Oratório familiar. 9º ANO Catequese 4, primeira parte. Ser pessoa crente

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

Oratório familiar

9

º ANO

| Catequese 4, primeira parte

(2)

A família reúne-se no seu «Oratório familiar». Sugere-se a colocação de uma cruz, uma vela acesa e uma imagem de Nossa Senhora. Podem usar-se estatuetas ou estampas. Se a família tiver alguma devoção especial a um santo ou santa em particular, pode também colocar-se a sua imagem. A cruz deve ser sempre central. Convém que haja perto cadeiras para todos se sentarem.

Antes de começar a oração, é preciso combinar tarefas: uma pessoa preside (sugere-se que seja o adolescente) e são necessários 2 leitores. Caso no momento de oração participem apenas duas pessoas, então uma preside e a outra responde e faz as leituras. Após alguns momentos de silêncio, todos rezam como se segue (o V. marca as intervenções de quem preside e o R. a resposta de todos):

V. Em nome do Pai, (†) do Filho e do Espírito Santo.

R. Ámen.

A seguinte oração (Confissão) é rezada por todos ao mesmo tempo:

Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa [batendo com a mão no peito], minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Então, o adolescente que preside explica o sentido da celebração:

A fé é uma relação pessoal com Deus que nasce de uma decisão interior e que precisa de se exteriorizar em gestos, atitudes e ritos vividos em comunidade. Jesus é o único que nos pode ajudar a entrar em verdadeiro diálogo com o Pai: quando nos encontramos com Jesus, já nos estamos a encontrar com o Pai, pois, como Ele mesmo disse, «quem Me vê, vê o Pai». A fé é confiança em Deus, em todas as situações da nossa vida. Caminhando com Ele, de nada podemos ter medo. Nem os imprevistos, nem os sofrimentos, nem as desilusões, nem as dificuldades dos estudos, nem o

(3)

desemprego, nada nos pode afastar do amor de Deus manifestado em Jesus («Eu sou o Caminho»). A fé é ainda a adesão livre à Palavra de Deus. Se crer é dizer «sim» a Deus, em total liberdade (como Maria), ao mesmo tempo, é aceitar o que Ele nos diz na Sua Palavra. Esta aceitação é chamada «obediência da fé». Jesus não é apenas um mensageiro que traz a Palavra do Pai; Ele mesmo é essa Palavra – por isso, diz: «Eu sou a Verdade». A fé, finalmente, é um ato pessoal vivido em Igreja. Cada crente é como que um elo na grande cadeia de fé que une a todos os crentes da história. Esta dimensão comunitária da fé experimenta-se na Liturgia, quando vamos à missa ou participamos em algum dos outros sacramentos. Aí, Jesus, que é «a Vida», oferece-nos a Sua graça. Jesus: Caminho, Verdade e Vida.

Na atualidade, muitos adolescentes e adultos sentem cada vez mais dificuldade em viver a fé. Como se supera isto? Lendo a Palavra de Deus, rezando e participando na vida da Igreja, esforçando-se, em tudo isto, por «purificar» a fé, limpando-a de todas aquelas coisas que parecem fé, mas que não o são: o sentimentalismo superficial, as tradições que se cumprem apenas «porque sempre se fez assim», a rutura entre fé e vida (dizer-se ter muita fé, mas ser-se incapaz de olhar para o irmão que precisa de ajuda) ou mesmo uma certa forma melada e «tristonha» de se ser cristão. A fé do cristão, na verdade, é a confiança no amor de Deus, em todos os momentos e situações da nossa vida; e essa fé – a fé autêntica – é feita de amor, confiança e alegria! Todos se sentam. Então, canta-se o seguinte cântico:

Quem nos separará do Seu amor: a tribulação, talvez a espada? Nem morte ou vida nos separará do amor em Cristo Senhor.

(4)

Quem nos separará da Sua Paz: a perseguição, talvez a dor? Nenhum poder nos separará d’Aquele que morreu por nós.

Quem nos separará da Sua alegria: quem poderá tirar-nos o Seu perdão? Ninguém no mundo nos afastará da vida em Cristo Senhor.1

O leitor 1 proclama a seguinte leitura (Jo 14, 6-14).

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim. Se Me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. Mas desde agora já O conheceis e já O vistes». Disse-Lhe Filipe: «Senhor, mostra-nos o Pai e isto nos basta». Respondeu-lhe Jesus: «Há tanto tempo estou convosco e não Me conheces, Filipe? Quem Me vê, vê o Pai. Como podes tu dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Não acreditas que Eu estou no Pai e o Pai está em Mim? As palavras que vos digo, não as digo por Mim próprio, mas é o Pai, permanecendo em Mim, que faz as obras. Acreditai-Me: Eu estou no Pai e o Pai está em Mim. Acreditai ao menos pelas minhas obras. Em verdade, em verdade vos digo: Quem acredita em Mim fará também as obras que Eu faço e fará obras ainda maiores, porque Eu vou para o Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome, Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, Eu a farei».

Palavra da salvação. R. Glória a Vós, Senhor.

1Pode ouvir-se uma versão ao vivo deste cântico em:

(5)

Segue-se o Salmo Responsorial.

Vós, Senhor, sois a minha esperança.

1| Quando Vos invocar, ouvi-me, ó Deus de justiça. Vós que na tribulação me tendes protegido,

compadecei-Vos de mim e ouvi a minha súplica.

2| Até quando, ó homens, sereis duros de coração? Porque amais a vaidade e procurais a mentira?

Sabei que o Senhor faz maravilhas pelos seus amigos; o Senhor me atende quando O invoco.

3| Tremei e não pequeis, no silêncio dos vossos leitos falai ao vosso coração. Oferecei sacrifícios de justiça e confiai no Senhor.

