PORTARIA Nº 179/2020/GP. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE COMENDADOR LEVY GASPARIAN, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS.

14  Download (0)

Full text

(1)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I Prefeitura de Levy Gasparian  Gabinete do Prefeito  Av. Vereador José Francisco Xavier, 01  Comendador Levy Gasparian – RJ – CEP 25870‐000  levygasparian.rj.gov.br          PORTARIA Nº 179/2020/GP.     

O  PREFEITO  DO  MUNICÍPIO  DE  COMENDADOR  LEVY  GASPARIAN,  NO  USO  DE  SUAS  ATRIBUIÇÕES LEGAIS. 

   

NOMEIA  LUAN  ALVES  FERNANDES,  inscrito  no  CPF  sob  o  nº  XXX.617.XXX‐84,  com  fundamento no inciso II do art. 72 da Lei Orgânica Municipal, para o cargo de provimento  em  comissão  de  ASSESSOR  ADJUNTO  DE  ATENDIMENTOS  ESPECIAIS  (CDA  1),  do  quadro  permanente de cargos dos servidores do Município de Comendador Levy Gasparian, com  efeitos a partir do dia 02 de julho de 2020.     Gabinete do Prefeito, em 16 de julho de 2020.           Valter Luiz Lavinas Ribeiro        Prefeito    EAC EMPRESA DE ADMINISTRACAO DE CONTRATOS LTDA 21.863.150/0001-07 Emitido por: AC SERASA RFB v5

(2)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 2   CONVOCAÇÃO  Secretaria Municipal de Administração          Sr(a) MARCELA REIS FONSECA   

  Tendo  em  vista  a  classificação  em  2º  (segundo)  lugar  no  Processo  Seletivo   nº003/2020/SMS/PMCLG realizado pela  Secretaria de Saúde Municipal, com resultado  final  publicado  em  18/06/2020.  Edição  nº  1.346,  do  Diário  Eletrônico  Oficial  do  Município,  para  o cargo  de  Médico  do  PSF  e  o  não  atendimento  à  convocação  por 

parte do 1º (primeiro) classificado, fica Vossa Senhoria convocado(a) a comparecer à  Secretaria de Administração, comparecer à Secretaria de Administração, na Sede da  Prefeitura  municipal,  de  17/07  a  20/07/2020,  no  horário  de  09:00  às  13:00, 

munido(a) dos seguintes documentos, originais e cópias:    a‐ Fotos 3x4;  b‐ comprovante de quitação com a Justiça Eleitoral e título de eleitor;  c – CPF e Carteira de Identidade (Se cargo de nível superior, cópia da carteira profissional);  d – Cartão PIS/PASEP;  e – Certificado de reservista (sexo masculino);  f – Comprovante de residência;  g – Comprovante de escolaridade exigida para o provimento do cargo pretendido;  h – Certidão de nascimento ou casamento;  i – Certidão de nascimento e CPF dos dependentes menores de 18 anos;  j –  Cópia da última declaração de bens e rendas entregue à Receita Federal;  k – Atestado médico de condições de saúde para o exercício do cargo;  l – Certidão Negativa de Antecedentes Criminais;  m – Cópia da titulação apresentada no Processo Seletivo, 

Ressaltamos  que  a  indicação  da  Unidade  Básica  de  Saúde  compete  à  Secretaria  Municipal  de  Saúde  e  que  na  impossibilidade  de  assumir  a  Unidade  designada,  o  (a)  candidata (a) será considerado (a) desistente da vaga.      Comendador Levy Gasparian, 16 de julho de 2020.        RAQUEL ZACARONE MAURÍCIO FREDERICO 

(3)
(4)
(5)
(6)
(7)
(8)
(9)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 9

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO 

Extrato de Contrato Temporário Emergencial nº 027/2020  Processo Seletivo nº 001/2020/SMS/PMCLG/Centro de Triagem Covid‐19 

 

  Termo  de  Contrato  para  preenchimento  do  cargo  temporário  de  Técnico  de  Enfermagem que firmam o Município de Comendador Levy Gasparian, neste ato representado  pela  Secretária  Municipal  de  Saúde, Sra.  Rosiany  Bittar  Campos,  doravante  denominada  CONTRATANTE,  e  o  (a)  Sr.  (a)   Kely  Rose  Chagas  Martins  Teixeira,  neste  ato  denominada  CONTRATADA  na forma abaixo: 

 

Cláusula  I  –  A  CONTRATADA  se  obriga  a  prestar  serviços  profissionais  na  área  de  Saúde 

desempenhando as atribuições relacionados ao cargo Técnico de Enfermagem integrante do  Quadro de Pessoal do Poder Executivo específico e temporário para atividades no Centro de  Triagem Covid‐19. 

