 4,0

TIP O A TIP O B TIP O C TP O D TIP O E TIP O F TIP O G TIP O H TIP O I TIP O J TIP O K

  do   fi c it   h

TIP O  A TIP O  B TIP O   C TP O  D TIP O  E TIP O  F TIP O   G TIP O   H TIP O  I TIP O   J TIP O   K

%

(33)

Custo por m 2 Cesta de M ateriais de Construção SEM M ão-de-obra Custo por m Cesta de M ateriais de Construção SEM M ão-de-obra

Área construída = 31,11m 2

250,00

PI TO AM PE MA AC PA AP RR 200,00

PR

MG GO BA SC CE MS SE MT PB RN RS ES SP RJ AL RO DF PI TO 150,00

100,00

50,00

Fonte: Elaboração própria a partir de dados do SINAPI

(34)

Custo por m p 2 Cesta de Materiais de Construção COM Mão-de-obra Área ç construída = 31,11m 2

RJ SP RR 450,00

GO MS SE MT

CE ES RS BA MA AL MG AC PE PA DF AP SC

TO PR AM

350,00 400,00

PB RN RO PI GO MS SE MT 300,00

200,00 250,00

150,00

100,00

(35)

Custo total calculado

Área construída = 40 65 m 2 - Padrão Mínimo de Acabamento Área construída = 40,65 m - Padrão Mínimo de Acabamento

20000

17 720 00 18.504,39 18000

20000

16.403,09 17.720,00 17.691,15 16.748,97 16000

14000

12000

GO MS MT DF PI RN PB SE CE MA BA AL PE RO AC PA TO AP AM RR MG ES RJ SP RS SC PR GO MS MT DF PI RN PB SE CE MA BA AL PE RO AC PA TO AP AM RR MG ES RJ SP RS SC PR

Média CO Média N Média SE Média S Média NO

Fonte: Elaboração própria a partir de dados do SINAPI

(36)

Custo total calculado

Área construída por apartamento = 37 m 2 - Padrão Popular

20.000,00

18.349,62 17.724,11 18.873,01 18.000,00

16.609,51 16.896,00 16.000,00

14.000,00

12.000,00

GO MT MS DF PB SE PI AL BA PE CE MA RN RO PA AC AP TO AM RR MG ES SP RJ PR RS SC

Média CO Média NE Média N Média SE Média S

(37)

Produtos para unidades habitacionais novas

Custo unitário (R$ mil) Estado do Mato Grosso do Sul

Município Tipo D

L b i d 6 00

Lote urbanizado 6,00

Material de construção para unidade térrea (40m²) 6,15

Unidade térrea 40m² (autogestão com assessoria) 18,18

Unidade de 2 pavimentos 56m² (autogestão com assessoria) 25,56

Apartamento 51m² (auto gestão) 23,26

Casa 40m² (empreiteira) 23 97

Casa 40m (empreiteira) 23,97

Casa 56m² (empreiteira) 30,37

Apartamento 37m² (empreiteira) 17,68

A t t 51 ² ( it i ) 27 81

Apartamento 51m² (empreiteira) 27,81

Apart. áreas centrais ou consolidada – 8 pavimentos (51m²) 39,73

Unidades de padrão médio FGTS 39,73

Unidades de mercado SBPE ****

Fonte: Elaboração própria a partir de dados do SINAPI

(38)

Déficit qualitativo e tipos de intervenção

(39)

Déficit habitacional básico AJUSTADO 2005 por tipo de município

Fonte: Elaboração própria

(40)

Déficit habitacional básico ajustado urbano e rural - por Estados

700 000 800.000

0 05

600.000 700.000

u s ta do - 2 0

400.000 500.000

l b ási co aj u

200.000 300.000

a bi ta c iona l

0 100.000

fi c it h a

0

DF GO MS MT AC AM AP PA RO RR TO AL BA CE MA PB PE PI RN SE PR RS SC ES MG RJ SP

(41)