Muitos dizem: «Quem nos fará felizes?».

Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz da vossa face.

4| Dais ao meu coração uma alegria maior do que a deles na abundância de trigo e vinho. Em paz me deito e adormeço tranquilo

porque só Vós, Senhor, me fazeis repousar em segurança. O leitor 2 faz a seguinte leitura:

Viver a fé não é acreditar num deus sem rosto, mas descobrir o rosto de Deus manifestado em Jesus Cristo. Jesus é o único que pode dizer: «Quem Me vê, vê o Pai», pois «a Deus jamais alguém O viu; o Filho Unigénito, que

(6)

é Deus e está no seio do Pai, é que O deu a conhecer». A fé é, antes de mais, uma adesão pessoal do ser humano a Deus, aceitando, livremente, toda a verdade por Ele revelada. Para o cristão, crer em Deus é inseparável de crer n’Aquele que Deus enviou. O cristão ama a Deus, confia totalmente n’Ele e, por isso, aceita as verdades reveladas por Cristo e contidas na Sagrada Escritura e no Credo. O cristão celebra as maravilhas de Deus realizadas na história e na sua própria vida; vive em ação de graças constante e faz tudo para se reunir com os seus irmãos, em Igreja, para celebrar em comunidade a presença de Cristo ressuscitado.

O cristão é alguém que reza. Nesse diálogo íntimo, pede o dom do Espírito Santo e entrega a Deus as necessidades do mundo inteiro (especialmente dos que mais sofrem). Em tudo, não deixa de louvar o Senhor, como Nossa Senhora no Magnificat: «A minha alma glorifica o Senhor». O cristão sabe que não se pode separar o amor de Deus e o amor ao próximo. Por isso, dá testemunho do amor e todos os dias recorda o mandamento novo que Jesus nos dá: «É este o Meu mandamento, que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei». É vivendo o amor, ajudando quem precisa, fazendo aos outros o que queremos que nos façam a nós que anunciamos ao mundo que Ele está vivo e ressuscitado, que vai a caminhar connosco. Os cristãos são assim: é em Deus e na Sua vontade que descobrem a felicidade. Então, e eu? Como é a minha fé? Em silêncio, vamos pedir a Jesus que nos ajude a purificar a nossa fé de tudo aquilo que, parecendo fé, na verdade não o é.

No final da meditação, vem um momento longo de silêncio (3 minutos). Todos são convidados a pedir a Jesus que nos purifique a nossa fé de tudo aquilo que não é autenticamente fé. Quem quiser, pode ajoelhar-se.

(7)

Ao fim do tempo assinalado, todos se levantam e cantam:

Senhor, eu creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo! Eu creio, Senhor, que sois o Salvador do mundo, que sois o Salvador do mundo.

O adolescente que preside inicia as preces:

Invoquemos a Cristo Jesus, que é a alegria e felicidade de todos os que O esperam, e digamos cheios de confiança:

Vinde, Senhor, e não tardeis.

Os leitores 1 e 2, alternadamente, propõem as preces.

1| Esperamos com alegria a vossa vinda: vinde, Senhor Jesus.

2| Vós que existis eternamente, antes da criação do mundo, vinde salvar os que vivem no mundo.

3| Vós que criastes o universo e tudo o que nele existe, vinde resgatar a obra das Vossas mãos.

4| Vós que não desprezastes a nossa natureza mortal, vinde libertar-nos do poder da morte.

5| Vós que viestes à terra para nos dar uma vida nova, vinde comunicar aos homens a vossa vida divina.

O adolescente que preside inicia o Pai-nosso, que todos rezam juntos. No final, o adolescente conclui com a seguinte oração:

V. Deus de infinita bondade, que vedes o Vosso povo esperar fielmente o Natal do Senhor, fazei-nos chegar às solenidades da nossa salvação e celebrá-las com renovada alegria e fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. R. Ámen.

(8)

O momento de oração conclui-se do seguinte modo:

V. O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna.

R. Ámen.

E, voltados para a imagem de Nossa Senhora, rezam em conjunto:

Ó Senhora minha, ó minha Mãe, eu me ofereço todo(a) a vós, e em prova da minha devoção para convosco, Vos consagro neste dia e para sempre, os meus olhos, os meus ouvidos, a minha boca, o meu coração e inteiramente todo o meu ser. E porque assim sou vosso(a), ó incomparável Mãe, guardai-me e defendei-me como propriedade vossa. Lembrai-vos que vos pertenço, terna Mãe, Senhora nossa. Ah, guardai-me e defendei-me como coisa própria vossa.

Então, em silêncio, todos se benzem.

Jogo para saber mais…

Apresentamos-te as seguir uma série de frases começadas por «Eu sou». São frases especiais. Sim, é verdade! Os judeus nunca diziam «Eu sou»: essa era uma expressão reservada a Deus. Assim, sempre que Jesus diz «Eu sou…», está a manifestar-Se como Deus. Ora bom, ao lado de cada uma tens a respetiva citação… Mas as citações estão incompletas: nuns casos, temos apenas o capítulo (número antes da vírgula, está escrito com letra maior na tua Bíblia), noutros apenas o versículo (número depois da vírgula, na Bíblia aparece ao longo do texto em índice superior direito). Sabendo que todas as frases são do Evangelho de São João, descobre os capítulos e versículos em falta! Boa sorte!!!

† Eu sou um Bom Pastor (Jo 10, ___) † Eu sou a Luz do Mundo (Jo __, 12) † Eu sou o Caminho (Jo ___, 6) † Eu sou a Verdade (Jo 14, ___)

† Eu sou a Vida (Jo 14, ___)

† Eu sou a Ressurreição (Jo ___, 25) † Eu sou o Filho de Deus (Jo 10, ___)

Imagem

Referências

temas relacionados :