Cláusula  II  –  Este  contrato  encontra‐se  fundamentado  na  necessidade  temporária  de 

excepcional interesse público, regulamentado no âmbito municipal pela Lei nº1.062, de 30 de  abril  de  2020,    iniciando‐se  em 01/07/2020  com  termo  final  previsto  para  30/09/2020, 

podendo ser rescindido ou prorrogado de forma vinculada ao Centro de Triagem Covid‐19.         Cláusula III – A contratação por excepcional interesse público justifica‐se pela Declaração de 

Emergência  em  Saúde  Pública  de  Importância  Internacional  no  combate  emergencial  à  pandemia do Covid‐19.  Parágrafo único – A comprovação material dos fatos narrados nesta cláusula encontra‐se nos  autos do Processo Administrativo Nº3385/2020, de 29/06/2020.  Cláusula IV – A CONTRATADA receberá a título de pagamento mensal o valor de  R$ 1.116,81  (mil cento e dezesseis reais e oitenta e um centavos), acrescido do adicional  de insalubridade  de 40% (quarenta por cento) do salário mínimo  vigente, tendo previsão de recebimento na  mesma  data  dos  servidores  públicos  municipais,  por  conta  da  dotação  orçamentária  30.030.000.10.301. 0026.2566.31.900400 ‐ ficha 149. 

Parágrafo Único –  Em havendo plantão vago e até que se proceda à regularização da escala, 

poderá  ser  excepcionalmente  permitida  a  cobertura  do  plantão  pela  CONTRATADA,  com  pagamento do valor de R$ 167,52 (cento e sessenta e sete reais e cinquenta e dois centavos)  por plantão extra de 24h (vinte e quatro horas) trabalhado.   

Cláusula  VI  –  O  vínculo  entre  a  CONTRATADA  e  a  CONTRATANTE  é  de  Servidor  Público 

Temporário,  não  fazendo  jus  à  percepção  de  quaisquer  verbas  remuneratórias  ou  indenizatórias que não as definidas na Cláusula IV do presente Termo de Contrato. 

Cláusula  VII  –  A  CONTRATADA  executará  as  atribuições  inerentes  ao  cargo  pessoalmente, 

responsabilizando‐se pelo fiel cumprimento dos deveres e demais obrigações estabelecidas na  Lei  Municipal  nº070,  de  28  de  outubro  de  1994  e  demais  legislações,  ficando  obrigado  ao  cumprimento da jornada de 40 (quarenta) horas semanais, computadas em ponto eletrônico,  sem  possibilidade  de  flexibilização,  exclusivamente  no  Centro  de  Triagem  do  Covid‐19  no  município. 

Cláusula  VIII  –  O  Município  poderá  rescindir  unilateralmente  o  presente  contrato  antes  do 

termo  final  previsto,  com  comunicação  prévia  ao  CONTRATADO  e  à  Secretaria  de  Administração, sem que caiba indenizações, multas, penalidades ou verbas indenizatórias.   

(10)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 10

LEI Nº 1.066, DE 16 DE JULHO DE 2020.

Autoriza o Poder Executivo Municipal a suspender o pagamento dos valores devidos ao Regime Próprio de Previdência Social – Levy Prev, nos termos do artigo 9º da Lei Complementar nº 173 de 29 de maio de 2020 e Portaria nº 14.816 de 19 de junho de 2020, emitida pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, e dá outras providências.