P roje ç õe s de  a c ré sc im os  de  dom ic ílios nos  E sta dos ‐  %

60,0 70,0

m ic íli o s  

40,0 50,0

a l   de   no v o s   do m Es ta d o 2006‐2011

2012‐2015

10,0 20,0 30,0

nc re m e nt o   to ta no  

2016‐2019 2020‐2023

0,0

MS MT G O DF MA P I C E R N P B P E A L S E B A R O A C A M R R P A A P TO MG E S R J S P P R S C R S Unida de s  da  F e de ra ç ã o

%   i

(42)

Projeção de necessidades habitacionais futuras por tipo de cidade

6 000 000

5.000.000 6.000.000

c id os no

4.000.000

e m acr es c e

TOTAL 2006-2011

2 000 000 3.000.000

íl io s a ser e est o q u e 2006 2011

2012-2015 2016-2019 2020 2023

1.000.000 2.000.000

o s d o m ic í 2020-2023

0 TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O TI P O RU R

No v o O A O B O C O D O E O F O G O H O I O J O K R AL

Tipos de cidades

(43)

T IP O  A ‐ 

%  total  nacional

T IP O B  ‐ 

%  total  nacional

T IP O  C  ‐ 

%  total  nacional

T IP O D  ‐ 

%  total  nacional

T IP O  E  ‐ 

%  total  nacional

T IP O  F  ‐ 

%  total  nacional

T IP O G  ‐ 

%  total  nacional

T IP O  H ‐ 

%  total  nacional

T IP O  I ‐ 

%  total  nacional

T IP O  J  ‐ 

%  total  nacional

T IP O K  ‐ 

%  total  nacional

D É F IC IT   B AS .  AJ US T . ‐ 

% total

DÉ F IC IT  HAB IT AC IONAL  B ÁS IC O  AJ US T ADO  – 2005  ‐ %  S O B R E  O  T O T AL  NAC IO NAL

%  total  nacional

DF 0 1,9 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1,9

G O 0 0,5 0 1,3 0 0,2 0,2 0 0,1 0,2 0,4 3

MS 0 0 0 0,4 0 0 0,2 0,1 0,1 0,2 0,2 1,2

MT 0 0 0 0,6 0 0,1 0,2 0 0,2 0,2 0,1 1,5

AC 0 0 0 0 0,2 0 0 0 0 0,1 0 0,3

AM 0 0 0 0 1,8 0 0,2 0,3 0 0,2 0,6 3

AP 0 0 0 0 0,2 0 0,1 0 0 0 0 0,3

P A 0 0 0 0 2,6 0 0,5 0,7 0 0,8 0,9 5,5

R O 0 0 0,3 0 0,1 0 0,1 0,1 0,1 0 0,1 0,7

R R 0 0 0,2 0 0 0 0 0 0 0,1 0 0,3

T O 0 0 0,2 0 0,1 0 0,1 0 0 0,3 0,3 1,1

AL 0 0 0 0 0 8 0 0 0 2 0 0 0 5 1 6

AL 0 0 0 0 0,8 0 0 0,2 0 0 0,5 1,6

B A 0 0 2,1 0 1,5 0 0,8 0,8 0 2,1 0,9 8,2

C E 0 0 2,3 0 0,3 0 0 0,2 0 0,2 1,1 4

MA 0 0 0 0 2 0 0 1,4 0 0,2 2,2 5,8

P B 0 0 0 7 0 0 2 0 0 1 0 1 0 0 1 0 7 2

P B 0 0 0,7 0 0,2 0 0,1 0,1 0 0,1 0,7 2

P E 0 0 3,9 0 0,5 0 0,2 0,7 0 0,6 0,8 6,7

P I 0 0 0 0 1,3 0 0,1 0,3 0 0,2 0,4 2,3

R N 0 0 0,6 0 0,2 0 0,1 0 0 0,2 0,4 1,6

S E 0 0 0,5 0 0 0 0,1 0,1 0 0,1 0,3 1,1

P R 0 1,2 0 1,1 0 0,2 0,4 0 0,3 0,7 0,3 4,1

R S 0 1,8 0 0,8 0 0,4 0,5 0 0,5 0,3 0,1 4,4

S C 0 0,3 0 0,9 0 0,1 0,1 0 0 0,2 0 1,7

E S 0 0,9 0 0,1 0,1 0 0,1 0 0 0,5 0 1,7

(44)