O POVO DO MUNICÍPIO DE COMENDADOR LEVY GASPARIAN, por meio de seus representantes legais, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Fica autorizado o Poder Executivo Municipal a suspender os seguintes valores

devidos ao Regime Próprio de Previdência Social – Levy Prev, com vencimentos a partir do advento da presente Lei até o dia 31 de dezembro de 2020:

I – prestações não pagas de termos dos acordos de parcelamentos firmados até 28 de maio de 2020, com base nos arts. 5º e 5º-A da Portaria MPS nº 402, de 10 de dezembro de 2008; e

II - contribuições previdenciárias patronais devidas pelo Município e não pagas,

relativas às competências com vencimento entre 1º de março e 31 de dezembro de 2020.

Parágrafo único - Para os efeitos do inciso II deste artigo, consideram-se

contribuições patronais aquelas previstas no plano de custeio do RPPS, de que trata o art. 47 da Portaria MF nº 464, de 19 de novembro de 2018, instituídas por meio de alíquotas, para cobertura dos custos normal ou suplementar, ou por meio de aportes estabelecidos em planos de amortização de déficit atuarial.

Art. 2º A autorização para a suspensão de que trata esta Lei não afasta a

responsabilidade do Município pela cobertura de eventuais insuficiências financeiras do respectivo RPPS, decorrentes do pagamento de benefícios previdenciários, nos termos do § 1º do art. 2º da Lei nº 9.717, de 1998, inclusive as relativas aos planos financeiros em caso de segregação da massa dos segurados.

Parágrafo único - Permanece ainda a obrigatoriedade de o Município manter o

(11)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 11

taxa de administração ou de aportes financeiros, caso referido órgão ou entidade não tenha recursos disponíveis para tal finalidade.

Art. 3º Não é permitido ao Poder Executivo Municipal a adoção das seguintes

medidas:

I - suspender do repasse das contribuições dos servidores ativos, aposentados e

pensionistas devidas ao RPPS;

II - a restituição ou compensação dos valores de prestações de termos de acordo de

parcelamento ou de contribuições previdenciárias patronais devidas que tiverem sido pagas ao órgão ou entidade gestora do RPPS com vencimento dentro do período de que tratam o artigo primeiro e incisos desta Lei;

III - a utilização de recursos do RPPS, incluídos os valores integrantes dos fundos de

que tratam o art. 249 da Constituição Federal e o art. 6º da Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998, para despesas distintas do pagamento dos benefícios previdenciários do respectivo fundo e daquelas necessárias à sua organização e ao seu funcionamento, conforme disposto no inciso XII do art. 167 da Constituição Federal.

Art. 4º Cada prestação de termo de acordo de parcelamento, de que trata o inciso I do

art. 1º, cujo repasse tenha sido suspenso nos termos da presente Lei deverá ser paga pelo Município ao órgão ou entidade gestora do RPPS, com a aplicação do índice oficial de atualização monetária e da taxa de juros previstos no acordo, respeitando-se como limite mínimo a meta atuarial, dispensada a multa, de forma concomitante com as prestações vincendas a partir de janeiro de 2021, iniciando-se pela prestação mais antiga suspensa e terminando pela mais recente, em número total de meses igual ao número de prestações suspensas.

Parágrafo único. Alternativamente ao disposto no caput, fica autorizado, observadas

as demais condições estabelecidas no art. 5º da Portaria MPS nº 402, de 2008, e o prazo máximo permitido pelo § 9º do art. 9º da Emenda Constitucional nº 103, de 2019, inclusive em caso de prestações relativas a termos de acordo de parcelamento firmados com base nos parâmetros estabelecidos no art. 5º-A da referida Portaria, que:

I - as prestações suspensas sejam objeto de novo termo de acordo de parcelamento, a

ser formalizado até o dia 31 de janeiro de 2021; ou

II - o termo de acordo de parcelamento seja objeto de reparcelamento, a ser

formalizado até o dia 31 de janeiro de 2021, não se aplicando a limitação de um único reparcelamento prevista no inciso III do § 7º do art. 5º da Portaria MPS nº 402, de 2008.

(12)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 12

Art. 5º As contribuições previdenciárias patronais, de que trata o inciso II do art. 1º,

cujo repasse tenha sido suspenso, conforme autorizado pela presente Lei, deverão ser pagas pelo Município ao órgão ou entidade gestora do RPPS, com a aplicação do índice oficial de atualização monetária e da taxa de juros previstos na legislação municipal para os casos de inadimplemento da obrigação de repasse, respeitando-se como limite mínimo a meta atuarial, dispensada a multa, até o dia 31 de janeiro de 2021.