T IP O  A ‐ 

%  total  es tadual

T IP O  B  ‐ 

%  total  es tadual

T IP O  C  ‐ 

%  total  es tadual

T IP O  D  ‐ 

%   total  es tadual

T IP O   E  ‐ 

%  total  es tadual

T IP O  F  ‐ 

%   total  es tadual

T IP O  G  ‐ 

%  total  es tadual

T IP O  H  ‐ 

%  total  es tadual

T IP O   I ‐ 

%  total  es tadual

T IP O  J  ‐ 

%  total  es tadual

T IP O   K  ‐ 

%  total  es tadual

DÉ F IC IT   HAB IT AC IO NAL  B ÁS IC O  AJ US T ADO   – 2005  ‐ %   S O B R E  T O T AL  

es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual es tadual

D F 0 100 0 0 0 0 0 0 0 0 0

G O 0 17,6 0 44,3 0 6,5 6 0 4,4 7,8 13,3

MS 0 0 0 35,5 0 0 19,1 6,3 4,3 17 17,8

MT 0 0 0 43,7 0 8,3 10,9 1,5 10,8 14,8 10,1

AC 0 0 0 0 57,7 0 0 8,4 0 19,9 14,1

AM 0 0 0 0 59,9 0 7,1 8,3 0 5,2 19,5

AP 0 0 0 0 62,1 0 24,6 0 0 10,7 2,6

P A 0 0 0 0 46,9 0 8,3 13,1 0 15,2 16,5

R O 0 0 40,4 0 8,4 0 17,8 10,4 7,2 0 15,8

R R 0 0 62,3 0 0 0 0 0 0 29,1 8,6

T O 0 0 16,3 0 11,3 3,3 11,4 0 1,6 25,3 30,8

AL 0 0 0 0 52,1 0 0 14,1 0 0,2 33,6

B A 0 0 25,9 0 17,6 0 9,4 10,1 0 26 11

C E 0 0 56,6 0 7,7 0 0 4,1 0 3,8 27,8

MA 0 0 0 0 34,3 0 0 24,6 0 3,6 37,5

P B 0 0 37,6 0 12,3 0 2,8 7,1 0 5,4 34,8

P E 0 0 57,4 0 8 0 3,7 11,1 0 8,4 11,3

P I 0 0 0 0 55,7 0 2,5 12,8 0 9,8 19,2

R N 0 0 40 0 10,1 0 7,1 1,6 0 13,8 27,4

S E 0 0 47 2 0 0 0 6 2 6 4 0 9 5 30 8

S E 0 0 47,2 0 0 0 6,2 6,4 0 9,5 30,8

P R 0 28,4 0 26,2 0 4,9 9,8 0 6,4 17 7,2

R S 0 40,7 0 17,7 0 9,4 12,3 0 10,9 7 2

(45)

T IP O  A T IP O  B T IP O  C T IP O  D T IP O  E T IP O  F T IP O  G T IP O  H T IP O  I T IP O  J T IP O  K

MS 0 0 0 41 0 2,2 21,9 7,6 3,2 13,6 10,5

AC R É S C IMO  D E  D O MIC ÍL IO S  E NT R E  2006  E  2023  ‐ %  S O B R E  O  INC R E ME NT O  T O T AL  NO   E S T AD O

MT 0 0 0 34,5 0 8,3 18,1 3,2 10,9 16,3 8,7

G O 0 14,8 0 43,3 0 8,7 11,1 0,7 4,6 10,5 6,4

D F 0 100 0 0 0 0 0 0 0 0 0

MA 0 0 0 0 31,4 0 0 42,1 0 2,8 23,8

P I 0 0 0 0 30 2 0 2 21 9 0 9 3 36 6

P I 0 0 0 0 30,2 0 2 21,9 0 9,3 36,6

C E 0 0 41,2 0 6,3 0 0 36,8 0 3,6 12,1

R N 0 0 40,1 0 7,7 0 8,1 7,8 0 8,8 27,4

P B 0 0 27,8 0 10,6 0 2,7 18 0 6 34,9

P E 0 0 43,7 0 9,1 0 3,9 29,9 0 6,1 7,4

AL 0 0 0 0 44,1 0 0 34,5 0 0,2 21,1

S E 0 0 40,9 0 0 0 4,8 25,3 0 9,4 19,6

B A 0 0 25,1 0 14,4 0 6,7 31,1 0 12,7 10

R O 0 0 24,1 0 8,1 1,7 31,8 9,6 3,6 0 21,1

AC 0 0 0 0 49 5 0 0 23 6 0 25 2 1 7

AC 0 0 0 0 49,5 0 0 23,6 0 25,2 1,7

AM 0 0 0 0 57,3 0 7,7 22,2 0 3,8 9

R R 0 0 65,5 0 0 0 0 0 0 26,3 8,2

P A 0 0 0 0 42,8 0 10,7 34,8 0 4,8 6,9

AP 0 0 0 0 61,3 0 22,2 0 0 13,4 3,1

T O 0 0 12,5 0 9,8 3,8 15,7 4 3 14,6 36,6

MG 0 27,7 0 17,5 2,3 7,5 13,8 5,2 6,5 14,2 5,3

E S 0 47,6 0 9,5 3,4 0 15,6 6,9 0 17 0

R J 75,6 0 0 12,9 0 3,9 4 0,7 1,4 0,2 1,3

S P 48 2 11 9 0 15 7 0 14 6 1 5 0 1 7 0 3 0 7

S P 48,2 11,9 0 15,7 0 14,6 1,5 0,1 7 0,3 0,7

P R 0 29,6 0 24,5 0 6,8 13,5 1,2 5,1 12,7 6,7

S C 0 15,8 0 52,6 0 6 6 0 11,6 8,1 0

R S 0 37,2 0 16,1 0 12,3 12,4 0,2 11,7 7,4 2,8

(46)

IDENTIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS MAIS ADEQUADOS PARA ENFRENTAR AS

NECESSIDADES HABITACIONAIS 9 por necessidade habitacional

9 por região

9 por tipos de município p p p

9 por grupos de atendimento

(47)

Grupos de Atendimento por necessidade p p de Subsidio

• Necessidade de superar as limitações existentes os recortes por faixas de renda em salários mínimos ou renda per capita

renda per capita

Incorporar a diversidade de tipos e de custo das Incorporar a diversidade de tipos e de custo das soluções habitacionais nas diferentes regiões e categorias de cidades

• Incorporar as desigualdades na renda e na formalização

d t b lh dif t iõ t i d

do trabalho nas diferentes regiões e categorias de

cidades

(48)

Grupos de Atendimento por necessidade p p de Subsidio

id d d di

• G1 – Sem capacidade de pagar a moradia

• Subsídio total

• G2 – Capacidade parcial

• Mix FGTS e subsídio

• G3 – Capacidade de retorno recursos do FGTS

• FGTS FGTS

• G4 – Capacidade de retorno de recursos de mercado

mercado

• Financiamento de mercado

(49)

Cadeia Produtiva da Construção civil

Produção de Mercado ç

Produção pelo setor público

A t ã l á i

Autopromoção pelo usuário Cooperativas

Custo e acesso aos materiais de construção Qualificação técnica dos agentes promotores Qualificação técnica dos agentes promotores públicos e privados

Formação de mão de obra qualificada

(50)

RELAÇÃO COM A QUESTÃO URBANA

9 Quantificação da necessidade de terra

9 Quantificação da necessidade de terra

9Impacto da produção habitacional sobre a questão f

urbana e fundiária

9 Planos Diretores e o papel dos novos instrumentos p p urbanísticos sobre o preço da terra

9 Localização da habitação nas cidades 9 Localização da habitação nas cidades

9 Qualidade do projeto habitacional (inserção

b d id d úbli t )

urbana, densidades, espaço público etc)

(51)