Parágrafo único. Alternativamente ao disposto no caput, fica autorizado, observadas

as demais condições estabelecidas no art. 5º da Portaria MPS nº 402, de 2008, e o prazo máximo permitido pelo § 9º do art. 9º da Emenda Constitucional nº 103, de 2019, que as contribuições suspensas sejam objeto de termo de acordo de parcelamento, a ser formalizado até o dia 31 de janeiro de 2021.

Art. 6º O não repasse das prestações dos termos de acordo de parcelamentos e das

contribuições previdenciárias patronais, suspensas conforme autorização pela presente Lei, nos termos do art. 1º, não constituirá impedimento à emissão do Certificado de Regularidade Previdenciária - CRP, até o dia 31 de janeiro de 2021, conforme disposto no caput do artigo 5º da Portaria nº 14.816, de 19 de junho de 2020.

Parágrafo único - A suspensão de que trata esta Lei não dispensa o Município da

obrigação de encaminhar à Secretaria de Previdência o Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses - DIPR no prazo e na forma previstos na alínea "h" do inciso XVI e no inciso II do § 6º do art. 5º da Portaria MPS nº 204, de 2008, observado o disposto na Portaria ME nº 9.348, de 06 de abril de 2020.

Art. 7º Aplicam-se, em caráter excepcional, as seguintes disposições relativas aos

parâmetros técnico-atuariais dos RPPS:

I - para os fins da alínea "b" do inciso II do art. 46 da Portaria MF nº 464, de 19 de

novembro de 2018, serão admitidos como ativos garantidores dos compromissos do plano de benefícios do RPPS os termos de acordo de parcelamento formalizados até 31 de janeiro de 2021;

II - para contagem dos prazos remanescentes dos planos de amortização de deficit

atuarial de que tratam a alínea "c" do art. 55 da Portaria MF nº 464, de 2018 e o inciso II do § 2º do art. 7º da Instrução Normativa nº 07, de 21 de dezembro de 2018, não será considerado o exercício de 2020;

(13)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 13

a) a aplicação do parâmetro mínimo de amortização do déficit atuarial, de que trata o

inciso II do art. 54 da Portaria MF nº 464, de 2018;

b) a exigência de elevação gradual das alíquotas suplementares, de que trata o

parágrafo único do art. 9º da Instrução Normativa nº 07, de 2018.

Art. 8º Aplica-se em caráter suplementar, desde que não conflitante com a presente

Lei, o disposto na Lei Complementar nº 173 de 27 de maio de 2020 e na Portaria nº 14.816, de 19 de junho de 2020 do Ministério da Economia/Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

Art. 9º Essa Lei entra em vigor na data de sua publicação. Valter Luiz Lavinas Ribeiro

(14)

Quinta-feira, 16 de julho de 2020 | Edição Nº 1.365 | Caderno I 14   SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO    EXTRATO DE SEGUNDA PRORROGAÇÃO AO TERMO DE CONTRATO  Nº047/2019         

Segunda  prorrogação  ao  Termo  de  Contrato  para  preenchimento  temporário  de  vaga  de  cargo  efetivo  de  Auxiliar  de  Serviços  Públicos/Capinador  que  firmam  o  Município  de  Comendador Levy Gasparian, neste ato representado por seu Secretário de Serviços Públicos,  Ueber José Barbosa Arão, doravante denominado CONTRATANTE, e o (a) Sr. (a) Edimar da  Silva Ferreira, neste ato denominado CONTRATADO na forma abaixo: 

 

Cláusula  I  –  De  acordo  com  o  pedido  da  Secretaria  de  Serviços  Públicos  através  do 

Memorando  nº088/2020/SMSP,  constante  do  Processo  Administrativo  nº3626/2019,  de  16/07/2019,  fica  prorrogado  o  contrato  nº  047/2019,  pelo  período  de  16/07/2020  a  15/10/2020.    Cláusula II – Será rescindido o contrato tão logo iniciada a fase de convocação dos cargos  através do concurso público em andamento, podendo ser prorrogado enquanto o certame  não estiver finalizado. Cláusula III –Ficam mantidas as demais cláusulas constantes do contrato principal.   

Figure

Updating...

References

Related subjects :