Arranjos institucionais

Implementação do Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social

Estrutura institucional do setor habitacional dos

estados e municípios (órgão gestor fundo conselho estados e municípios (órgão gestor, fundo, conselho e agente promotor)

Novos arranjos institucionais: parcerias público- privadas e formas de gestão pública não estatais Critérios para distribuição dos recursos e definição das contrapartidas

das contrapartidas

(52)

Questões gerais a serem debatidas

• Tendências de evolução do PIB e distribuição de renda

• Cenários e perspectivas de evolução das fontes destinadas a

h bit ã (M d FGTS fi i f t lt ti )

habitação (Mercado, FGTS, recursos fiscais e fontes alternativas)

• Modelo, fontes e sustentabilidade do subsídio

• Definição dos grupos de atendimento por necessidade de subsídios

• Definição dos grupos de atendimento por necessidade de subsídios

• Tipologia de municípios e diversidade regional

• Quantificação das necessidades habitacionais futuras Quantificação das necessidades habitacionais futuras

• Como enfrentar a questão da terra urbanizada para HIS e alterar o atual modelo de crescimento urbano

• Como garantir moradia digna através de processos que incorpore que a habitação autofianciada e autopromovida

A j i i i i i l d l b

• Arranjos institucionais para implementação do PlanHab

(53)

Questões especificas a serem debatidas com os segmentos

ONG’ id d dê i fi i i

ONG’s, entidades acadêmicas e profissionais

• Financiamento e organização da assessoria técnica

• Papel das agentes não governamentais na p g g implementação do PlanHab

• Prioridades para uma agenda de pesquisa vinculada a p g p q implementação do PlanHab

• Papel das ONG’s e universidades do desenvolvimento p institucionais e capacitação de Estados e municípios

• Qualificação dos projetos habitacionais Q ç p j

• Definição de moradia digna

(54)

Questões especificas a serem debatidas com o segmento poder público estadual e municipal segmento poder público estadual e municipal

• Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social: articulação entre os níveis de governo e papéis específicos dos Estados e dos municípios

• Desenvolvimento institucional e capacitação técnica e institucional na

i l t ã d j t h bit i i

implementação de projetos habitacionais

• Aperfeiçoamento da base de informação

• Articulação de recursos: descentralização contrapartidas e potencial

• Articulação de recursos: descentralização, contrapartidas e potencial contributivo dos Estados e municípios

• Papel do município e do legislativo municipal na regulação urbana e p p g p g ç fundiária e no acesso a terra urbanizada

• Articulação entre o PlanHab e os planos estaduais e locais de habitação

• Qualificação dos projetos habitacionais

(55)

Questões especificas a serem debatidas com as entidades empresariais

entidades empresariais

• Papel do mercado na implementação do Sistema Nacional de Habitação

• Limites e potencialidades da cadeia produtiva da construção p p ç civil

• Potencialidade do mercado contribuir para atender as faixas Potencialidade do mercado contribuir para atender as faixas de renda mais baixa

• Possibilidade de redução dos custos de financiamento do

• Possibilidade de redução dos custos de financiamento do FGTS

M d l d b ídi l d f d tid

• Modelagem de subsídio e papel do fundo garantidor

• Tendências do mercado secundário

(56)

Questões especificas a serem debatidas com os movimentos sociais

movimentos sociais

• Papel dos movimentos sociais na implementação do SNHIS FNHIS

• Fontes de recursos e modelagem do subsídio g

• Potencialidade do FGTS para financiamento da baixa renda

• Papel dos movimentos sociais cooperativas e associações

• Papel dos movimentos sociais, cooperativas e associações comunitárias na promoção de habitação

A f d t d tã d áti t t

• Aprofundamento da gestão democrática para outros aspectos

além dos conselhos

(57)

Reunião com Segmentos Sociais Brasília – 25 a 29 de fevereiro de 2008

Tendências e Cenários Tendências e Cenários

do Plano Nacional de do Plano Nacional de

Habitação Habitação

Prof. Dr Nabil Bonduki –

Consórcio - Via Pública – LabHab/FAUUSP/FUPAM – Logos Engenharia

Imagem

Referências

temas relacionados :